História Muito além do limite (Reescrevendo) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Exo, Got7, Kim Taehyung, Tae
Visualizações 17.335
Palavras 2.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - No mesmo espaço


Olhei por alguns instantes para o Dong, desesperada, então voltei a olhar para o Taehyung.

- E agora?!

Dong: O Esconda, eu vou distrai-la!

- Certo! Vamos Taehyung! – Peguei no braço do mesmoe saí disparada cozinha da cozinha até o quarto, ao adentrarmos fechei a porta desesperadamente e joguei minhas costas contra a porta, em total desespero.

Taehyung: Ela irá me ver. – O mesmo parecia sereno, sem nenhuma preocupação.

Olhei ao redor, não havia lugar melhor do que no meu guarda-roupa, apontei, para que Taehyung pudesse adentrar rapidamente, o mesmo entrou e fechou as portas para que não pudesse ser visto.

- Fique aí e faça silêncio! – Sussurrei.

 Taehyung: Como se eu fosse conversar com as roupas...

Saí do quarto para ver se estava tudo bem até o momento, desci as escadas e lá estava o Dong e minha vó no meio dela, Dong a puxava para baixo e ela tentava subir as escadas muito irritada e cansada.

Dong: NÃO! NÃO SOBE! – Gritou.

Vó: Por que não?! Me solta seu moleque! – Ela se debatia na escada, mas o Dong não permitia solta-la.

Dong: ESTÁ... ESTÁ CHEIO DE BOMBA AÍ EM CIMA!

Vó: Bomba?! Meu Deus... Me solte!

- O que está acontecendo?

Vó: Esse menino maluco. Me solte!

O Dong a soltou, então ela terminou de subir as escadas.

Dong: É, Acho que eu estou ficando maluco mesmo. – Sorriu aliviado.

Vó: Vou tomar banho. – Apalpou meu ombro e continuou andando até o banheiro.

- Okay vó.

Dong: Cadê ele? – Sussurrou.

- Está no quarto, vamos. – Puxei o Dong pelo braço o levando até o quarto, entramos e assim que entrei avistei o Taehyung olhando minhas calcinhas – QUE MERDA É ESSA?! – Gritei já avançando nele.

Taehyung: E esse coador aqui? – Ele pegou e mostrou uma calcinha minha, eu a peguei da mão dele e enfiei de volta na gaveta – E a sua vó? 

- Está no banho.

Dong: Aproveita que ela está lá e leva o Taehyung até a porta. – Sugeriu Dong.

- Verdade, vamos!

Taehyung: Não.

- Vem logo! - Peguei no braço dele, o Dong ajudou abrindo a porta, desci com Taehyung, estava tudo indo bem até eu abrir a porta para o Taehyung sair, logo avistei o meu avô se fechando o portão – Recuar, recuar! – Taehyung subiu correndo sem nem pensar duas vezes.

Vô: Quem é que está aí?

- O Dong... Há... Há.. – Ri forçadamente.

Vô: Ele pintou o cabelo?

- Sim! Estávamos fazendo um teste, ele foi lavar, não gostou.

Vô: Ele ficou bonito assim.

- É né...? Por que chegou cedo?

Vô: Eles me liberaram.

- Ah... Vou subir, irei ver se o Dong está lavando o cabelo direito. – Apontei para as escadas com meu polegar.

Vô: Diga a ele que eu gostei da cor, ele não deveria ter tirado.

Subi as escadas e entrei no meu quarto, mais uma vez vi Taehyung com algo que era meu, mas dessa vez era meu diário.

Taehyung: “Querido diário, hoje é minha primeira vez indo para Coreia, blábláblá... Eu sempre falo pra ela que eu não sou mais criança” – Ele começou a rir – A mãe dela acha que somos extraterrestres? Que vamos abduzir a filhinha dela?!

O Dong gargalhou junto de Taehyung.

Dong: Ela é doida.

- QUEM É DOIDA?! – Gritei. 

 Taehyung se assustou e escondeu meu diário debaixo da bunda dele, logo após isso ele e Dong disseram “Ninguém!” juntos, cobertos de medo.  Peguei meu travesseiro e bati nos dois, tentei pegar meu diário debaixo da bunda do Taehyung, mas acabei caindo em cima dele.

Taehyung: Desse jeito é difícil eu me controlar. – Sussurrou. Dei um peteleco na testa do mesmo e me levantei. – Aish.

Dong: Parece que sua vó acabou de sair do chuveiro.

- Tranque a porta!

Ele a trancou.

- Parece que o Taehyung não vai embora tão cedo.

Dong: O pior é que quando seu avô senta naquele sofá ele mofa.

- É mesmo. Acho que o Taehyung terá que dormir aqui.

Algum celular por perto começou a tocar, logo Dong tapeou o bolso e retirou o aparelho já o atendendo.

Dong: Sim? Agora?! Ok, ok... Estou indo. – Desligou.

- O que foi?

Dong: Minha mãe vai sair, vou ter que cuidar da minha irmã.

- Eu vou ter que ficar sozinha com o Taehyung?!

Taehyung: E qual o problema nisso? Não vou te devorar... Bom, talvez.

Dong: Amanhã cedo estarei aqui. Por favor, se cuide. – Dong beijou minha testa e abriu a porta me olhando, parecia esperar eu me despedir.

- Certo, certo... Tchau. – Acenei.

Dong: Tchau. – O mesmo disse já se retirando, logo após tranquei a porta novamente.

Taehyung: Finalmente sozinhos. – Ele sorriu malicioso. O mesmo se sentou na cama, enquanto me olhava ele mordia os lábios de uma forma extremamente sexy.

Já estava tarde, teríamos que adormecer logo. Peguei duas cobertas, um travesseiro e os coloquei no chão, arrumei para que Taehyung pudesse dormir.

Taehyung: Já vai dormir?

- Vamos dormir.

Taehyung: Juntos?

- Claro que não! Você vai dormir no chão e eu na cama.

Taehyung: Oh...Tem baralho aí?

- Tem.

Taehyung: Vamos jogar, valendo Round two.

Não seria uma má ideia, estamos sem oque fazer também. Peguei o baralho na gaveta da escrivaninha e coloquei em cima da cama ao lado de Taehyung.

Taehyung: Pife?

Assenti com a cabeça e comecei a embaralhar as cartas, as separei e demos inicio ao jogo.

- Três rodadas.

Meu jogo estava maravilhoso, não deram nem três minutos e eu já havia ganhado.

- UHUL! – Ergui os braços para o alto e sorri.

Taehyung: Está comemorando o que se tem duas rodadas ainda?! Pelo amor, me dê essas cartas – Ele as pegou e começou a embaralha-las – Se não embaralha direito assim que distribuí as cartas o par já está formado, então alguém vence mais rápido.

- O nome disso é sorte.

Taehyung: Não foi sorte, foi você quem não embaralhou direito. Pronto.

Peguei as cartas e as olhei, meu jogo estava um lixo.

 - Mas que merda é essa?!

Taehyung: O nome disso é embaralhar.

Começamos a jogar, eu soava frio, afinal estamos apostando coisa séria e Taehyung me parece que vai abusar caso vença, preciso ser esperta. Joguei um dez de copa, ele olhou para a carta e depois para mim, logo soltou as cartas na cama e apoiou o seu rosto em sua mão como quem queria dizer “Quem ganhou agora?!”. Dessa vez estava empatado, o mesmo voltou a embaralhar as cartas, assim que embaralhou e as distribuiu eu percebi que ia perder, meu jogo estava um lixo mais uma vez. Enquanto estávamos jogando às vezes eu dava umas olhadinhas para o Taehyung, eu nunca tinha o visto tão concentrado assim, ele fica muito sexy, percebi que as vezes ele morde os lábios quando está muito pensativo. Fomos jogando, estava demorando demais e eu estava morrendo de sono.

- Poderíamos parar... – Sugeri.

Taehyung: Não, jogue logo! – Bocejou.

Carta vai, carta vem, eu já estava entediada e não era a única. Taehyung mais uma vez mordeu os lábios, então sorriu de canto.

Taehyung: Olhando para a minha boca de novo?! Você não tem jeito. – Riu.

Ele sabia o tempo todo?!

O mesmo me olhou, aproximou-se de mim como se fosse me beijar, seus olhos estavam focados em meus lábios, então quando estávamos prestes ele levantou suas cartas e as colocou na frente da minha boca, fazendo com que eu as beijasse.

- HM!

Então ele se afastou e as afastou junto, me mostrando que havia ganhado.

Taehyung: Beije meu jogo mesmo, ele merece. – Gargalhou.

- Tá, tá... Vamos dormir agora. – Disse sonolenta. Subi em minha cama, Taehyung parou meu braço quando eu estava prestes a me cobrir.

Taehyung: Quem disse que você vai dormir aqui?

- Ué, é minha cama.

Taehyung: Não perguntei se é sua. Eu ganhei e eu quem decido.

- Por favor?

Ele me olhou, olhou para o outro lado para que eu não pudesse ver seu rosto e disse:

Taehyung: Quer dormir comigo?.

- Não.

Taehyung: Então fica no chão. – O mesmo me jogou no chão sem um pingo de dó.

- AH! – Gritei por ter batido meu quadril no chão. Respirei fundo para não descer minha havaiana na cara dele. Acomodei-me nas cobertas que eu havia posto no chão e fechei meus olhos.

Taehyung: Eu estou com fome.

- Dorme que passa.

Tae: É sério, estou morrendo de fome.

 Eu não poderia o deixar dessa forma, eu sei bem como é sentir fome uma hora dessas. Levantei-me da cama e dei um peteleco na cabeça dele para que pelo menos eu não me arrependesse de ter que alimentar um idiota. O avistei para trancar a porta quando eu saísse, para que não tivéssemos problemas depois. Desci, meu vô estava no sofá assistindo televisão, passei por ele e fui até a cozinha, fiz dois lanches e suco, coloquei numa bandeja e caminhei de volta passando novamente pelo meu vô.

Vô: Para quem é esse lanche aí?

- Estou faminta.

Vô: Sei...

Subi as escadas e bati na porta sem que fizesse muito barulho para que meu vô não desconfiasse, Taehyung logo a abriu, assim que entrei e ele trancou a porta novamente.

 - Tome. – Entreguei o pão e o suco para ele.

Tae: Vocês gostam de comer um pão...

- Come e cala a boca.

 Sentei no chão onde estava a coberta e dei várias mordidas em meu lanche.

Taehyung: Sua vó não entra aqui não né? – Perguntou de boca cheia.

- Só de vez em quando, mas está trancado.

Taehyung: Ah... Mas como eu vou usar o banheiro?

- Pode usar o meu. – Apontei para o banheiro.

Taehyung: AAH! Então ali é o banheiro... Pensei que era um closet.

- Quem me dera.

Assim que terminei de comer, fui escovar os dentes no banheiro e quando terminei voltei para o quarto já me deitando no chão.

- Pode usar uma escova reserva que tem ali.

Taehyung: Ok... 

Ele foi até o banheiro escovar os dentes, quando voltou se deitou na cama.

Taehyung: Pode apagar a luz?

- Mas você estava de pé agora pouco!

Taehyung: Eu esqueci.

 Me levantei, apaguei a luz e deitei novamente, caso ele venha me pedir outra coisa eu jogo ele da janela e ele que se foda depois.

Taehyung: (S/N)? – Me chamou.

- Que foi agora?

Taehyung: Dorme comigo.

Ele chegou a me arrepiar, eu não estava esperando. Envergonhada assenti com a cabeça, a Lua que iluminava meu quarto me permitiu vê-lo chegando mais para o canto da cama para que eu pudesse deitar, me levantei e deitei ao lado dele. Pela cama ser de solteiro tivemos que ficar bem próximos um ao outro, para que coubéssemos os dois na cama, Taehyung nem sequer deu uma aquecida na cama, ele sempre parecia gelado o tempo todo, me mexi para que pudesse tocar em seu corpo e ver a temperatura, queria saber se eu não estava enganada.

Taehyung: Vou virar pra lá.

Ele provavelmente estava incomodado comigo o olhando o tempo todo, então decidi que me viraria também:

- Eu vou virar pra lá também.

Taehyung: Oka-

 Não me aguentei, Taehyung está perto demais, tive que beija-lo, no momento ele ficou imóvel, eu devo ter o surpreendido, mas se soltou, nos beijamos. Taehyung beija muito bem, por conta disso eu me apaixonava ainda mais.

 Os lábios macios dele me fazia pirar, ele fez a mesma coisa que havia feito mais cedo, abriu a boca para que eu pudesse encaixar a minha. Calmo e prazeroso, esse é o beijo dele. A mão dele estava em meu rosto próximo à bochecha, sempre na mesma temperatura, gelada. Eu a segurava tentando aquece-la junto de seus lábios, mas era incapaz mesmo com todo meu fogo.

Taehyung: Acho melhor pararmos. – Disse interrompendo o beijo – Caso contrário não serei capaz de me segurar se prosseguirmos. – Ele lançou seus olhos para a minha boca ainda a querendo.

Será que esse “Não serei capaz de me segurar” quer dizer que ele vai transar comigo se prosseguirmos?

Nos conhecemos recentemente, mas acho que confio nele o bastante, eu quero o Taehyung, ele me quer também... O Dong que me desculpe, mas eu pretendo namora-lo.

 Fechei meus olhos. Senti a mão de Taehyung vir até meu short e então um puxão para que ficássemos ainda mais próximos, encostei minha cabeça ao peito dele e adormeci.

 


Notas Finais


ai q lindus
------------------------------------------------
Twitter> @Salycann
------------------------------------------------


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...