História Brincadeira (nada) inocente - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Park Jimin (Jimin)
Tags Bottom!jungkook, Fluffy, Hibridos, Jikook, Kookmin, Top!jimin
Visualizações 1.344
Palavras 977
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pensei nesse plot antes de dormir
Tava quaaaase conseguindo pegar no sono, aí veio, liguei a merda do celular é anotei. Escrevi só hoje, não me julgue

Capítulo 1 - Único: Coloca devagarzinho, hyung



          O pequeno coelhinho andava em meio a pulinhos com sua animação.

Mais cedo naquele mesmo dia, Jungkook assistia uma novela junto a seu dono que representava para ele, em seu íntimo, uma figura materna. Jin com certeza era o humano mais carinhoso e gentil que já conheceu em todos os seus 16 aninhos de vida. O amava muito.

O híbrido olhava distraidamente para os pés quando ouviu uma voz feminina fazendo um barulho um tanto estranho. Levantou o olhar para a tela e se deparou com um homem sobre a moça, beijando-a e se movimentando vagarosamente. A mulher gemia em prazer. Jungkook olhava para aquilo confuso. Sua cabecinha tentava processar e chegar a uma conclusão do que era aquilo. Suas orelhinhas esticadas, captando todo som que saísse do auto-falante da televisão.

— Omma — a voz suave e mansinha de Jungkook chamou a atenção de Jin que estava prestando atenção no seu marido, Namjoon, cortando cebolas de um jeito totalmente desastrado, o Kim mais velho já estava agoniado.

— Sim, meu amor? — olhou para o pequeno ao seu lado.

— O que eles estão fazendo? — apontou para a TV.

Jin arregalou os olhos quando encarou a imagem na tela. Tapou os olhos de Jungkook, pegando o controle da televisão e desligando-a com desespero.

— Omma, o que foi? — Jungkook levou as mãozinhas até as grandes e finas do Jin. Este tirou as mãos do rosto pequeno do híbrido, levando-as ao peito.

— Bebê, esquece essa cena. Prometa pro omma que você vai esquecer.

— Tudo bem, omma, prometo. — concordou mesmo estando muito confuso com tudo aquilo.

De tarde, ele pesquisou na internet, escondido de seus donos, e achou coisas bem interessantes.

Vestiu-se com uma roupinha confortável e que ficava bonita no corpo curvilíneo.

Avisou Jin e Namjoon que iria para a casa de Jimin, recebendo uma resposta positiva e um "Quero você de volta às dez, sem falta. Vocês são muito saidinhos" de Namjoon. Com o rosto corado, ele saiu pela porta e correu o mais rápido que pôde para a casa de seu amado gatinho.

— Hyung! Hyung! — chamou enquanto batia na porta. Estava muito ansioso e animado.

A porta foi aberta, revelando Jimin usando regata e calça moletom. O Park sorriu genuinamente para o coelhinho e o abraçou apertado.

— Gukkie, estava com saudades, amor — ele ronronava e esfregava a cabeça no rostinho infantil do mais novo. Jungkook soltava risadinhas, acariciando as orelhas agitadas de Jimin.

— Eu também senti muita saudade, hyung, muita mesmo.

Eles entravam em meio ao abraço em que nenhum dos dois queriam se soltar. Sentaram-se agarradinhos no sofá macio. Jimin morava sozinho, e mesmo sendo um híbrido, sabia se cuidar muito bem.

— Hyung, eu descobri como se faz filhotinhos — sorriu.

— Mesmo? Como faz? — ah, sim, Jimin era tão, ou igualmente, inocente quanto Jungkook.

Jungkook se ajeitou, virando-se de frente para Jimin.

— É assim, o hyung vai pegar o Gukkie, levar pra caminha e colocar o pipi no buraquinho privado e vai colher a minha florzinha. Simples.

Jimin analisou bem e repassou as palavras do mais novo. Bem, parecia interessante.

— Tudo bem, amor, podemos fazer isso.






Os dois estavam na cama. Jimin sobre o corpo nu de Jungkook, assim como o seu também estava exposto. Ambos encaravam seus órgãos sexuais de modo curioso e desejoso, mesmo não tendo tal consciência.

— Então é só colocar? — Jimin quebrou o silêncio e encarou a entradinha contraída do moreno.

— Não sei. Podemos tentar, se não der certo, a gente... usa saliva? — mexeu as orelhinhas em dúvida.

— É, acho que vai dar. Okay, aí vou eu — flexionou os joelhos, pressionando contra o colchão, e forçou a entrada de seu membro. Jungkook contorceu o rosto em uma expressão de pura dor.

— Para, para, para!

Jimin paralisou imediatamente. Olhou para Jungkook vendo lágrimas descendo sem freio. Beijou as pálpebras delicadamente e retirou o início da glande de seu membro do interior de Jungkook.

— Acho que tenho um óleo aqui pelo quarto — esticou a mão e abriu a gaveta, retirou um óleo de massagem de lá. Melecou a mão o quanto pôde e acariciou a superfície rugosa e rosada do coelhinho.

— Ah, hyung, é gelado... — encolheu os dedos dos pés e apertou os punhos fechados contra o peito. Estava se sentindo sensível.

Jimin espalhou o óleo pelo membro gordinho e mediano. Com mais cuidado, introduziu novamente o pênis na entrada apertada e quente.

Nossa, isso é tão gostoso...

O híbrido de gato revirou os olhos com a sensação de estar dentro de Jungkook. Seu pau era apertado e acolhido de forma deliciosa pelo interior quentinho e úmido.

Jungkook, por outro lado, mantinha os olhos fechados, tentando se acostumar com todo aquele tamanho dentro de si. Era pesado, mas, sim, trazia uma sensação muito boa. Se sentia preenchido e satisfeito.

— A-ah, hyung... se mova, vamos — Jungkook pediu de forma manhosa, remexendo o quadril.

O Park não pensou duas vezes e moveu o quadril vagarosamente, arrancando gemidos dos dois.

Os movimentos tornaram-se frenéticos. Os gritos de Jungkook incentivava Jimin a acelerar cada vez mais os impulsos.

Não demorou muito para o ápice de ambos chegar seguidos de urros e gemidos, juntos de resmungos sem nexo.

— Hyung... — tomou fôlego — nós vamos ter um filhotinho agora?

— Não sei, gukkie — colocou ele sobre o peito, iniciando um carinho nos cabelos sedosos do mais novo, aproveitando para tocar as orelhinhas, que particularmente achava a coisa mais adorável do mundo — Quer fazer de novo pra ter certeza? — sorriu.  






A noite chegou rapidamente e Jungkook esqueceu completamente do aviso de Jin, chegando às 23:50, ganhando uma baita bronca. Mas valeu a pena sim, agora teria um filhotinho de Jimin. E estava muito feliz com isso.


Notas Finais


Espero que tenham aproveitado um pouco
Tentei ser fofo. Me entendam
Hm... cara, foi bem gostoso escrever essa one, mas não espero muito dele
É sempre assim, eu acho
Enfim, espero que tenham gostado
Beijinhos de luz e arco íris
Bye~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...