História Brothers conflict. - imagine EXO - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanyeol, Chen, Exo, Incesto, Kai, Sehun, Suho, Xiumin
Visualizações 69
Palavras 1.762
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Harem, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiii amores da tia Yue <3
Eu finalmente estou de volta e pretendo f=me manter presente pelo menos durante as férias rsrs
Espero que gostem do cap.
Me desculpem pelos erros de português.
Boa leitura :3

Capítulo 5 - Capitulo 04


- Quem está namorando? – era só o que me faltava, tudo o que eu queria era que Sehun aparecesse, como se já não bastasse ter que explicar as coisas para o Baekhyun.

- É-é melhor eu ir. – disse ao ouvir o sinal indicando que o intervalo chegara ao fim.

- Você não vai a lugar nenhum. – Baek segurou-me, impossibilitando minha fuga.

- Espera...(s/n) arranjou um namorado? – Sehun me olhou feio.

- Não exatamente. – meu olhar se encontrou com o de Jongin . – É tudo culpa dele! – apontei para meu irmão, - meses mais novo que os outros dois. –e ele arregalou os olhos. – Eu disse pra você que se isso acabasse em confusão eu não iria ajudar.

- Aish. – resmungou. – Venham, a gente precisa conversar. – deu de costas e começou a andar.

- Mas... Mas e as aulas? – questionei preocupada. – Se Minseok souber ele vai nos matar.

- Perder aula não é minha maior dor de cabeça nesse instante. – Baekhyun declarou frio, sem soltar meu braço esquerdo. Sehun apenas nos acompanhava em silêncio, com uma expressão de poucos amigos.

Quando finalmente chegamos ao nosso destino final, percebi que se tratava da "cobertura". - eu tinha o uma boa visão de todo o pátio da escola daqui de cima.

- Agora quero que me expliquem essa história de namoro. – Baek disse sério e Sehun se pôs ao seu lado.

- Não tenho nada haver com isso, é tudo culpa do Kai. – chamei por seu apelido. - Foi ele quem inventou isso para aquela garota, eu nem tive tempo de protestar. – agora os três olhavam-me feio. – Não adianta me olhar assim, eu falei que isso ia acabar em confusão.

- Ficou louco? – assustei-me ao ver Sehun elevar o tom, eles brigavam mas não achei que isso fosse algo importante o suficiente para uma briga. – Não envolva nossa irmã nesse tipo de coisa. Você não tinha o direito de fazer isso!

- Por que ficou tão alterado, hein Sehun? A própria (S/n) não se importou em me ajudar, não há porque ficar assim. – sorriu provocativo.

- Eu não concordei em ajudar, mas sinceramente, não acho que seja uma coisa séria a ponto de precisar de toda essa confusão. – me pus entre os dois. – Não estamos namorando de verdade, foi apenas um mal entendido, agora que está tudo esclarecido acho melhor vocês pararem com essa discursão desnecessária.

- Você vai contar tudo para Joy! – Baekhyun falou autoritário.

- Vou é? Eu não preciso te obedecer Baekhyun.

- AISHH! – os três me olharam espantados, era difícil eu perder o controle, por isso entendi de imediato a reação deles. – Já chega! – falei pausadamente. –Vocês estão começando a me tirar do sério com essa briga de merda. – respirei fundo. – Esqueçam o que aconteceu, entenderam? – os olhei séria, eles balançaram a cabeça em confirmação. – Agora acho bom voltarem ao normal ou eu fico sem falar com os três. – eles me olharam incrédulos, e logo trataram de ajeitar suas expressões. – Parece que fui clara. –dei um pequeno sorriso de satisfação. – Agora que já me fizeram perder aula, o que vamos fazer?

- Eu tenho treino daqui apouco. – Baek suspirou. – E vocês dois precisam ficar pra limpar a biblioteca. 

- Limpar a biblioteca? – questionei intrigada.

- Eles se envolveram em uma briga.

- Eu não briguei com ninguém! – defendeu-se Sehun. - Apenas impedi que Jongin fosse preso por matar alguém. 

- Parece que vou ter que voltar sozinha. – comentei desanimada.

- Eu posso te levar, o técnico não vai se importar se eu chegar alguns instantes atrasado.

- Não precisa bacon. – ele fez bico, eu sabia que não gostava do apelido. – Eu sei me virar sozinha. Até mais tarde. – caminhei até a saída.

Como as aulas já tinham chegado ao fim, voltei na sala apenas para pegar a mochila.

 

Já do lado de fora da escola, ao olhar para o céu, percebi o quão escuro estava, denunciando a tempestade que vinha pela frente.-  E foi dito e feito.

Eu poderia ter evitado ficar molhada se eu não tivesse ido por outro caminho muito mais longo, apenas queria comprar uma fatia de bolo de uma lojinha qual Chanyeol costumava me trazer quando mais nova. Graças a isso, os primeiro pingos de chuva começaram a cair. Mesmo eu tendo tratado de me apressar em correr para achar um, lugar em que eu pudesse me “esconder”, minha blusa já se encontrava encharcada, minha calça não ficara tão molhada apenas por conta do casaco.

Havia uma parada de ônibus e foi lá que fiquei. Eu realmente tinha esperanças de ir para casa mas eu não sabia pegar ônibus nenhum, então apenas sentei em um dos bancos metálicos completamente frustrada. Os três patetas estão na escola e os outros provavelmente trabalhando, O único jeito foi ficar esperando a chuva parar, ela não poderia durar o dia inteiro.

Eu definitivamente estava errada quanto o tempo de duração daquele aguaceiro, pois fazia quase uma hora que eu estava esperando-o terminar para ir para casa e nada. Estava prestes a congelar pelo clima frio e minha blusa molhada não ajudava em nada.

Vi mais um carro se aproximando, e, ao contrario dos outros, aquele parou. Estranhei mas apenas resolvi ignorar.

- (S/n)?! – assustei-me ao ver Junmyeon ali. – Por deus você está toda molhada. – seu olhar desceu até minha blusa – agora transparente. – o que me incomodou um tanto, mas ele logo tratou de desviar. – Vem, vou te levar pra casa. – jogou a jaqueta que vestia por cima de mim.

A tempestade estava ficando cada vez mais forte, e percebi que ele havia mudado o caminho, indo para o lado contrario de casa.

- Pra onde estamos indo?

- Pra minha casa. – disse sem tirar os olhos da rua. – É perto daqui, a chuva está forte demais, não é seguro dirigir.

- Eu pensei que você morasse com a sua noiva.

- Comprei quando eu e MinHee ainda estávamos namorando. Foi quando brigamos por um acontecido envolvendo meus irmão. – já até sabia do que se trava.

- Entendo...- disse baixo. – Ela não vai se importar?

- Se importar com o que (S/N)? – olhou-me rapidamente.

- Não sei, não quero ser um incomodo para vocês dois. – ele suspirou.

- Você nunca vai ser um incomodo pra mim. – sorriu mínimo. – Além do mais, MinHee gostou muito de você. – mordeu o lábio inferior. – E também... – pausou. – Ela não sabe sobre a casa. Na verdade ninguém sabe. Eu não a uso muito mas preciso de alguns momentos para ficar sozinho. – parou o carro. – Chegamos. - Adentramos a casa e fiquei me perguntando o porque de ele ter comprado uma casa tão grande, o entanto, logo lembrei-me de que ele adora espaço. – É melhor ir tomar um banho quente. – apontou para a direção qual ficava seu quarto. – Pode pegar uma roupa minha. – piscou, rindo logo em seguida, provavelmente se recordando do tempo em que eu usava suas camisas para dormir.

Praticamente corri até o quarto, eu estava desesperada por um banho quente, não conseguia mais aguentar o frio. – peguei uma toalha e fui em direção ao banheiro.

  Assim que senti a agua quente em contato com minha pele senti um alivio, que veio junto de um tontura repentina. – apoiei-me na parede do banheiro. – Eu não estava com um bom pressentimento.

Sequei-me rapidamente, a porá do quarto estava fechada então nem me dei ao trabalho de enrolar-me na toalha.

Era bem nostálgico abrir o guarda roupa do meu irmão em busca de uma camisa. – procurei a maior que havia ali e a vesti, ao contraio de antes, que suas camisa ficavam a baixo do joelho, agora, a camisa que vestia fica um palmo acima do joelho. – Juro que tentei encontrar alguma calça que me servisse mas todas eram grandes demais. – bufei, desistindo por completo da minha. – Sai do quarto sem me dar ao trabalho de secar direito os cabelos.

Já do lado de fora, senti o cheiro de chocolate quente invadir minhas narinas e corri até a cozinha.

- Não acredito! – exclamei sem conseguir conter o sorriso. Eu amava chocolate quente, ele sempre fazia para todos os irmãos em dias chuvosos. – Você é incri... Atchim! – espirrei e ele olhou-me alarmado. – Estou bem, não vou ficar gripada apenas por ter ficado um pouco molhad.. Atchim! – outro espirro.

- Fica aqui. – entregou-me a xicara com a bebida quente. – Vou procurar um remédio pra você. – apenas assenti, sentando-me em uma das cadeiras em volta da mesa de vidro.

A medida que eu tomava o chocolate, sentia meus olhos pesarem, e, inconscientemente fui me debruçando sobre a mesa, até apagar por completo.

[...]

Escutei um voz familiar e abri os olhos lentamente, sentindo de imediato minha cabeça doer.

- Eu sinto muito MinHee. (S/n) está doente eu não posso deixar ela assim.... Eu não estou trocando você por ela!.... Entenda, ela é minha irmãzinha e eu tenho a responsabilidade de cuidar dela.... Sei que combinamos de sair para comprar o presente que queria mas isso pode esperar... Mas que droga MinHee, dá pra você parar de gritar? – suspirou. – Eu não quero brigar e você está sendo completamente infantil. – ele virou, percebendo que eu estava acordada. – Preciso desligar. – afastou o telefone, mas antes de encerrar a ligação, disse. – Te amo. – guardou o aparelho no bolso e veio em minha direção. – Como está a minha princesa.

- Me desculpa. – levantei-me rapidamente da cama, e logo senti meu corpo me trair. Eu teria indo de encontro ao chão se Junmyeon não tivesse me segurado.

- Do que está falando? – me empurrou novamente para o colchão.

- Eu... Você e MinHee brigaram por minha causa, eu não queria causar confusão. – respondi sentindo-me culpada. – Eu vou ligar para o Baek bir me buscar.

- Não, não vai! – me assustei com seu tom autoritário. – Você esta sempre com ele ou com os outros dois. – referiu-se a Sehun e jongin.  –Sempre foi assim, você sempre pareceu mais próxima de todos os outros. Por acaso não gosta de mim? – olhou fundo em meus olhos, e por um segundo fiquei perdida analisando o quão bonito meu irmão era.

- N-não é isso... é só... Eu sempre causo problemas pra você. –era verdade, as namoradas que meu irmão arranjava nunca gostavam de mim, e ele sempre acabava terminando com elas por minha causa. Eu me sentiria horrível se ele terminasse o noivado por minha culpa.

- Não diga isso (S/n)! Eu sou seu irmão e me deixa triste você se afastar assim e sempre chamar outra pessoa pra cuidar de você. Eu também posso cuidar da minha princesinha. – acariciou minha bochecha. – E não se proculpe com a MinHee ela só está estressada. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...