1. Spirit Fanfics >
  2. Brothers? >
  3. Às vezes é melhor não ter família sanguínea

História Brothers? - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oioioioi

Eu vou ser sincera de que não pretendia postar isso, por nenhum motivo mesmo, mas aí a Dogra falou que ficou interessada em ler então sim estou postando irra

Gente é um headcanon até que famoso e eu realmente levo alguma fé nele, fyozai shippers não me matem, obrigada de nada.

Boa leitura!

Capítulo 1 - Às vezes é melhor não ter família sanguínea


Fanfic / Fanfiction Brothers? - Capítulo 1 - Às vezes é melhor não ter família sanguínea

Dazai estava deitado no sofá da agência, olhos fechados e postura relaxada. Todos achavam que ele estava dormindo profundamente, e Kunikida estava em sérias dúvidas entre gritar e mandar o desperdício de ataduras trabalhar ou deixar ele dormir e ter alguma paz e silêncio.

Isso não quer dizer que Dazai estivesse realmente dormindo ou que ele não estava hiper consciente do que acontecia ao seu redor.

Nem que ele estivesse confortável com a situação.

Pelas contas de Dazai, aquela era a trigésima vez que Atsushi olhava com confusão dê um papel em suas mãos para Dazai.

Aquilo já estava o irritando profundamente, ele odiava ser analisado.

- O que há de errado, Atsushi-kun? - a voz extremamente mansa de Dazai, que antigamente teria feito o mais forte dos homens se mijarem de medo nas masmorras da Port Máfia, teve um efeito parecido com Atsushi.

Atsushi pulou na cadeira e Dazai sorriu mentalmente com isso. Oh, ele ainda tinha talento para a coisa.

Isso não era exatamente reconfortante, ele pensou.

- D-dazai-san. - Atsushi gaguejou assustado e Dazai achou que ele estivesse com o rosto vermelho de vergonha. Ele então abriu um dos olhos para confirmar suas suspeitas.

Suspirou e se sentou no sofá, olhando diretamente ao aprendiz.

- O que há, Atsushi-kun? - Dazai perguntou novamente e arqueou a sombrancelha ao ver o menino olhar com dúvidas para o papel em suas trêmulas mãos.

- Dazai-san, por quê... - Atsushi parou por um momento, antes de voltar a olhar para Dazai. - Por quê você nunca nos contou que tem um irmão?

A sala quase vazia ficou estranhamente em silêncio nesse momento. Kunikida havia travado com os dedos a caminho do computador, Tanizaki e Naomi estavam olhando de Dazai a Atsushi com atenção.

"Oh. Um irmão, claro. Um irmão. Então era isso." Dazai pensou distraidamente. "Espera, irmão?"

- Que irmão, Atsushi-kun? - Dazai se levantou e foi até o platinado calmamente. Tanizaki e Naomi também se aproximaram para ver o que Atsushi tinha em mãos. Kunikida prestava atenção a distância. Assim que Dazai estava próximo o suficiente, pegou o papel das mãos de Atsushi e travou. - Ehhhhh? Atsushi-kun acha que sou irmão de Fyodor-kun? - Dazai gritou de espanto, seu tom exasperado gritava a todos que ele estava ofendido, e soltou rapidamente a fotografia, como se toca-la queimasse sua mão. - Por quê?

- B-bem... vocês dois são muito parecidos, afinal. - Atsushi se encolheu levemente.

- Parecidos? - Dazai estava atordoado. E enojado também. - Atsushi-kun, eu sou muito mais bonito que ele! - Dazai choramingou infantilmente para esconder como estava surpreso.

- Realmente, Atsushi-kun. - Naomi que estava abraçada ao braço de Tanizaki concordou com o platinado. - Eles são muito parecidos fisicamente.

Tanizaki concordou com a cabeça.

- Dazai. O que você tem a dizer sobre isso? - Kunikida disse depois de recuperar a foto do chão e examinar atentamente.

Dazai sentiu uma terrível náusea contorcer suas entranhas.

- Eu não tenho como saber se somos realmente irmãos. - Dazai deu de ombros, tentando parecer indiferente a ideia, mas o nojo ainda era visível em sua expressão. - Mas espero que não sejamos. Isso seria horrível! - Dazai choramingou como uma criança.

- Não tem como saber? - Kunikida perguntou confuso.

- Hun? Oh, não. Eu não conheci meus pais. Fui criado em um orfanato até os 5 anos, quando fugi... cresci na rua até Mori-san me encontrar. - Dazai balançou as mãos como se não fosse nada demais. Em partes, ele estava mentindo, é claro, conhecia apenas a mãe, que o agredia por qualquer e nenhum motivo, até ele cansar de sentir dor sem sentido e a matar com uma faca de cozinha fincada na garganta.

Depois disso, ele realmente viveu nas ruas sozinho, até Mori o encontrar.

A parte de sua mente que gritava que eles poderiam ser irmãos por parte de pai foi rapidamente silenciada. Dazai não precisava de mais um trauma vagando na sua mente já conturbada.

- Dazai. - Kunikida esbravejou bravo.

- Sim, Kunikida-kuuuuun? - Dazai estava risonho, mas ainda tinha um lampejo de repulsa muito visível em seus olhos.

- Como você tem documentos? - Kunikida cruzou os braços em seu peito.

- Ah, Kunikida-kuuuuun, achei que você fosse mais esperto que isso! - Dazai sorriu da expressão raivosa do parceiro. - Mori-san me apresentou alguém do governo que cuidou disso pelo valor certo. - Dazai se lembrava claramente do momento em que abandonou seu nome de batismo, Tsushima Shuuji para se tornar Dazai Osamu. Uma criança sem passado, como Dazai era, ele não gostava de lembrar disso. Então, Dazai lembrou de outra ocorrência semelhante a sua, porém muito mais tranquila. - Na verdade, eu até o apresentei a Chuuya...

Kunikida estava prestes a voar no parceiro pela falta de vergonha ao admitir suborno, mas pensou que isso seria a menor preocupação de uma criança que cresceu nas ruas e foi adotada pela máfia.

Kunikida suspirou frustado, não poderia brigar com o inútil do seu parceiro. Não por isso.

- Então, se vocês forem mesmo irmãos, não gostaria de descobrir? - Kunikida voltou ao assunto original da discussão.

Dazai estremeceu.

- Eu tenho certeza de que não quero saber disso. - os olhos âmbar do moreno se voltaram a fotografia. - Às vezes, é melhor não ter família sanguínea. - Dazai tinha uma expressão sombria no rosto, logo substituída por uma alegre. - Vocês abusaram demasiado do meu pobre coração agora. Eu preciso de um tempo para me recuperar dessa suposição horrível!

Dazai correu até a porta antes que Kunikida absorvesse sua fala e já estava no meio da escada quando escutou os berros do parceiro.

Dazai riu um pouco antes de voltar a expressão limpa e neutra de sempre e ir atrás de seu suposto meio irmão.

Mesmo que seja apenas para confirmar como Dazai era incrivelmente melhor do que o russo nojento.


Notas Finais


Como eu disse, é um headcanon que eu gosto, e a ideia do suborno ao governo atrás de documentos foi da minha mãe, créditos a ela que me aguenta falando de bsd todo o momento.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...