História Bully - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Luke Castellan, Percy Jackson
Tags Annabeth, Annabeth Chase, Bully, Bullying, Drama, Percabeth, Percy, Percy Jackson, Riordanverse, Romance
Visualizações 119
Palavras 1.427
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, LGBT, Romance e Novela, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


TA AI
bom último capítulo
A gente conversa mais lá embaixo

Desculpa eu juro q não foi de propósito mano

Capítulo 10 - Eu prometo


POV Percy Jackson


Uma aula experimental de boxe que durara pouquíssimo tempo não parecia o suficiente para me preparar para isso. Mas que se foda, eu faria assim mesmo.


Apanhei no armário o saquinho aveludado, guardando com cuidado no bolso da jaqueta.


E lá se fora minha mesada de bons meses.


Caminhei sozinho até a porta do refeitório, não queria envolver Grover nisso, e logo que entrei notei meu alvo. Luke, Lance e outros caras que cheiravam a babaquice estavam sentados numa das maiores mesas do refeitório, bem no centro, e mesmo que ocupassem menos da metade do espaço ninguém ousava chegar perto. 


Idiotas, todos idiotas.


Em passos largos eu fui até eles. Sim, isso mesmo. Eu fui até a mesa mais tóxica daquele lugar. 


Sequer me notaram, nunca notam, afinal. Mas hoje eu recusava essa invisibilidade. Minhas mãos bateram na mesa, atraindo olhares, e não somente os deles. Todo o refeitório pareceu cessar as próprias conversas, e ao longe eu vi Annabeth quase deixar sua bandeja cair em surpresa.


- Mas que merda você pensa que está fazendo? - Perguntou Luke, se levantando incrédulo com uma risada. Ele parecia ver tudo como uma grande piada.


- Você e o Lance. Lá fora. Agora. - Pedi, tirando coragem do fundo do poço. Minha perna escondida pela mesa tremia, e eu me esforçava para esconder isso e não gaguejar. 


- Só pode estar de brincadeira. - Luke ergueu os braços, exasperado. Ele não me lavava nem um pouco a sério. Sua mão pousou em meu ombro, e então o sorriso sumiu, encoberto por uma carranca que visava me colocar medo. - Não quero te mandar pra uma cama de hospital, cara. - Qual é, eu era ameaçado por Annabeth Chase em seus anos de bully, ele achou mesmo que seria fácil assim me fazer dar para trás? 


- Jura? - Assumi sua postura anterior, rindo. - Por que é exatamente o que eu quero fazer com você. - Conclui, agora mais baixo.


Meu cérebro gritava que não tinha muito que ele pudesse fazer. Se eu fosse largado quebrado numa vala ele sequer se esforçaria para me salvar. Mandei que ele ficasse quieto.


Andei em passos apressados para fora do refeitório, vendo os rostos assustados me encararem. Me olhavam como se fosse a última vez que me veriam, como se eu tivesse assinado minha própria carta de óbito. Até Annabeth parecia sem reação, antes de largar tudo que tinha consigo na mesa mais próxima e correr para fora.


E a multidão de alunos veio atrás dela,  de mim, consequentemente. Queriam ver briga, sangue e de quebra ter o que falar no resto da semana. Eram curiosos, e até apostas eu pude jurar serem feitas. Todas em Luke, claro. Respirei fundo, estava tudo bem. Eu conseguiria.


Parei no meio do pátio, cruzando os braços e vendo os dois brutamontes se aproximarem, um pequeno exército de marombas atrás de si. Ao nosso redor um conglomerado de alunos parecia excitado com a situação toda, celulares gravavam e alguns ousavam torcer. Sabia que não era justo, mas tentaria. 


- Eu vou acabar com ele. - Disse o que reconheci como Lance, dando um passo à frente e cerrando os punhos.


Cerrei os meus também, imitando precariamente os movimentos que lembrava de Annabeth. 


Falando nela, a loira estava ali, roendo as unhas na linha de frente. Vendo a luta como todos, mas parecendo muito mais interessada em interferir. Eu sabia que ela relutaria em me defender na frente de todos, isso a mostraria mais frágil do que ficar beijando o cara que agrediu por anos nos armários da escola.


Mas mesmo assim eu sorri para ela, passando uma confiança que eu não tinha. 


E nesses segundos de distração Lance avançou. Era rápido demais, mas cambaleando para o lado e quase caindo eu consegui desviar, seus punhos acertando o ar em falso. Eu estava na vantagem por alguns segundos, e nisso meu corpo reagiu dando uma cotovelada em suas costas e vendo ele ir para a frente. 


Eu havia acertado o primeiro golpe!


Lance voltou a postura mais depressa do que eu pensei que aconteceria, não me dando espaço para desviar de seu soco dessa vez, e tudo que pude fazer foi defender meu rosto, sentindo meu nariz arder com o impacto abrupto. Mas podia ter sido pior.


Tentei lhe dar um chute, mas o desgraçado segurou minha perna, jogando-a para trás e me fazendo cair no chão. Tentei me erguer depressa, mas um joelho pousou em meu peito, não o de Lance, o de Luke. E esse mesmo eu vi erguer o punho e desferir um golpe forte em meu peito segundos depois. 


Arfei em dor. Aquele primeiro golpe fora uma ilusão doce, eu não daria conta mesmo. E agora os garotos me cercavam, um paredão de músculos estalando os ossos prontinhos para me bater. Um chute da esquerda, e eu nem sabia quem era. Minha gola sendo puxada e o sorriso alucinado de Luke.


E então um pouco de luz.


- Já chega! - Ouvi a voz gritada da Chase. Eu sabia que ela viria.


- De novo isso? Maldita cão de guarda. - Disse Luke em um ímpeto, batendo o pé. Mas já era tarde, Annabeth abria caminho entre os caras e afastava todos de mim com empurrões ou simplesmente se aproximando e fazendo o que fazia de melhor, meter medo. 


- Repete. - Disse, cruzando os braços em frente a Luke. - Mas repete direitinho. - Sua voz era aveludada, mas escondia milhares de más intenções. 


- Cão de guarda. - Rangiu o loiro, agora mais devagar. 


Annabeth suspirou, como se estivesse cansada. E quando eu pisquei Luke estava no chão, a apenas alguns metros de mim, a loira montada sobre seu peito e socando seu rosto com afinco. 


Logo os outros caras se deram conta do que acontecia, se aproximando e tentando puxar Annabeth. Um deles teve seu pé torcido e caiu no chão também, outro correu com o nariz sangrando após um soco e o terceiro eu achei que não seria mais capaz de ter filhos. 


Quando Annabeth se ergueu Luke estava destruído, o rosto sujo e o peito subindo e descendo depressa. Eu não estava muito melhor, mas foi algo satisfatório de se ver. A loira se dirigiu até Lance, ainda parado próximo a mim, os olhos embebidos em medo.


- E você, vai querer apanhar uma segunda vez? - Perguntou minha valentona, e então com um aceno rápido e negativo eu vi aquele cara enorme correr de volta para dentro da escola. - VOLTEM A CUIDAR DAS SUAS VIDAS! - E assim a multidão também se dissipou, deixando alguns corpos feridos e Annabeth Chase para trás.


- Obrigado. - Murmurei, quando a vi pairar sobre mim.


- Espero que não se mete em encrencas de novo. - Pediu, me estendendo a mão que eu apanhei depressa. Ali, entre meus dedos estava o saquinho de veludo pequeno, que eu apanhara durante a briga. - O que você tinha na cabeça quando… - Eu já estava de pé, e em sua mão estava o pequeno presente. - Que porra é essa?


Respirei fundo, indicando o pacote em suas mãos constrangido. 


- Eu imaginei isso mais como uma cena legal onde eu derrotava os caras e te salvava pela primeira vez, mas não saiu como o planejado. - Admiti baixinho, eu era um sonhador e na minha cabeça parecia que daria perfeitamente certo. Os deuses ajudariam um cara apaixonado. - Mas no fim funcionou, acho que isso prova que ninguém vai tirar sua força, que ninguém é capaz de te tornar menos você. - Conclui com um sorriso pequeno, pondo um dos joelhos no chão. 


- O que você está fazendo? - Questionou Annabeth, sua voz saindo baixinha e surpresa.


- Annabeth Chase, eu prometo te dar todo apoio que precisar. Até continuo as aulas na academia de boxe se isso for fazer você me ver como alguèm mais forte. - Garanti, erguendo meus dedos e apanhando o saquinho de veludo de seus dedos. - Mas o fato é que eu gosto de você, gosto muito, não sei como pôr em palavras ainda mas acho que isso é algo que podemos descobrir juntos. - Expliquei, abrindo-o e tirando de lá o par de anéis que eram minha última esperança. - Namora comigo?


Comprimi meus lábios numa linha fina, olhando seus olhos cinzas bonitos ficarem desfocados. Sua boca se abriu um pouco e então suas mãos cobriram o rosto. 


Eu ainda estava tenso, ainda estava ajoelhado, e ainda sem uma resposta. Mas recebi um abraço.


Notas Finais


E é isso
Concluam oq quiserem
Nao vou dar a resposta pra você
Mas pensa q Annabeth Chase aqui nao é uma garota normal?

Chuta
Ela aceitou ou ela não aceitou?

Fim da nossa historinha babys
Aiai
Eu escrevi isso tão rapido e postei mais rapido ainda pq uns e outros pediam e eu nao sei dizer nao skksks
Mas foi gostosinho
Fazia tempo que eu nao escrevia algo simples
E acho q pra reaver o hábito da escrita tem q ser assim, aos poucos.
Muito obrigada a quem leu, serio, eu precisava disso. É bom ver q eu ainda ser escrever ksksks

E desculpe o final em aberto
Talvez eu faça um spin off
Sla
Enfim
Sua última oportunidade de me deixar um comentário e teu favorito babe, faz ai
E ate outra fic ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...