História Bridges - (IMAGINE Mark) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Jinyoung, Mark, Personagens Originais
Tags Bambam, Bts, Drama, Exo, Got7, Got7 Imagine, Jackson, Jaebum, Jinyoung, Kpop Fanfics, Mark, Mark Tuan, One-shot, Original, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 31
Palavras 6.898
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá amores, este é um dos imagines/one shots que tenh guardo e que fiz com muuuito carinho, espero que gostem e está vindo muito mais por aí!!!!! Se gostarem continuarei com as minhas fanfics aqui.

Esta fanfic pode ser encontrada no Kpop Amino, GOT7 Amino, Wattpad e Fanfic Obsession!

Boa leitura!!1

Capítulo 1 - Capítulo único - Pontes


- EU IREI PARA A COREIA VOCÊ QUERENDO OU NÃO!

Essas foram as últimas palavras que falei, ou melhor, gritei, para a minha mãe, pois logo depois peguei minhas malas e fui para o aeroporto de Los Angeles, não sabia o que seria de mim após aquela decisão, mas eu tinha que tentar, só assim saberia o quanto nosso amor valeria a pena.

Fazia alguns meses que eu estava cogitando esta possibilidade de tentar viver meu a mor de infância, para dizer bem a verdade desde que por casado eu e Mark nos encontramos enquanto ele passava por Los Angeles com a tour do GOT7, sim ninguém está pensando errado, meu amor é Mark Yi-En Tuan!

É complicado de explicar, mas nos conhecemos desde nascemos, ele era meu vizinho, meu colega de classe e meu melhor amigo, mas para ser sincera desde cedo eu sempre senti muito mais que amizade por ele e até chegamos a namorar no ensino médio, mas seu sonho de ser famoso acabou com tudo, ele acabou indo para a Coreia e simplesmente parou de falar comigo, fiquei anos sem saber dele, como ele estava e se tinha alguém até vê-lo como um membro do GOT7 em 2014, eu fiquei extremamente feliz, ele estava realizando o seu sonho, mas triste por não poder estar por perto. Por dois anos eu pensei que nunca mais o veria até a Turbulence tour de 2016, eles vieram para Los Angeles onde ficaram um bom tempo, tempo suficiente para Mark ir à loja onde eu trabalhava e fazer com que nos reencontrássemos.

O ver naquele dia fez aquele sentimento todo renascer dentro de mim e creio que dentro dele também, começamos a nos aproximar de mais, mas nada poderia ser como antes, ele teria que voltar para a Ásia, afinal ele era um idol e não poderia abandonar tudo por conta disto, eu pensei que seria tudo como da outra vez, mas não, ele havia me chamado para ir para a Coreia com ele, ele disse que estavam precisando de funcionários no café de sua empresa e que poderia arrumar aquele emprego para mim, mas eu não tinha certeza que aquilo era o certo. Foi muito tempo pensando neste assunto, muitas incertezas e inseguranças, porém a insistência de Mark acabou por me encorajar, eu bati de frente com toda a minha família, com meus amigos e agora eu estava sozinha indo para o um país totalmente estranho em busca de um amor maluco que poderia não dar certo, mas eu tinha que tentar.

Não sabia se ia me arrepender, mas agora era um caminho praticamente sem volta, afinal eu já estava dentro daquele avião e daqui algumas horas eu estaria na Coreia para viver uma paixão realmente muito louca, se alguém descobrisse muita coisa correria risco... Eu não sabia quantas horas exatas eu havia passado ali dentro, apenas que foram realmente muitas, mas finalmente estava em solo coreano e podia sentir que muita coisa me esperava ali, as quais eu iria descobrir lentamente.

Assim que cheguei eu tratei de mandar uma mensagem para Mark assim como ele havia pedido, mas eu não imaginava que ficaria horas esperando por alguém, fala sério ser um idol nesse país é realmente tão arriscado quanto parece?

 

- Anna... Vem... - alguém sussurrou em meu ouvido e começou a me puxar, por um momento eu pensei em lhe dar um chute como defesa, mas pensando bem, para saber meu nome, devia ser no mínimo amigo dele

- Quem é você? Por que está todo coberto? - perguntei estranhando a forma que aquele rapaz estava, não dava pra ver nada de seu rosto, parecia até sequestrador

- Acho que você não iria querer ser vista com um membro do GOT7 dessa forma – ele riu abafado, agora eu tinha certeza que era ele

- MARK!! - exclamei alto e acho que acabei chamando atenção de muitas pessoas por ali, tanto que ele colocou a mão em minha boca e apertou o passo, okay, estou há três minutos neste país e já estou assustada

- Anna, não chame atenção, é muito arriscado!! - ele me disse de um jeito um tanto quanto nervoso, pois é... Parece que liberdade e privacidade era algo que realmente não acontecia por ali.

 

Não trocamos mais nenhuma palavra até chegarmos a um apartamento modesto, segundo o garoto era em uma boa região e perto de onde eu iria trabalhar, eu estava ansiosa para começar a trabalhar, agora era uma nova vida e do lado da pessoa que eu gostava, não tinha como dar errado!

 

- Ei, acorda!!! - quanto tempo eu tinha dormido? Ou melhor, quando foi que eu dormi? Nem sei dizer, apenas fui acordada por alguém me sacudindo

- Hm... Só mais dois minutos mãe... - resmunguei tentando me soltar da pessoa

- Não sabia que você namorava sua própria mãe... - okay, aquilo me fez despertar instantânea e assustadamente

- Aishh... Mark o que faz aqui? Como entrou? Quem deixou? - disse assustada, era muito cedo para eu conseguir raciocinar alguma coisa descente

- Acho que eu vim levar minha princesinha para trabalhar... E se ela conseguir se lembrar, eu meio que aluguei esse apartamento pra ela – Mark dizia rindo da minha cara, eu apenas ri abafado, como eu podia ser tão lerda?

- Aish, pelo menos podia ter tocado a campainha, eu teria acordado – resmunguei manhosa

- Do jeito que eu te conheço? O prédio todo acordaria e você estaria dormindo tranquilamente – ele riu da minha cara e eu lhe dei um tapinha de leve em seu braço – Aishhh!!! Quando foi que você ficou tao forte??? - ele começou a fazer aquele draminha sem sentido que sempre fazia pra me animar

- Para vai, nem foi tão forte, molenga! - comecei a rir dele, era incrível como Mark podia alegrar o meu dia com um simples gesto – Mas agora é bom o senhor ir saindo do meu quarto, porque eu tenho que me arrumar – disse o empurrando pra fora da cama rindo, até parece que eu iria dar o gostinho dele me ver se trocar!

- Mas Anna, não somos namorados? Eu posso ver, não acha? - ele disse fazendo aquela carinha fofa de fanservice dele, eu apenas o olhei incrédula com suas palavras, desde quando ele se tornou assanhado? Com certeza é aquele Jaebum, ele sempre falava isso nas videochamadas que fazíamos e ele entrava de penetra

- Claro que vai poder ver, daqui um... dois... TRÊS meses... SE eu quiser – sorri vitoriosa – Você não vai conseguir ver meu corpinho lindo tão cedo, meu bem – disse convencida – Então vai me esperar na sala antes que eu me atrase no primeiro dia! - ele resmungou? Com toda a certeza do mundo, mas merecidamente!

 

Eu não demorei muito para me arrumar, mas segundo o senhor Tuan foi mais que o Bambam escolhendo que sapato usar, sempre exagerado!! Assim que ele me passou algumas instruções de como eu me comportar quando estivéssemos em público nós seguimos para o trabalho e realmente não era muito longe do meu apartamento. Eu queria poder ter me despedido melhor dele, mas não foi possível, uma legião de fãs o viu de longe e tivemos que nos separar antes mesmo de poder chegar na porta do café... Infelizmente teria que enfrentar sozinha, mas fé que vai dar tudo certo.

 

- Olá... Eu sou a nova funcionária... - disse timidamente para uma das atendentes, a qual nem me deixou de falar e foi logo me puxando para dentro do estabelecimento

- Oi!! Eu me chamo Park Jin Ji, sou irmã do Jinyoung do GOT7, você deve ser a namorada do Mark, não? - ela dizia extremamente animada, eu não sabia como reagir, ela me parecia ser engraçada, mas ela estava me assustando com tanta animação

- Sim, eu me chamo Anna, é um prazer... - Jin Ji me parecia ser bem elétrica, nem me deixava terminar a frase

- Ai eu sempre quis te conhecer, os meninos falam muito de você – ela me abraçou rapidamente, mas logo me soltou e ficou séria – Mas toma cuidado com a outra funcionária, ela é quase uma sassaeng, não vai ser legal ela descobrir isso

- Ah, eu tomarei – disse um pouco sem jeito

- Ai, eu devo ter te assustado, realmente me desculpe... - a garota parecia um pouco sem jeito e apesar de ser verdade, eu não queria que ela ficasse assim, afinal poderia ser uma futura amiga

- Não, não me assustou não, eu só estou nervosa porque é meu primeiro dia... - respondi sorrindo fraco para ela

- Ah, não se preocupe, eu irei te explicar tudo! - Jin Ji novamente se animou e logo começou explicar tudo.

 

Trabalhar ali parecia que iria ser uma boa coisa, as meninas eram bem legais, sim, até a "quase sassaeng" é legal, tirando o fato dela tarar o Mark toda hora que ele passa na frente!! Ahh!! Também muitas fãs e estudantes vão ali para estudar e ver seus ídolos, é bem legal porque eu posso conhecer cada coisa incrível que esses artistas fazem nas vidas delas indiretamente que chega a ser inspirador.

[...]

Para ser sincera, ir para Seul foi a melhor coisa que fiz em minha vida nesses vinte e dois anos, meu relacionamento com Mark está muito sólido e meu emprego é incrível e minha melhor amiga é a pessoa mais engraçada e maluca que eu já conheci nessa vida, apesar de sentir saudades da minha mãe e de Los Angeles, morar aqui estava me mostrando horizontes e lições que eu jamais aprenderia se tivesse continuado lá, principalmente o fato de saber que com fã coreana não se brinca... Sinceramente, nunca mais quero ser pega com o Mark em público, no dia em que uma fã dele me viu fez um interrogatório tão grande sobre minha vida que achei que seria presa pelo FBI! Deus me livre passar por isso novamente!!!

Já havia se passado um certo tempo que eu havia me mudado, nem lembrava quanto, só lembrava que hoje era dia do meu aniversário... Todos que estavam a minha volta sabia disso e passaram o dia inteiro sem nem dar parabéns para mim, fala sério eles não conseguem lembrar uma simples data comemorativa? Jin Ji, você vai ver, no dia do seu aniversário eu vou fazer questão de passar o dia todo com você e não falar nada!

Já eram quase sete da noite, eu havia pedido para Jin Ji vir me buscar, já que havíamos marcado de ir ao COEX da SM para eu comprar o álbum novo do TVXQ para mim, mas nem isso aquela doida fez, e ainda deixou pra eu fechar o café sozinha, o qual eu fecharia se Jackson saísse do telefone e fosse embora, ou treinar, sei lá, caçar o rumo dele!

 

- Jackkie!!! E preciso ir embora, vamos!! - resmunguei me sentando em sua frente

- Mas Anna, eu não acabei meu café – ele disse todo fofo, aquele menino não me engana, aí tem coisa

- Deixa de frescura, você está tomando esse mesmo café a quase três horas, o que tá rolando? - falei brava, nossa eu não sabia que eu podia ser tão sentimental assim, vivendo e aprendendo.

- Você realmente acha que eu estou mentindo? Como pode achar isso? - Jackson fazia aquela voz de ofendido dele

- Amigo, você atua muito mal, sabia? - disse a ele cruzando meus braços, nem que se fosse verdade eu acreditaria hoje

- Aish, você é muito esperta – ele revirou os olhos e eu sorri – Os meninos me deram o bolo, falaram que iriam vir aqui para depois irmos treinar, mas nem apareceram

- AHA!!! ENTÃO NÃO SOU SÓ EU QUE FOI ENGANADA HOJE!! - disse animada, então quer dizer que o grande enrolão foi enrolado? O mundo dá voltas pessoal! - Como se sente?

- Acho que me sinto solitário... - ele disse rindo da minha animação repentina, mas não continuou a falar muito, assim que ele recebeu uma mensagem ele saiu correndo – Desculpa, acho que eles chegaram

- Aish... Fala sério... Ele mentiu e eu acreditei – resmunguei brava e peguei a xícara que ele havia deixado, nem mesmo Jackson Wang lembrou de mim, acho que ninguém me ama nesse lugar!!

 

Eu esperei mais um tempo para ver se Jin Ji iria aparecer, mas parece que ela esqueceu totalmente do que iríamos fazer, Mark parecia estar ocupado de mais com seu trabalho e se ele estava os outros também estavam... Pois é, eu fui totalmente esquecida, o jeito é passar o resto do meu dia vendo dorama e chorando junto com a atriz principal! Saí do café e já eram quase oito horas, não tinha muitas pessoas na rua e as que tinham eram fãs de algum grupo da JYP, estava bem mais tranquilo que o normal e isso era bom, já que eu estava no meu momento sofrência, eu voltava para casa tranquilamente, estava dispersa nos pensamentos como sempre, eu gostava de pensar no futuro enquanto caminhava, era legal, mas não foi muito legal hoje...

 

- Você vem comigo! - ouvi uma voz masculina dizer isto e logo tapou minha boca e começou a me "arrastar" para um beco, eu me debatia o mais forte que conseguia, eu estava cheia de medo, esse seria meu fim? Ser sequestrada no dia do meu aniversário isso é muita má sorte!

- ME LARGA!!! - gritei assim que consegui morder a mão daquele homem e fazer ele soltar minha boca, ele apenas grunhiu baixo de dor e parou perto da esquina que dava em uma rua bem movimentada.

- Você devia para de ser menos agressiva menina... - ele disse finalmente me soltando

- YOUNGJAE!! Por que fez isso? Me assustou!! Achei que era um bandido!! - disse assustada

- Pra te levar em um lugar sem que as fãs te visse comigo – Youngjae riu da minha cara, isso era tão óbvio, como eu não pensei?

- Vai me levar pro COEX? Eu disse que queria ir lá hoje, mas ninguém quis ir comigo... - falei animada, finalmente alguém se importando comigo hoje

- Na verdade, eu vou te levar para um encontro – ele riu abafado e eu o olhei confusa antes de entrar em seu carro, eu ia ter um encontro com Youngjae? Eu bebi muito café pra delirar?

 

Youngjae acabou me levando para o parque Gangnam, mas só me levando mesmo, foi eu descer do carro que ele saiu, sinceramente se meu encontro era com a escuridão ele podia ter me deixado em casa mesmo, mas já que estou aqui nada mais justo que conhecer esse parque, dizem que ele é bem romântico, quem sabe eu possa vir um dia aqui com o Mark sem que tenhamos que nos esconder.

Eu estava parecendo aquelas meninas de fanfic quando vai para o país dos sonhos, tudo ali era perfeito e lembrava a romance, era realmente um lugar muito bonito para vir com quem você gosta, queria muito que ele pudesse estar aqui comigo agora iria ser tão perfeito... Mas espera, aquele menino ali debaixo da árvore não é...

 

- Mark? É você? - falei surpresa ao ver um garoto parecido com ele sorrindo para mim – O que faz aqui? Espera... Esse é o tal encontro que o Youngjae disse? - perguntei confusa ao vê-lo

- Asihh, Jae sempre dando spoiler... - ele disse e riu abafado – Sim, eu pedi pra ele te trazer aqui, porque hoje é um dia muito especial e merece que seja o dia do nosso primeiro encontro – ele disse e pegou em minha mão

- E-então... Era isso que estava preparando o dia todo? - perguntei com um sorriso gigante em meu rosto, meu coração mal cabia em meu peito, eu havia esperado tanto por um encontro descente com ele, mas não imaginava que seria justamente em meu aniversário

- Acha mesmo que eu iria deixar minha princesinha passar seu aniversário sozinha? - ele perguntou para mim enquanto andávamos lentamente pelo parque

- Sinceramente? Por um momento eu achei que não tinha lembrado – ri de meu comentário

- Onde já se viu você pensar isso logo de mim! - ele se fez de ofendido – Eu nunca esqueci se aniversário!

- Para falar a verdade, você não me dá parabéns desde que se mudou para a Coreia – comentei baixinho um pouco sem graça

- Aigoo... Me desculpe, mas eu não tinha seu contato – ele suspirou e me olhou – mas eu sempre lembrava e me perguntava se você estava bem – ele sorriu e eu acabei corando, como pode existir um ser tão perfeito que nem ele?

- Como você pode ser tão fofo em senhor Tuan? - perguntei

- Só sou assim com pessoas que eu amo muito, se sinta privilegiada – respondeu e me deu um beijo na bochecha me fazendo corar – Ih!! Você ainda cora muito quando eu te beijo

- Mas é claro que sim, não é muito comum você fazer isso em público – ri baixinho, essa noite de estranha estava passando a ser perfeita.

 

Por um grande tempo passamos sem falar nada, eu apenas observava o parque todo tentando prestar atenção em cada detalhe, tinham muitas famílias por ali, estava um ambiente muito gosto e calmo. Mark me puxou para um gramado onde tinha algumas coisas parecendo um piquenique, acho que foi ele que preparou, assim como fazia quando éramos crianças.

 

- V-você fez exatamente como fazia antigamente – gaguejei um pouco emocionada ao ver as coisas

- Eu lembro que era uma de suas coisas favoritas – ele sorriu fofo e se sentou no gramado e eu me sentei ao seu lado

- Lembra de quando ficávamos no terraço de casa formando desenhos nas estrelas? - perguntei a ele apontando para o céu – Era meu momento favorito do dia

- Era o meu momento favorito também – ele disse sorrindo – Porque era o momento que eu podíamos ficar sozinhos

- Era muito legal, porque sempre antes de você ir para casa a gente lembrava da nossa promessa – disse um pouco distante nos pensamentos - "Não importa quando ou onde...

- Eu sempre irei te amar, porque nosso amor será para sempre" - Mark acabou terminando a frase de sua promessa e nos entreolhamos, ficamos em silêncio por alguns segundos, Mark levou sua destra até meu rosto o qual acariciava lentamente - Eu vou te amar para sempre, Anna... - sussurrou, estávamos a centímetros de nos beijar, eu realmente achei que aquele milagre de nos beijarmos em público aconteceria... Se não fosse uma bola me atingir e fazer separarmos

- Noona, noona, me desculpe... - era um menininho, deveria ter uns cinco anos, que vinha correndo em minha direção

- Tudo bem anjinho, acontece – lhe devolvi a bola sorrindo

- Ei, não é o menino do GOT7? Minha irmã gosta muito de você – ele disse apontando para Mark, o qual riu abafado e confirmou, mas antes que respondesse algo a criança voltou para perto dos pais

- Eu adoro crianças... - comentei sorrindo que nem boba

- Já pensou como seriam nossos filhos? - Mark me perguntou rindo

- Iam ser muito bonitos, mas muito calados também – respondi depois de pensar

- Eles seriam fofos também, você é a fofura em pessoa e eu sou o rei o aegyo! - ele disse convencido

- Só pra suas fãs, você é bem atiradinho pra um ser fofo – respondi rindo

- E vai dizer que não gosta?! - ele perguntou aproximando seu rosto do meu

- Gostar eu gosto, mas prefiro o lado fofo – disse para provocá-lo

- Aish, você é chata sabia? - ele disse se afastando e eu ri, coitado, até parece que não sabe a namorada que tem

- Sou mesmo? Não foi isso o que disse segundos atrás – falei rindo – Não tem medo de suas fãs aparecerem? - perguntei preocupada ao lembrar do menininho

- Elas não vão estar aqui, os meninos ficaram na JYP para que eu pudesse vir aqui – ele disse tranquilo, então Jackson não estava mentindo desta vez, tadinho o tratei tão mal...

- Que bom, assim podemos curtir mais um pouquinho – sorri e encostei minha cabeça em seu ombro, estava muito bom pra ser verdade, aquele momento estava tão perfeito que eu tinha certeza que nada iria dar errado... Até um flash me assustar

- MARK OPPA TEM UMA NAMORADA!!! - ouvi uma menina gritar, ela estava com uma câmera na mão

- Isso não vai acabar bem... - disse à ele assustadamente

- Vamos! - Mark levantou rapidamente e me puxou, o encontro perfeito havia acabado de se tornar um problema gigante.

 

Nós corremos por um bom tempo daquelas fãs do parque até chegarmos no meu apartamento, Mark e eu fomos realmente muito descuidados de termos nos exposto desta forma, isso iria acabar mal pra nós dois se não pensássemos em alguma coisa. Naquela noite pela primeira vez ele passava a noite comigo, primeiramente combinamos de ele dormir no chão e eu na cama, ninguém estava no clima de conversar depois do que ocorreu no parque... Só que eu não imaginava que no meio da noite ele iria acabar vindo para a cama, eu não podia imaginar que naquela noite seria nossa primeira vez... Eu não estava acreditando que depois de tudo o que havia acontecido hoje, esta noite acabaria da melhor maneira que podia acabar, foi neste instante que eu descobri que eu o amava mais do que eu sabia.

[...]

- Anna... Anna... ANNA!!! - Jin Ji passava a mão na frente dos meus olhos na tentativa de me despertar dos meus pensamentos

- Hm? Falou comigo Jin? - falei sorrindo que nem uma tonta, desde aquele dia eu não estava mais agindo normalmente

- O que aconteceu no seu aniversário que você anda mais voada que o normal? - ela me disse olhando com estranheza

- N-nada... Sabe... Nada... - disse começando a corar, eu não conseguia dizer isso a ninguém, nem mesmo para Jin Ji

- Ai meu Deus... Eu demorei dois meses para sacar isso!! - Ela disse toda louca no meio do café chamando a atenção – Você e o Mark...

- Olha o Yugyeom!!! - antes que ela pudesse dizer algo a respeito eu apontei para Yugy que adentrava o café, eu sabia muito bem que ele e Jin Ji se gostavam, e ele ali ia tirar o foco dela em mim

- Anna, o que eu faço? Eu tô bonita? O que eu falo? - eu comecei a rir da velocidade que ela mudou de assunto, mas pelo menos não disse nada sobre eu e Mark

- Você sempre está linda – disse rindo e dei um empurrãozinho nela – Vai logo falar com ele... - eu tentava encorajar essa menina toda hora, mas parecia que algo travava muito ela.

- Anna, eu não consigo, vai por mim, por favor!! - Jin Ji disse manhosa, eu não queria aceitar, mas acabei aceitando

- Essa é a última vez, entendeu? - falei pra ela como se fosse sua mãe e fui até Yugyeom – Veio ver a Jin Ji foi?

- C-Como você sabe? - ele perguntou tímido e assustado

- Olha, todo mundo já sabe que você gosta dela – falei rindo – Se eu fosse você ia falar com ela e... - Antes que eu conseguisse terminar acabei sentindo uma forte tontura, foi repentino, mas o suficiente para eu quase cair

- Anna, você está bem? - Yugyeom me perguntou preocupado, mas antes que eu respondesse eu acabei apagando.

 

Eu não sei quanto tempo fiquei desmaiada, mas percebi que foi o suficiente para que eu fosse parar no hospital, o que tinha acontecido? Quem tinha me trazido? Eram as principais perguntas que eu tinha na minha mente até ver a cara de preocupação de Jin Ji, eu estava doente? Era grave? O que podia ter acontecido?

 

- Jin Ji o que houve? - perguntei assutada, mas ainda tonta

- Anna... Você e o Mark... Sabe... - ela parecia extremamente nervosa, o que ela queria dizer?

- Eu e o Mark o quê? O que você quer dizer? - perguntei nervosa, Mark estava mal também?

- Anna, você está grávida! - ouvir aquelas palavras realmente me abalaram, foi como se tudo tivesse desabado, não era que eu não quisesse um filho, porém eu não sabia o que Mark pensava sobre.

- O quê? É mentira, só pode ser mentira! Jin Jin não brinca com essas coisas – falava rindo de nervoso, eu estava realmente perdida

- Não estou brincando, você desmaiou e o Yugyeom te trouxe e ficou sabendo da notícia, ele me chamou assim que soube – ouvir aquilo de Jin Ji estava realmente doendo, o que eu ia fazer agora? Mark já estava sabendo?

- Jin Ji, o que eu faço? - perguntei sentindo algumas lágrimas caindo, eu estava feliz por estar esperando um filho de Mark, mas ao mesmo tempo apavorada

- Amiga, você vai ter que contar pra ele – ela falou sério, e esse era o meu maior medo

- E como eu faço isso? - perguntei para ela ainda um pouco perdida.

 

Não demorou muito para eu poder ir embora do hospital, Jin Ji me levou para casa e passou aquela noite comigo, acho que Yugy não contou nada para Mark, ele parecia não estar sabendo do ocorrido, o que era bom, este era um assunto delicado de mais para outra pessoa falar para ele.

Se passaram duas semanas, eu estava faltando bastante no trabalho por conta dos enjoos e evitava de falar com Mark, eu não conseguia encontrar a coragem para dizer que estava esperando um filho dele, sua reação poderia ser extremamente surpreendente e eu poderia não gostar, mas acho que isto já estava se estendendo por um bom tempo, eu quase não saía de casa e isso já estava afetando todos à minha volta, eu tinha que dar um basta e seria hoje. Fui até o dormitório do grupo, eles tinham gravação hoje e pelo que sei Mark ia chegar primeiro que todo mundo lá, porque não tem paciência de esperar.

 

- Anna? O que faz aqui a essa hora? - Mark disse assim que abriu a porta

- A gente precisa conversar sério – Disse entrando na casa

- Aconteceu alguma coisa? - ele perguntou preocupado – Você anda estranha esses dias – ele disse me levando até o sofá onde nos sentamos

- Mark, eu não sei como te contar isso... - respirei fundo e peguei suas mãos – Eu estou grávida – resolvi ser direta, se fosse negativo já seria logo

- G-grávida? Anna, como assim? - ele perguntou um tanto quanto incrédulo

- Mark, você sabe, foi naquele dia que ficamos lá em casa... - eu segurava meu choro, algo me dizia que iria ser muito ruim essa conversar

- Esse filho não é meu, quer dizer, ele não pode ser meu filho – ele disse soltando sua mão da minha

- Como disse Mark? Você está dizendo que eu te traí? É isso? - franzi o cenho incrédula com as palavras dele

- É isso sim! Você e o Youngjae são bem amigos, quem sabe não foi com ele, não é mesmo? - ele disse alterado, aquele era mesmo o meu namorado?

- Mark você ficou louco? Eu nunca te trairia, muito menos com o Youngjae! - disse nervosa, ele estava me magoando

- E quem me garante isso? - ele retrucou

- Eu te amo, que coisa, por que acha isso? Qual é o problema de um filho? - perguntei quase gritando

- Você sabe, eu sou famoso, se as fãs descobrirem já era minha carreira – não era possível que ele se importava mais com isso do que comigo e seu filho

- E por isso vai abandonar eu e seu filho? Você definitivamente mudou Mark – falei segurando o choro

- Eu mudei? Não tenho culpa se estou namorando uma garota que não se cuida, a culpa não é minha – disse ele

- Não é sua? Então eu fiz o filho sozinha? - me levantei sentindo algumas lágrimas caírem – Minha mãe tinha razão, você se tornou um idiota, eu nunca devia ter vindo

- Espera Anna, não é bem assim... - ele tentou se explicar, mas não tinha explicação tamanha idiotisse

- Não é bem assim? Mark, você acabou de falar que eu te traí e que não quer seu filho, então o que você quer dizer? - perguntei irritada

- Anna, eu te amo, mas eu não quero um filho, não agora – ele ainda tentava se explicar

- Então quer o que? Mark, eu estou esperando um filho SEU, não tem o que fazer, ou é a gente, ou é nada! - eu poderia me arrepender dessas palavras, mas eu não iria abrir mão de um filho por um garoto

- Me desculpa, mas eu prefiro o GOT7, Anna... Se for assim não dá mais, esse filho não é meu, é somente seu – aquelas palavras realmente doeram de ouvir, eu nunca imaginei que Mark poderia ser tão frio quanto estava sendo.

- Então é assim, aquela promessa era uma mentira, todos os "eu te amo" foram uma mentira, isso é uma mentira – eu não aguentei, comecei a chorar muito e fui me afastando dele, indo em direção à porta – Você tem razão, não dá mais Mark, você não é mais aquele garoto por quem me apaixonei

- Pois é, talvez eu tenha acordado pra vida e percebido que você não vale tanto a pena! - eu tinha certeza que ele estava falando sem pensar, mas estava me machucando muito, eu não consegui pensar em nada para falar, apenas abri a porta e o olhei – Anna, se sair vai ser o fim de tudo

- Então eu acho que isso é um Adeus, Mark Tuan – disse saindo daquele dormitório.

 

Eu corri o mais rápido que consegui para a minha casa, eu recebi inúmeras mensagens de Mark, de Jin Ji e dos meninos, mas eu não queria responder ninguém, eu só queria ficar sozinha e tentar entender onde foi que eu errei, onde foi que Mark mudou e eu não percebi, como ele podia ser tão cruel a ponde de negar seu próprio filho? Como ele pôde mentir para mim por tanto tempo? Como ele pôde me iludir assim?

 

- Eu sou realmente uma burra, burra por amar uma pessoa que nunca me amou, burra por acreditar que ele não tinha mudado quando veio para cá!!

 

Dizia para mim mesma repetidamente aos prantos, eu estava sem chão, eu não sabia para onde ir, se ficava ou se voltava, eu sabia que minha mãe não me aceitaria de volta se soubesse de tudo... Eu estava completamente sozinha nesse mundo e agora com um filho a caminho, eu sabia muito bem que minha vida naquela cidade se tornaria um inferno se parte do fandom me visse grávida, aquela maldita foto corria a solto na internet e eles ligariam tudo, isso o prejudicaria também.

 

- Eu estou perdida... O que farei? Eu não tenho mais nada, além de você meu filho...

 

Sussurrei acariciando minha barriga que nem parecia muito ainda. Acho que essa foi uma das piores dores que eu senti, e nem foi pelo término, mas sim pelo fato de Mark insinuar e me dizer coisas que eu jamais pensaria que ele pudesse dizer a mim, eu não queria mais ficar perto dele... Eu acho que essa aventura chega ao fim hoje, vir para Seul foi um grande erro!

Nem consegui dormir a noite, eu só pensava o que faria da vida a partir de agora e não demorou muito para saber o que eu iria fazer, assim que o aeroporto abriu, eu fui até ele e comprei a primeira passagem para Los Angeles, manter distância deste garoto era o mais importante, só assim eu e meu bebê poderá viver em paz.

 

DOIS ANOS DEPOIS

Relembrar aquele dia é realmente doloroso, mas acho que aprendi a lhe dar com a dor, o tempo cura muitas mágoas. Atualmente estou morando com a mãe de Mark, ela é uma avó maravilhosa para Louise e a adora, eu tenho muita pena da senhora Tuan, ela parece que se sente culpada pelo o que seu filho fez, mas ela não tem culpa da fama ter tomado conta de Mark.

Eu agora trabalhava em uma escola perto de casa, era o lugar que eu mais gostava de passar o dia, ver como as crianças eram felizes me fazia bem, me fazia lembrar de quando tudo era fácil e perfeito, espero que esses tempos voltem logo, mas por enquanto ainda tento superar aquela aventura maluca de 2016, sinceramente... O que eu tinha na cabeça naquele tempo?

Ah... Jin Ji!! Ela vem me visitar às vezes, ela é uma ótima amiga e sempre me manda coisas do TVXQ, eu realmente a amo muito... Ela finalmente conseguiu falar com Yugyeom e adivinha, ela está namorando com ele!!! Eu estou tão feliz por eles, eles realmente combinam muito!! Quanto aos meninos do GOT7, eu costumo falar muito com Jinyoung e Youngjae, eles são realmente anjos na minha vida, sempre me ajudaram com Louise e eu não vejo a hora de eles conhecerem ela, ela via amar eles!!

 

- Mamãe!!! Mamãe!!! - Louise veio toda feliz correndo para mim assim que cheguei em casa

- Filha!! Quanta animação, o que houve? - perguntei sorridente

- A vovó disse que o papai está vindo para Los Angeles!! - seus olhinhos brilhavam – Eu finalmente vou conhecer ele!! Ele é bonito como nas fotos?

- Sim, seu papai é muito bonito, e muito gentil também – disse a colocando no chão e sorrindo forçado

- Mamãe, por que parece triste? - Louise perguntou na inocência

- Não estou triste, apenas cansada – sorri forçado novamente e suspirei – Que tal irmos brincar? - mudei de assunto e ela se animou e foi na frente

- Anna, precisamos conversar – disse Dorine, eu concordei e fomos para a cozinha para que Louise não ouvisse – Acho que a Lou já te disse que o Mark está vindo e chegará... Eu não sei se você se sentiria bem aqui...

- Tem razão, não vai ser muito saudável ficarmos no mesmo ambiente – ri abafado – Eu vou para casa de uma amiga, sem problemas

- Tem certeza? - ela perguntou preocupada

- Tenho sim, afinal ele é seu filho, você tem direito de curtir ele – ri baixo – ele vem sozinho?

- Na verdade os meninos vem junto, eles vão vir para a turnê – disse ela

- Que legal!! Diga a eles que sinto muita falta quando chegarem – sorri fraco

- Mas você já vai? E a Louise? - ela perguntou confusa

- Eu vou deixar ela por aqui, acho que no fundo ele via querer conhecer ela – disse à Dorine e subi para o quarto.

 

Preparei uma mala pequena e fui para a casa da minha amiga, tudo o que eu menos queria ver era a cara de Mark, apesar de mais velha, continuo com vontade de falar umas verdades para ele.

Passar duas semanas na casa de Isabelle não me parecia má ideia, apesar da minha vontade louca de rever meus amigos, mas eram coisas que eu tinha que aceitar, eram consequências, só que estava difícil de ficar sem ver Louise, não se passaram nem três dias e eu já estava morrendo de saudades, eu precisava ver minha filhinha e era exatamente isso que eu iria fazer, mesmo que tivesse que revê-lo

 

- Alguém está tocando o interfone!!! - consegui ouvir o Youngjae gritar, eles pareciam estar dando uma festa e também não demorou muito para que me atendesse

- Anna? ANNA!!! - era Jackson, como sempre exagerado, gritou e me abraçou fortemente – Que saudades!!!

- Eu também estava com saudades suas!!! - falei animada

- GENTE A ANNA VEIO PRA FESTA!!! - Jackson me disse puxando para dentro, não demorou muito para que os meninos e algumas convidadas desconhecidas viessem me abraçar

- A Louise é uma princesinha!! - Jaebum disse

- Tem razão ela é um amor, mas chorou muito porque você não estava aqui – Bambam completou

- Ah... É complicado estar no mesmo lugar que ele... - falei um pouco sem graça

- Mesmo assim, não pode esquecer da gente!! - Jinyoung disse fazendo um bico – Como eu fico?

- Do mesmo jeito que está – falei de brincadeira – Me desculpe meninos, eu vou manter contato com vocês

- MAMÃE!!!! - ouvi Louise gritar e correr até mim, eu a abracei fortemente

- Senti saudades princesa – Falei para ela

- Anna? - ouvir aquela voz realmente me abalou, acho que ainda não estava pronta para encará-lo novamente

- Ah... Olá... - Falei para Mark sem ânimo, eu nem conseguia olhá-lo

- Mamãe, sabia que o papai é muito legal? - disse Louise

- Sério? Que bom que gostou dele, filha – voltei minha atenção para ela

- Eu amo o papai – ela respondeu sorridente, aquilo era tão bom e chocante de ouvir, estava adorando ele ouvir sua filha que ele rejeitou no início dizer que o amava

- Anna, precisamos conversar... - Mark novamente tentou puxar conversa comigo

- Claro, pode dizer aqui mesmo – disse soltando Louise que foi brincar com Jackson

- É em particular – ele me parecia muito sério, apesar de estar com medo eu concordei e com isto fomos para sala, onde não tinha ninguém no momento

- Pode falar – disse friamente para ele

- A Louise, quer dizer, nossa filha é uma menina adorável – ele disse tentando quebrar aquele clima pesado

- Então agora é sua filha, uau, como as coisas mudam em três dias... - disse um pouco sarcástica

- Não é bem assim, eu sempre amei ela... - eu nem deixei ele ter minar a frase

- Mark, me desculpe, mas sinceramente não dá, você a rejeitou quando soube, não minta – disse friamente a ele

- Anna, eu mudei muito... Assim que você veio embora eu percebi a besteira que eu fiz, acho que eu estava tão cego pela fama que eu não vi que a coisa mais importante que eu tinha eram vocês... Me perdoe... - ele parecia sincero em suas palavras

- Eu não sei se devo confiar em suas palavras, elas me machucaram muito – respondi

- Eu fui um idiota, eu ainda te amo e ver como Louise é me fez querê-las por perto novamente – ele dizia olhando em meus olhos – Eu quero voltar a ser feliz ao seu lado

- Mark... Por favor... Eu sei que você pode se arrepender e pode até nos amar, mas simplesmente não dá! - suspirei – Eu te amei muito, eu confiei em você cegamente, eu deixei tudo por você e no dia que eu mais precisei você simplesmente me desprezou e rejeitou sua própria filha, eu não consigo esquecer e voltar como se nada tivesse acontecido

- Eu sei disso, eu entendo se não quiser nada comigo, mas volte para Seul, eu não vou suportar viver longe de Louise – ele estava prestes a chorar, eu estava com pena do ser humano que ele se tornou, ele tinha tudo para ser feliz, mas se estragou

- Naquele dia em que você me disse que eu saísse pela porta tudo acabaria, pontes gigantescas se formaram entre a gente, eu não vou voltar, meu lugar é aqui. - respondi – Você devia ter pensado quando disse que não me queria com um filho, eu não vou te privar de vê-la, podemos ir te visitar e até fazer videochamadas, mas nada será como antes entre a gente

- Anna... - eu acho que ele queria falar alguma coisa, mas eu não queria falar sobre isso

- Já chega Mark, entenda, por mais que doa, o que tem entre a gente acabou! Se quiser minha amizade você terá, mas meu amor jamais recuperará – assim que terminei de falar eu saí da sala, caramba, que vontade de chorar! Mas eu não posso ser fraca, eu sei que ainda o amo, mas esse sentimento vai passar assim como as mágoas, Mark é uma boa pessoa e será um bom pai, mas nunca mais será aquele que eu chamarei de "meu amor".

- Filha, que tal irmos ao parque? - disse ao sair lá fora, aquela festa definitivamente não era para crianças, nem suas primas estavam ali

 

Louise rapidamente veio até mim e nos despedimos dos meninos, eu a levei em um parque público ali perto de nossa casa mesmo, Louise se divertia muito com as outras crianças ali, eu estava sentada na grama a observando e refletindo sobre esse tempo turbulento em minha vida.

É incrível como relacionamentos que parecem ser tão sólido podem se acabar com uma simples palavras, que pontes que são criadas por simples desentendimentos, quando eu era mais jovem eu ia dormir sonhando em um dia poder viver ao lado do meu melhor amigo, acordar e poder olhar seu rosto e dizer 'eu te amo', e hoje tudo o que eu penso é que a única coisa boa deste relacionamento foi Louise.

Mark pode ter errado e ter colocado um ponto final em nossa história, mas ela era a prova eterna de que esse amor existiu e foi muito for te um dia, pois é, quem diria que aquele menino rejeitado se tornaria um idol, e quem diria que ele rejeitaria seu grande amor... Parando para pensar, nossa história parece até mesmo um filme de Hollywood... Que loucura! Porém foi a melhor loucura que eu já vivi!

Fim... Ou quase isso.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado da fanfic, fiquem atentos com as atualizações, pois está por vir muito mais fanfics por aí!!!

Beijinhos de luz!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...