História Briguinhas - Capítulo 1


Escrita por: e SahMellark

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Jeon Jungkook, Jin!kid, Jinkook!kid, Jungkook!kid, Kim Seokjin, Novhxpedream
Visualizações 40
Palavras 2.262
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, oi, trufinhas! Nos vemos nas notas finais, ok?

B o a
L e i t u r a <3

Capítulo 1 - Junghyun ou Kihyun?


Capítulo único: Junghyun ou Kihyun?

 

Já passava do meio-dia quando Seokjin havia atravessado as portas de sua casa com o pai, vendo que a mãe já colocava a comida na mesa principal. Deixou a mochila no sofá, antes de atravessar a porta de vidro da cozinha e abraçar a mãe fortemente e se sentar na mesa.

A Kim mais velha chamou o marido e, assim que todos se serviram, ela se pôs a falar:

— Jinnie, mamãe vai precisar ir cuidar da vovó, ela está com problemas de coração de novo — ditou, cautelosa, observando o filho remexer os hashis.

— Vai ser igual àquela vez? Tudo bem, eu consigo ficar sozinho em casa — o menino respondeu, alheio à decisão da mãe. Mesmo aos seus oito anos de idade, sabia muito bem se cuidar sozinho enquanto seu pai não chegava da empresa. Era mais inteligente e mais maduro que as crianças da sua idade e sua mãe sabia bem disso, porém…

— Filho, agora é por mais tempo… e o papai vai comigo.

— Eu vou junto dessa vez? — Ele resmungou. Gostava da avó, mas detestava vê-la do modo em que estava, lhe dava a sensação de que ia perdê-la para sempre… além de que achava mais atrapalhar que ajudar. Então, sempre que a mãe ia cuidá-la nesses casos, Seokjin esperava sua melhora e sempre a visitava depois.

— Não, filho, você ficará com a senhora Jeon, a nossa vizinha.

Isso foi o suficiente para Seokjin ficar emburrado durante o restante da refeição. Ele gostava da senhora Jeon, gostava mesmo. Mas não gostava de seu filho, Jeon Jungkook. Com seus sete anos de idade, se achava demais para a idade que tem. Estudavam na mesma escola, porém, em anos diferentes.

Pela tarde, depois de seu banho, arrumou uma mala com suas roupas, com a ajuda da mãe. Resolveu não contrariar, sabia que iria acabar atrapalhando na casa de sua avó, então resolveu encarar seu maior desafio: passar duas semanas na casa dos Jeon, dormindo no mesmo quarto que Jeon Jungkook.

A informação foi dada por sua mãe. Ela contou animadamente o quanto os senhores Jeon eram legais e já haviam arrumado um cantinho especial no quarto de Jungkook para que eles possam se tornar amiguinhos, talvez; já que o quarto de hóspedes agora era o quarto dos gêmeos de um ano e meio: Kihyun e Junghyun.

Contou também que iria para a escola normalmente com o pai de Jungkook diariamente e o quanto a senhora Jeon havia se animado para cuidar do Kim mais novo.

No caminho, pelo quintal dos fundos da casa dos Kim, a mais velha caminhava tranquilamente com seu filho para bater na porta da casa dos Jeon.

Depois de uma longa conversa na sala, a senhora Jeon chamou Jungkook, pedindo-o para mostrar seu quarto e mostrar onde Jin poderia guardar suas coisas.

— Aqui — Jungkook chamou Jin, subindo as escadas, abrindo a primeira porta à direita. — Você vai dormir naquela cama ali — o mais novo apontou para a cama maior, caminhando para a sua, que era um pouco menor, mas tinha o formato de um carro de corrida. — Você pode guardar suas roupas naquela cômoda, minha mãe colocou ela aqui justamente 'pra você.

Seokjin estava estranhando o comportamento pacífico do garoto, que era totalmente o contrário do que na escola.

— Não precisa ser tão legal comigo — Seokjin resmungou, colocando a mala pesada em cima da cama.

— Vou ficar sem videogame por uma semana caso eu não for. Então, você me ajuda, eu te ajudo, todo mundo se ajuda e sai ganhando.

Jin deu de ombros, saindo do quarto, encontrando as duas mulheres mais velhas e o senhor Jeon os chamando para o outro quarto.

— Esse é o Kihyun. E esse é o Junghyun — a senhora Jeon disse, apontando para cada bebê. De acordo com que a mesma tinha falado, Jin viu que Kihyun tinha uma pintinha na bochecha, que o diferenciava do irmão. Eles eram fofos e quietos, além de muito bonitos.

Seokjin chorou horrores quando a mãe disse que precisava ir e, aproveitando que os senhores Jeon estava lá fora com os senhores Kim, Jungkook começou:

— Bebê chorão.

— Você que é um bobão, Jungkook!

E aquilo foi o suficiente para desencadear várias e várias discussões sem nexo naquela semana.

Jungkook fazia de tudo para atormentar Seokjin. O cutucava todas as horas, pegava seus pijamas de heróis e roubava seus lápis de cor para fazer a lição de casa.

Jin já perdeu as contas de quantas vezes se estressou naquela semana por Jungkook largar a toalha molhada em cima de sua cama temporária. E de quantas vezes tentou reclamar com a senhora Jeon e ela sempre lhe dizer a mesma coisa, que Jungkook era um anjinho, que apenas queria ser seu amigo.

Tudo bem, poderiam ser amigos, mas ele precisava ser tão irritante?

Quando não estava sendo irritante, ficava o chamando o tempo todo, para depois dizer que não era nada. Como nesse exato momento:

Jin estava fazendo a lição de casa quando ouviu, do primeiro andar, Jungkook o chamar.

— Jin hyung, Jin hyung, Jin hyung… — ele foi o chamando até estar dentro do quarto.

— Vai acordar as crianças — Jin avisou, sem tirar os olhos da lição que fazia.

— Jin hyung, Jin hyung, Jin hyung! — Continuou chamando, balançando Jin de um lado para outro, até o mais velho finalmente lhe dar atenção.

— Que foi, peste?!

— Nada — riu e saiu correndo.

Aquilo irritava Jin profundamente, tipo, muito mesmo.

Mas tirando o fato de Jungkook ser irritante, Jin estava gostando de ficar lá. Gostava de ajudar a senhora Jeon a fazer o jantar, assim como ajudava sua mãe. Ajudava o senhor Jeon a cuidar dos gêmeos e os alimentar de vez em quando, com a ajuda de Jungkook, que era extremamente ciumento com os dois. Gostava de jogar videogame com Jungkook todas as tardes, depois de terminar a lição, mesmo que ele sempre trapaceie.

Gostava de ter um amigo, afinal. Por mais irritante que ele seja. Não que Jin não tivesse amigos. Ele tinha o Namjoon, na escola, mas ele morava muito longe. Tinha o Jimin também, mas os pais dele não o deixavam vir dormir em sua casa.

Naquela noite, a senhora Jeon estava arrumando pipoca e bolo de chocolate, além de chocolate quente. Antes que Jin pudesse perguntar o porquê de tudo aquilo, já que estava trancado no quarto estudando e, logo depois foi tomar seu banho, Jungkook entrou na cozinha com seus três melhores amigos em seu enlaço: Taehyung, Hoseok e Yoongi.

— Jinnie, os amiguinhos do Kook vão dormir aqui hoje, pode dormir na sala com eles, se quiser. É tipo uma festinha do pijama — a senhora Jeon explicou. — Não sei se vocês são amigos, mas eles são meninos muito legais.

Jin apenas sorriu para a mais velha, aceitando o bolo que a mesma arrumara para si, junto com o seu chocolate quente.

Assim que arrumou para todos, subiu para ver os gêmeos que estavam com o marido, deixando apenas os meninos ali.

Os outros pegaram seus respectivos pratos e copos e logo foram para a sala. Jin, por sua vez, resolveu ficar na cozinha mesmo, pelo menos, até terminar de comer.

— Ei, você não vem? — Jungkook perguntou, quando os outros já não estavam lá. Jin negou com a cabeça, vendo o mais novo dar de ombros e sair.

Jin terminou de comer e tratou de lavar sua louça, antes de seguir para a escadas, a fim de ler um de seus gibis até cair no sono. Isso até o Yoongi o chamar.

— Jin hyung, vem assistir filme de terror com a gente.

— Não — foi sua resposta. Mas, novamente, foi impedido de subir as escadas, dessa vez pela voz de Hoseok.

— Qual é, hyung, está com medo?

Foi a vez de Jungkook:

— Ele é um bebê chorão.

Jin se irritou. Então, Jungkook era o tipo babaca que se fazia de durão na frente dos amigos, mesmo só tendo sete anos de idade. Jin se sentiu traído de alguma forma, pois era ele quem ajudava Jungkook com suas lições todos os dias, ele quem deixava de estudar às vezes só pra jogar com Jungkook, ele quem aguentava aquela peste todo santo dia! Ficou indignado com o que ouviu com tamanho deboche.

— É, eu sou — respondeu, irritado, antes de se dirigir ao quarto em que dormia. Se encolheu debaixo da coberta, ligou a lanterna em que trouxe e começou a ler seus gibis, com a luz do quarto apagada.

Nem se lembrou que guardara do último gibi que lera e nem que havia desligado a lanterna antes de cair no sono, mas quando acordou, sendo cutucado, viu que nada do que havia pego estava ali. Levou mais alguns cutucões antes de olhar para a janela e ver que o céu ainda estava escuro. Provavelmente, ainda era madrugada.

— Jin hyung? — Ouviu baixinho, antes de focar os olhos e enxergar Jungkook abaixado ao lado de sua cama.

— Que foi, Jungkook? Que horas são?

— Deve ser mais de meia-noite. Eu 'tô com medo de dormir sozinho, Jin hyung, me deixa dormir com você?

— Que bicho te mordeu, Jungkook?

— Aquele filme era muito feio, hyung, agora eu não consigo dormir… — Confessou, se virando para os outros três meninos que dormiam encolhidos em sua cama, provavelmente com medo também, porém, haviam conseguido dormir, diferente de Jungkook. — Me deixa dormir com você, hyung — pediu novamente, agora quase implorando, balançando Jin pelos ombros de um lado pra outro.

— Não — respondeu, já se cobrindo. — Ninguém mandou assistir. — Mas Jungkook foi insistente e deixou a cabeça de Jin visível novamente.

— Não seja malvado, hyung. Por favor, nunca mais te chamo de bebê chorão!

Depois de muita insistência, Seokjin acabou cedendo e se afastando da beirada para que Jungkook deite e se cubra também para, enfim, conseguir pegar no sono.

[...]

— Jin hyung?

Era o último dia em que Seokjin ficaria na casa dos Jeon. A senhora Kim já havia ligado para avisar que iria voltar no dia seguinte bem cedinho e que iria buscar Seokjin pela tarde. Jungkook não admitiria em voz alta, mas estava triste pela notícia, gostava de ter Seokjin em sua casa todos os dias, como se fossem irmãos.

— Sim, Kookie? — Jin respondeu, sem tirar os olhos do gibi em que estava lendo.

Desde que dormiram juntos há alguns dias e compartilharam o segredo sobre o medo de Jungkook, a relação entre os dois havia melhorado bastante. Claro que ainda haviam briguinhas aqui e ali, afinal, eram Jungkook e Seokjin, haveria paz apenas quando concordassem em algo, o que era bem raro.

— Mamãe vai levar os gêmeos no parque e a gente 'vai 'junto.

— Tudo bem.

Então, vinte minutos depois, todos estavam arrumados e dentro do carro, indo para o grande parque no centro da cidade com o senhor Jeon, que iria deixá-los ali e seguir para o trabalho. A senhora Jeon deixou os gêmeos por responsabilidade dos dois mais velhos, para ir comprar os ingressos, que era logo ali na frente, então, ela não os perderia de vista.

— O Kihyun é tão quietinho — Jin comentou, brincando com o neném que estava de pé, louco para sair correndo caso Jin não estivesse segurando suas mãozinhas. Jungkook estava na mesma posição com o outro bebê.

— Jin hyung… esse aí é o Junghyun.

— Claro que não, Jungkook. Esse aí que é o Junghyun, não viaja. O Kihyun tem uma pintinha na bochecha, olha — mostrou a pintinha, fazendo Jungkook revirar os olhos.

— Esse aí é o Junghyun!

Foi o suficiente para desencadear mais uma das briguinhas de Jinkook, tanto que esqueceram completamente das crianças. Se a senhora Jeon não estivesse bem perto após comprar os ingressos, algo de ruim poderia ter acontecido e ela não poupou palavras para chamar a atenção dos dois maiores enquanto os gêmeos riam da situação.

Naquele dia, eles esqueceram ao menos um pouco, de todas as brigas e desentendimentos que já tiveram e se divertiram como nunca.

No dia seguinte, Seokjin já estava com a pequena mala na mão quando a mãe chegou. A abraçou com muita força, antes de se virar para os senhores Jeon, os gêmeos e Jungkook, para se despedir e agradecer por terem cuidado dele durante todo esse tempo.

Quando chegou em Jungkook, se surpreendeu com o abraço que havia o pego de surpresa, mas não deixou de retribuir. Se surpreendeu mais ainda com as gotinhas quentinhas que alcançaram seu ombro enquanto estavam abraçados.

— Vou sentir sua falta, Jin hyung.

— Jungkook… — Ele até tentou dizer uma coisa bonitinha, mas abriu um sorriso bobo e continuou: — Eu moro do lado da sua casa, seu bobão.

— Mas não vai ser a mesma coisa!

— Você pode dormir lá, minha mãe deixa. Ou eu posso vir dormir aqui de novo.

— Então somos amigos agora, hyung?

— Você é muito chato, mas… Sim — respondeu, recebendo mais um abraço, deixando os mais velhos contentes com a cena. — Quem é o bebê chorão agora, hein?

— Continua sendo você — Jungkook lhe mostrou a língua, limpando as lágrimas, vendo Jin abaixar para se despedir dos gêmeos.

— Tchau, Kihyun e Junghyun — disse, dando um carinho na cabeça dos dois.

— Hyung, já disse que esse é Junghyun — Jungkook começou de novo.

— Esse é o Kihyun! — Protestou, começando com mais uma briga, fazendo os mais velhos soltarem risadas dos dois que discutiam sem parar sobre quem era quem da dupla mais nova.

E apesar de todas aquelas briguinhas, ambos sabiam que a amizade era bem mais forte e que, independente de qualquer desentendimento, essa nova amizade falaria mais alto.

Amizade essa que, mal sabiam eles, duraria por muito e muito tempo, talvez até por toda a vida.

 

Fim.

 


Notas Finais


Quem vocês acham que era, Junghyun ou Kihyun? KKKKK

Ai, gente, ainda nem caiu a minha ficha que eu estou no HxpeDream, chorei :') vocês ainda vão me ver muito aqui, ou assim espero. E espero que tenham gostado!! Um beijão, até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...