História Broken - Jikook - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, Lee Taemin
Personagens Jackson, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Drama, Romance
Visualizações 38
Palavras 2.362
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, LGBT, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo <3 Boa leitura

Capítulo 4 - Capítulo 4


JUNGKOOK

    Enquanto decorria a viagem de carro, Jimin não parava de me fazer rir. Estaria a mentir se dissesse que não me sentia atraído por ele. Mas, por muito que eu gostasse, não me podia apaixonar por ele: iria ser uma relação disfuncional e provavelmente cairia numa espiral de depressão, só por pensar que Jimin podia ter qualquer pessoa que quisesse...Se um dia ele se cansasse de mim, iria ser fácil substituir-me. E também estava a pensar nele: Jimin tem imenso trabalho, em tours. a gravar...Eles não têm tempo livre. E eu estou danificado, não consigo confiar em ninguém. Jimin não podia estar comigo quando eu mais precisasse, por isso nem valia a pena tentar. E, também, ele nem deve sentir nada por mim, eu devo ser um fardo para ele, ele não merece o sofrimento que sentiria se estivesse comigo.

    Saímos do carro e fomos logo bloqueados por imensos paparazzi e fãs. Um segurança ajudou-nos a passar. Os paparazzi e os fãs gritavam coisas obscenas, só ouvia vozes e perguntas:

   «Novo namorado do Park Jimin?...Ou és mais um caso do Taehyung?»

    «Só queres a fama dos BTS!»

    Tentava bloquear da minha mente tudo o que era dito, mas era impossível. E os gritos estridentes dos fãs não ajudavam. De repente alguém me empurrou, provavelmente um paparazzo. Caí no chão. Jimin correu para mim e ajudou-me a levantar.

    - Estás bem?- perguntou ele, preocupado.

    - Sim, não foi nada.

    Sacudi a sujidade da minha roupa e levantei-me prontamente. Jimin pôs-me ao lado dele, pondo um braço por cima dos meus ombros e puxando-me para si. Depois, virou ostensivamente a cara aos paparazzi e entrámos dentro do estúdio de televisão onde a entrevista iria ser feita.

    Jimiin disse-me para ficar atrás das câmaras enquanto e preparava. De seguida, deu-me um beijo na testa e afastou-se. Uma das pessoas que trabalhava lá indicou-me uma cadeira para eu me sentar, e eu agradeci. Os meus olhos focados em Jimin quando o grupo entrou no estúdio. Eles sentaram-se no sofá que ali estava posto para os convidados. Os meninos conversavam entre si até o entrevistador aparecer: era um homem alto, de cabelo castanho cortado à militar, mas não lhe conseguia ver a cara.

    Ele apertou as mãos aos meninos e depois virou-se para as câmeras. Aí vi finalmente a sua cara: era um homem atraente que parecia estar nos seus quarenta anos.

    - Bom dia, Coreia. Sou Park Sehun e hoje temos dois convidados muito especiais. Os primeiros estão aqui agora, e é uma honra tê-los comigo hoje, o boygroup mais famoso do mundo: BTS! E, para me me ajudar a entrevistar esta banda, convidámos um estagiário que está a tirar um curso de jornalismo, Lee Taemin!

    Arrepios atravessaram-me o corpo como se fossem eletricidade ao ouvir aquele nome. Talvez fosse só alguém com um nome igual, pensei. Mas quando Taemin entrou no estúdio, sabia que era mesmo ele! Não demorou muito para ele me descobrir e olhar para mim com um ar impiedoso e um sorriso cruel. Lágrimas quentes ameaçavam sair dos meus olhos, e eu estava a tentar, com todas as minhas forças, mantê-las em mim.

 

JIMIN

    Senti uma raiva enorme ao ouvir aquele nome. Olhei para Jungkook, que desviava o olhar dele e o voltava para mim, com os olhos muito brilhantes, confirmando as minhas dúvidas.

    A entrevista começou, e eu tentei manter-me calmo, deixando os outros meninos responder às perguntas.

    - Jimin? - Perguntou Sehun, chamando a minha atenção.

    - Sim? - respondi, rangendo os dentes.

    Aí, Taemin sussurrou algo ao ouvido de Sehun e este acenou com a cabeça.

    - O mais recente rumor é que tens um novo namorado!

    Aí, apareceram fotos de ontem que mostravam Jungkook a entrar em minha casa.

    Mantive-me em  silêncio.

    - Hum...queremos saber mais! Este rumor é falso ou verdadeiro? Porque, como o meu futuro colega disse, o menino misterioso está aqui, agora!

    Aí as câmeras apontaram para Jungkook: tudo o que eu menos queria. E Taemin sabia bem que joguinho estava a fazer, vendo como ele olhava para ele. Jungkook estava exposto, na televisão nacional em direto, a chorar.

    Era demasiado para eu aguentar. Levantei-me bruscamente mas Yoongi agarrou-me a mão. Olhei para ele e este largou-me rapidamente.

    - Jimin, aonde vai? - ouvi a voz de Taemin.

    Virei-me e vi no rosto do homem um prazer evidente por ter conseguido desestabilizar-me, a mim e a Jungkook. Nesse momento, senti um ódio imenso apoderar-se de mim.

    Avancei ostensivamente e, virando as costas para as cãmeras e para todos, murmurei uma obscenidade diretamente a Taemin, com a certeza de que ninguém mais ali perceberia. Sem mais uma palavra, saí, agarrando na mão de Jungkook. E, sim, estava consciente de que tinha acabado de fazer uma coisa tremendamente indelicada e mal-educada à frente do país inteiro, mas sinceramente, era a última coisa agora na minha mente.

    Puxei Jungkook para mais perto de mim, quando saímos. Um mar de paparazzi fãs esperava-nos. Fugimos dali e corremos o mais possível até nos distanciarmos de todos.

    Jungkook estava destroçado. Tremia freneticamente e limpava obsessivamente as lágrimas, tentando acalmar-se.

    - D-d-desculpa estar assim. Desculpa por te ter dito o nome dele. Tu acabaste de fazer algo que pode prejudicar a tua carreira Desculpa. Eu...eu vou-me embora.

    Assim, simplesmente, Jungkook afastou-se de mim. Corri atrás dele, e alcancei-o rapidamente.

    - Não peças desculpa! Tens todo o direito de estar assim...E não te vás embora...Não te afastes de mim...

    Jungkook simplesmente assentiu antes de enterrar a sua cabeça no meu pescoço num abraço e chorar ainda mais. Abracei-o de volta com todas forças que tinha.

    - Vem... - disse, quando os nossos corpos se separaram.

    Agarrei a sua mão e conduzi-o até ao meu sítio preferido, ao meu esconderijo. Era um jardim, que tinha um lago no fundo. Os meninos e eu tínhamos comprado esta propriedade para poder relaxar. Estacionei o carro e guiei-o até ao jardim. Logo que entrámos, virei-me para encontrar um agora frio e melancólico Jungkook.

    - Estás bem? - Perguntei.

    - Tenho medo, Jimin. Como é que ele soube que eu estava cá, contigo?

    - Se calhar foi só uma coincidência...

    - Não existem coincidências, Jimin. É isso que me mantém alerta...Saber que não existem coincidências. Por isso é que tenho medo.

    - Não precisas de ter.

    - Por que é que és tão simpático comigo, Jimin? Só me conheceste há uma semana.

    - Por que é que não haveria de ser? - disse, como se fosse algo óbvio.

    - Desculpa, não estou habituado... - suspirou Jungkook, com um ar arrependido.

    - Então habitua-te, porque vais estar na minha companhia durante muito tempo! - exclamei, com um sorriso estampado nos meus lábios.

    Ele riu-se, e entrelaçou os dedos nos meus.

    - Anda, vamos deitar-nos na relva...

    Jungkook assentiu e fomos para o jardim. Mas antes passeámos durante um bocado, rimo-nos, falámos sobre imensa coisa, eu estava a aproveitar cada momento daquele dia, e parecia que o incidente desaparecera. Quando encontrámos o lugar ideal, deitámo-nos lá e ficámos a olhar para o céu. Olhei para Jungkook e ele olhou para mim. Fiquei preso nas suas obres negras: irradiavam uma alegria inexplicável. Aproximei-me dele até os nossos narizes se tocarem. Conseguia sentir-lhe a respiração. O seu sorriso desvaneceu-se e ele sentou-se.

    - O que se passa? - perguntei, triste por ele ter impedido o que iria acontecer. Sentei-me direito.

    - Acredita, tu não me queres. Eu dou imenso trabalho. Eu sou muito dependente e depois nas tours vou ficar todo nervoso sozinho. Tu consegues arranjar muito melhor que eu, e eu vou ficar tensa sempre porque se tu estiveres do outro lado do mundo podes ser seduzido por alguém, e depois eu ainda começava a cortar-me outra vez com o desespero e...

    Rocei os meus lábios contra os dele e beijei-os suavemente. Queria que ele soubesse que nada daquilo era verdade. Tinha sentimentos por este menino que nem devia ter. Porque, por muito estranho que parecesse, sentia que o conhecia há anos...e só o conhecia há uma semana. Como é possível uma pessoa apaixonar-se por alguém em tão pouco tempo?

    Abraçámo-nos. O tempo que ficámos naquele jardim foi passado da melhor maneira possível. Com beijos, abraços e trocas de palavras carinhosas. Porque, na verdade, nenhum de nós sabia o que ia acontecer ou se isto ia durar. Só sabíamos que tínhamos isto, agora.

    - Tenho fome... - suspirou Jungkook, passado um bocado.

    - Também tenho...Queres ir almoçar a algum lado?

    - Claro, mas onde?

    - Escolhe.

    - Não, escolhe tu.

    Rimo-nos os dois e saímos do jardim. Tínhamos os dedos entrelaçados, quando comecei a ouvir vozes masculinas a falar alto: paparazzi! Andámos depressa, tentando não dar nas vistas, até eu ver um táxi estacionado, disponível. Entrámos no carro e cumprimentei o taxista.

    - Para onde? - perguntou.

    - Para o restaurante mais próximo e mais discreto, por favor.

    Assim o carro seguiu viagem. Apertei a mão de Jungkook e beijei-a. ele aproximou-se de mim e deu-me um beijo na bochecha, e eu sorri.

    Chegámos lá minutos depois. Paguei ao taxista e, de seguida, saí do carro muito rapidamente para abrir a porta a Jungkook. Ele riu-se.

    - Não é preciso estares a correr como um tolo só para me abrir uma porta, sabias?

    - Sim, sabia. Mas eu quero.

    Ele deu-me um beijo e fechou a porta. Fomos de mãos dadas para o Suho's. Reparei que estava uma faixa larga à porta do restaurante onde se podia ler: «Semana de karaoke! Cante o que quiser!».

    - Queres ir cantar depois de almoçar? - perguntei-lhe, esperançoso.

    - OK. Mas eu escolho a canção!

    Assenti com a cabeça, rindo-me da sua reação. Quando entrámos afinal havia imensa gente e algumas meninas com t-shirts dos BTS. Elas gritaram quando me viram, e eu já devia estar à espera...Tirei umas fotos com umas pessoas e dei autógrafos a outras. Depois fui com Jungkook escolher uma mesa e fizemos os nossos pedidos. Demos as mãos por cima da mesa e conversámos sobre coisas diversas.

    Acabámos de comer rapidamente e depois praticamente arrastei Jungkook para a máquina de karaoke. Ele escolheu a música sem eu olhar e reconheci-a logo que começou a tocar; tinha escolhido «If You». Começou a cantar e eu fiquei estupefacto. Cantava mesmo bem! A sua voz era melodiosa e nunca errava uma nota. Cantámos os dois e os fãs estavam a ver, e algumas miúdas estavam a chorar...Quando a música chegou ao fim toda a gente aplaudiu. Agradecemos e depois demos um abraço. E de repente, ouvimos alguém a gritar e a aproximar-se rapidamente.

    - O Jimin é meu, sai de cima dele!

    Foi a gota de água! Olhei para Jungkook, que não parecia magoado, mas perturbado. Uma fã puxou uma madeixa de cabelo de Jungkook! Fiquei tão chocado quanto ele, senão mais.

    - Achas que isso é ser fã? Não te importas comigo e és uma louca obcecada! Que tipo de fã magoa as pessoas próximas de quem admira!? - gritei para a adolescente que estava à minha frente.

    - Jimin, tu não percebes, eu amo-te muito mais do que ele! - respondeu aquela pequena filha da mãe, com um ar convencido estampado na cara.

    Ri-me na cara dela, enquanto outros fãs gravavam as nossas discussões, tiravam fotos ou, simplesmente, assistiam impressionados.

    - Há uma diferença entre amor e obsessão, menina...- disse-lhe, antes de me afastar dela, pagar e sair do restaurante. Uma «fã» tinha conseguido estragar o nosso almoço!

    - Estás bem? - perguntou-me Jungkook.

    - Sim, só não compreendo como alguém pode ser assim tão estúpido!

    Jungkook tentou conter o riso.

    - Que foi? - questionei-o, curioso.

    - Nunca ouvi ninguém a dizer a palavra «estúpido» com tanto desprezo - respondeu Jungkook, antes de se desmanchar a rir.

    Ri-me com ele, enquanto caminhávamos pelas ruas surpreendentemente quentes de Seul.

    - Tu cantas-te mesmo bem, Jungkook. Nunca me contaste que gostavas de cantar - disse, surpreendido.

    - Bem, há muita coisa que tu não sabes sobre mim.

    De repente o meu telemóvel começou a tocar. Peguei nele e, vendo que era Jackson, pus a chamada em alta voz.

    - Estou, Jimin? - a voz de Jackson soou do telemóvel.

    - Olá, que se passa?

    - Só o facto de estares desaparecido durante horas! Estás bem? O que se passou na entrevista?

    - Hum...Aquele tipo é uma besta e eu não consegui estar no mesmo espaço com ele...Não queria fazer uma cena à frente de imensas pessoas...

    - Mas fizeste! E toda a gente está a falar sobre isso...Por isso hoje à noite, vamos jantar com ele e tu vais pedir-lhe desculpa.

    - Jackson, eu não vou fazer isso!

    - Porquê? O que é que ele te fez de mal?

   Olhei para Jungkook, para ver se me deixava dizer o que era. Ele assentiu com a cabeça.

    - Ele magoou a sério uma pessoa importante para mim.

    - Como é que magoou?

    - Isso interessa? - respondi, com um tom agressivo.

    - Vejo que é grave...Desculpa ter perguntado...Eu, eu cancelo.

    - Obrigado, cancela com aquele estupor, mas não canceles a reserva do restaurante. Há alguém que eu gostaria de vos apresentar.

    - Quem? O menino mesmo giro de que Taehyung nos falou? Com quem tu fugiste? Ele disse que ele estava em tua casa...Jimin, Jimin, o que andam a fazer?

    Foi nesse momento que me arrependi de ter posto a chamada em alta voz.

    - Nada, Jackson...

    - Deves mesmo gostar dele para estares tão nervoso. O Taehyung disse que quando falaste dele gaguejaste...Deves estar mesmo apanhadinho, não é, Jimin?

    Eu estava a ficar vermelho com aquela conversa. Só esperava que ele não olhasse para a minha cara.

    - Mudando de assunto, a que horas é a reserva?

    - Às sete e meia. É um lugar chique, venham bem vestidos!

    - OK, OK. Adeus, Jackson!

    - Adeus!

    Aquela foi a conversa mais embaraçosa que já tive por telemóvel. O silêncio entre mim e Jungkook estava a tornar-se constrangedor...

    - Então...Onde vamos agora? - perguntou Jungkook, e suspirei de alívio por ele não ter dito nada sobre aquele diálogo.

    - Ouviste o Jackson! É altura de te arranjar um novo conjunto.

Continua...


Notas Finais


Espero que tenham gostado <3 Até amanhã


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...