1. Spirit Fanfics >
  2. BS Chrono Trigger: a adaptação não oficial >
  3. Prólogo para jogadores

História BS Chrono Trigger: a adaptação não oficial - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigado por ler minha história, contudo, para evitar spoilers (não os de corrida) para aqueles que não jogaram o jogo original, pule este capítulo e leia "O protagonista calado".

Capítulo 1 - Prólogo para jogadores


Fanfic / Fanfiction BS Chrono Trigger: a adaptação não oficial - Capítulo 1 - Prólogo para jogadores

65.000.000 a.C.

Há milhões de anos a Terra era apenas uma pequena esfera rochosa circulando uma estrela média em um espaço quântico e infinito. Não se sabe que seres habitavam esse espaço, exceto um, apelidado por uma grande guerreira da idade da pedra de Lavos (LA = fogo, VOS = grande). Essa criatura que a milênios completa seu ciclo se hospeda em planetas e drena toda sua energia, levando a morte de toda fauna e flora, e até o colapso do planeta em si. Durante esses milênios a Terra passou de rocha flutuante para uma elipse ainda rochosa mas capaz de abrigar vida onde, em milhares de anos, a mesma evoluiu, passando dos seres unicelulares, pluricelulares que se multiplicaram nos mares primitivos, até as criaturas que desbravaram terra que era uma sombra dos seus oceanos de lava e materiais aquecidos. Abrigar vida inteligente não foi uma tarefa fácil, porém o resfriamento da crosta e a posição em relação ao sol concedeu a três espécies animais o privilégio de existir: os humanos, os reptites e os nus. Mais séculos se passam e as criaturas antes com capacidades cognitivas simples passaram agora a viver em sociedades, com suas próprias leis, sistema de comércio e até uma língua, no caso dos humanos. E, como era de se esperar, passaram a procurar mais territórios, o que gerou conflito dos humanos com os reptites. Durante dezenas de anos houveram diversos conflitos armados. Era muito certa a vitória dos reptites, pois os homens-lagarto eram mais inteligentes que os simples homo sapiens sapiens. Durante um ataque dos humanos no castelo de Azala, na época líder dos reptites, o parasita Lavos, como uma gigante estrela vermelha, caiu na Terra, exatamente nas regiões habitadas pela espécie. Lavos, durante a queda soltou um pedaço seu que ficou na superfície enquanto o próprio hibernava no manto. Esse foi um evento cataclísmico que aniquilou espécie, trazendo assim, ascensão dos humanos sobre a terra.

3.000.000 a.C.

O mundo seguiu seu curso natural. A Terra terminou a Idade da Pedra e passou pela primeira, e, na verdade, até o momento a única Era do Gelo. Os continentes a essa altura já haviam abandonado o formato de pangeia, então essa era glacial permitiu através dos mares congelados a expansão da raça humana pelo globo, ao passo que acabou com os com os resquícios dos últimos homens-lagarto no mundo. Finalmente havíamos conquistado todos os continentes. Com a era do sedentarismo, o homem começou a fabricar ferramentas artesanais. Em uma das expedições pelo planeta, alguns exploradores acabaram encontrando o pedaço de Lavos, o Frozen Flame, de fato a pedra parecia uma chama congelada. O contato direto com o elemento despertou magia em parte dos humanos, e estes, superiores, constituíram, com seus poderes, um reino com base em um arquipélago que pairava acima das nuvens, nomeado pelos antigos de Zeal. Humanos que não possuíam poderes mágicos não tiveram a mesma sorte, e passaram a viver como miseráveis em cavernas, como formigas habitando colônias em uma era do gelo sem previsão de fim.

12.000 a.C.

De prosperidade vivia o reino. Não se sabe como morrera o Rei, mas após a sua morte a Rainha enlouqueceu, sempre sedenta por mais poder, queria alcançar a vida eterna. A Rainha ordenou que Melchior, um dos três gurus do reino, construíssem uma máquina para extrair ainda mais poder do que o Frozen Flame, ou que Lavos concedia aos humanos. O sábio, mesmo contra vontade, usou um mineral chamado pedra-sonho para fabricar a tal máquina. Chamou-a de Máquina Mammon, também fabricou um pingente para controlar a mesma — dado a princesa do reino, Schala, por ser considerada a mais hábil em técnicas mágicas — e um dispositivo de segurança, a Faca de Rubi, concebida com o intuito de desativar a máquina em caso de perda de controle, o que, devido às ambições da rainha, não era uma hipótese tão improvável. No dia da ativação da máquina todo o reino — especificamente a Rainha — comemoraram, e a máquina foi acionada. Como Lavos era capaz de se comunicar com o Frozen Flame, o acionamento da máquina o despertou, trazendo consigo portais temporais no tempo-espaço. Os gurus e a Família Real ( a Rainha, a Princesa e o Príncipe) foram tragados pelos portais temporais. Não se sabe para onde a Rainha e a Princesa tinham sido levadas, mas especula-se que a Princesa havia salvo a si mesma e a mãe indo para um futuro não tão distante — O Frozen Flame desapareceu na queda. Era o fim, o maravilhoso Reino de Zeal descia fragmentado dos céus como um anjo caído em direção ao inferno. Sua queda provocou uma enorme tsunami, tão forte que ajudou a redefinir o posicionamento dos continentes.

1 a.d.

E a Era do Gelo chegou ao seu fim. Os poucos sobreviventes passaram viver em conjunto aos humanos normais. Milhares de anos se passam. A humanidade se levantava do regresso que Zeal trouxe com sua queda. As pessoas se organizaram em sociedades, construíram vilarejos, cidades e reinos — essa era a Idade das Trevas — Dentre todos um reino prosperou e perpetuou, o Reino de Guardia. De alguma forma os soldados acharam o pingente de Schala. Não sabiam o que era, parecia uma peça como um pingente convencional, então ele começou a ser passado de geração em geração as Princesas do reino.

600 a.d.

Na época Janus chegou. O menino mágico foi encontrado por um místico chamado Ozzie, que, desde pequeno o criou, batizando-o de Magus. Na mesma época um jovem cavaleiro chamado Cyrus — com seu escudeiro, Glenn — por seus excelentíssimos esforços, se tornou capitão dos Cavaleiros da Távola Quadrada de Guardia. Magus, que também havia se tornado líder dos místicos, declarou guerra aos humanos, onde, após sua certeira vitória, partiria para matar Lavos, como vingança pela destruição de seu lar — bastante sensato, não acham? — A guerra também trouxe a destruição da Ponte Zenan e anos de tensão entre humanos e místicos. Durante uma batalha de Magus e Ozzie contra Cyrus e Glenn, no topo da montanha Denadoro, infelizmente o cavaleiro foi morto pelo bruxo, e seu escudeiro foi amaldiçoado até o fim de sua vida. Magus de fato venceu a guerra, e super confiante em si mesmo, começou o processo de invocação da besta, em seu castelo, e nunca mais se ouviu falar de nenhum dos três.

1000 a.d.

Em torno desse ano nascem os protagonistas, Crono, Lucca e Marle — ou Nádia — Melchior, saído do portal, aparece no continente de Medina e por algum motivo abre uma loja de armas. Anos mais tarde Lucca e seu pai criam uma máquina de teleporte, e convidam Crono para vê-la.

1999 a.d.

A humanidade havia evoluído, um dos nomes nessa evolução era Lucca, que além da inteligência artificial, contribuiu para diversas outras áreas tecnológicas. As regiões residenciais, comerciais e de pesquisa eram fechadas por domos, que eram ligados por metrôs e vias expressas, mas naquele mesmo ano, Lavos, com toda energia necessária acumulada, despertou e destruiu a superfície terrestre, matando mais de 7 bilhões de pessoas, e trazendo os humanos restantes a um estado pior que dos desprovidos de magia na era de Zeal. Lavos, após liberar sua energia, subiu ao Pico da Morte e iniciou seu processo de reprodução assexuada.

2300 a.d.

O mundo vivia para alimentá-lo. Os poucos humanos restantes sobreviviam graças a máquinas de emergência nos domos. Belthasar, que havia aterrissado nesse mundo apocalíptico, continuou seu projeto pessoal, uma máquina do tempo em forma de avião chamada Epoch. Ao mesmo tempo, um computador, com inteligência artificial super avançada, havia iniciado a Revolução dos Robôs para eliminar todos os humanos, considerados uma raça orgânica, e por isso, inferior. A revolução foi bem sucedida, exterminou os últimos humanos sobreviventes, alguns na verdade preferiam a morte, pois não aguentavam seus estados deploráveis. Lavos, no Pico da Morte, se multiplicou e enviou suas crias para o espaço atrás de outros planetas, e o parasita permanece na terra até ela se colapsar e explodir

Fim do Tempo

Gaspar foi levado a uma brecha do tempo-espaço, se associou como Mestre da Guerra, Spekkio, e lá permaneceu.


Notas Finais


*Linha do tempo de Lavos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...