História Broken: Descendentes Interativa - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias A Bela e a Fera, A Pequena Sereia, Bangtan Boys (BTS), Branca de Neve, Cinderela, Descendentes
Personagens Jane, Mal, Personagens Originais, Princesa Audrey, Príncipe Ben
Tags Bal, Ben, Descendentes, Evie, Jimin, Mal
Visualizações 45
Palavras 1.896
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ok, primeiramente as desculpas: Eu tô no terceiro ano, sem tempo pra viver, essas últimas 2 semanas foi de volta às aulas e faltam menos de três meses para o Enem, me desculpem, hoje é feriado aqui no meu estado (Não sei se é nacional) e minha escola botou simulado que era para ter sido no último domingo dia dos pais, então, foram duas semanas bem agitado, por favor me entendam kkkkkkk, ainda vou ter simulado de Ciências da natureza e matemática no domingo. Essa é a primeira parte desse capítulo, acho que a segunda ainda sai hoje, não posto tudo junto porque faz tanto tempo que não posto isso e não queria atrasar mais, não me odeiem, vou continuar, só tô atolada em matéria.

Capítulo 4 - Capítulo 3 (Pt. 1)


Fanfic / Fanfiction Broken: Descendentes Interativa - Capítulo 4 - Capítulo 3 (Pt. 1)

     Audrey estava com raiva dos filhos, não porque eles fizeram algo de errado, mas sim pela falta de compreensão. Ela nunca os tratou mal, nunca gritou com eles, mesmo quando tinham merecido. Na única vez que ela perdeu a calma eles estavam a tratando como um animal... Raiva não era o que Audrey sentia, ela estava magoada. Triste por ter gritado com a filha e magoada pelo exagero de ambos.

Audrey estava sentada na mesa do seu quarto com os documentos recém-enviados por Ben sobre a não contratação de novos ministros... Aquele era o motivo da raiva dela. Os decretos imediatos de Ben sem se quer um aviso. Ela segurava aqueles papéis e fazia as marcações necessárias, Audrey sabia que não adiantava, já que Ben não ouvia suas reclamações ou as de Chad, na verdade ele não ouvia as de ninguém além das dele, mas ela tinha que fazer, não aguentava aquilo calada, entretanto não podia dizer o que realmente queria. Os papéis do documento cheios de marca-texto rosa e anotações que, provavelmente, Ben nem se daria o trabalho de ler. Aquilo era frustrante, Audrey se sentia como lixo, aquele era seu reino, não de Ben. A raiva só crescia e ela não sabia o que fazer, ela queria bater em Ben, gritar com ele, fazer qualquer coisa pra tirar aquilo de dentro dela, mas a única coisa que ela fez foi bater com os dois punhos fechados na mesa e depois amassar todos os papéis com raiva e jogá-los no lixo ao lado, mas aquilo não resolveu, apenas piorou, já que ela havia começado a liberar a raiva e não tinha onde a jogar, então ela chorou sozinha dentro do quarto. A muito tempo Audrey não chorava, mas aquilo era de mais, ela apenas começou a chorar e cada segundo que passava parecia que a vontade aumentava mais ainda. Ela estava lá sentada com as mãos no rosto chorando todos os sentimentos para fora. Era um sensação estranha, era como se o peito dela estivesse sendo comprimido por ar a todo o momento, como se os pulmões inflassem e a única coisa que os fizesse liberar o ar fosse o choro, ela ficou daquele jeito por cinco minutos, depois ela se acalmou. Ela precisava daquilo, chorar ajudou a dissipar as emoções ruins que estavam a deixando louca.

Já haviam se passado horas desde o momento que ela entrou no quarto para ler os documentos, então Audrey resolveu que era hora de falar com a filha, já que no outro dia seria sua festa de aniversário e ela não queria estar brigada com a menina.

Ela andou alguns metros até chegar no quarto de Cassie, que ficava bem próximo ao dela. Quando chegou lá viu a luz branca saindo por de baixo da porta iluminando o chão que estava ficando gradativamente escuro por conta do por-do-sol. Ela bateu, não demorou muito para ouvir uma resposta.

— Sim? — A menina falou de dentro do quarto.

— Sou eu, Cassie. Vou entrar. — Audrey falou, logo depois ouviu um “Ok” vindo de dentro do quarto e entrou.

A filha estava deitada com o celular descansando sobre o peito, provavelmente estava usando antes da mãe em do quarto.

— Oi bebê... — Ela chegou perto da cama da filha. — Ainda tá com raiva?

Cassie fez um sinal de não com a cabeça.

— Eu estava estressada filha, você não fez nada de errado. — Ela falou sentada na cama. — Eu só não gostei se como você me tratou hoje mais cedo.

— Eu só não queria brigar de novo.

#Castelo de Auradon#

Não estavam sendo tempos fáceis para Ben, desde que as ameaças começaram a chegar ele não tinha outra escolha se não tentar evitar ao máximo que qualquer coisa acontecesse contra a ordem. Elas eram recorrentes, mas falavam a mesma coisa.

-Lembrança-

— Rei...

— Sim?... — Ben falou olhando para o homem que entrava em seu escritório. — Em que posso ajudar?

Ele estava confuso, pois eles não reconhecia a pessoa, mas continuou a conversa já que possivelmente ele teria esquecido de algum compromisso.

— Vim buscar o que é meu, não lembra?

O homem começou a mudar de forma, de uma aparência normal, de terno e gravata, se transformou em um adolescente alto usando um moletom preto, logo Ben lembrou o que devia a ele.

— Demorou, mas voltei para buscar. Onde tá minha carta e meu reino? — Ele chegou mais perto da mesa e sentou, quase que como um instinto Ben se afastou.

— Hã... Não tenho como te dar nada agora. Melhor ir embora ou então chamo os guardas.

— É melhor você me dar o que prometeu ou eu vou ter certeza de que nem você nem ninguém dentro desse reino irá ver a luz do dia amanhã. — Ele falou com raiva, e quando observava Ben se desesperando.

— Não posso te dar agora... Preciso de mais tempo, eu tenho um reino para você, mas preciso de mais tempo.

— Mais tempo? Eu segurei aquela barra por anos, você me disse que quando eu voltasse seria um herói, seria um rei, eu não vejo nada disso Ben. O que eu fiz eu posso desfazer. Eu machuquei pessoas para proteger seu reino, cadê minha recompensa?

— Eu vou arrumar, só preciso de tempo Lucas...

— Tempo? O tempo estava passando a 27 anos... E vai continuar passando e o seu já está acabando e se acabar, vou ter certeza que não vai ser só o tempo de me dar o que me deve. E vou ter certeza que você não vai ter paz até lá... Espero que goste de confusão.

Com isso o menino sumiu diante dos olhos do Rei, o deixando atônito, ele havia esquecido que tinha o enviado ao submundo para resolver problemas que envolviam seu nome.

Ele não sabia como iria dar um reino para ele, muito menos uma carta que não existia... Bom a carta ele poderia arrumar com Jane, mas não seria uma tarefa fácil, já que ela não estava em seus melhores momentos com o reino, mas ele tinha que arrumar um modo.

*lembrança*

Desde que essa primeira ameaça aconteceu Ben não dorme direito e está tendo que passar por cima de tudo e de todos para conseguir desmembrar algum território de Auradon para ser cedido a Lucas Jonah. E o próprio não o deixava em paz, já que, como ele havia prometido, não haveria calma.

— Ben? Chad ligou perguntando se a gente ia, eu respondi que você ia retornar. — Mal falou entrando no escritório dele.

— Não sei... Jonah pode arrumar um jeito de criar confusão. Brigar com Chad e Audrey não é algo que pode acontecer agora, principalmente com a raiva que eles já devem estar por ter passado por cima deles e baixado um decreto.

— Se a gente não for é aí que a tudo realmente fica mais difícil... Eles querem conversar, nos vamos… Se algo der errado vamos embora.

Mal não era a maior fã de Audrey, mas sabia que era melhor manter relções amigavéis com ela. Ter um louco por poder no pé deles já era o suficiente.

― Vou ligar pra ele mias tarde.

*Arendelle*

― Então, vai ou não? Tenho que responder Mary. ― Eli falava enquanto encarava a prima e apontava para o celular na mão.

― Tem certeza? Acha que eles não vão ficar com raiva porque eu fui? ― Mary estava com medo de que Cassie e Cody ficariam com raiva dela ter aparecido na festa.

― Mary, miga, priminha… Como… COMO. Alguém te chama para uma festa e fica com raiva quando você aparece? ― Eli falou aquilo sentada olhando para a prima que estava em pé com somente os olhos para cima, como quem dissese “Querida não é obvio?”.

― Eles são seus amigos, não meus, talvez só chamaram por educação.

― Querida, eles tiveram a cara de pau de chamar o Jaydenn e não o Jordan.

― Aqueles gêmeos?

― Eles mesmo, sabe mais? Mesmo chamando o Jayden e não o Jordan não disseram não pro George, só pra tu ver o nivel dos safados. Agora eu tenho que socializar com o cara que me deu um pé na bunda pra ficar com a Lindsay. ― Enquanto Eli falava, Mary se divertia com os gestos e as expressões da prima.

― Porque eles são a palavra com S? Achava que gostava deles.

― Ahh não, adoro eles, são meus bebês. Acontece de xingar eles de vez em quando.

― Então, acha bom eu ir ou não?

― Sério isso? Não ouviu as últimas 30 frases que eu falei? ― Antes que ela pudesse terminar seu monólogo, um vento extremamente frio entrou pela janela. ― Gente, friozinho, da onde veio isso , eu em, Jesus, pra que isso, no meio do verão. ― Ela falou rápido como se brigasse com o vento.

Eli foi até a janela para fechá-la, chegando lá achou estranho o céu ter fechado tão rápido e a temperatura ter caído tão abruptamente no meio do verão, mesmo em Arendelle. Um cheiro estranho, não desagradável, chegou até ela, parecia ser perfume. O cheiro fez com que a memória dela voltasse aos sonhos que ela estava tendo recentemente.

Ela não sabia os descrever, não havia nada de assustador ou ruim neles, mas algo a deixava extremamente desconfortável e aterrorizada.

O mais recente era ela andando pelo castelo, aparentemente no inverno, ela não via ninguém e o zumbido e o eco do silêncio era a única coisa que parecia existir ali além da menina. Enquanto ela andava quietação era quebrada pelo vento, que tinha um som estranho, parecia estar sendo engolida pela mesma novamente. Tudo estava normal, mas esquisito ao mesmo tempo. Quando ela saiu do palácio viu tudo coberto de neve como se ninguém pisasse ali por meses, de repente um som incrivelmente alto e ela acordou na sua cama suada como se tivesse entrado em uma banheira d’água.

Após sair de seus pensamentos olhou para trás e viu a prima a olhando confusa.

― Tá, o que foi isso?

— Isso o que?

— Você aí. Parada. Olhando pra janela. Pensando no nada. Por quase cinco minutos...

— Não foi nada, só tava pensando mesmo. — Eli falou tentando voltar com a animação na voz de antes. — Então.... Eu vou dizer pra Cass que você vai. Ahhhhh a Addy vai também, vai ser minha chance de dar fã girling nela.

— Sério? Adoro as músicas dela, eu ouvi que ela comprou a CMT. *(Charmingtown Records)*. — Mary falou animada.

— Foi. É muito poder pra uma pessoa só. Ela até fez contrato com aqueles meninos lá que eu não sei o nome, mas que é um monte deles numa banda só que tu gosta.— Eli falou sentando na cadeira, ainda abalada pelo acontecimento anterior, mas sem demonstrar.

— Não é uma banda Eli, quantas vezes eu tenho que falar, é um Boy Group. E o nome é Ksp-Unlimited.

— Esse mesmo, que tem aquele juidamde lá.

— J-Dand, Eli. — Mary falou rindo. — Não sabia que a Addy conhecia eles.

       — Conhece, tem até uma foto no Instagram dela com o agente deles. Ok mudando de assunto, saindo de kpop e indo pra algo importante. Eu não tenho ideia do que vestir.


Notas Finais


Desculpa, qualquer erro ortográfico, não tô muito no mood de revisar agora, fiquei de 13 até 18:30 fazendo prova de Português e Humanas, minha cabeça já teve a dose de leitura necessária, tive que citar Libéria na redação sobre doação de órgãos, então... Brigado por lerem e pela paciência, vou tentar postar mais rápido. ♥️♥️♥️♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...