História Broken Tie - Yugyeom. - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens JB, Personagens Originais, Yugyeom
Tags Got7, Jaebum, Yugyeom
Visualizações 36
Palavras 1.491
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vish...

Fiquem com o capítulo. xx❤️

Capítulo 8 - O convite.


Porque Jaebum fecharia um contrato com a empresa de Yugyeom sendo que ele não gosta do mesmo? Essa é a pergunta que está martelando na minha cabeça desde ontem a noite. Ele sabe que é o Yugyeom do passado? Eu sei que o nome dele é muito comum na Coréia, mas ele não associou?

— Amor porque está com essa cara? — ele diz com os olhos entreabertos, a luz do sol está refletindo em nossos corpos através da cortina.

Depois que ele disse sobre os assuntos da empresa, voltamos a discutir pois eu estava muito agitada. A discussão não durou por muito tempo, pois transamos loucamente.

— Eu estou vendo de como você é lindo. — vou pra cima de seu corpo e dou beijinhos como sempre faço. Jae aperta meu bumbum.

— Você é tão gostoso. Obrigada por me fazer gozar gostoso.

— Eu queria ouvir você gritar o meu nome, mas estava com medo do Lucca ouvir.

— Ah Jaebum. — me esfrego em seu colo.

Estamos nu, meu marido senta no meio da cama e introduz seu pênis bem fundo me fazendo gemer seu nome.

— Não podemos continuar você tem que ir trabalhar e levar o Lucca para a escola. — ele faz movimentos por baixo de mim. Entrelaço meus braços no seu pescoço e mordo seu ombro.

— Amor o Lucca…

Se passaram anos e ele continua tendo esse poder sobre mim.

“Mamãe, papai, eu preciso ir para a escola” — Lucca bate na porta e saio do colo de Jaebum rapidamente.

— Estamos indo filho. — conversamos fazendo caretas. Digo para ele ir pro banho e visto minha camisola indo até meu filho.

— Mamãe papai prometeu me levar hoje.

— Sim filho, ele está se arrumando. Bom dia garotão, tomou o café?

— Sim a tia fez tá uma delícia, come também.

Tomei meu café e levo os dois até a porta. Hoje começo a escrever um novo artigo para Miami.



Yugyeom Voice:


Acordo do lado de Angelie, a mesma dorme feito um anjo. Hoje eu não trabalho na empresa, mas ela sim. A balanço de leve, ela reclama um pouco.

— Para…

— Está na sua hora.

— Eu não quero ir hoje…

— Mas você tem que ir. Lembra daquela empresa de cosméticos? Está em suas mãos.

— Hum, okay.

Ela levanta e vai até o banheiro. Pego meu celular e vejo algumas notícias, nada de importante.


— Estou indo Yugyeom. Pense direitinho na noite que tivemos. — ela manda um beijo e vai embora.

Realmente não estou pra romance. Eu não queria que nossa amizade terminasse nessa pegação fora do trabalho, mas já que está acontecendo deixa assim.

Levanto, tomo o café e vou para a sala escrever no notebook. A vantagem de trabalhar em casa é que posso ficar à vontade, sem roupas me apertando e às vezes sem estresse. Meu celular de trabalho toca e atendo.


Senhor Kim Yugyeom. A grande empresa de cosméticos em Seul o convida para um jantar íntimo entre os sócios. O senhor confirma presença?

Confirmo. Me mande um e-mail.

Tudo Bem senhor. Obrigado e tenha um ótimo dia.


Angelie está cuidando do contrato com a empresa. Não tive tempo para pesquisar antes, então abro o site e vejo seus produtos. Minha mãe compra muitos cosméticos desta marca, ela ficará feliz que estamos prestes a fechar um contrato definitivo para fazer o slogan e propaganda desta empresa.

Alguns sócios são: Kim Hyung-sun, Son Min-jae, Kang Iseul… uma infinidade de sócios, tendo o dono Im Jaebeom. Muito estranho, parece que já o vi alguma vez. Talvez seja em outras ocasiões como um evento. Pesquiso mais sobre as pessoas que verei hoje a noite. Esse Jaebum não parece ter quarenta e um anos, no máximo trinta e cinco. Ficarei feliz em fechar contrato.


A noite cai, e chamo Angelie para ir comigo ao jantar. Ela está usando um vestido preto bem decotado. Angelie tem vinte e seis anos, é nova não precisa ir como uma senhora, mas está muito ousado.

— Não é exagerado? Não estou julgando, mas é um jantar de negócios.

— Está com ciúmes?

— Não.

— Nossa Yugyeom. É para causar boa impressão e eles saberem que você ostenta riqueza e poder.

— Nunca pensei nisso.

— Deixa comigo. Agora vamos ou se não nos atrasamos.



Nathaly Voice:


— Eu tenho que ir mesmo? — digo arrumando meu brinco.

— Por favor Nathaly.

— Amor, você sabe que o Yugyeom é o dono da empresa?

— Sim infelizmente.

— Que chato.

— Passaram-se muitos anos, e não deixarei ele se aproximar de você. Tudo ali é profissional. — ele segura meu rosto.

— Você está linda.

Estou usando um vestido vermelho e cabelos escovados. Deixei de usar os cachos faz algum tempo. Calcei os saltos dourado e fui acompanhada de meu esposo até o local.


Chegando no jantar vemos os sócios sentados em uma grande mesa redonda, comprimentamos todos e sentamos em nossos lugares. Eu estou muito nervosa não deveria ser assim. Nathaly você é uma mulher casada e tem um filho, é só pensar neles.

Começo a brigar comigo mesmo em pensamentos, até que Jaebum me chama a atenção.

— Amor você quer vinho?

— Um pouco por favor.

— Você tem uma bela esposa presidente.

— Obrigado.

— Obrigada.

Toda vez que nos vemos o senhor Iseul me faz algum elogio.

— O senhor Kim Yugyeom está atrasado.

— Não me admiro muito. — Jaebum diz deixando os demais sócios confusos.


Passaram-se mais alguns minutos e vemos Yugyeom entrar com uma bela mulher ao seu lado. O olho nos olhos, mas parece que ele não correspondeu a mim. Os dois sentam de frente para nós.

— Desculpe-nos pelo atraso. Isso geralmente não acontece. — ele diz dando seu melhor sorriso.

— Está é Kim Angelie, diretora da minha empresa.

— Um prazer conhecê-los senhores.

Todos se apresentam até chegar minha vez.

— Olá meu nome é Nathaly Oliveira.— Yugyeom arregala os olhos.

— Seu nome é Nathaly?

— Por que está se fazendo de desentendido a essa altura? — Jaebum diz bravo e todos notam sua vermelhidão.

— Me desculpa eu não os conheço. — ele diz confuso. Me levanto da mesa e saio correndo para o banheiro.

— Está vendo o que você fez? — Jaebum vem atrás de mim.


— Amor, sou eu abre a porta.

— Jaebum me desculpa eu não consigo.

— Eu não sei que tipo de jogo esse otário está jogando mas irei descobrir.

— Jaebum tem como você me levar para casa? Eu quero ver o Lucca.

— Está bem, mas antes deixa eu te abraçar.

Abro a porta do banheiro e abraço meu marido. Eu não deveria agir dessa forma, mas na hora eu não sei o que me deu.

— Me desculpa amor eu te amo não sei o que deu em mim, mas não quero ficar aqui.

— Tudo bem. Dou alguma desculpa e volto para cá. Agora não chora pois se não vou ficar com ciúmes.

— Eu te amo muito. Muito mesmo.

— Você deu uma crise de ansiedade, precisa descansar.

Saímos pelos fundos. Jaebum deu uma desculpa falando que passei mal pois o Lucca está doente e que estou longe dele, todos entenderam e meu amor me levou para casa.



Yugyeom Voice:


Eu não sei o que fiz de errado.

Depois de vinte minutos Jaebum chega e todos nós começamos a falar sobre negócios de uma maneira apreensiva pelo o que aconteceu antes. Terminamos tudo que tínhamos pra fazer e nos despedimos, até que Jaebum me chama.

— Eu posso falar com você a sós?

— Sim. — eu não queria mas ele parece ser intimidador.

Fomos para um canto.

— Eu não quero misturar trabalho com vida pessoal, mas como teve coragem de tratar minha esposa daquele jeito? 

— Me desculpe senhor, eu não sei quem são vocês. Estamos aqui somente para negócios.

— Você é tão cínico assim?

O que esse cara está falando?

— Talvez nos conhecemos do passado, mas eu não tenho lembranças de vocês. Depois que eu fiz meu transplante de pulmão,  não lembro de nada praticamente. Eu te devia algo?

— Como você quer que eu acredite nesta história? — ele anda de lá para cá nervoso.

— Eu posso provar.

Tiro meu blazer e abro minha camisa social branca por baixo, mostrando a grande cicatriz que tenho em meu peito.

— Isso só pode ser brincadeira. — ele olha incrédulo.

— Então Jaebum. O que eu fiz de tão mal a vocês? Sei que “Nathaly” é um nome que não sai da minha cabeça, mas não tenho absolutamente nada haver com o problema de vocês.

O mais velho muda a expressão um tanto pensativo.

— Você não sabe sobre o seu passado?

— Sei. Eu sei que eu sempre gostei de escrever e nada mais além disso.

— Tudo bem, eu só te peço uma coisa. Quando vê minha esposa que também se chama “Nathaly”, não se aproxime ou tente conversar com ela, apenas a ignore pois ela é sensível e não gosta de se meter nos assuntos da empresa. Você viu como ela ficou hoje. Temos um filho chamado Lucca. De qualquer forma me desculpe esse “enquadramento”.

Esse cara é louco, nunca que volto a conversar com ele pessoalmente outra vez. Ainda bem que tudo acabou. Jaebum sai sem se despedir e fico atrás vestindo minhas roupas.


Notas Finais


E aí? O que acharam? 🙅💁👀🔥💓
xx❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...