História Broken - Jikook - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, Lee Taemin
Personagens Jackson, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Drama, Romance
Visualizações 18
Palavras 2.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, LGBT, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo <3 Boa leitura

Capítulo 7 - Capítulo 7


 JUNGKOOK

    Mais umas semanas passaram. Acordei no meu quarto com Jimin a chamar-me. Sonolento, considerei a hipótese de ficar na cama e fingir que não tinha ouvido nada, mas logo pensei em Jimin, levantei-me com dificuldade e dirigi-me ao quarto dele.

    - Que se passa? - perguntei, esfregando os olhos por causa da iluminação.

    - Olha! - gritou Jimin, entusiasmado. - Estás numa revista! O Taehyung confirmou ontem que irias fazer o anúncio!

    Dito isto, ele deu-me a revista para eu ver. Lá estava eu, no jantar, a rir-me com os meninos. Entrei em choque; era estranho estar numa revista.

    - Uma revista telefonou à Big Hit hoje porque queriam ter o teu contacto - continuou Jimin a explicar. - O BamBam, um dos representantes da Big Hit disse-me que a revista Golden quer que faças uma sessão de fotos para seres a capa deles!

    A Big Hit geria o grupo de Jimin. Tratava de tudo, incluíndo gravações, letras e músicas, digressões, marca, mercadoria, meios, televisão e publicidade.

    - Oh, meu Deus, a sério? - perguntei, chocado. A ideia de fazer uma sessão de fotografias era assustadora, mas a de estar na capa de uma revista era entusiasmante!

    - Marquei-te uma reunião com eles hoje às três. Queres ir? Se não quiseres, posso desmarcar... - disse Jimin.

    - Claro que quero ir! - respondi, entusiasmado pela ideia.

    - Daqui a pouco levo-te lá e depois vou-te buscar, OK? - perguntou Jimin, sorrindo.

    - OK! Então vou preparar-me. Que horas são? - perguntei, feliz.

    - Hum, meio-dia e meia... - respondeu Jimin, olhando para o relógio. - Queres ir almoçar fora?

    - Claro!

    Jimin deu-me um beijo na testa e depois saí do seu quarto. Fui ao meu, até à cómoda escolher a roupa que ia usar. Elegi umas calças justas pretas e uma camisola branca com uma frase escrita a preto. Peguei uns ténis pretos e fui vestir-me na casa de banho. Quando já estava vestido, lavei os dentes e a cara. Pus só um creme hidratante no rosto e por fim gloss. Depois penteei o meu cabelo. Peguei num casaco de ganga e na minha mochila preta e saí do quarto. Desci as escadas e Jimin estava lá à minha espera, a comer bolachas.

    - Jimin! Vamos almoçar agora e estás a comer bolachas!? - repreendi.

    - Tinha fome - disse Jimin, corando.

    - Tens sempre fome! - respondi, rindo-me e dirigindo-me até ele. Dei-lhe um beijo e ele pousou o pacote de bolachas.

    - Estão, estás pronto? - perguntou Jimin.

    - Sim!

    - Então vamos!

    Ele levantou-se e saímos. Fomos até à garagem, onde havia quatro carros.

    - Então, qual é que levamos? Escolhe.

    Eu olhei para todos, mas houve um que me chamou a atenção. Era um Mini Cooper vermelho descapotável. Adorava-o.

    - Aquele! - disse, apontando para o carro.

    - O Mini? OK, então vamos! - exclamou Jimin.

    Ele pegou nas chaves, destrancou-o e entrámos. Quando ligou o carro, o teto baixou automaticamente; a seguir, a porta da garagem abriu-se e fomos para a estrada.

    - Pronto? - perguntou Jimin.

    - Pronto - respondi.

    Parámos rapidamente  para comer alguma coisa e seguimos viagem. Ao chegarmos, ele estacionou e saiu do carro para me abrir a porta, como sempre, e eu agradeci, saindo depressa. Depois senti uns olhos postos em mim, e virei-me para encontrar Jimin a fixar-me.

    - Uau...Jungkook, tu estás lindo...Tu, tu és lindo... - disse Jimin, atrapalhando-se com as palavras.

    As bochecha dele começaram a tomar um tom rosado e eu também senti as minhas bochechas a aquecerem. Bem, que situação estranha...

    Aproximei-me de Jimin e beijei-o. Foi como se alguma força se tivesse apoderado de mim; beijei-o, querendo agarrar desesperadamente este momento para sempre.

    Os braços dele envolveram-me e parámos de nos beijar para ele me abraçar. A minha cabeça estava encostada ao seu peito, a ouvir as batidas no seu peito e a sentir a energia da sua alma, de todo este ser que roubou o meu coração e a minha identidade. Só esperava que ele não me danificasse mais, porque se ele o fizesse, não sabia como iria recuperar.

    Separamo-nos e depois fomos até ao estúdio da Golden, de mãos dadas, entrámos e dirigimo-nos à receção.

    - Bom dia, temos uma reunião aqui à uma e meia - informou Jimin, agradável e charmoso como sempre.

    - A Sra. Kim  deverá atender-vos dentro de momentos...Porque não se sentam e esperam um pouco? - comunicou-nos a secretária.

    E assim fizemos. Senti vários olhares postos em nós enquanto nos dirigíamos para as cadeiras. Não era a primeira vez que me sentia observado e já me estava a assustar. Afastei o assunto da minha mente e olhei para Jimin.

    Pensei o quão sortudo era: tinha o menino que sempre quis ao meu lado. Eu só queria agarrar-me a ele para sempre, porque tinha medo que ele me abandonasse. Ele pegou na minha mão e entrelaçou os nossos dedos como se tivesse lido a minha mente.

    - Eu...a... - gaguejou Jimin, antes de ser interrompido pela secretária.

    - A Sra. Kim já está pronta para vos receber - disse a secretária.

    Levantámo-nos sempre de mãos dadas e fomos até à salinha de reuniões que nos tinha sido indicada. Fiquei a pensar no que Jimin me tinha querido dizer.

 

     JIMIN

Fogo! Interromperam-me! E mesmo se não o fizessem, acho que não teria coragem para o dizer...«Eu amo-te.» Duas palavras que significam tanto, mas tão difíceis de enunciar. Eu sei que estava prestes a proferir essas palavras a alguém que tinha conhecido há menos de um mês, mas parecia certo. Pode parecer louco, pois nunca pensei sentir algo tão forte por alguém. Tudo o que li nos livros fazia agora sentido, e não queria saber se estávamos a avançar depressa demais, porque, às vezes, é instantâneo. Não é preciso todos aqueles joguinhos de se fazer difícil e esperar, às vezes basta só entregarmo-nos completamente, de coração e alma. E foi o que eu fiz.

    Uma voz familiar interrompeu os meus pensamentos.

    - Jimin, Jungkook, sejam bem-vindos! Venham sentar-se aqui - disse Kim Yeri, a dona e criadora da Golden.

    E assim fizemos. Jungkook parecia feliz, tinha um sorriso no rosto e os olhos brilhantes.

    - Então, Jungkook, eu gostava de fazer uma sessão de fotos contigo. Quero que sejas a capa da edição de junho da Golden. Estamos com alguma pressa porque a edição vai sair um pouco atrasada. Por isso, se aceitares, começamos agora.

    A cara de Jungkook iluminou-se a ouvir a proposta.

    - S-sim, claro que aceito! - disse Jungkook, adorável, como uma criança a abrir os seus presentes na manhã do dia de Natal.

    - Ótimo! Então vem cá, que a nossa maquilhadora e a nossa designer vão preparar-te...e depois...Estive a pensar...A sessão de fotos pode ser em casa do Jimin, se quiserem...Porque também queria incluir o Jimin. O tema de capa vai ser o novo casal.

    - Pode ser. Jungkook, o que achas? - perguntei.

    - Eu não me importo- respondeu Jungkook.

    - Excelente! Então vamos lá! - exclamou Yeri.

    Levantámo-nos e Yeri fez várias chamadas. Fui para a beira de Jungkook, que estava a sorrir muito.

    - Ficas tão fofo quando estás feliz - sussurrei-lhe.

    - Jimin, eu...

    - Vamos lá, já está tudo tratado - disse Yeri, interrompendo Jungkook.

    - OK - respondi. - Jungkook, o que ias dizer?

    - Oh, nada... - respondeu, num tom quase inaudível.

    Fiquei curioso, mas não o pressionei...Iria ele dizer o que me custava a mim declarar?

 

    JUNGKOOK

    Entrei no carro com Jimin, Yeri e a equipa iam seguir-nos atrás numa carrinha.

    Pusemo-nos a caminho e a viagem foi silenciosa. Eu queria tanto dizer-lhe, mas...e se ele não sentisse a mesma coisa? Ele pode arranjar muito melhor do que eu e só nos conhecemos há praticamente um mês e pouco, mas eu sei que o que eu sinto é real. Mas e se para Jimin isto tudo for uma paixão de verão? Se ele não quiser comprometer-se? Eu não me sinto bom o suficiente para ele...

    Ele estacionou e reparei que tínhamos chegado a casa. Saí rapidamente e escondi-me atrás dele. Jimin saiu e corri até ele. Abracei-o. Eu amava-o tanto! Ele abraçou-me de volta com força e senti-me amada. Aí todas as minhas dúvidas desapareceram.

    Ouvi um carro estacionar e virei-me. Era a carrinha de Yeri, que saiu e veio até nós.

    - Prontos?

    - Sim! - respondemos ao mesmo tempo.

    A sessão de fotos durou cinco horas, tinha sido muito interessante, mas deixou-nos exaustos. A última cena tinha sido na piscina de Jimin e ainda estávamos lá porque estava calor e não me apetecia sair dali. Yeri e a equipa já se tinham ido embora e agora estava a fazer uma luta de água com o Jimin.

  - Queres sair e ir comer aquele bolo que comprámos ontem? - sugeriu Jimin.

  - Boa ideia. Vou só buscar o meu roupão e já volto, OK?

  - OK! Volta depressa! - pediu Jimin, soprando-me um beijo na brincadeira.

  Saí da piscina e enrolei-me na toalha. Entrei em casa e dirigi-me ao meu quarto. Enquanto subia as escadas ouvi um barulho estranho. Virei-me para trás e não o devia ter feito: dois braços agarraram-me e taparam-me a boca. Eu tentei gritar, mas não consegui. O medo apoderou-se de mim e fiquei paralisado.

  O desconhecido arrastou-me até ao meu quarto e trancou a porta. Tinha um gorro a esconder a sua identidade.

  Arrastei-me até à parede, a tremer de medo. A minha ansiedade atacou e comecei a ter a sensação de não poder respirar.

  O desconhecido tirou o gorro e aí vi a cara que me causava tanto medo, lembrei-me de todos os toques, os cortes, as feridas e as nódoas negras. Todo o sofrimento e a ansiedade voltaram. O medo regressou.

  - Encontramo-nos de novo, Jungkook...

   Era Taemin.

  Mantive-me calado, desejando que tudo fosse um pesadelo, que acordasse na minha cama, seguro. Mas sabia que não era.

  - Eu disse que não conseguias fugir de mim, lembras-te? Ainda temos assuntos por resolver...

  Comecei a sentir lágrimas escorrerem por meu rosto. Ele aproximou-se de mim e limpou-me a cara. Senti a sua respiração ofegante contra a minha pele e fechei os olhos, aterrorizado.

  - Não é preciso chorares, príncipe.

  Tive de pegar em toda a coragem e adrenalina que restavam no meu corpo para lhe dar um estalo. Enquanto ele estacou, chocado, levantei-me e fui até à porta. Gritei por Jimin, gritei por ajuda, tentando não pensar no que iria acontecer a seguir.

  - Por que é que tornas tudo mais difícil, Jungkook? - perguntou Taemin, num tom sádico.

  Virei-me para trás. Só tive tempo de respirar fundo antes de ser agarrado pelo cabelo e arrastado até ao fundo do quarto. Taemin puxou-me para baixo e deu-me uma bofetada muito forte na cara.

  - Tu és meu, Jungkook! Meu! E quando te portas mal, sabes o que acontece.

  Aí levantou-se e deu-me um pontapé na barriga. Deitei-me no chão, paralisado com toda aquela dor. Senti o sabor de sangue na minha boca.

  - Eu não gosto de te castigar, Jungkook. Mas tens de aprender. Tenho de te educar.

  Taemin pegou na faca pequena que tinha no bolso e começou a fazer cortes pouco profundos na minha cara e pescoço.

  - E quando isto cicatrizar, vais ficar com a minha marca, como se fosse uma coleira. Para toda a gente saber que és meu. E se estas marcas desaparecerem, farei outras, não te preocupes!

  Tudo estava turvo. Dores insuportáveis atravessavam o meu corpo. De repente alguém começou a bater à porta: era Jimin.

  - Jungkook, o que se passa? Jungkook, abre a porta! - gritou Jimin, desesperado.

  Usei as forças que me restavam para gritar:

  - Jimin!

  Taemin parou de me cortar e foi até à entrada do quarto. Jimin batia violentamente na porta e pouco depois conseguiu arrombá-la. Atacou Taemin e bateu-lhe com tudo o que tinha. Eu não conseguia ver nada, mas ouvia os gritos de raiva de Jimin e os gemidos de Taemin. Depois senti alguém a aproximar-se de mim.

  - Oh, meu Deus, Jungkook! - ouvi dizer.

  Jimin pegou em mim e levou-me até ao seu quarto. Não tinha força para falar, nem abrir os braços. Sentia-me a desvanecer, mas ouvi os lamentos dele, antes de desmaiar:

  - Por favor acorda, Jungkook. Por favor. Eu amo-te tanto, com tudo o que tenho e com tudo o que sou.

  Aí, desfaleci.

Continua...


Notas Finais


Espero que tenham gostado <3 Até amanhã


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...