História Bughead -True love - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Riverdale
Personagens Alice Cooper, Antoinette "Toni" Topaz, Archibald "Archie" Andrews, Cheryl Blossom, Elizabeth "Betty" Cooper, Forsythe Pendleton "FP" Jones II, Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Hal Cooper, Jason Blossom, Polly Cooper
Tags Bughead, Choni, Riverdale, Varchie
Visualizações 130
Palavras 797
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - Cheryl Blossom


     * Cheryl on *

 

  Depois da aula, eu voltei com Toni para a casa dela. Fazia uma semana que morávamos juntas devido aos problemas com meu irmão.

     Betty não tardaria a chegar. Ela e  Jughead só andavam juntos agora, não sei o motivo, então provavelmente ele a traria para cá.

     A campainha toda e eu vou atender. Como suspeitava,  Betty estava com Jughead. Ele disse que quando terminássemos, Bets devia ligar para ele. 

    - Cheryl, - ela começa a falar- eu sei o que está acontecendo com seu irmão, mas eu preciso que você me prometa que não falará nada para ninguém, nem para Toni.

     - Você falando desse jeito me dá medo...

     - Não seja boba Cheryl!

     Eu disse para ela se sentar no sofá. 

     - Então, o que está acontecendo? - eu perguntei.

    - Para início de conversa, você terá que saber mais sobre os serpentes...

    Ela me explicou sobre a mãe dela, FP Jones, um tal de Tallboy e uma guerra que poderia acontecer. Quem imaginava que uma coisa dessas poderia acontecer em Riverdale?

     - Mas o que isso tem a ver com meu irmão?

     - Ele e Polly estão envolvidos com esse Tallboy, e é por isso que eu estou morando com Jug, porque eles e os outros aliados estão tentando nos matar.

     - Nossa Senhora Betty! Estou até arrepiada...

     - Então é por isso que seu irmão sumiu e está todo estranho. Faz sentido agora?

     - Faz. Absoluto. 

      Apesar de ter muita raiva do meu irmão por tudo que ele estava fazendo, doía meu coração admitir aquilo. Tenho muitas lembranças boas de nós dois: Jason me fazendo cócegas, correndo atrás de mim e me consolando nos momentos difíceis.

      Minha mãe e meu pai sempre foram distantes de nós dois e muito cruéis conosco, então basicamente, ele é minha única família. Até aquele momento.

      Como ela já tinha terminado de me informar tudo, eu a convidei para assistir um filme comigo e com Toni no meu quarto.

      - Que filme vamos assistir? - Toni pergunta.

     - Betty escolhe, ela é nossa convidada.- eu respondo.

     - Vamos assistir um filme de ação! Que tal " Missão Impossível"?

     - Gostei da ideia. - Toni disse e eu aperto play.

     Estávamos na metade do filme quando Betty começa a encarar um porta retrato na minha cabeceira.

    - O que foi Betty? - Eu pergunto.

    - Ela me parece familiar... - diz sobre a pessoa na foto- O que ela é sua? 

    - Minha vó. Infelizmente ela morreu a um bom tempo, quando eu ainda era muito pequena. Eu não me lembro direito dela, mas minha mãe me disse que foi graças a ela que essa família ainda continua unida. Então guardo um porta retrato dela aqui.

      - Qual era o nome da sua vó? 

      - Rose. 

      Betty congela e arregala os olhos. O que estava acontecendo? Ela se levanta, pega seu celular e liga para a mãe.

     - Alô? Mãe! Qual o nome da vovó? Sua mãe.

    - Rose, Betty. Por quê? 

    - Depois te explico. Quando ela morreu, eu tinha quantos anos? - ela soava um pouco desesperada.

     - Só um aninho. Você pode me explicar o porquê dessas perguntas? 

     - Eu preciso falar com você, urgentemente. Mais tarde passa lá na casa do FP.

     Ela desligou o celular. Bets estava espantada por algum motivo que eu não sabia. Ela olhou para mim e perguntou:

     - Cheryl, desculpe a pergunta, mas quando sua vó morreu, você tinha quantos anos?

      - Só um. Por isso não me lembro dela. Por que você está me perguntando isso?

     - Eu acho que somos primas. 

     - COMO ASSIM? 

     - Ela é minha vó também. A Rose.

     - Então sua mãe e a minha são irmãs?

    - Pelos fatos, são sim.

    - Mas por que elas nunca nos falaram nada sobre isso? 

    - Essa é uma pergunta que eu não sei responder.

    - Não estou acreditando que você é MINHA PRIMA! Que coincidência! 

     - Isso não falta em Riverdale...

     Depois de tanto conversarmos sobre aquela nova revelação, que até agora não havia entendido completamente, Betty ligou para Jughead avisando que era para ele buscá-la.

    - Você já era especial para mim, agora sabendo que você é da família, é ainda mais...

    - Você também Cheryl. Se precisar de alguma coisa, me avisa.

    - Ok. Obrigada por me contar tudo sobre meu irmão. 

    - Você merece saber toda a verdade.  

    Jughead aparece e nós nos abraçamos...

Ela sobe na moto dele e diz: " Acabei de descobrir que eu e Cheryl somos primas!". Ele sorri para ela e a partir disso não escuto mais nada. Observando os dois se afastando, percebo que um dia quero ter o que eles têm: amor e companheirismo, por mais que eles não percebam isso.

 

*************************

 

   


Notas Finais


Esse episódio foi mais dedicado a Cheryl, pois na minha opinião ela é uma personagem muito boa, e merece ser aproveitada nessa história.

E aí, o que estão achando ?

Love you, Duda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...