1. Spirit Fanfics >
  2. Bunny - Saidahmo >
  3. Sim!

História Bunny - Saidahmo - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Olá! Como vocês estão? Enfim! Perdão pela demora, mas agora que eu tô com meu computador de volta, acho que vai melhorar a frequência, principalmente porque a short está na reta final!


Boa leitura!

Capítulo 5 - Sim!


Os anos foram se passando, e com isso trazendo mais responsabilidades para as híbridas, Dahyun havia finalizado sua faculdade há pouco tempo e começado a trabalhar como repórter investigativa, enquanto isso, quanto às híbridas mais velhas, Sana havia feito um curso técnico em edificações e Momo estava faculdade de enfermagem - essa que terminaria em poucos meses.

E algo que havia partido o pequeno coraçãozinho de Mina era que elas tinham decidido se mudar, sair de sua casa, onde ela poderia tomar conta de seus amorzinhos e ter certeza que elas sempre estariam bem. 

Okay, okay, talvez a Myoi estava exagerando, pois elas moravam no apartamento da frente e a japonesa mais nova tinha a chave.

- Amores! Cheguei! - Completamente exausta, Momo entrava em casa após tirar os sapatos e os deixar na estante, provavelmente duas namoradas já tinham chegado do trabalho, mas Hirai chegava um pouco mais tarde pela distância do apartamento até a faculdade.

- Quarto! - A voz alta de Sana fez Momo correr para o lugar para o qual já seguia.

Deitadas na cama, suas namoradas estavam abraçadas embaixo do cobertor, seus lábios inchados e vermelhos denunciavam que tinham passado algum tempo se beijando, Hirai acabou sorrindo como uma tola, elas ficavam lindas daquele jeito.

- Dia estressante, bebê? - A voz calminha de Dahyun levou toda a raiva de Momo para fora de seu corpo, agora tudo o que habitava era vontade de se deitar ali e ficar com elas, mas precisava se limpar, por isso ainda estava em pé, na frente do armário, tirando seu casaco. 

- Demais… droga, meus ombros até doem.

- Vai tomar um banho de banheira quentinho Momoring. - Os braços de Sana a envolveram por trás, por alguns segundos Momo ficou sentindo o cheiro refrescante de Minatozaki. - Vamos fazer algo bem gostoso para nós três, então prometo que vou te fazer uma daquelas massagens que você gosta. Depois você pode decidir o que faremos.

- Ah Deus! Eu amo tanto vocês! Façam bibimbap, por favor! 

- Sim, senhora. - Dahyun, quem geralmente cozinhava - por sempre ter sido quem ficava com Mina a observando - assentiu, então se levantou espreguiçando por alguns segundos. - Quer algo de sobremesa? Tem alguns sorvetes, pudim, bolo, posso fazer algo para você. 

- Não precisa, vida. Só um pedaço de bolo com sorvete, vou dormir bem com isso.

- Tudo bem! Agora vai pro banho!

Seguindo o que suas namoradas mandaram, Momo tomou um longo banho de banheira onde hidratou seus cabelos, cauda e orelhas. Além de, claro, ter passado um bom tempo apenas aproveitando o calor e balançando os pés pela água colorida com a bomba de banho.

Quase uma hora depois - por que sinceramente! Demorava demais para desembaraçar e secar seus pêlos por serem tão espessos e tantos-, estava entrando na cozinha, limpa, cheirosa, com cabelos, pele e pêlos hidratados e macios, além de claro, um conjunto de moletom bem quentinho - mesmo que fosse um pouco justo e curto por ser de Dahyun - e os cabelos úmidos caindo pelas costas. 

Aquela cena fez as duas híbridas que, antes cozinhavam, babarem olhando para a mulher que estava simplesmente… linda.

- Puta merda… eu namoro duas grandes gostosas! - Um suspiro soou de Sana, não conseguia acreditar que aquelas duas eram dela. 

- Deixa de ser boba! 

- Vem cá, vem. - Quase automaticamente, o corpo de Momo entrou nos braços de Sana, estava tão cansada que só queria comer e sua massagem. - Prometo que faço a massagem com o que você quiser, tudo bem? Só cima e descanse. 

- Sim, senhora…

***

Como prometido, Momo se alimentou deliciosamente bem, comeu dois ou três pedaços de bolo com sorvete, então naquele momento se encontrava em sua cama, com a cabeça no colo de Dahyun. Os dedos pequenos da namorada acariciavam seus cabelos enquanto Sana procurava o óleo para massagem, Minatozaki conhecia bem sua namorada para saber qual ela gostava, por isso pouco tempo depois voltou com o potinho rosa com cheiro de frutinhas. 

- Por mais que você esteja gostosa demais com esse moletom justinho da Dahy, vou pedir que você o tire, babe. Eu também não vou reclamar muito de te ver seminua. 

- Idiota! - Mas mesmo assim, Momo fez o que lhe foi pedido, segundos depois estava deitada sob o colo de Dahyun, dessa vez sem a parte de cima do conjunto. 

Os dedos da Minatozaki, já familiarizados com o corpo da namorada, desabotoou o sutiã de Hirai, não com malícia, apenas para ter mais facilidade em massagear as costas de Momo. 

Suas mãos pressionavam com a força ideal cada ponto tensionado dos músculos de sua namorada, Hirai apenas conseguia suspirar baixinho - e às vezes grunhia de dor em algum ponto mais tensionado -, mas, além de tudo, apenas a sensação de ter o corpo quente de Sana sobre o seu, ter Dahyun ali tão próxima com as mãos em seus cabelos, só aquilo já a deixava completamente relaxada. 

- Já está bom, não? - A voz calma de Sana despertou Momo de seu estado de torpor. 

- Não… eu quero mais…

- Vira que eu te dou outra coisa. - Novamente, como a boa menina que era, Momo obedeceu ficando de frente para Sana.

E tudo o que Dahyun conseguiu fazer foi ver suas namoradas se beijando em seu colo, seu corpo se arrepiou completamente, ainda mais com as mãos de Sana em suas coxas a ajudando com o apoio para ficar naquela posição.

- Vocês vão ficar só se beijando e me esquecer? - O tom rouco de Dahyun fez suas namoradas ofegarem.

Droga, quem poderia as culpar? Eram literalmente coelhas!

- Vem cá…- A voz rouca da Kim fez suas namoradas suspirarem quase em deleite avançando sobre ela.

***

- Cansou? - A risada suave de Sana reverberou pelo quarto vendo Momo estirada na cama, exausta, a Hirai tinha seu corpo todo manchado pelas mãos e bocas de suas namoradas, seu peito subia e descia com força pelo cansaço, até mesmo seu rostinho estava vermelho enquanto o braço dela se mantinha em seus olhos. - Olha, Dahy, ela estava falando que ia aguentar quando nós falamos que íamos acabar com ela, mas não aguentou nem metade.

- Eu disse que cheguei cansada em casa, é claro que eu não aguentaria tanto quanto o normal.

- Deveria admitir isso. - Enquanto as japonesas implicavam uma com a outra, Dahyun sorria as observando com um sorriso suave no rosto, talvez fosse a hora. - Amor. O que foi? Você está tão quieta. Também está cansada?

- Não, eu estou bem, babe. - Kim sorriu acariciando levemente o rosto bonito da Minatozaki, então se levantou sobre os olhares atentos das duas. 

- Dahy, volte para a cama, amor. Aqui está frio, eu estou com sono, quero dormir com vocês duas. - Momo já estava aconchegada contra o peito de Sana, mas ainda assim, gostava das duas ter suas duas mulheres com os braços envolta do seu corpo enquanto dormia.

- Espera. Eu preciso fazer uma coisa, eu preciso pedir algo para vocês. Hm… há alguns dias, no aniversário da Sannie, eu fui em uma joalheria para comprar o presente dela e encontrei uma coisa, algo que eu lembrei de vocês assim que eu vi, lembrei de algo que quero fazer há tanto tempo e eu tenho coragem de fazer agora, então, por favor, me deixe dizer. 

O quarto do trisal tinha uma escrivaninha que elas mandaram fazer, grande o suficiente para que elas pudessem estudar e trabalhar juntas, sem nenhuma delas precisar ter um escritório, havia três cadeiras de escritório, - sendo a de Dahyun a mais confortável por ser quem ficava com as namoradas no colo o dia inteiro -, espaço para três gavetas para cada, espaço para o notebook e os documentos do trabalho e estudo, tinha sido por isso que Dahyun havia conseguido esconder uma caixinha de alianças em meio dos documentos de sua pesquisa de um último caso. Quem reparou primeiro no que estava acontecendo, foi Sana, seus olhos se arregalaram no mesmo segundo quando viu aquele pequeno objeto de veludo nas mãos pequenas de sua namorada, segundos depois, Momo a seguiu finalmente compreendendo o que estava acontecendo ali.

Ela realmente faria aquilo? 

- Eu… vocês sabem que eu não sei como fazer essas coisas, como… como eu posso dizer o que eu sinto, que eu gosto de fazer isso por gestos, músicas, não por palavras, porque eu não sou boa nisso, mas eu espero que vocês me aceitem assim, para o resto da vida de vocês. Porque eu quero que vocês se casem comigo!

- Você… meu deus! - A primeira a se jogar nos braços de Dahyun, foi Momo. 

A Kim sorriu largo quando o corpo de sua namorada caiu sobre o seu fazendo-a se deitar no chão, as mãos de Dahyun se apoiaram com firmeza na cintura de Momo sentindo o abraço quentinho ela, estava feliz, mas faltava algo. Sana, faltava a Minatozaki.

A japonesa estava sentada na cama, ainda em choque, mas assim que sentiu os olhos das namoradas, ou melhor, noivas em si, Sana voltou ao mundo real, no mesmo instante, seus olhos se encheram de lágrimas pela emoção e felicidade.

- Sim… é claro que sim...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...