1. Spirit Fanfics >
  2. Brincando com fogo - atsukage >
  3. Único

História Brincando com fogo - atsukage - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


acho que esse foi um dos melhores boquetes que eu já escrevi

Capítulo 1 - Único


Quando se tratava de um Tobio irritado, Atsumu sabia que não poderia brincar, nem mesmo querendo. E agora ele estava pagando por tê-lo irritado em um joguinho idiota de falar coisas erradas em público. Oras, se Atsumu queria tanto brincar com fogo, por que ter medo de se queimar?

 

O corpo de Miya foi prensado contra a parede fria do banheiro, um arrepio percorrendo seu corpo ao sentir as mãos de Kageyama adentrando seu shorts, a sensação das unhas raspando em sua pele era insana. O barulho agitado de torcedores gritando lá fora fazia o nervosismo e a aflição de ambos crescerem em batimentos acelerados e violentos contra o peito. No maldito intervalo ele resolveu se vingar. Não negaria nunca, amava aquele lado do ex-levantador do Karasuno.

 

— Miya-san — a voz de Tobio rente com o ouvido do outro, a língua deslizando suavemente pela cartilagem da orelha sensível. — Você sabe o que eu quero fazer aqui?

 

— Não sei... — Atsumu disse no mesmo tom, as mãos apertando a cintura com força enquanto a fricção das ereções apenas lhe deixava com o corpo mais quente.

 

Era um jogo que ambos sabiam jogar, no entanto não sabiam quem tinha o maior autocontrole. Kageyama sorriu e desceu o rosto, distribuindo selares molhados pelo pescoço alheio até chegar na curvatura onde depositou um chupão forte. Atsumu ofegou e apertou mais a cintura alheia com uma mão enquanto a outra foi ao queixo do outro, forçando-o a lhe encarar.

 

— Você não é um bom menino, Tobio — umedeceu os lábios e em seguida sorriu ladino e safado.

 

Em questão de segundos os dois estavam unidos em um beijo violento e afoito, o beijo estalado ocasionando um barulho obsceno que apenas os excitava mais. Ao se separarem ofegantes, Tobio sorriu inocentemente e ficou de joelhos, o rosto na altura do shorts de Atsumu, que estava com um volume extremamente visível.

 

— Eu sinto falta de uma coisa — Kageyama disse, puxando o shorts lentamente para baixo e encarando a ereção escondida pela box. — Sabe, de você sujar minha cara com porra.

 

Miya sentiu as bochechas arderem em vergonha ao imaginar o quão sexy o levantador ficaria com as bochechas meladas de porra e aquela expressão boba de sempre. Segurou os cabelos negros e os puxou com pouca força, o sorriso pecaminoso estampado em seu rosto. Tobio retribuiu o sorriso antes de retirar o pênis do loiro para fora, começando com os movimentos lentos de vai e vem. Era adorável poder observar a expressão prazerosa que Atsumu fazia, os lábios sendo maltratados pelos dentes enquanto fechava os olhos. Tudo nele parecia fodidamente perfeito. Aproximou a boca do membro alheio, lambendo a base e a cabeça, soprando em seguida. Apreciava uma tortura lenta, apesar que ele mesmo queria chupar o ex-levantador do Inarizaki.

 

Sentiu o gosto agridoce do pré-gozo tocar sua língua assim que colocou o pênis em sua boca. Os olhos azuis fixados nos castanhos. A língua contornava as veias pulsantes do membro ao mesmo que prestava atenção nos gemidos manhosos que Miya tentava se controlar em não soltar. Kageyama achava fofo todo o esforço que ele fazia para não tentar chamar atenção. Seus olhos marejaram ao ser praticamente obrigado a fazer garganta profunda, não que não estivesse acostumado, com Miya era tudo na base da brutalidade, e ele gostava assim.

 

Ter a visão do rosto corado de Tobio, assim como os cabelos bagunçados e os olhos brilhosos pelas lágrimas enquanto seu pênis fodia a boca dele era perfeito, deixava-lhe ainda mais excitado. Atsumu fechou seus olhos com força quando sentiu um espasmos percorrer seu corpo, não conseguiu evitar gemer alto o nome do mais novo.

 

— Não faz assim, Atsu — o moreno disse após retirar o membro babado de sua boca, mantendo sua expressão inocentemente falsa. — Eu quero que…

 

— Quer que eu suje sua carinha de porra, eu sei — respondeu, ofegante.

 

Sua mão em volta de seu pênis, bombeando com rapidez querendo gozar logo. Não era fácil se manter tão são com a imagem que tinha dele, com a boca aberta e língua para fora, ainda mais com saliva escorrendo pelo queixo. Aquilo sim poderia ser considerado uma verdadeira obra de arte. Sentiu mais espasmos o atingirem, não conseguiu nem mesmo se pronunciar, apenas gemer. Kageyama teve o rosto atingido e melado com porra, sentia descer lentamente por suas bochechas.

 

— Perfeito — Miya falou, mordendo o lábio ao observá-lo lamber os lábios e em seguida o dedo que tinha passado na bochecha, tudo de um jeito sexy. — Você sabia que eu sinto ainda mais vontade de te foder quando você me chama de Atsu do que de Miya-san?

 

— Ah, é? Então me fode, Atsu.

 

Iria enlouquecer com aquele garoto. Tobio levantou-se e uniu os lábios em um beijo luxurioso, fazendo o outro levantador sentir seu próprio gosto. Atsumu o pegou no colo e prensou contra a parede. Se Kageyama queria, quem seria ele para negar? A partida e os torcedores poderiam esperar. 


Notas Finais


amo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...