História Briget Evans - Capítulo 213


Escrita por:

Visualizações 24
Palavras 1.506
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 213 - Blackout total


Fanfic / Fanfiction Briget Evans - Capítulo 213 - Blackout total

Natasha Lancaster

Acordei me sentindo leve e fraca. Fraca demais devo admitir. Respirei fundo e criei coragem para sair da cama. Mesmo com o aquecedor ligado eu senti muito frio ao sair de baixo das cobertas. Caminhei até o banheiro a passos lentos e decidi tomar uma ducha para me esquentar. Prendi meus cabelos em um coque e entrei de baixo do chuveiro. Deixei que a água me aquecesse um pouco e saí enrolada no meu roupão. Coloquei a roupa íntima e decidi colocar uma calça naquele dia cinza. Vesti a camisa do colégio, coloquei a gravata e vesti o suéter. Calcei os sapatos e coloquei o blazer.

Peguei meus pertences e saí rumo a cafeteria. No corredor encontrei com Kate e eu sorri fraco para ela.

— Bom dia...

— Bom dia... — ela respondeu sem muita animação engatando o seu braço no meu enquanto bocejava. — O que vai fazer hoje depois da aula?

— Hm, tenho treino durante duas horas e depois estou livre. Por quê?

— Estava pensando, a gente poderia assistir alguns episódios de Friends, o que acha? — questionou-me ela.

— Eu vou adorar, maninha.

Kate sorriu e eu sorri de volta.

— Ótimo! Saia do treino e me encontre no seu quarto. — ela declarou um pouco antes de chegarmos a cafeteria.

Fizemos nossos pedidos, que resumiam-se a um café preto e puro e um suco de melancia e fomos nos sentar na mesa com o restante do pessoal.

***

Como ainda estávamos em mudança de bimestre, as aulas estavam meio chatas. Alguns professores estavam só entregando o resultado das provas e dos nossos trabalhos. Não tinha muito o que fazer na verdade, por isso na quarta aula eu decidi pular o período e fui até a biblioteca. Encontrei Sonia sentada atrás do seu computador, como de costume, ela parecia bem concentrada no que fazia, por isso decidi que não iria interrompê-la e decidi ir buscar o que procurava por conta própria.

Comecei a caminhar pelos corredores enormes daquele lugar e fui até a letra S. Eu queria saber se encontraria os livros de Sara Sheppard. A escritora da série Pretty Little Liars. Eu amava ver a série e já tinha ouvido elogios a respeito dos livros, por isso a minha vontade de ler.

Acabei encontrando todos os livros da série e os spin-offs ali. Fiquei bem feliz. Peguei o primeiro livro para ler e voltei até a mesa de Sonia para que ela pudesse dar a baixa no sistema. Depois de pegar o livro resolvi encher a minha garrafinha de água que estava vazia.

Olhei o horário no meu celular e decidi que seria melhor voltar para o quinto período de aula, assim não teria problemas.

***

Saí da minha aula exausta. Eu precisava dar uma deitada antes do treino, se não desmaiaria na quadra, de novo. E tudo o que eu não estava precisando era de gente me vigiando e em cima de mim. Segurei a minha mala e caminhei rumo aos dormitórios.

— Oi, Nath! — me assustei com aquilo, mas sorri ao encarar aqueles olhos azuis que eu tanto adorava.

— Oi, Kris...

Ele continuou a caminhar do meu lado.

— Aonde está indo?

— Estou indo dormir, estou muito cansada. E você, vai almoçar?

— Vou, estou morrendo de fome. — eu ri. — Nos vemos mais tarde?

— Eu vou passar a tarde com a Kate hoje, mas nos vemos no jantar. — comentei, ele assentiu depositando um beijo na minha bochecha e saindo pelo corredor no sentido contrário.

Cheguei ao meu quarto e respirei aliviada por finalmente estar ali sozinha. Fechei a porta e tirei os sapatos antes de me deitar na cama. Liguei o aquecedor mais uma vez e ouvi a trovoada lá fora. Pela previsão do tempo, choveria muito naquela tarde. Ótimo para dormir tranquilamente. 

***

Acordei ainda tão cansada quanto tinha ido dormir. Abri meus olhos com dificuldades e procurei pelo meu celular em cima da minha cômoda para ver o horário.

15h43min.

Droga! Eu tinha perdido o treino. Teria que dar explicações para a Stacy mais tarde, antes que ela começasse a me encher por faltar os treinos. Suspirei e levantei da minha cama. Fui até o banheiro e joguei um pouco da água no rosto.

Ainda me sentia leve, como de manhã, mas me sentia satisfeita com isso.

Ajeitei um pouco o meu cabelo e voltei para o quarto para trocar de roupa e colocar algo mais confortável. Logo Kate bateria na minha porta para assistirmos a nossa sessão de Friends.

A chuva continuava a cair lá fora. Forte e transformando o dia em noite.

Procurei no meu armário uma calça de moletom e uma blusa de manga comprida. Vesti ambas as peças e peguei um casaco mais velho e o coloquei sobre tudo. Assim que fechei o zíper do casaco ouvi batidas na porta.

Kate. Deduzi.

Caminhei até a porta e a abri me deparando com uma Kate que não consegui decifrar muito bem o humor.

— O que foi?

— Eu e Ethan brigamos. — ela declarou entrando no meu quarto com dois copos térmicos, que deduzi serem café e cappuccino, pelos cheiros.

— Mas o que houve?

— Nada demais, mas brigamos. Ele anda me irritando profundamente, eu sou nervosinha e ele tem um ego gigante. Ai... Sei lá... — ela dizia e parecia bem confusa. — Será que eu e Ethan nascemos para não ficarmos juntos?

— O quê? — questionei chocada demais ao ouvir Kate dizendo isso em voz alta. — Kate, você não é adepta da autopiedade, nunca foi. — comentei enquanto ela sentava-se na ponta da minha cama. — Você e Ethan são diferentes sim, mas são tão iguais também. Vocês são um casal de clichês.

— Nos clichês os personagens sofrem e no caso, tanto eu quanto Ethan, somos péssimos em lidar com a dor. — ela declarou. — Bom, vamos focar na série que é melhor.

Kate me entregou o copo com o meu nome e jogou o suporte dos copos fora. Eu peguei meu notebook e liguei a Netflix nele. Eu e minha irmã nos ajeitamos na minha cama, nos cobrindo e deixando o notebook entre nós duas.

— Vamos maratonar, né?! — perguntei fazendo uma expressão maliciosa e Kate riu.

— É claro, querida.

E assim eu pude dar play no primeiro episódio que veríamos. Kate levou o seu café a sua boca enquanto eu deixei o cappuccino do lado da minha cama, na cômoda. Não podia tomar aquilo. Não poderia quebrar a minha meta de dieta.

Os episódios foram passando enquanto a noite aproximava-se e a chuva aumentava. Nós aumentamos o volume do computador para podermos ver a série. Eu estava morrendo de sono na verdade. Os remédios e a fome me deixavam muito fraca, consequentemente o sono aumentava severamente.

Além o meu sono existia outra coisa que aumentava severamente a cada segundo, a minha fome.

A chuva tempestuosa e violenta lá fora aumentou até que conseguiu desligar a luz do internato.

— O quê?! — Kate parecia frustrada.

— Isso geralmente não acontece. — declarei saindo da coberta e me levantando para testar o interruptor, mas eu não consegui chegar até lá. Só ouvi Kate gritando o meu nome e então uma dor forte na cabeça.

***

— Pelo amor de Deus, Natasha! — ouvi a voz de Kate enquanto ela me sacudia. Abri meus olhos com dificuldade e a minha irmã suspirou aliviada.

— O que... O quê houve? — questionei com gosto estranho na boca.

— Você desmaiou, caiu feito madeira e se estatelou no chão. — declarou Kate. — O que está acontecendo, Nath? O que você está me escondendo?

E de repente a luz do meu quarto acendeu-se novamente.

— O quê? — questionei me fazendo de desentendida. — Não estou escondendo nada.

— Além de tudo é uma péssima mentirosa. — declarou Kate. — Nath, eu estou preocupada com você.

— Não tem com o que se preocupar. — disse tentando ao máximo transmitir tranquilidade a ela. — Eu só desmaiei, nada demais.

Ela me encarou bem séria, mas acabou desistindo de fazer perguntas. Ela levantou-se do chão e me ajudou a levantar. Em seguida disse que precisava ir e acabou saindo do meu quarto me deixando sozinha.

Senti as lágrimas enchendo os meus olhos e logo escorrendo pelo meu rosto. Eu era uma tragédia. Não conseguia mentir para Kate. Ela era boa em detectar mentiras, era como se as farejasse no ar. E tudo o que eu não queria naquele momento era me tornar um peso maior para alguém. Eu já me sentia um peso por mim mesma. Me sentia horrível quando me olhava no espelho e mesmo com as costelas bem marcadas sob a minha pele, eu tinha desaprendido a me amar há alguns meses atrás.

Os soluços vieram e eu decidi tomar meus remédios para ver se a dor ia embora. Eu só queria dormir e esquecer a merda toda que estava a minha volta. A tragédia que eu virei por conta do espelho.

Peguei o vidro cheio de cápsulas e encarei as pílulas ali dentro. Encarei aquilo e suspirei por um segundo pensando nas minhas opções. Eu só queria dormir e esquecer de tudo.

Não aguentava mais aquilo. Simplesmente não dava mais.

Abri a boca e virei aquele vidro todo na minha boca. 


Notas Finais


Oiie, amores! Aqui está mais um capítulo. Infelizmente não consigo responder os comentários, mas eu SEMPRE leio e amo a interatividade de vocês. Peço desculpas por não responder, mas o site não está ajudando. De qualquer forma, por favor, continuem comentando, é muito importante para a história ok?!

O que acharam desse capítulo? Ah, preparem-se para sofrer.
Beijos, Ana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...