História Brown - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Ed Sheeran, Josh Devine, Justin Bieber, One Direction, Zayn Malik
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Ed Sheeran, Harry Styles, Josh Devine, Justin Bieber, Liam Payne, Louis Tomlinson, Luke Hemmings, Michael Clifford, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags 5 S, 5sos, Cashton, Hosh, Jarry, Jiall, Jiam, Jouis, Jozianourry, Larry, Lilo, Lirry, Losh, Muke, Narry, Ned, Niam, Nosh, Nouis, Nustin, One Direction, Zarry, Ziall, Ziam, Zianourry, Zosh, Zouis
Visualizações 163
Palavras 1.442
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 33 - Capítulo XXXIII


Fanfic / Fanfiction Brown - Capítulo 33 - Capítulo XXXIII

P.O.V. Josh Devine

Acordei assustado, sentindo uma respiração pessada batendo contra o meu rosto.

- Harry o que você está fazendo?

- Nada – Styles caiu sentado no chão.

- Mais você... – ele me interrompeu.

- Eu trouxe seu jantar – Harry levantou-se rápido – Come logo – ele colocou uma bandeja em cima da cama, tinha dois pratos – Lógico que eu não ia ficar aqui só olhando você comer – ele sentou-se ao meu lado e pegou um dos pratos.

Olhei para o meu prato sem saber como ia fazer para comer sem ajuda com essa coisa no meu braço.

- O que foi? – Styles perguntou antes de levar mais uma batata a boca.

- Você pode me ajudar?

- Que? – os olhos dele se arregalaram.

- Bem, o Liam ou o Zayn me ajudavam a comer, como eles não estão aqui – olhei para baixo, isso era vergonhoso – Será que você pode me ajudar?

- Espera ai, além de eu ter que te aguentar ainda quer que eu te de comida na boca? – ele riu irônico – Fala sério.

- Ok.

Olhei para o prato e continuei pensando como eu ia fazer para comer, meu estomago já estava começando a reclamar de fome. Escutei o barulho do talher batendo no prato e um suspiro, eu não quis olhar para Harry.

- Abre a boca.

Olhei para Styles, ele segurava o prato perto de mim e o garfo que espetava uma batata estava mais perto ainda.

- Vamos Josh, eu não tenho todo o tempo do mundo.

Eu não o respondi, apenas abri a boca e deixei que ele me alimentasse. Durante o tempo em que ele me dava comida eu o observava. Como ele podia ser assim, tão bonito?

- O que você ta olhando,

- Você – eu não pensei, só falei.

- Para com isso.

- Porque?

- Porque sim – Styles desviou o olhar.

- Você é bonito.

- Porque está dizendo isso?

- É só a verdade Harry. Você sempre foi muito bonito – sorri sem graça.

- Eu preciso dar um jeito na cozinha – Styles levantou da cama e recolheu os pratos – Já volto – ele saiu da quarto apresado.

- Droga, eu sempre estrago tudo – suspirei.

O tempo se passou devagar e nada do Harry, eu já estava ficando preocupado, estava tudo silencioso de mais. Decidi ir atrás do Styles. Com dificuldade eu levantei da cama e andei me apoiando nos moveis até a porta do quarto.

- Josh? O que você está fazendo? – Harry estava perto da escada.

- Você demorou, eu fiquei preocupado.

- Você não devia está de pé sem ajuda – ele andou até mim me segurando.

- Só ia até a escada ver o que estava acontecendo.

- Ah claro para ter a chance de cair lá em baixo e os meninos... – o interrompi.

- Me solta Styles – empurrei as mãos dele – Você não está preocupado comigo, não é mesmo? – não dei chance para ele responder - Eu não preciso da sua ajuda – me virei para voltar para o meu quarto – E não se preocupe, eu não vou falar nada para os meninos, você não precisa me suportar mais.

Me arrastei de volta para o quarto, batendo a porta com força e  me joguei na cama. Meus olhos marejaram.

- Você não vai chorar Josh, não vai – limpei a primeira lágrima que escorreu no meu rosto.

P.O.V. Justin Bieber

Depois de ter resolvido toda aquela história do beijo as coisas tinha ficaram relativamente mais fácies, pelo menos na minha relação com o Louis, ele não quer mais me matar. Mas  minha relação com o Ed estava de mal a pior, nós brincávamos tanto que se tornou insuportável ficarmos juntos.

Sheeran me tirava do sério o tempo todo, parecia que ele se divertia com isso e a minha vontade era de dar umas poradas na cara dele, mas ao mesmo tempo imprensa-lo na parede e beija-lo como se não houvesse amanhã.

- Justin? – alguém me sacudiu.

- Oi – olhei para Louis assustado.

- Os meninos já terminaram, o público está te esperando.

- Ah sim, obrigado.

Respirei fundo enquanto levantava e me direcionei ao palco. Cantar, até alguns messes atrás era o que eu mais gostava de fazer. Agora, mesmo brigando o tempo todo, o que eu mais gosto de fazer é ficar perto do Sheeran, ele me deixava doido, mas su gostava disso, eu gostava muito ds ficar doido por causa dele.

___________________

Quando o show acabou nos voltamos para o hotel, eu só queria tomar um banho, comer algo e apagar, mas não foi isso que aconteceu. Depois do banho eu pedi o meu jantar no quarto, comi vendo algum filme bobo de desenho animado na televisão, no filme tinha dois personagens que brigavam muito, mas no final eles ficavam juntos e isso me fez lembrar do Ed.

O dia amanheceu e eu ainda estava jogado na cama enquanto sonhava com um futuro ao lado do ruivo que eu tinha certeza que não ia acontecer. Ed não me suportava, ele jamais se apaixonaria por mim.

Depois da minha noite “perdida”, não tão perdida assim, o resto do dia se passou tranquilo, eu só tinha um sessão de fotos e duas entrevistas, depois disso dia finalizado e no outro nós partiremos de volta para a Europa para os últimos shows da turnê.

E as coisas iam calmas, até a última entrevista. Eu já estava voltando para o hotel e tinha marcado com os meninos de saímos para algum pub. Algumas fãs estavam estavam na porta, eu parei para tirar foto com elas, que eram mais ou menos dez meninas. Uma delas, mesmo depois de tirar um monte de fotos minhas sozinho e mais outro monte dela comigo, começou a falar que eu não sabia tratar os meus fãs que eu era mal educado e várias coisas apenas porque eu disse que precisava ir embora.

As outras fãs tentaram me defender, mas a menina continuou gritando e dizendo ofensas para mim. Um dos meus seguranças a segurou quando ela fez menção de partir para cima de mim. Eu entrei rápido no carro e fomos embora.
Esse pequeno incidente me deixou tão estressado que eu acabei enchendo o saco dos meninos para não sairmos, eu não queria passar por multidão e nem queria ficar sozinho. Então ficamos no meu quarto mesmo, enquanto bebemos e jogávamos conversa fora sobre qualquer baboseira não importante.

As fãs do lado de fora do hotel gritavam e mesmo com as janelas fechadas dava para ouvi-las.

Já estávamos bêbados de mais e se passava das dez da noite, cedo, mas nos tínhamos começado a beber as cinco da tarde. Comecei a lembrar de todas as vezes que algumas pessoas que se diziam minhas fãs me desrespeitaram assim como a de mais cedo. As pessoas não entendem, que não é porque estamos na mídia que não temos vida, acham que somos apenas brinquedinhos. Além desses “fãs” ainda era preciso lidar com os paparazzis que sempre invadiam a minha privacidade para tirarem uma “boa” foto minha.

Paparazzis, eu me sentia tão sufocado por eles. A minha vida era constantemente invadida por um fotografo que queria “apenas uma foto”, era o que eles diziam, mas não era apenas uma foto, nunca foi e nunca será, Eu tinha virado o “garoto problema” apenas para que mais e mais jornais e revista fossem vendidas com a minha cara estampada.

Existia fotos minhas brigando com um fotógrafo, na época foi como se eu tivesse dado uma surra no cara, a mídia caiu matando em cima e ao menos tiveram a coragem de ouvir o meu lado da história. E por isso eu fiz questão de abrir um processo conta várias revistas que me acusaram de coisas que eu não tinha feito.

- Ba-bando de filhos da da da puta-ta – sulucei.

- Fada – Michael riu olhando para o teto.

- Amor va-vamos – Louis tentava acordar Niall que estava jogado em cima da cama apagado – Eu preci-ciso de você.

Levantei do chão cambaleante e fui até uma das janelas a abrindo. Os gritos se tornaram muito mais alto e a claridade feita pelos inúmeros flashs dos paparazzis quase me segaram.

- ME DE-EIXE EM PAZ – eu gritei, mas eu tinha certeza que eles não ouviram, já que continuavam da mesma forma - BANDO-DO DS SANGUE SU-SUGA – cuspi  direção das pessoas que estavam gritando por mim, não era para os meus fãs e nim para os paparazzis e mesmo bêbado eu sabia que tinha feito merda.

Não esperei para ver o resultado da minha mais nova idiotice e fechei a janela me jogando na cama ao lado do Ed, que estava embolado com o Niall e o Louis.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...