1. Spirit Fanfics >
  2. Broken - SwanQueen >
  3. Um só Coração

História Broken - SwanQueen - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Oieee estou muito feliz com retorno de vcs e bora ler....♡

Capítulo 18 - Um só Coração


Fanfic / Fanfiction Broken - SwanQueen - Capítulo 18 - Um só Coração

X





Regina





As horas passaram  e eu ali amontada em livros, eu já havia tentado  dividir o meu coração em dois, o de Henry, também  e nada dava certo, nada, magias feitiços nada parecia  ter solução.

- Boa Noite mãe.

- Oi querido.

- Pesquisando sobre o coração?

- Sim.

- Mãe  eu andei pensando quem garante que o crocodilo  comeu mesmo o coração  ?

- Porque esta pensando  nisso querido?

-Por tudo que li junto com você, tudo diz que o corpo permanece  intacto  enquanto o coracão estiver assim, se ele comeu ela ja teria virado pó. - tirei meus óculos  é o garoto tinha razão, o corpo dela estava intacto. Porque em todos aqueles anos não  pensei  nisso.

- Vamos descer querido. - Falei e descemos para o subsolo, eu havia feito praticamente  uma fortaleza para guardar Emma, não  podia correr o risco de algo mais acontecer com ela, assim que entramos, la estava ela, inerte, deitada em sua cama de vidro, com sua respiração leve, nos aproximamos e peguei  a bússola  que havia deixado junto ao seu corpo, acariciei seus cabelos. - Vou te trazer pra nos meu amor.

- O que pretende com isso.

- Encontrar o coração  da sua mãe. - Falei e coloquei um fio do cabelo de Emma e susurrei pra bússola o que eu buscava e ela apontou se  de minha mão  e eu e Henry saímos correndo atrás dela, estranhamente ela continua dentro da cidade . Fomos seguido até  ela parou na maldita loja do Rumple, como eu não pensei nisso. - Maldito. - lancei uma bola de fogo e arrebentei a porta. Entramos na loja e ele  apareceu  acompanhado de sua esposa .

- Isso não é jeito de entrar na casa de ninguém senhora prefeita.

- Se não  quiser  deixar  Belle viu a sugiro que entregue o que vim procurar.

- veio atrás  de modos ? - ele brincou e eu o levantei  pelo pescoço.

- Ja te matei uma vez não me faça  sujar minhas mãos  com teu sangue imundo. - Belle tentou me tirar de cima dele é a levantei do chão  e a grudei em uma parede. - Pelo visto ainda sou boa nisso. Então como vai ser ?

- Leve sua maldita bússola  ao que você  quer e eu te entrego, só não machuque a  Belle.

- Trato feito Rumple. - Sabia que ele pediria algo então  fui mais rápida, Henry saiu com a bússola  pela loja e logo voltou com uma pequena caixa de madeira. - Tudo isso por essa caixa Prefeita ? Deixe me pegar a chave dela - ele assim o fez e abriu e estava vazio, eu conhecia a magia que emanava dela,

-Não sei porque todo esse escândalo por uma caixa vazia. - Ele falou me encarando, e eu então passei minha mão sobre a caixa, e aquele coração pulsante se revelou.  E ele franziu a testa. - Um coração? Eu tinha um coração em minha loja esse tempo todo? E da Emma?

-Sim e vai voltar para ela.

-Podemos refazer o trato, eu a trago de volta pra você de outro jeito e você deixa o coração aqui. - eu sabia o quado forte era um coração como o de Emma e que ele poderia usar para varias coisas, dei risada.

-Você é engraçado Rumplestiltskin. Agradecida pelo tour a essa hora da madrugada. - saímos da loja empolgados, e fomos direto para casa, quando chegamos perto do corpo de Emma meu coração estava na boca, afinal a ultima vez que nos falamos não terminamos muito bem.

-Que foi mãe?

-Ela vai acordar me odiando. - falei e ele me acariciou.

-Vocês vão conversar e tudo vai se acertar mãe, ela te ama. Foi tudo um mal entendido mãe, e você mudou muito todos esses anos.

-Eu sei querido.. mas - Eu respirei fundo e me aproximei do corpo dela, eu nem tinha direito de demorar para fazer o certo, coloquei o coração dentro do peito dela, e fiquei a olhando e nada aconteceu, apenas a respiração dela normalizou e os batimentos se fizeram presentes, mas ela não acordou. - Eu não entendo.

-Meu livro.  - Henry falou e abriu sua mochila e tirou o livro, abriu na ultima pagina, e la estava eu e Emma. - Vou escrever mãe. - ele falou e eu fiquei perto dele, e ele começou " E então Regina Mills, colocou o coração em sua amada, mas não viu nenhuma diferença, e naquele momento a tristeza tomou conta de seu coração a deixando angustiada - Conforme ele escrevia eu realmente sentia a angustia. - E foi ai que Regina se lembrou de lendas bobas, de príncipes acordando suas princesas com um beijo de amor verdadeiros, lendas essa que ela nunca deu razão alguma para aquela bobeira até agora.

-Como eu não pensei nisso. - "Regina falou em voz alta, e foi até onde sua amada estava deita, se debruçou sobre ela para selar seus lábios e enfim acordar ela, e ver finalmente suas esmeraldas que fizeram tanta falta todos esses anos.- Selei nossos lábios, e no inicio estava gelado, mas senti o calor chegar a sua pele, e aquele golpe de ar, e quando me afastei alguns centímetros, aqueles lindos olhos verdes me encararam, e eu apenas sorri, e a felicidade era tamanha que escorria por meus olhos. - Meu amor que saudades. - falei indo beijar ela novamente,  e ela segurou minha mão.

-Regina, o que ... você.. - ela parecia nervosa, e tentava se sentar 

-Filho me ajuda aqui. - Ela olhou pra mim  e encarou Henry parecia não conhecer o garoto, mas também anos se passaram, e agora ele era um homem.Sentamos ela com cuidado.

-Eu...oque aconteceu, porque eu estou com essa sensação estranha, sem força e que roupas são essas. - Ela falava se referindo as nossas roupas. - Seu cabelo, um filho ? o que é tudo isso?

-Mãe eu posso explicar- Henry falou e Emma o encarrou por alguns minutos.

-Henry ? - ele fez que sim com a cabeça e ela abraçou ele. Fiquei ali perto, enquanto Henry contava tudo para Emma que ouvia tudo atentamente. E depois de vários minutos conversando, ela me olhava intrigada, Henry ajudou ela a sair dali, e subimos para casa, Emma olhava tudo atentamente, eram muitas novidades para ela, Henry a bombardeou de informações. -Não quero me encontrar com meus pais hoje, sei que disse tudo isso filho mas minha cabeça está um enorme nó.

-tudo bem. - Henrya  sentou no sofá e eu subi até meu quarto para pegar algumas coisas e coloquei no sofá e ela me encarava.

-Eu vou dormir aqui no sofá e você vai dormir lá no meu quarto, não precisa conviver comigo a força, vou tentar deixar você a vontade. - fui ir para cozinha e ela me chamou.

-O que aconteceu para você voltar ? - Ela perguntou e eu nem me virei, eu queria chorar.

-Henry me disse que você estava com outra, e que essa outra te traiu e te entregou pro crocodilo, e eu larguei tudo para ir atras de você mas já era tarde quando eu cheguei, você já estava sem coração, e eu fui atrás do maldito crocodilo, o chamei no navio antes de partir, e ele me disse que era parte do trato que fiz pra te encontrar, quando usei a bussola, ele disse que queria o coração de quem eu viesse amar, e eu dei risada e aceite, eu nunca havia amado ninguém a vida toda, e ai eu te conheci, me apaixonei, te amei, e te perdi. - falei limpando as lagrimas que insistiam em cair. - Mas prometi te trazer de volta, e pelo menos isso eu consegui cumprir. E sabe pra mim o tempo não mudou nada Emma, Você está em tudo em mim mesmo quando não estava aqui.

-Eu...

-Não se preocupe, você não me deve nada, nem conversar comigo. - falei e fui para cozinha, abri um vinho e enxi minha taça, beberiquei aquele vinho seco e amargo, e minhas lagrimas caiam mais amargas que o próprio vinho, e ouvi passos na cozinha, me virei e era Henry.  Tentei limpar as lagrimas mais eram muitas.]

-Mãe não fica assim, vocês vão se entender.

-Querido eu olhei nos olhos dela, e não me encontrei mais neles, e aquilo cortou meu coração.

-Ela te ama, eu sei. Quando se envolveu com Ingrid deixou claro que amava você e que nunca deixaria de amar, e já perdi as contas de quantas vezes eu vi ela te chamar durante a noite dormindo mãe, então tenha calma.

-Eu vou ficar bem querido. Não se preocupe. 

-Me ajuda a subir com ela?

-Sim ajudo.  - Acabei minha taça e fui até a sala e peguei ela colo, a levei para o quarto e a deitei na cama. - Durma aqui com ela essa noite, ela pode precisar de você durante a noite querido.

-Ta bem mãe. E se precisar pode me chamar ok - Ele falou e eu beijei sua testa, e abracei ele como todas as noites.

-Boa noite meu amor. -Falei pro garoto;

Boa noite mãe. Te amo viu.

-Tambem te amo, boa noite Emma. - Ela apenas acenou  e eu desci para sala, tomei a garrafa de vinho nas mãos e me afundei no sofa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...