1. Spirit Fanfics >
  2. Bughead - P.S.: Ainda Amo Você >
  3. Bughead - P.S.: Ainda Amo Você 14

História Bughead - P.S.: Ainda Amo Você - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um hehehhehe

Boa leituraaa!!

Capítulo 15 - Bughead - P.S.: Ainda Amo Você 14


— O que você tá sonhando?

Jughead toca minha testa com a colher para chamar minha atenção. Estamos no Starbucks fazendo a lição de casa depois da escola.

Eu despejo dois pacotes de açúcar bruto em meu copo de plástico e mexo tudo com minha colher. Eu tomo um longo gole, e grânulos de açúcar derretendo contra os meus dentes.

— Eu estava pensando em como seria legal se as pessoas da nossa idade poderiam estar apaixonadas como se fosse a década de 1950.

Imediatamente eu desejo que eu não tivesse dito "apaixonadas ", porque nunca mais Jughead disse nada sobre estar apaixonado por mim, mas é tarde demais, as palavras já estão fora da minha boca, então eu só pressiono e espero que ele não perceba. 

— Nos anos 50, as pessoas apenas se encontravam, e era tão fácil assim. Como uma noite Burt pode levá-la a um cinema drive-in, e na noite seguinte Walter pode levá-la a uma sock hop ou algo assim.

Confuso ele diz:

— Que diabos é uma sock hop?

— É tipo uma dança, como em Grease. – Jughead olha para mim sem expressão. – Você nunca viu Grease? Estava na TV ontem à noite. Não importa. O ponto é que, naquela época você não era menina de alguém até que você tivesse um broche.

— Um broche? — Jughead repete.

— Sim, um rapaz daria uma garota o broche da sua fraternidade, e isso significava que eles estavam ficando firmes. Mas você não era oficial até que você tivesse o broche.

— Mas eu não estou em uma fraternidade. Eu não sei nem mesmo como parece um broche de fraternidade.

— Exatamente, — eu digo.

— Espera você está dizendo que quer um broche ou você não quer um broche? 

— Eu não estou dizendo nada disso. Só estou dizendo, você não acha que havia algo legal na forma como costumava ser? É antiquado, mas é quase… 

O que Polly está sempre falando? 

– Pós-feminista.

— Espere. Então você quer ir em encontros com outros caras?

Ele não parece chateado, necessariamente, apenas confuso.

— Não! Eu apenas… Estou apenas fazendo uma observação. Eu acho que seria legal trazer de volta o namoro casual. Há algo doce sobre isso, você não acha? Minha irmã me disse que gostaria de não ter deixado as coisas ficarem tão intensas entre ela e Archie. Você mesmo disse como você odiava que tivesse ficado tão sério com a Cheryl. Se nós terminarmos, eu não quero que as coisas fiquem tão ruim que não possamos estar juntos na mesma sala. Eu ainda espero que sejamos amigos, não importa o quê. 

Jughead despreza isso.

— Comigo e Cheryl, é complicado por causa de quem Cheryl é. Não é como eu e você. Você é… diferente.

Eu posso sentir meu rosto ficar tudo ruborizado de novo. Eu tento não parecer muito ansiosa quando eu digo:

— Tipo diferente como?

Eu sei que estou procurando um elogio, mas eu não me importo.

— É fácil estar com você. Você não me deixa todo louco e perturbado; você é… – A voz de Jughead some quando ele olha para minha cara. – O Quê? O que foi que eu disse?

Todo o meu corpo se sente apertado e rígido. Nenhuma garota quer ouvir o que ele disse. Nenhuma garota. A menina quer ter um menino louco e perturbado – não é a parte de estar apaixonado?

— Quero dizer que é uma coisa boa, Betty. Você está brava? Não fique brava.

Ele esfrega o rosto cansado. Hesito. Jughead e eu dizemos um ao outro a verdade; é assim que tem sido desde o início. Eu gostaria que continue assim, em ambos os lados.

Mas então eu percebo a preocupação súbita em seus olhos, a incerteza, e não é algo que eu estou acostumado a ver nele. Eu não gosto de ver. Nós só estamos juntos de novo um par de semanas, e eu não quero começar uma nova briga, quando eu sei que ele não fez por mal. 

Eu me ouço dizer:

— Não, eu não estou brava, — e só isso, eu não estou mais.

Afinal, eu sou a única que estava preocupada em ir longe demais com Jughead. Talvez seja uma coisa boa que ele não fique louco e perturbado por mim. As nuvens em seu rosto se limpam instantaneamente, e ele está ensolarado e brilhante de novo. Esse é o Jughead que eu conheço.

 Ele engole seu chá.

— Veja, isso é o que quero dizer, Betty. É por isso que eu gosto de você. Você apenas entende.

— Obrigada.

— De nada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...