1. Spirit Fanfics >
  2. Broken Promise. - Kimetsu No Yaiba >
  3. Eu quero você.

História Broken Promise. - Kimetsu No Yaiba - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


- Antes tarde do que nunca né agsjsjak-

- Espero que gostem do cap uwu

Capítulo 28 - Eu quero você.


Hana estava mais uma vez tendo que apertar seu passo cada vez mais a medida que Shinazugawa acelerava o seu própio, enquanto a dupla caminhava para fora da floresta.

- S-Shinazugawa, me espere! - A garota resmungou enquanto tentava alcançá-lo, porém fora ignorada, como sempre.

Tinham acabado de finalizar sua missão, mas ainda não tinham recebido nenhuma outra. A moça pensou que seria uma boa chance para tentar se aproximar do rapaz de cabelos brancos,entretanto ele continuava a lhe ignorar sem alguma razão aparente.

Isso a incomodava. Ele era uma boa pessoa, ela sabia disso. Ainda assim, ele sempre parecia se esforçar em empurrar para longe não só ela, mas outras pessoas também, como se quisesse ficar sozinho. Não o sozinho de passar um tempo para cuidar de si mesmo, mas sozinho de sozinho para sempre. Ela percebeu como ele tentava fazer com ela, e como constantemente tentava fazer com Masachika, sendo que tudo que o mais velho moreno fazia era se preocupar com ele. Por que ele queria sempre estar tão sozinho?

Hana parou de andar, porém o rapaz de cabelos brancos nem percebeu, ou apenas fingiu não ver. Cerrando seus punhos, a garota gritou para o outro.

- Por que insiste em ficar afastando os outros de propósito? - Vendo que ele não parou de caminhar, ela voltou a seguí-lo - Por que faz isso consigo mesmo? Por que quer ficar tão sozinho? Você não merece e nem devia fazer isso!

A última frase proferida pela moça de cabelos azuis enfim conseguiu fazer com que Shinazugawa parasse, este encarando a garota sem interesse.

- E o quê te faz pensar isso? Você mal me conhece.- Ele questionou, vendo Hanako encará-lo com uma expressão quase indecifrável. Raiva, frustação, tristeza? Ele realmente não sabia dizer.

- Porque você é gentil demais pra se fazer passar por isso.- A moça exclamou, surpreendendo o outro - Mesmo quando a minha versão falsa criada pelo kekkijutsu estava te atacando, você permaneceu na defensiva porque não queria me machucar! 

A resposta de Hana o fez congelar. Gentil. Ele acreditava ser qualquer coisa, menos gentil. Durante a maior parte de sua vida, ele foi visto como uma aberração, assassino. E ainda na atualidade, ele era o tipo de pessoa o qual a maioria evitava: irritado, abrasivo, impaciente. 

Não era a primeira vez que alguém dizia que ele era gentil, ainda tinha uma vaga memória de Masachika dizendo o mesmo, porém ele a ignorava.

"Se você se permitir, talvez consiga encontrar alguém que também veja o bem em você." o moreno havia dito.

Isso de "fazer amizade" não o interessava. Sua vida tinha um único propósito: destruir demônios e proteger seu irmão. Qualquer coisa além disso estava fora de cogitação. 

O rapaz de cabelos brancos voltou a andar, sem responder a jovem. 

Hana sentiu seu olhos se encherem de lágrimas. Estava observando o jovem em sua frente simplesmente desistir da vida para virar uma máquina de matar demônios, sem se importar com mais nada ou ninguém, e isso doía mais nela mais do que ela achava. Ela nem ao menos conseguia imaginar o que ele tinha passado para ficar daquele jeito. Sabia do Oni, ele mesmo havia lhe confirmado, todavia era apenas isso.

Queria ajudá-lo. Queria mostrar que não precisava assim. Que ele ainda podia tentar levar uma vida normal. Que ninguém devia ficar sozinho. Entretanto, quê fazer quando ele mesmo já havia desistido?

Vendo ele se afastar, a moça de cabelos azuis deu um passo a frente, se colocando em meio a estrada de terra em que seguiam, respirando profundamente antes de retornar a falar.

- Quando eu desisti da minha vida, você não desistiu de mim.

Ele parou de andar.

- Você podia ter pensado "não conheço ela" ou "não é problema meu". Podia ter me ignorado, e se tivesse, é bem provavel que eu nem chegasse até aqui.- Hana disse, um sorriso frágil ocupando seu rosto - Você não desistiu de mim. Foram poucas palavras, e ainda assim, foram elas que me mantiveram de pé por bastante tempo. Então...

Shinazugawa se virou, olhando para o rosto de Hana, que estava de pé a alguns metros de si. Os olhos da moça tinham lágrimas os beirando, porém seu olhar não exibia nada além de determinação em sua forma mais pura.

- Então eu não vou desistir de você, mesmo que desista de si mesmo! Lamento ser incoveniente, mas nem tanto! 

Sanemi se viu sem palavras enquanto encarava a garota de cabelos azuis de cima abaixo, antes de voltar a se aproximar desta.

- Você....- O rapaz estava em frente a Hana, esta permanecendo sem vacilar enquanto olhava o outro nos olhos, isto até levar um peteleco na testa - ... é realmente insuportável.

Hana esfregou sua cabeça enquanto Sanemi voltou a andar.

- I-Isso dói sabia?! - A jovem reclamou ao voltar a andar do lado do outro caçador, este pela primeira vez não acelerando para evitá-la.

- Não tanto quanto te ouvir falar infinitamente.- Sanemi respondeu - Desde quando tu toma a frente nas lutas? 

Ao ouvir a pergunta do outro, Hana apoiou suas mãos em sua cintura, sorrindo de queixo erguido.

- Estou seguindo uma nova filosofia de vida! - A moça comentou - Agora eu vou atrás do que eu quero sem desistir antes! E eu queria lutar com o Oni, então eu fiz!

- Não fale como se fosse grande coisa.- Shinazugawa retrucou apenas para ver Hanako se irritar, esta olhando indignada para ele - E falando desse jeito, você me quer por acaso? Afinal, disse que não ia "desistir" de mim.- Sanemi questionou ironicamente, pensando alto.

- É claro que eu quero você.

A resposta de Hana pegou Sanemi de surpresa, os dois parando de andar ao mesmo tempo.

- O quê?

- O quê?

A dupla permaneceu se encarando, o rosto espantado do platinado contrastava com a calma na expressão da garota.

Encararam-se por questão de segundos, até os olhos de Hanako se arregalarem, e seu rosto se avermelhar numa velocidade surpreendente.

- N-N-NÃO DESSE JEITO! NÃO QUIS DIZER DESSE JEITO! - Hana deu praticamente um pulo para trás, gesticulando com suas mãos enquanto tentava se explicar, percebendo a conotação que sua frase tinha tido - E-Eu q-quero t-tipo, você sabe, amizade! - "Céus, agora eu queria um buraco pra me esconder..."

- Pense antes de falar as coisas, idiota.- O jovem reclamou, antes de voltar a caminhar.

Voltando a andar pela trilha, Hana saltitava ao lado do platinado, hora ou outra olhava de relance para a moça.

- A missão já acabou, não precisa ficar me seguindo.- Sanemi afirmou.

- Tecnicamente, não sabemos se teremos outras missões juntos, então por hora, eu vou continuar te seguindo. Você vai ter que me aguentar, Sanemi~ - Hana começou séria, mas finalizou num tom brincalhão, cutucando o rapaz de cabelos brancos ao seu lado, este suspirou pesadamente, antes de perceber que ela havia enfim o chamado pelo primeiro nome - Então....Onde estamos indo?

- Minha comida acabou, vou na vila aqui perto para me reabastecer.

A garota colocou uma mão em seu queixo pensativa, antes de levantar seu indicador, como quem teve uma ideia.

- Do outro lado da floresta tem uma vila ainda maior que essa, Sanemi! Vamos para lá! - Hana comentou.

- Por que eu atravessaria a floresa se tem uma aqui do lado...- Sanemi virou-se para retrucá-la, mas Hanako já seguia o caminho contrário do platinado, rumo a outra vila. 

- O que está esperando?- Ela perguntou, já longe do outro.

- Eu não vou contigo.- O platinado respondeu.

Hana cruzou seus braços.

- Vai deixar uma donzela indefesa caminhar sozinha pela floresta? E se eu for atacada por um grupo de ladrões, quem irá me salvar? - Ela colocou sua mão em sua testa dramaticamente.

- Você é tudo menos indefesa.- Sanemi resmungou, lembrando-se da outra defendendo-se agilmente dos golpes do Oni da última missão, a moça fez um bico irritado em resposta.

Ela não tinha lhe deixado muita escolha, afinal, ele realmente não tinha como saber se teria outras missões com a moça, no fim, acabou cedendo.

O rapaz observava Hana andar em sua frente com atenção. Ela andava saltitando como uma criança, e sorria para cada animal que passava por ela, isto se ela não tentasse chamá- lo para si. O rapaz bufou sozinho vendo-a tentar chamar a atenção de um esquilo, que não parecia muito interessado em correspondê-la.

- Ele tá pouco se fodendo, deixa o bicho quieto.- O outro sugeriu, de braços cruzados vendo a jovem continuar a insistir.

- Me deixa te dar amorrrr...- A moça resmungou, tentando dar para o bichinho, este sentado em um alto galho, uma noz que ela encontrou no chão - Por que os animais não são amigáveis comigo como são como minha tia?! 

Subiu em uma pedra que estava ao lado do tronco da árvore, para tentar chegar mais perto da pequena criatura. Porém a moça não havia prestado atenção no lodo que cobria toda a rocha.

Quando o pé da moça escorregou, o corpo do rapaz perto de si se moveu por instinto. Hana nem ao menos havia percebido o que tinha ocorrido antes de ver que estava novamente de pé no chão, e sentir um par de mãos segurando fortemente sua cintura.

Sanemi segurava a garota por trás, tendo a impedindo de chocar-se com o chão com sucesso. Hana virou sua cabeça levemente para o lado, podendo ver o rosto irritado do rapaz tão perto de si.

- Será que em algum momento da sua vida você não foi tão cabeça de vento, Hanako?!- Ele a reeprendeu.

O jovem se viu ainda mais irritado quando a moça começou a rir.

- Era só uma pedrinha, eu não ia cair. - Hana respondeu, cobrindo sua boca, para abafar seu riso.

- Qual é a graça?!

- É que você ainda tá me segurando, Sanemi.- "Ah se ele soubesse que eu tô rindo de nervoso..."

Só quando Hana mencionou que o jovem enfim percebeu o quão perto a outra estava, e que era ele a segurando perto. Sanemi a soltou, empurrando-a levemente e colocando suas mãos atrás da cabeça, disfarçando.

- Queria ver se tu tivesse caído e batido a cabeça...- Ele resmungou - Imagine o médico explicando para sua família, "Lamentamos informar que sua filha idiota morreu porque bateu a cabeça tentando alimentar um esquilo selvagem."

- Seu chato...!

Hana deu um tapa no braço do outro, porém isto não pareceu afetá-lo. Após isso, ela cruzou seus braços, sorrindo travessamente.

- Sanemi...- Ela começou, se aproximando do outro com suas mãos atrás das costas - Você me chamou pelo primeiro nome, então quer dizer que somos amigos agora!

O rapaz de cabelos brancos nem parecia ter percebido ter o feito, uma sombra rápida de vermelho passando por seu rosto.

- Céus, você ficou vermelho! - Hana implicou, cutucando o rosto do rapaz, que empurrou a mão dela.

- Não fiquei, não seja idiota. E eu não sou seu amigo, nem quero ser.

- Ah, mas ficou sim!- Ela insistiu.

- Podemos por favor voltar a ir para a tal vila?!- Sanemi resmungou, tentando mudar de assunto.

- Tudo bem, mas você ficou vermelho sim! - Hana respondeu o cutucando mais uma vez, o rapaz a ignorando enquanto ambos voltaram a caminhar.

Hora ou outra o platinado se pegava encarando a moça de cabelos azuis, esta que continuava saltitante, sem perceber os olhares do rapaz ao seu lado.

- Como você consegue agir tão normalmente? - Ele perguntou quase que por impulso. 

Era uma dúvida que estava ecooando em sua mente, ela não tinha motivos para continuar insistindo nele. Desde que se encontraram, ele apenas havia destratado dela.

- Se eu não agir, não vamos conseguir nos dar bem! - Hana apontou, ainda olhando para a estrada em sua frente - Se tu agir esquisito e eu agir esquisito, isso vai continuar... esquisito! 

O jovem de cabelos brancos assentiu, se silenciando mais uma vez, entretanto ainda olhando a garota de olhos de lua. A única coisa esquisita ali era ela, mesmo estando desconfortável, ainda se esforçando em vão por ele.

Poucos minutos de caminhada se passaram, e o sol começou a nascer enquanto a dupla se aproximava da saída da floresta, ainda seguindo pelo caminho de terra.

Hana correu um pouco mais a frente, para olhar de perto o sol surgir entre as montanhas. A garota virou-se então sorrindo para o rapaz de cabelos brancos.

- Sanemi, venha ver. - A garota gesticulou para que ele se aproximasse.

Chegando ao lado dela, viu que a partir do ponto onde estavam, o caminho descia como uma ladeira, e depois continuava em meio a grandíssimos campos de arroz. Bem ao fundo do cenário, uma enorme vila se impunha em meio ao campos, seguindo para a vala em meios a duas montanhas.

Hana apontou para o que parecia mais uma cidade grande a um vilarejo.

- É ali que nós vamos! Vila Shirakawa!


Notas Finais


- Laughing but de nervoso é o mood da vida da Hana não tem nem o que fazer.

- Enfim, tomara que tenham gostado do cap, comentem o que acharam uwu

- Espero ver todos nos próximos capítulos c:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...