1. Spirit Fanfics >
  2. Brothers - imagine jeon jungkook >
  3. Brothers - cap 6

História Brothers - imagine jeon jungkook - Capítulo 6


Escrita por: kook-gb

Capítulo 6 - Brothers - cap 6


                          Coréia do Sul 

                                 09:10

                            atualmente 



Depois de uma longa noite tentando dormir, eu acordei com a porta se abrindo. Ainda não tinha me acostumado que agora eu não moro mais sozinha, abrir um dos meus olhos e vejo uma garota loira a bendita namorada do meu irmão. Ela estava com uma roupa completamente curta e os cabelos bagunçados, eu não sabia o porquê eu odiava essa garota, mas, algo nela não entra, mas entra no Jungkook. Literalmente. 


-- A…


-- Já estou indo. -- Cortei a garota antes dela mesma falar, a loira fechou a cara e fechou a porta na mesma hora. Revirei os olhos e me sentei na cama, nem uma vontade de levantar ainda mais depois de ver a cara perfeita daquela menina que beija meu irmão todo dia. Levantei da cama e calcei as chinelas fofas que a vovó havia feito para mim, olhei para o lado, especificamente para a mesinha ao lado da minha cama e vi que o relógio marcava 09:19 quem acordar em pleno sábado essa hora? bufei, e lamentavelmente eu já estava no andar de baixo. Vovó na cozinha colocando o mesmo chá verde na xícara e quando percebeu minha presença ela sorriu meigo. 


-- Bom dia. -- Falou a de cabelos brancos, meu olhos percorreram a casa e nada de Jungkook, passei as mãos pelos os cabelos e me sentei na cadeira da mesa.


-- Onde está o Jungkook? -- Perguntei enquanto passava manteiga no pão quentinho em minhas mãos. Vovó sentou de frente para mim e suspirou.


-- Saiu, não me disse para onde. -- Respondeu curiosa, isso quer dizer que sempre que ele sai, ele deixa aquela loirinha dentro de casa com a vovó? Como ele pode deixar um tipo de garota daquela com a vovó?


-- A sua namorada dorme aqui? -- Perguntei outra vez, vovó franziu a sobrancelha para mim. 


-- Não gostou da Nabi? -- Vovó parecia gostar da Nabi, na verdade todos pareciam gostar dela, era isso que me deixava com mais raiva ainda dela. Ela é tão perfeita que me dá raiva. Fiquei calada mordendo o pão já pronto. -- Sabia que você ficaria com ciúmes do seu irmão. -- o pão na minha boca praticamente voou na cara da senhora quando eu me engasguei com o que ela havia dito.


-- Eu...Não tô com ciúmes do Jungkook! -- Aleguei alterada, vovó riu alto e segurou a mão. Uma tentativa de me acalmar, porque eu fiquei assim do nada? envergonhada.


-- Ciúmes de irmãos é normal, querida. -- Isso...é apenas ciúmes de irmão, o que você imaginou ___? que fosse ciúmes de romance? Você está maluca, ele é seu irmão. O que nossa mãe pensaria sobre aquilo se ela estivesse viva? O que nossa vovó irá pensar quando descobrir. Mas, porque eu estou tão nervosa? Ele não fez nada demais...A gente nem se beijou. Deus me livre beijar o Jungkook, seria bem estranho...Não é? 


-- De qualquer forma, eu não estou com ciúmes dele com a… -- A porta se abriu, Jungkook havia chegado com um capacete nos antebraço e logo atrás de si havia uma garota, mas não era Nabi. Era outra garota, essa era morena, vestia um vestido florido e sapatos altos. Ele tinha ficado tão mulherengo! -- Eu vou subir. -- Coloquei o pedaço da massa em cima do prato e sem dizer mais nada eu subi para o quarto, porque céus eu estou ficando tão incomodada com as presenças das garotas que Jungkook fica trazendo para casa? Elas são tão gentis e eu sempre fico com raiva atoa. 


Parada de frente para o espelho grande do banheiro eu sabia que ficar com raiva ou sei lá o que estou sentindo não vai adiantar de nada, Jungkook não está nem aí para mim, seu jeito sério e carrancudo só me fez perceber como meu irmão mais novo tinha mudado tanto. Sem abraços, carinhos...Ele não fazia mais nada disso comigo, apenas me ignorava ou não gostava da minha imagem sempre que ficava no mesmo cômodo que ele. Eu estava com raiva, mas triste por não ter meu melhor amigo ou contar de como foi incrível a minha viagem para Londres.


 Com a minha última vontade eu abri a porta e quem estava lá? Isso mesmo, Jungkook e a morena bonita. Ao contrário de mim, ela tinha o corpo perfeitamente em formato de violão e seus cabelos grandes e castanhos cobriam seus ombros. Um suspiro de frustração saiu da minha boca. A garota fez reverência com um sorriso reto que logo foi retribuído e sem surpresa nenhuma Jungkook passou por mim, sem dizer nenhuma palavra. Ao ouvir a voz da senhora me chamando no andar debaixo eu desci as escadas, vendo que ela estava na porta e na sua frente tinha um menino que não me parecia estranho.


-- ___? -- Aquela voz, eu conhecia esse garoto. Era o Tom, Tom Holland. O garoto estrangeiro da escola que eu frequentava, sorri aberto e me aproximei do garoto lhe abraçando. Se lembram daquele garoto que o Jungkook bateu por eu ter beijado? Esse garoto é o Tom, um dos garotos que fiquei caidinha no ensino médio. Não tinha dúvidas, Tom ficava cada vez mais bonito, vovó amava Tom por ele ser um menino educado e gentil. Por ser o diferente na escola, cheio de coreanos, Tom se destacava e me chamava atenção. Ele sempre me protegeu assim como Jungkook. -- Você está muito linda. -- O garoto disse assim que nos separamos. 


-- Igualmente. -- Sorrimos, faz bastante tempo desde do último momento que eu o vi.  Mas tempo que da última vez que eu abracei o Jungkook. Assim que ele abraçou a vovó, a senhora lhe deu a permissão de entrar na casa e sentar no sofá, me sentando junto a de cabelos brancos foi para a cozinha para nós deixar mais a sós. -- Você está bem?


-- Sim, soube que veio de Londres. -- Os olhos de Tom me analisava de cima a baixo e um sorriso sapeca apareceu em seu rosto. Eu gostava do jeito atrevido do Tom, já que ele sempre me respeitou de todas as maneiras. -- Porque não me contou que estava aqui?


-- Perdi seu contato, meu antigo celular caiu dentro d'água. -- Era verdade, eu havia perdido a maioria dos meus contatos. Não que eu tenha muitos, a maioria era só parentes e clientes cara de pau que pediam meu número. Celular não é uma coisa tão importante na minha vida, então, não fez muita falta. -- mas, pelo menos você está aqui. -- sorri. 


-- Como foi lá? -- Fiquei feliz com a pergunta, mesmo eu querendo que aquelas palavras saíssem da boca de outra pessoa. Vulgo, Jungkook. 


-- Foi ótimo, conheci novas pessoas…


-- Namorado? -- Perguntou-me curioso, eu queria dizer um "sim" mas eu sempre levava fora dos garotos que eu gostava, depois de dez tentativas eu acabei desistindo de desencalhar. Neguei com a cabeça, Holland sorriu e posou umas de sua mão em cima da minha coxa, eu perdi meu bv e virgindade com Tom e foi uma experiência ótima, Tom sempre foi atencioso comigo, mesmo a gente nem ter chegado a namorar. Escutei passos atrás de mim, olhei pra trás e vi Jungkook descendo as escadas com a morena. A cara carrancuda do garoto veio até Tom que sorriu gentilmente pro moreno diferente. Holland também percebeu o jeito novo do Jungkook mas não decidiu falar nada. Vovó apareceu no cômodo com uma xícara nas mãos entregando em seguida para Tom. -- Obrigado, Sr.liz


-- Jungkook, venha falar com Tom. -- Vovó olhou para seu neto, que ainda nos encarava. Aquela situação já estava me deixando desconfortável, o que tem nos nossos rostos que ele tanto encara?


-- Eu tenho mais o que fazer. -- Disse indiferente, Jungkook definitivamente não é a pessoa mais expressiva quando se trata de linguagem verbal, mas quando se trata das expressões corporais, ele dá sinais bem claros, Jungkook passou a língua no interior da sua bochecha é um sinal que ele está incomodado com alguma coisa, ele faz isso inconscientemente desde de pequeno. 


-- Tom, me fala, como anda sua mãe? -- Sem liga para o jeito idiota do Jungkook, a senhora continua a conversa com Tom. O moreno carrancudo levou sua nova namorada até a porta, a morena tentou beijar Jungkook mas ele a afastou. O porquê? Não faço ideia. Jungkook sempre foi bipolar com as coisas, a garota então foi embora e o Jeon fechou a porta voltando para as escadas mas foi parado outra vez pela vovó. -- Jungkook querido, pegue o álbum de fotos para Holland ver. 


-- Não deve ficar mostrando fotos partícula para desconhecido. -- Jungkook falou ignorante, a senhora encarou Jungkook e bufou.


-- Não seja mal educado, Tom é um grande amigo da ___. -- Jungkook riu irônico e trincou o maxilar dando uma olhada rígida em Holland. 


-- De amigos esses dois não tem nada, eles vivem se pegando. -- Retrucou irritado, levantei do sofá e respirei fundo eu não queria surta na frente do Tom ele não merece todo esse mal entendido. 


-- Se você está irritado por causa da sua namoradinha não descarregue tudo na vovó! -- Lhe repreende, Jungkook sorriu ladino de um jeito atraentemente debochado. Não posso negar, sempre que Jungkook fica sério ele fica mais bonito.


-- Você é tão intrometida, não me dê ordens de como devo falar com a vovó. Você nem é bem vinda nessa casa, e nunca mais vai ser. Porque você só faz merda, você nem se quer é minha irmã!  -- A casa ficou outra vez em um completo silêncio. Podia sentir meu nariz arder e meus olhos encherem d'água, aquelas malditas palavras me machucaram. Me machucaram mais do que qualquer coisa, meus pés cambalearam para trás e meu estômago se revirou. Jungkook nunca tinha falado palavras tão cruéis como aquelas para mim antes, eu não podia mais conter as lágrimas que eu tanto guardava. Calada, eu saí daquela casa chorando como uma criança. Eu nem ligava para os sermões que a vovó estava dando no Jungkook e nem para Tom me chamando, eu só queria ficar sozinha. Outra vez. 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...