História Bring Me to Life - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys (BTS), Fantasia, Kookv, Romance, Taekook, Vkook, Yaoi
Visualizações 16
Palavras 2.528
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal, como vocês estão??
Tenham uma boa leitura, vejo vocês nas notas finais.

Capítulo 5 - Cinco.


Fanfic / Fanfiction Bring Me to Life - Capítulo 5 - Cinco.

— Já está anoitecendo e a minha mãe deve ter chegado faz tempo. — Jungkook coça a cabeça.

— Então, vamos embora! — Taehyung se levanta e limpa seu macacão ao ver alguns pedaços de grama nele.

Jeon pega a mochila e seu livro, se levantando e se limpando logo depois. Ambos começam à caminhar de volta para a casa, mas o moreno para no meio do caminho quando percebe uma coisa.

— Espera! — ele solta, — O que eu digo para minha mãe quando ela te ver?

— Ela não vai me ver. — Kim pisca.

— O que? Como assim?

— Eu consigo voltar para o seu livro sempre que eu quiser. — explica, — Então, quando chegarmos na sua casa, eu volto para a sua obra e assim você entra.

Jungkook encarava o acastanhado, mordeu o lábio inferior quando começou à sentir um coisa dentro de si, percebeu que era medo. Foi quando ele não resistiu em perguntar o que queria naquele momento.

— Mas, você pode aparecer sempre que quiser também? — o tom de sua voz em quase um sussurro, fez Taehyung saber que o outro estava apreensivo.

— É claro! — sorriu, — Você quer que eu apareça de novo?

Jeon olha para baixo, percebendo mais uma coisa dentro de si. Se divertiu tanto com o acastanhado que não queria que o mesmo voltasse para a sua obra, por ter ficado pouco tempo com ele, riu e sorriu como nunca havia feito antes. Queria ter essa experiência novamente e com Taehyung.

— Quero.

Kim continha um sorriso no rosto e quando Jungkook o olhou novamente, fez um carinho no queixo do mesmo.

— Eu vou aparecer para você.

O moreno não deixou de soltar um sorriso e ambos começaram à caminhar de volta pra casa, novamente.

(...)

Jeon viu a sala de estar acesa quando chegou na frente da casa, sua mãe já havia chegado e com certeza estava preocupada. Olhou para Taehyung que sorriu e voltou para o livro, este que estava nas mãos do moreno. O mesmo fechou o objeto e entrou em casa, o cheiro de comida estava por toda a parte, suspirou e começou à ouvir uma voz feminina vinda dos fundos. Seguiu o som, até encontrar sua mãe falando ao celular na cozinha, aflita e preocupada como o garoto havia imaginado.

— Por favor, se vocês souberem de alguma coisa dele, me liguem. — a mulher desliga e se vira, dando de cara com o filho, — Jungkook! — ela solta em alívio, correndo para abraçar o filho.

O moreno a aperta nos braços enquanto sentia a mais velha acariciar seus cabelos.

— Meu Deus, onde você estava? Eu cheguei e não te encontrei, achei que não estivesse voltado para casa ainda, mas as horas foram passando e você não tinha chegado. — estava falando rapidamente, a preocupação ainda estava presente nela e no seu tom de voz.

— Mãe! — solta, se desvencilhando dos braços da mulher para poder encará-la, — Me desculpe, eu deveria ter avisado à senhora. — Jeon coloca a mochila na cadeira e o livro na mesa, — Aconteceram algumas coisas na faculdade que me deixaram mal e eu de fato saí mais cedo da faculdade, mas eu precisava pensar e tomar um ar fresco, então eu decidi ir para um parque aqui perto. Acabei me distraindo e não vi o tempo passar, me desculpe, mãe.

A mulher suspira e sorri fraco, acariciando o rosto do garoto.

— O importante é que você está bem e em casa, mas, na próxima vez não faça isso novamente. — ela beija a testa do filho, — E o que aconteceu para te deixar desse jeito? Quer conversar?

Jungkook olhou para o livro e suspirou, encarando a mulher novamente.

— Aconteceu o evento e eu me apresentei, falei sobre a minha obra e expliquei como eu a desenvolvi e como a criei. — sentiu o nó na garganta aparecer, — Tinha jurados para poderem dar as notas e o vencedor teria como prêmio a publicação da própria obra, mas eu não ganhei. — viu a mãe segurar sua mão, enquanto o ouvia com atenção, — Eu ganhei a nota máxima do primeiro jurado, do segundo eu ganhei a média e do último eu ganhei não só nota zero, mas ele disse coisas horríveis para mim.

— O que? O que ele disse? Jungkook, me fale agora. — a mulher implorava para o filho contar tudo, sem omitir nada.

— O jurado foi o menino que sempre implica comigo na faculdade. — ele riu sarcasticamente, — Estou começando à perceber que ele só se candidatou à jurado para que eu não ganhasse.

— Eu não acredito que aquele garoto não parou com essas merdas. — balançou a cabeça não acreditando naquilo.

— Está tudo bem, mãe. — Jeon pegou o livro, — Eu não vou mais deixar que ele fale coisas como essas para mim novamente, não vou deixar que digam que eu não tenho talento e que não sei escrever. — a mulher lhe encarava com um sorriso no rosto e se encontrava mais calma agora, — Acho que isso só me fez ficar com mais vontade de mostrar que eu posso.

A mulher logo puxou o filho para um abraço novamente, o garoto retribuiu enquanto sorria, também. O que disse, realmente era o que ele havia percebido naquele momento, logo depois de conversar com Taehyung.

— Isso mesmo, meu filho. Você sabe que não é nada disso do que falam, você é incrível, talentoso, faz obras incríveis e é forte. — se solta dos braços do garoto e o encara, — Você é bom em tudo o que faz.

O moreno sorri.

— Obrigado, mãe. Muito obrigado, mesmo. Você sempre está aqui comigo, sempre sabe o que dizer, eu te amo. — solta, emocionado.

— Oh, filho. Eu também te amo e eu sempre estarei aqui para você, sempre vou te apoiar. — sorriu do mesmo modo.

— Eu vou tomar um banho e trocar de roupa para vir comer, o cheiro está maravilhoso. — pega a mochila da cadeira.

— Vou estar te esperando. — ouviu a mulher dizer enquanto ia em direção ao seu quarto. 

Quando abriu a porta, colocou a mochila ao lado dela e deixou o livro em cima de sua mesa, procurou a página em que antes estava aberta e se sentou na cama. Foi até o guarda-roupa e pegou uma blusa e uma calça, uma toalha e meias, seguindo para o banheiro logo depois. Deduziu que Taehyung não apareceria por agora, pois ele iria jantar com a sua mãe, porém, estava torcendo para que o acastanhado aparecesse antes de dormir.

Quando terminou seu banho e de colocar a roupa, saiu do banheiro e não deixou de olhar para o livro que ainda estava aberto no mesmo lugar e o seu quarto vazio. Mordeu o lábio inferior e foi para a cozinha, vendo a sua mãe colocando a comida à mesa. A mulher sorriu ao ver o garoto e o mesmo chegou mais perto, sentindo ainda mais o cheiro delicioso.

Enquanto comiam, conversavam sobre como foi o dia de ambos, Jungkook queria muito contar sobre Taehyung, mas sabia que não podia contar que o mesmo foi para o mundo real por causa do livro que seu avó havia lhe dado, com certeza a mulher não acreditaria assim como ele não acreditou na primeira vez mesmo vendo seu personagem em sua frente. Não sabia o que poderia acontecer com Kim caso o moreno contasse sobre ele, não entendia o mundo da magia.

Depois de comer e ajudar a sua mãe à limpar a cozinha, se despediu dela lhe desejando uma boa noite e recebendo outro. Foi para o quarto e se deitou na cama olhando o teto, mas sua atenção foi voltada para o livro, se sentou na cama e continuou encarando o objeto, mas se deitou novamente e suspirou, fechando os olhos.

— Você achou mesmo que ia dormir sem conversar comigo pela última vez no dia? — ouviu a voz grossa de Taehyung entrar pelos seus ouvidos.

Abriu os olhos e encontrou o acastanhado sentado na mesa ao lado do livro, se sentou enquanto o encarava.

— Achei, você não tinha aparecido até agora. — Jeon deu de ombro.

— Que bobo. — Kim sorriu e saiu da mesa, começando à caminhar em direção ao moreno, — Eu disse que eu ia aparecer depois, só deixei com que você conversasse com a sua mãe, ela estava preocupada. — se sentou ao lado de Jungkook na cama, — Eu ouvi o que conversaram quando você chegou e me senti orgulhoso quando você disse que não iria mais deixar aquele menino falar besteiras para você.

— Eu ouvi de um grande conselheiro. — o moreno brinca e Taehyung ri.

— Mas, não é só eu que acho ser o certo à fazer, sua mãe também.

— É, eu sei. — Jeon afirma com a cabeça, — Os meninos também acham a mesma coisa.

— É claro, porque é isso que você deve fazer. — o acastanhado sorri.

Jungkook retribui o sorriso.

— Eu ia contar de você para a minha mãe, mas não sabia se podia, afinal, você veio de um objeto mágico e eu não saberia explicar isso à minha mãe. — coçou a cabeça e ouviu a risada de Kim.

— Eu tenho certeza que ela não iria acreditar assim como quando eu apareci na sua frente. — responde, — E você achou certo, ninguém pode saber sobre mim. — Taehyung morde o lábio inferior, — Quando voltei para o livro, percebi que algumas coisas haviam mudado.

— Como assim? O que mudou? — Jungkook estava confuso, agora.

— Eu não sei dizer. — o acastanhado se sentia do mesmo modo, — Mas, eu me senti diferente quando voltei.

O silêncio pairou, nenhum dos dois sabiam o que dizer naquele momento, até Kim se levantar e ir até a janela, vendo a noite chegando e as estrelas aparecendo. Jeon resolveu fazer o mesmo, sentindo o vento bater em seu rosto.

— Aquilo são estrelas, não é? — Taehyung pergunta, sem tirar os olhos do céu.

— Sim. — o moreno responde do mesmo modo.

— Eu sabia que eram, você descreveu elas como pontos brilhantes no céu. — o acastanhado lembra, ouvindo a risada do garoto, — Eu as imaginei, mas não tão brilhosas assim.

Jungkook o encarou, vendo as expressões do mesmo, se sentiu bem com aquilo, poder mostrar todas as coisas do seu mundo para o seu personagem e vê-lo maravilhado era muito bom. Voltou seus olhos para o céu e viu uma lua logo atrás das árvores, colocou a mão no ombro de Kim e o mesmo lhe encarou.

— E a lua chegou. — apontou ao falar.

Os olhos de Taehyung logo começam à brilhar, o céu estava sendo iluminado pela grande lua que aparecia, completamente redondinha e branca.

— Tão linda. — elogia, sem tirar os olhos dela.

— Também imaginava ela assim?

— Não mesmo. — Kim nega com a cabeça, — Woah! — exclama, — Realmente muito linda e brilhante.

Jungkook riu fraco e concordou com a cabeça, olhando para a lua junto do acastanhado. Bocejou e fechou os olhos, o que chamou a atenção de Taehyung, que o olhou.

— Você está com sono, vá dormir. — ouviu Kim dizer.

— Quero continuar falando com você. — Jeon solta e o acastanhado acaba sorrindo com aquilo, — Eu me diverti muito hoje, fazia um tempo que eu não me sentia desse jeito.

— Eu também me diverti muito, eu disse que ia fazer você descobrir muitas coisas assim como eu faço no meu mundo. — Taehyung diz em um tom brincalhão e Jungkook ri.

— E eu quero poder te mostrar ainda mais coisas que não existe no seu mundo e as que você imaginou ser de outro jeito.

O acastanhado sorri e concorda com a cabeça, sentia que queria o mesmo, estava adorando esses momentos com o seu autor e mesmo que tenha passado apenas horas com ele, foram muito boas. O moreno coça os olhos e Kim dá leve tapinhas no ombro do garoto, fazendo o mesmo parar a ação e lhe encarar.

— Vai logo dormir, amanhã você tem faculdade. — o acastanhado pega o braço alheio, tentando levar Jungkook até a cama para descansar.

— Calma. — Jeon puxou o braço delicadamente, — Eu vou fazer as minhas higienes antes.

— Hum, faça e vá dormir.

O moreno ri e vai ao banheiro, faz suas higienes e volta, vendo Taehyung sentado na mesa ao lado do livro.

— Você já vai? — a pergunta do garoto saiu como um sussurro melancólico, mas estava um pouco disfarçado.

— Vou esperar você pegar no sono e vou.

Jungkook se deita na cama e fica com o corpo virado para onde estava o acastanhado, o mesmo pendeu a cabeça para o lado, vendo que o moreno estava o encarando.

— Boa noite. — Jeon deseja, bocejando.

— Boa noite.

O silêncio paira e o moreno fecha os olhos, mas logo os abre porque queria perguntar uma coisa ao personagem.

— Você.. vai estar aqui quando eu acordar? — a pergunta saiu incerta.

Taehyung riu.

— Muito antes de você acordar.

Jeon sorriu de lado e fechou os olhos novamente, agora pegando no sono. O acastanhado ficou admirando o garoto, sorriu e voltou para o livro, estando no seu mundo até o outro dia nascer.

(...)

O sol já havia aparecido e iluminava o quarto por entre as cortinas, os pássaros cantavam enquanto voavam pelo céu. Jungkook abriu os olhos e logo se espreguiçou, esticou os braços até a sua cômoda à procura de seus óculos, quando os encontrou logo colocou em seu rosto, enxergando tudo nitidamente. Se sentou na cama e olhou para os lados, encontrou Taehyung sentado na janela balançando as pernas enquanto via o céu azul.

— Bom dia. — a voz rouca de Kim adentrou os ouvidos do moreno.

— Bom dia. — respondeu sonolento.

Jungkook se espreguiçou e se levantou da cama, indo até o guarda-roupa.

— Você dormiu bem? — perguntou o acastanhado, saindo da janela.

— Sim. — olhou para o personagem, — E você?

— Eu também. — riu fraco, — Apesar de eu ter pensado em tudo o que eu fiz ontem e isso ter feito eu demorar para dormir.

Jeon sorriu e pegou a sua roupa, indo para o banheiro.

— Vou me arrumar. — avisa e Taehyung estende o polegar em uma forma de dizer "beleza".

O acastanhado olhou para a janela novamente, sentindo seu peito em tamanho alívio e paz. Não sabia descrever, mas se sentia tão bem e diferente, percebeu isso quando voltou para o seu mundo ontem à noite. Parecia que aquele não era mais o seu lar, como se ele não pertencia mais ali, o que de certa forma o deixava confuso e com medo, o que poderia ser aquilo tudo o que estava sentindo? E agora que conheceu seu autor e criador, queria ficar todo o tempo com ele, se divertindo e presenciando coisas novas. Engoliu em seco e ouviu a porta do banheiro abrir depois de um tempo, viu o moreno sair de banho tomado e arrumado.

— Vai para a faculdade comigo? — o garoto perguntou, enquanto ia até sua mochila.

— Ninguém pode me ver, lembra? — se aproximou de Jeon.

— Eu sei, mas nem dentro do livro? — levanta a sobrancelha, fazendo Kim sorrir.

— Bom, desse modo, tudo bem. — brincou e riu.

— Nos vemos depois da faculdade?

— Com certeza.

Jungkook sorriu e pegou o livro, mas fora interrompido pelo acastanhado, queria dizer algo antes de entrar para a obra novamente.

— Mesmo que eu não esteja com você exatamente como eu estou agora, saiba que de algum outro modo eu estarei. — solta, colocando a mão no livro junto da do moreno, — Bem aqui.

Jeon sorri e concorda.

— Obrigado.


Notas Finais


Bom galera, esse foi o quinto capítulo.
Estão gostando???
Obrigada pelos comentários, favoritos e por estarem acompanhando!!
Se cuidem!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...