1. Spirit Fanfics >
  2. Broken Dreams >
  3. Volume 3 - De cavaleiro a Executor

História Broken Dreams - Capítulo 24


Escrita por:


Capítulo 24 - Volume 3 - De cavaleiro a Executor


Fanfic / Fanfiction Broken Dreams - Capítulo 24 - Volume 3 - De cavaleiro a Executor

Capítulo 24: De Cavaleiro a Executor

 

Yang tinha passos distraídos enquanto voltava para o dormitório de sua equipe, depois de ter se separado de Weiss a Xiao Long se encontrou com a SSON, Pyrrha e Blake que estavam voltando do coliseu após a vitória da equipe de Haven.

 

Apesar de ter passado o restante do dia se divertindo com seus amigos, a garota não deixou de se preocupar com sua parceira e líder de sua equipe, principalmente por saber que ela iria se encontrar com sua irmã novamente.

 

A Xiao Long saiu de seus pensamentos ao notar está de frente para a porta de seu quarto, sabendo que provavelmente não tinha ninguém no quarto a mesma levou a mão a maçaneta para abrir a porta mas se interrompeu ao escutar o som de choro vindo do quarto, a garota lentamente abriu a porta apenas para o que viu a surpreender.

 

O quarto estava completamente normal, apesar de algumas coisas de Weiss estarem jogadas no chão, mas sua atenção foi voltada para a dona daqueles matérias. Weiss podia ser vista deitada de bruços em sua cama com seu choro estando levemente abafado por causa do travesseiro.

 

- Weiss? - A voz de Yang havia sido escutada pela Schnee que ainda não tinha notado a presença da mesma no quarto e quando a olhou pode ver a Xiao Long sentada na ponta de sua cama olhando para si preocupada.

 

Weiss olhou com surpresa ao escutar a voz de sua parceira, para logo em seguida se afastar da mesma enquanto cobria seu rosto com as mãos não queria que ela, de todas as pessoas, a vice desmoronar daquela forma.

 

Yang podia sentir algo desmoronar dentro de si ao ver sua líder, que não baixava a cabeça para ninguém. frágil daquela forma. De forma lenta a garota se aproximou da Schnee onde pode a trazer para si abraçando a mesma sem se importar com as lágrimas molhando suas roupas.

 

Weiss ficou relutante com o ato de sua parceira, onde tentou se soltar dela mas em pouco tempo cedeu e retribuiu o abraço de Yang enquanto chorava. Palavras não precisavam ser ditas ali, mas Weiss sabia que sua parceira estaria lá para lhe ajudar sempre que precisasse, e foi na segurança e conforto dos braços de Yang que a jovem herdeira adormeceu com um sorriso no rosto após suas lágrimas serem cessadas.

 

[...]

 

O silêncio foi o que reinou no terraço após aquela afirmação de Jaune, Ruby olhou nos olhos de seu parceiro buscando algum sinal de hesitação do mesmo, mas logo um pequeno sorriso se formou em seus lábios ao não encontrar nenhum.

 

- Antes de falar de mim você precisa entender como tudo começou, como se iniciou a família Arc e como nós ligamos a Salem. - Ele começou notando que a garota não iria o interromper apesar de nunca terem parado de olhar nos olhos um do outro.

 

- Minha família Ruby, serve a Salem a séculos desde o início dos tempos nos servimos a eles como seus executores desde que se apresentaram como “deuses”. - Mantinha uma voz serena, apesar da seriedade, mas Ruby não iria deixar passar aquele detalhe.

 

- Eles? - Jaune sorriu levemente sabendo que a percepção de sua líder não deixaria passar nenhum detalhe.

 

- Sim, Eles. Salem não estava sozinha no início de tudo, ela tinha um parceiro, um amor, alguém que um dia ela daria a vida para ver o mesmo vivo, esse era Ozma, aquele que hoje conhecemos como nosso diretor Ozpin - Ruby estreitou os olhos com aquela informação, pelo visto tinha mais coisas que seu diretor escondia de seus associados.

 

- Como a família Arc está envolvida nisso? - Por mais que ela quisesse saber mais sobre o que seu diretor escondia, ainda sim aquele não era o foco no momento e sim conhecer mais de seu parceiro.

 

- Ozma e Salem viviam como reis no passado e como tais eles tinham suas peças principais, e a nobreza era um deles. A família Arc é uma família de sangue “nobre” e o braço direito dos reis e seus executores. - Vendo que ela não iria perguntar sobre outro assunto, o rapaz se pôs a continuar agora levando para o foco principal da conversa.

 

- Cada membro da família Arc teve em seu aprendizado as artes de como matar alguém, então apesar de alguns terem seguidos outras áreas como cavaleiros, ou curandeiros, todos eles eram e ainda são assassinos, sem exceção. - Sua finalização foi algo mais para si mesmo do que se referindo ao passado, algo que foi notado por Ruby.

 

- Quando a Rainha e o Rei se viram de lados opostos, a Família foi posta em um dilema mas acabou que todos nós juntamos a Rainha e isso se manteve até os dias atuais, nos mantemos como os carrascos de Salem, aqueles quem ela chama para finalizar um serviço que seus lacaios não conseguem fazer. Por isso Jeanne estava aqui, e agora que ela morreu outro Arc assumirá o serviço. - Aquela informação foi algo que Ruby guardou em sua mente, Jeanne não foi um desafio para si mais isso não significa que os próximos não possam ser mais fortes.

 

- Mais e quanto a você? Onde se encaixa nisso? - Ele era a incógnita ali, se tudo o que ele disse era verdade então por que ele decidiu se juntar a Ozpin.

 

- Eu sou o que chamamos de ovelha negra da família, apesar de não ter sido o primeiro... A primeira “ovelha” foi minha Irmã mais velha a herdeira da família Arc, Sapphron Arc. - A expressão do mesmo se fechava um pouco ao se lembrar da irmã.

 

- Sapphron foi... Uma inspiração para mim, ela não foi a primeira Arc que já se voltou contra Salém mas foi a primeira que fez uma baixa na principal força dela, antes de ser morta pela segunda irmã e atual herdeira da família.

 

- Quando eu era mais jovem e comecei a ser ensinado a matar Sapphron foi quem me criou, me ensinou e me treinou. Fui moldado nos ideais de minha irmã, e por mais que possa parecer uma manipulação, eu apenas posso agradecer a mesma por tudo que fez por mim.

 

- As coisas iam bem, nossa família não desconfiava de nada do que havia sido planejado mas foi aí que tudo mudou, alguém nós traiu e contou sobre o golpe que pretendemos dar, fomos caçados por meses pelo continente de Anima até que fomos pegos em uma emboscada por nossas irmãs. - Ele podia se lembrar claramente daquele acontecimento.

 

- Naquele dia Sapphron morreu para que eu pudesse sobreviver, mas não foi a custo de nada - Ele podia se lembrar de como suas irmãs, a maioria delas, caíram perante a lâmina de ambos.

 

- Por isso estou aqui, e não pretendo morrer até que nosso objetivo seja concluído. - Ela olhava para o mesmo e vendo aquele olhar determinado em seu rosto a garota não deixou de aumentar um pouco seu sorriso.

 

- Mas, o que pretende fazer? Sabe quando tudo isso acabar - Aquela era uma pergunta que Jaune não estava esperando receber da mais nova que vendo a curiosidade do mesmo apenas virou o rosto.

 

- Quem sabe? Ainda não tenho nada formulado, apesar de que já tenho alguns objetivos em andamento para esse momento - Ele dizia caminhando na direção de Ruby que ao olhar para o mesmo apenas pode sentir uma leve carícia em sua cabeça enquanto ele passava por si e ia em direção a saída do terraço.

 

- Você vem? - O mesmo a olhou curioso enquanto abria a porta do terraço.

 

- Vou sim, Idiota - A garota apesar de um pequeno rubor em seu rosto logo seguiu o mesmo de volta para o dormitório, afinal ainda tinham o torneio no dia seguinte.

 

[...]

 

- Deixa eu ver se entendi. Você está dessa forma por que brigou com sua irmã - Qrow olhava para sua parceira com uma mistura de deboche e divertimento.

 

Qrow e Winter estavam em um bar Vale naquele momento, Qrow havia sugerido ali pelo estado de sua parceira que, por ainda está em choque e levemente deprimida, não recusou a oferta do mesmo.

 

- Ela disse que eu apenas sei reclamar dela, nunca a elogio e por que estou falando disso com você? - Ela olhou para o Branwen mais velho com certa raiva no olhar, esse que apenas retribuiu com certo divertimento.

 

- Por que eu me ofereci se não você estaria trabalhando a madrugada inteira. - Eles não estavam alterados pela bebida, apesar de já estarem ali a algum tempo.

 

- Era melhor eu está trabalhando do que está aqui com você - Ela reclamou apesar de não ter feito nenhuma menção de que iria se levantar.

 

- Por que não me conta qual o problema, afinal você quer se resolver com sua irmã, não? - A fala do mesmo chamou a atenção da especialista para si, ambos não se davam bem mas seriam parceiros enquanto ela estivesse em Vale, não faria mal ter alguma ajuda para lidar com sua irmã, certo?

 

Continua...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...