História Brigas por nada. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Haikyuu!!
Personagens Shouyou Hinata, Tobio Kageyama
Tags Kagehina
Visualizações 186
Palavras 1.239
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


thau. a culpa é do pagode

Capítulo 1 - ..


Hinata e Kageyama estavam brigados há semanas, mais especificamente duas semanas. Não se falavam não se tocavam e evitavam olhar um para o outro o máximo possível. Inevitavelmente se encontravam, pois estudavam na mesma escola e faziam atividades no mesmo clube. O vôlei não parou os passes rápidos não foram descuidados, na verdade estava melhor que antes. Os dois namoravam a bons meses já estavam no segundo ano do ensino médio. Os senpais já haviam ido para suas respectivas faculdades, mas não deixaram de praticar e jogar com o time. O professor Takeda deu um jeitinho para a escola liberar a participação deles.

Quando o namoro começou não foi de estranhamento de ninguém pra falar a verdade o próprio Nishinoya já estava quase declarando o namoro deles por si só. Apesar de namorar nada mudou realmente na frente dos colegas de time, chegando ate fazer alguns duvidar do relacionamento dos dois, mas entre quatro paredes ou ate mesmo sozinhos na rua voltando da escola, eles eram mais melosos que o próprio caramelo.

Amavam-se e não negava isso um para o outro, mesmo se amando muito os dois eram garotos que tinham o seu próprio orgulho. E esse orgulho foi à briga.  Hinata já estava cansado o suficiente naquele dia e o papo furado de Kageyama não ajudaram nem um pouco para seu maravilhoso humor de fim de tarde. Gritaram um com outro e disseram muita besteira o que se é normal na hora da raiva. Terminaram a discussão com Hinata correndo para sua casa com olhos cobertos de lagrimas, havia ate se esquecido de que estava de bicicleta naquele dia. Kageyama por mais errado que tivesse na briga não iria pedir desculpas pra ele estava certo e ponto.

Nos primeiros dias o maior realmente achou que o ruivinho iria voltar para ele e pedir desculpas pelo ‘show’ que fez. Porem pra sua surpresa só teve a palavra dirigida a si para uma voz seca lhe perguntar onde estava sua bicicleta.  Nos treinos estranhou totalmente as atitudes do ruivo, ele não havia mudado sua personalidade, seu jeito de ligar com ninguém exceto a ele. Ele também não daria o braço a torcer e continuou como se tudo estivesse as mil maravilhas. Ficaram assim por dias. Os colegas de time, sim estranhou a atitude dos dois que não iam mais para o cantinho da quadra ficar conversando sobre passes, ao invés disso agora tinha frases frias de Kageyama lhe mandando algo como “melhore a velocidade” “pule mais alto” “controle o tempo” “ melhore a recepção” “melhore a maldita recepção” que era sempre respondido com as palavras secas e curtas de Hinata “certo” “ok” “hurum”. Ficavam afastados um do outro e nem ao menos se ajudavam quando precisava.  Incrivelmente ainda tinham a mesma sincronia o que então fez o time deixar de lado a briga dos dois.

Na segunda semana os dois já estavam ficando malucos, queriam muito se pegar, se comerem. Necessitavam um do outro e estavam a ponto de brigar ate com a brisa que vinha mais gelada pelo verão que chegava com as chuvas. Estavam exaustos e não tinha motivo mais para continuar brigados, nem ao menos lembravam pelo que tinham brigado.

Era final de mais um treino e Kageyama tinha pedido para o treinador Ukai, para eles ficarem ate mais tarde treinando. O treinador estranhou, mas cedeu ao ver os olhos suplicantes de Kageyama. Ele havia entendido o proposito daquilo. Suspirou e deu as chaves ao mais novo, o mandando deixar tudo limpo quando saísse.

-Vamos treinar mais- disse quando chegou perto do menor que conversava animadamente com Yachi. Quando ganhou a atenção dos olhos castanhos sentiu seu corpo arrepiar e mostrou a chave para o menor, que apenas concordou com a cabeça voltando a sorrir e conversar com a loira.

Quando estavam sozinhos na quadra, o silencio parou entre eles. Não estavam incomodados na verdade estavam bem mais confortáveis, o silencio parecia ter virado rotina. Kageyama foi para o lado esquerdo da quadra e esperou o ruivo fazer o mesmo. Estava acostumado a treinar recepção no turno da noite então o ruivo foi para o lado direito da quadra. O moreno percebendo isso apontou para o lado em que estava e viu o menor vir ate si, com um olhar confuso. Jogou a bola pra cima e viu com total clareza o menor pular em puro instinto para cortar a bola. Viu seu uniforme levantar levemente dando lhe a visão de seus músculos agora bem mais definidos e marcados, o suor escorrendo pelas costas se perdendo no cos da calça. Parecia que o mundo estava em câmera lenta. Adorava admirar o menor, e quanto mais fazia isso mais o desejava.

Quando se deu conta de seu corpo já estava com o menor nos braços. Envolvia seu corpo pequeno pela cintura e o apertava contra si.

- Olha eu não vivo sem você, sem se sentir, te ouvir, te ter. Sem o calor do seu abraço é tudo tão frio Shouyou- Kageyama disse em um sopro, seu rosto afundado nos cabelos laranja, o coração acelerado e cheio de angustia. Tudo lhe dizia que aquilo era o certo ate mesmo o seu orgulho lhe parecia empurrar para o mar que era Hinata. O outro estremeceu ao ouvir as palavras do moreno, seu coração pulou tanto quanto ele em jogo, um no na garganta se formava e a vontade de chorar era tão grande, chorar de puro alivio, de saudades. A falta que sentia daquele abraço era enorme, daquele aconchego. Suas mãos foram para o pescoço do moreno, acariciando os fios negros dali, aproximando seus lábios do outro.

-Eu te perdoo Tobio- e assim beijou os lábios do moreno. Seus gostos se misturavam e revelavam mais ainda a urgência nos atos. Queriam se conectar um com outro, queriam estar apenas um só novamente, para saciar toda aquela vontade e saudade. Agarrou as coxas de Hinata e o segurou no colo, caminhou ate a parede e o prensou nela. Afastaram para ambos respirarem e se olharem. Falavam tudo e nada ao mesmo tempo. Os olhos contavam como sentiram falta um do outro, mas as bocas apenas se beijavam. Aquela reconciliação deveria ser algo mais especial não algo feito na quadra. Eles queriam se amar novamente, não apenas mais um sexo. Não daria pra esperar chegar a casa pra resolver o problema em suas calças então o maior levou uma das mãos ate dentro da roupa tirando o membro do ruivo, logo depois fazendo o mesmo com o seu. Começou a masturba-los juntos ouvindo os gemidos abafados do ruivo, se beijaram afoitos novamente e sentiu a mão do ruivo ir de encontro a sua, aumentando a pressão e a velocidade. Os espasmos de prazer já invadiam seus corpos e por um segundo as pernas de Kageyama tremeu, quase levando ambos ao chão. Gozaram juntos. Beijaram-se agora com mais calma, logo escorregando ate o chão, sentando e se acalmando.

-Vamos arrumar e ir logo pra casa- disse Kageyama, tomando cuidado para os sêmens não sujarem as roupas. Viu o ruivo concordar e lhe olhar. Sua boca mexeu em um “eu te amo” mudo que fez o maior corar e lhe devolver do mesmo jeito o “te amo”. Sorrindo os dois limparam a quadra e foram pra casa. Por mais que não tenham feito o tal amor naquela noite, sabiam que iriam vir outras. Nessa seria apenas para aproveitar a companhia de seu amado.


Notas Finais


beijinhos doces ate
vou mudar a capa depois e colocar a que me deu inspiraçao


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...