1. Spirit Fanfics >
  2. Bunny Bleu - taekook >
  3. Capítulo 10

História Bunny Bleu - taekook - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


OIEE! Espero que gostem do capítulo de hoje! 💙💙

Já falei que amo os comentários que recebo? ❤

Capítulo 10 - Capítulo 10


Quando as palavras, finalmente, escaparam dos lábios carnudos de V, foi impossível ignorar minhas cogitações sobre estar em um sonho.

— V-você está me dando um miraculous? — perguntei, ainda desacreditado.

— Sim, Jeongguk — V me respondeu, e todos os meus nervos se afloraram ainda mais. — Birdie J não está aqui, então...

Com um sorriso gigante preenchendo toda a minha feição, assenti, antes de abrir a caixinha que ele acabara de entregar. De forma intensa, um brilho azulado e circular invadiu toda a minha visão, fazendo-me semicerrar os meus olhos.

Assim que toda aquela luz desapareceu, deparei-me com um relógio de bolso branco e com alguns símbolos azulados na frente, meu cenho, automaticamente, se franziu.

— Você deve abrir o relógio, Jeongguk — o herói me orientou.

Ao fazer o que ele mandou, a imagem de uma mulher recoberta de azul e com um guarda-chuva apareceu. A partir disso, de repente, um bichinho branco, de cabeça enorme e corpinho pequeno, com orelhinhas de coelho e olhinhos azuis sobrevoou ao meu redor.

— Jeongguk! — a voz aguda do ser cabeçudo soou. — É um prazer te conhecer!

— O q-que é você e como sabe o meu nome? — perguntei, arregalando os meus olhos.

— Eu sou o Fluff!

Fluff?

— E ele é um Kwami — V completou.

— Kwami? O que é Kwami?

— Kwamis são seres mágicos criados desde a criação do universo. Eles são os responsáveis pela nossa transformação.

— Sério?! — olhei para o kwami Fluff. — Então, V, você também tem um kwami?

— Sim, tenho.

— E cadê ele?

Olhei ao redor, mas não havia nenhum ser parecido com o Fluff.

— Para os heróis se transformarem, precisamos estar dentro dos miraculous — Fluff explicou. — No caso do V, o kwami dele está dentro do seu anel.

— Então, Jeongguk, no seu caso, o Fluff entrará em relógio.

— C-como?

— Você deve gritar a frase: "Fluff, sentido horário!" — Fluff tornou a dizer.

Respirei fundo, prestes a gritar a frase citada.

— Espere! — Fluff gritou. — Existe uma observação.

— Que observação? — rolei os olhos.

Queria logo saber o que aconteceria após eu gritar a minha frase.

— Sabe quando V e Birdie J gritam as suas frases?

— Está falando do "Garras soltas" e "Miraculosous Birdie J"?

— Exatamente — V continuou. — Você também tem uma frase importante como a nossa.

— Você, ao se transformar, ganhará um guarda-chuva, que permite a sua viagem no tempo — Fluff proferiu. — Então, quando você fechar e abrir o seu guarda-chuva, deverá gritar a frase "Toca do coelho!", e uma toca será criada para você viajar no tempo.

Isso tudo parece tão... surreal. Ainda nem estou crendo que lutarei ao lado de V, uma das pessoas que mais admiro.

— Mas você só poderá viajar pelo tempo uma vez! — V disse.

— Tava bom demais pra ser verdade... — suspirei, pensativo. — Tem mais coisa?

— Sim — revirei os olhos novamente. — Após fazer isso, você terá apenas cinco minutos antes de voltar ao normal.

— É por isso que, sempre que gritam as suas frases, você e o Birdie J ficam ainda mais apressados... — liguei os pontos. — É porque vão voltar ao normal em seguida.

— E ninguém pode saber a nossa verdadeira identidade, sabe? — assenti, coçando o queixo. — Daí, é só você alimentar o seu kwami para que ele fique mais revigorado e possa te transformar de novo.

Fui concordando com a cabeça, usufruindo das dicas de V e Fluff antes de poder, finalmente, me transformar.

— Então..., eu vou me transformar! — avisei, a empolgação me dominando.

— N-não, espera! — Fluff gritou, e eu rolei meus olhos pela terceira vez. — Quando quiser se destransformar antes de gritar a sua frase mágica, é só gritar: "Fluff, sentido anti-horário!".

— Tá, tá, tranquilo... — minha ansiedade e impaciência estavam acabando comigo. — Posso me transformar?

— Sim! — os dois disseram, em meio as risadinhas.

— FLUFF, SENTIDO HORÁRIO! — gritei, erguendo o meu punho direito para cima.

De forma súbita, Fluff se transformou em um vulto azul e entrou no relógio, e foi o momento em que toda a mágica aconteceu.

Sentindo os meus instintos dominarem todo o meu ser, apenas deixei-me ser guiado. Comecei com as mãos em meus cabelos, sentindo orelhinhas de coelho subirem no topo de minha cabeça. Também tateei meus olhos, fazendo uma provável máscara surgir ali. Em seguida, pulei alto e uma roupa azul com alguns zipes brancos e um pompom na frente foi percorrendo o meu corpo, até que levantei a palma da minha mão, um guarda-chuva azul surgindo ali.

— Acho que já estou pronto...

Passei a olhar para o meu corpo, e ele estava inteiramente recoberto por um uniforme azul e com listras brancas nas minhas panturrilhas e em zípers. Uma sensação de adrenalina me percorria, e parecia que meus músculos estavam ainda mais potentes. Uau! Estou, realmente, sentindo-me um super-herói.

— É assim que você e o Birdie J se sentem? — perguntei para V, que apresentou uma feição confusa. — Ágeis e fortes?

— Sim. Isso faz parte da transformação. Agora, foco! Vamos lutar com a Governanta Temporal.

Antes mesmo que eu pudesse me pronunciar, V foi pulando sobre alguns prédios e casas. Bom... se ele consegue pular tão alto, também devo conseguir.

Agachei-me um pouco e pulei o mais alto que pude, conseguindo saltar em um enorme prédio. E, naquela conjuntura, não fui capaz de conter o meu radiante sorriso, afinal, para mim, nunca que seria possível pular tão alto daquele jeito.

V estava lá na frente da Torre Eiffel, e precisei pular mais algumas casas e correr um pouco mais para alcançá-lo. O mais legal de ser veloz desse jeito é que, não importa o quanto eu corra, jamais um suor escorre por minhas têmporas.

Finalmente alcancei V, e lá estávamos nós, em frente à Torre Eiffel.

— Você é rápido, Bunny Bleu!

— Agradeça ao Fluff que entrou no meu miraculous.

— E onde está o seu miraculous? — os olhos daquele ser maravilhoso se arregalaram.

— Guardei nesses compartimentos que estão em meu uniforme.

— Você não deve deixar, de forma alguma, que a Governanta Temporal consiga pegar o seu miraculous, tá?

— Tudo bem!

— Também nunca diga quem você realmente é, e nem pense, já que ela pode ler a sua mente!

Cocei meu queixo, assimilando tudo aquilo que me era dito.

— Mas... — comecei. — E se ela, mesmo com a minha máscara, perceber que eu sou o Jeongguk?

— Você sabe quem eu sou por trás dessa máscara? — neguei com a cabeça. — Então, é a mesma coisa contigo. As pessoas nunca param pra pensar, mesmo estando na cara.

— Entendi...

Subitamente, a imagem de Governanta Temporal surgiu em nossa frente, assustando-nos.

— Ora, ora... parece que o V arranjou um novo parceiro — a vilã cantarolou. — Será um prazer acabar com vocês dois!

Ela tentou desferir diversos socos pelo rosto de V, mas o herói conseguiu desviar de todos os seus golpes.

— Me dê o seu anel, V!

— Nunca! — ele chutou o abdômen da akumatizada, fazendo-a cambalear para trás.

Eu estava meio perdido em relação à toda aquela luta entre eles. Me parecia difícil lutar contra uma vilã que usa os outros para viajar no tempo.

— Irei capturar o Jeongguk e o Taehyung para poder voltar no tempo e arruinar o plano que eles fizeram! Vocês dois não podem impedir a minha justiça!

— Isso que você tá fazendo não é justiça! É vingança! — juntei toda a minha coragem para lhe dizer, ainda confuso sobre tudo.

Se eu quisesse mesmo ser um herói determinado e feroz, precisava deixar as coisas fluírem, como V e Birdie J faziam para derrotar os akumatizados. Preciso esquecer que estou lutando ao lado da pessoa mais extraordinária do mundo e agir de forma valente.

— Claro que é justiça, herói desconhecido! — Governanta Temporal tentou me atingir com a ponta de sua máquina do tempo, que mais parecia um aspirador de pó, usada, provavelmente, para sugar os meus amigos. — Saiam da minha frente e me deixem capturar os outros.

— Para a sua informação, o meu nome é Bunny Bleu! — gritei com todas as minhas forças. — E não vamos deixar você capturar o Jeongguk e o Taehyung!

— Isso aí!

— Bom... já que resolveram me atrapalhar, vou capturar vocês dois!

Ela, mais uma vez, virou o ponta de sua máquina-aspirador na nossa direção, e, mesmo utilizando a minha incrível força, senti o meu corpo ser puxado para dentro.

— Rápido, Bunny Bleu! — V me puxou brutamente pelo braço, afastando-me da direção da máquina-aspirador. — Use o seu poder!

— TOCA DO COELHO! — gritei, abrindo e fechando o meu guarda-chuva azul.

Meu coração se acelerou quando um círculo branco apareceu em minha frente.

— O-o que eu faço com isso?

Perguntei, sentindo o nervosismo apossar-se de mim. E se algo desse errado?

— Você vai usar essa toca para viajar no tempo e impedir a Governanta Temporal de ficar akumatizada! — V, ao meu lado, orientou-me.

— Tudo bem.

Sem pensar duas vezes, entrei na toca. Uma certa claridade dominou os meus olhos, até que eu finalmente saquei que estava em uma sala branca e cheia de círculos, ou tocas. Dentro deles, haviam várias dimensões temporais, porém, todas elas estavam desfocadas.

Ainda confuso, tateei uma delas, e vi o desfoco sumir e a imagem de um dinossauro em sua terra surgir. Meus olhos, automaticamente, arregalaram-se. Não sabia que era possível viajar tão longe no tempo.

— Tudo bem... — respirei fundo. — Preciso apenas encontrar o momento em que brincamos com a Rosângela e o Namjoon.

Continuei focado em encontrar o momento certo, até que escutei o meu relógio apitar, então o tirei do meu bolso, e lá, estavam presentes cinco barrinhas de cenoura brancas, representadas em forma de símbolo. Provavelmente, é aquilo que V me explicou: ao usar o meu poder, tenho apenas cinco minutos antes de me transformar de volta.

De qualquer jeito, não tenho nada capaz de alimentar o Fluff aqui comigo, então preciso agir rápido, para, depois, voltar para onde estava e encontrar com V novamente.

Tateei, com toda a ansiedade do mundo, mais um dos círculos – já era o quinto que eu testava –, e, para a minha sorte, consegui encontrar o momento em que Rosângela briga conosco. Rolei os dedos da esquerda para a direita, na intenção de avançar a discussão que ocorria.

De repente, a figura de Rosângela indo embora finalmente surgiu, então me vi pronto para entrar nessa toca. E foi o que fiz.

Entrei na toca e vi o meu eu do passado com os meninos, mas me escondi em um arbusto para que eles não me vissem. Só que eu não podia deixar que a jovem sumisse da minha vista, desse jeito, levantei o arbusto e cobri o meu rosto, passando na frente dos meninos.

— Quem é aquele maluco com uma moita no rosto? — escutei a voz, nada discreta, de Yoongi.

— O corpo dele parece muito com o seu, coelhinho! — aquele, obviamente, era o Tae.

— Sim... — ouvi a minha própria voz assentir. — Ele deve estar indo para uma festa fantasia...

Tentei não me irritar comigo mesmo e segui e voltei a seguir a Rosangela. A garota caminhava batendo os pés, enquanto tirava o seu celular do bolso.

E foi aí que eu tive a ideia mais genial de todas.

Corri para atrás de uma árvore o mais rápido que podia.

— Fluff, sentido anti-horário!

Rapidamente, todo o meu uniforme de herói sumiu, assim como minha super força e agilidade.

— Eu estou tão cansado, Jeonngguk... — Fluff confessou, saindo do meu relógio, que estava em minha mão esquerda.

— Eu já vejo se tem algo pra te alimentar, mas antes preciso salvar Paris — avisei, vendo os olhinhos azuis do kwami apresentaram confusão. — Rápido, se esconde na parte de trás da minha camisa!

Com o kwami escondidinho, voltei a correr atrás da menina.

— Rosângela! — gritei. — Rosângela!

Ela, rapidamente, olhou para mim, assumindo uma feição ainda raivosa.

— O que você quer? E... espera! Que camiseta branca e bermuda jeans são essas? Você não estava de camisa azul há poucos minutos?

Eu não parei para pensar na possibilidade de ela notar tal diferença...

— O Tae t-tinha trago uma c-camisa reserva, daí ele m-me emprestou!

— Hm..., e o que quer aqui?

— Eu vim me perdoar por tudo aquilo que arrumamos...

— Você interrompeu os meus minutos de reflexão só para dizer isso?! — ela gritou.

Se as coisas continuarem desse jeito, ela pode ser akumatizada novamente!

— N-não! Eu também gostaria de te chamar para... comer alguma coisa! Isso!

— Por que você faria isso?

— Porque estou muito arrependida, e acho que comer um macaron é uma ótima redenção, sim!

A garota voltou a me fitar, ainda pensativa.

— F-fica tudo por minha conta!

— Fechado! — ela sorriu.

Não sei de onde vou arrumar dinheiro, mas é melhor do que voltar para o futuro e ver os meus amigos ainda presos naquela máquina.

Com as têmporas suadas, a levei para a minha casa e pedi dinheiro para a minha tia, alegando que era urgente. Fiquei feliz ao vê-la me oferecer o seu dinheiro mesmo assim.

Então, sendo assim, nós dois partimos para a padaria mais próxima e mais barata que encontramos. Rosangela comeu uns macarons e eu também, daí quando ela parecia distraída, ofereci um para Fluff, que foi se alimentando aos pouquinhos.

— Sabe, Jeongguk... — ela começou, quando já tínhamos acabado de comer tudo. — Não sei porque o resto dos seus amigos não vieram se desculpar também, mas eu me sinto muito mais calma. Obrigada.

— Não precisa agradecer! — arrisquei um sorriso. — Bom... eu vou indo! Tenho que terminar uma lição acumulada!

— Tchau!

Com um sorriso gigante no rosto, voltei a correr para o mesmo beco escuro e deserto que V havia me entregado o miraculous coelho, pois ele fica bem ao lado da simples padaria que fomos.

— Acho que saquei o seu plano — Fluff sorriu.

— É exatamente isso que você deve estar pensando — também expressei um grande sorriso. — Mas a ideia foi toda do V. Eu ainda estou muito confuso...

— Pelo menos você conseguiu. Agora..., diga as duas palavras.

— FLUFF, SENTIDO HORÁRIO!

E foi aí que toda a magia da transformação aconteceu novamente.

E eu já iria usar o meu poder de novo.

— TOCA DO COELHO! — gritei, e a mesma toca branca de antes surgiu.

Entrei no portal cheio de tocas e, por sorte, ao lado da dimensão em que eu havia livrado a Rosangela dos seus sentimentos negativos, e, consequentemente, do akuma, estava V, em frente à figura de Governanta Temporal.

Voltei ao meu destino!

Entrei naquela toca e encontrei V e a vilã.

— Você conseguiu fazer o que eu pedi, Bunny Bleu?

— Sim!

Dessa forma, antes que voltássemos a nos pronunciar, Governanta Temporal foi voltando ao normal, e o akuma, este que estava preso em sua pulseira, saiu do objeto.

— Ótimo! — V sorriu fortemente. — Ela voltou ao normal sem que precisássemos encontrar o objeto akumatizado, agora, precisamos de Birdie J!

— Aqui estou! — a figura de Birdie J apareceu em nossa frente.

— C-como você surgiu do nada? — perguntei, gaguejando.

— É uma longa história... — o herói coçou a própria nuca. — Agora, deixem que eu purifique o akuma.

Birdie J prendeu a borboletinha em seu ioiô e a purificou.

— MIRACULOUS BIRDIE J!

Ainda nem havia caído a ficha de que eu presenciei tudo aquilo de pertinho... Foi tão surreal.

— E qual é o seu nome, herói com orelhinhas de coelho?

— C-como eu fui parar aqui? — Rosangela perguntou, antes que eu pudesse responder Birdie J.

— Não se preocupe com isso! — V sorriu, colocando as mãos nos ombros da jovem. — O que importa é que, agora, tudo deu certo!

— Tá, né! — ela deu de ombros.

Birdie J continuou a olhar para mim, seu cenho franzido.

— O meu nome é Bunny Bleu — expressei um sorriso.

— Você sempre irá salvar Paris conosco?

Cocei o meu queixo, lembrando-me das palavras de V:

"Assim que a missão terminar, vai devolver o miraculous para mim. Posso confiar em você?"

Embora eu quisesse continuar a ser um herói ao lado daqueles dois, perder a confiança de V é, no momento, um dos meus maiores medos.

— N-não — suspirei, entristecido. — Preciso devolver o miraculous para o V.

— É... — V se pronunciou. — Levarei Bunny Bleu para o esconderijo logo, afinal, o relógio dele está apitando.

E foi só quando ele mencionou o meu relógio que eu percebi o seu "beep beep". Estou prestes a voltar ao normal!

Comecei a correr ao lado de V para o esconderijo escuro e deserto em que o meu miraculous foi entregue. No mesmo instante, todo o meu uniforme de herói desapareceu e um suspiro fraco me escapou.

— Foi muito bom ajudar você nessa, V...

— Que bom que gostou! Sempre que eu e Birdie J precisarmos de mais uma ajudinha, já sei a quem chamar — ele me deu uma piscadela, e só aquilo já foi o suficiente para os meus batimentos se desregularem.

Apenas exibi um sorriso sem mostrar os dentes e acenei, virando-me para ir embora.

— Espera! — ele segurou o meu ombro.

— O que foi? — voltei a olhar para ele.

Taehyung fechou as suas mãos, deixando que o formato de um soco ficasse presente, virando-o em minha direção.

Ele queria fazer o mesmo que fazia com Birdie J?

— N-não precisa disso... O miraculous nem é meu.

— Eu imploro!

Dei de ombros, finalmente chocando as nossas mãos.

— Lacrou! — dissemos em uníssono.

Embora eu tentasse fingir não me importar com o simples contato, eu estava prestes a explodir de alegria por dentro.

Afinal, não é todo dia que o cara por quem você é totalmente apaixonado te nota!

— Tchau, Jeongguk, e obrigado pelo macaron! — Fluff acenou com suas pequeninas mãos.

— Tchauzinho, Fluff!

---

Quando cheguei em casa, meu celular apitava com as diversas mensagens que eu recebia. Quando abri o chat de conversas, a primeira coisa que vi foi a existência de um novo grupo.

Eu, simplesmente, odeio quando inventam de me pôr em grupos!

Mas o nome do grupo me instigou...

O novo héroi!

Gente... que grupo é esse?


[Hobi-hyung <3]

Gostou? Foi eu quem criei!

Você não viu o novo herói fantasiado de coelho?

Foi ele que nos livrou da Governanta Temporal

Ele parece viajar no tempo.

Tu nem viu o visual dele ahauaauha

[Yoong-hyung]

Perdeu, opário.

Otário*

Aish, mereço


Eu estava ocupado


Poderiam ter me mandado mensagem avisando, sei lá!


[Hobi-hyung <3]

Mandei mensagem nada, pô

O cara mal apareceu e já foi embora quando nós saímos da máquina!

E ele viu vocês?


[Hobi-hyung <3]

Não, nós corremos e ficamos só nos binóculos

Mas ele e o V correram pra algum lugar e sumiram de vista.

Só sobrou o Birdie J.

Me chama da próxima vez!!!!!


[Yoong-hyung]

Pelo o q percebi...

A tal governanta não te capturou

Caso o contrário, você teria surgido com a gente

Então não nos culpe pela sua lerdeza, tá?

Eu.Mereço.


[Yoong-hyung]

Bjs bjs.

[Hobi-hyung <3]

Bjs bjs.

Sem pensar duas vezes saí do grupo que aqueles dois embustes me puseram, voltando a ver se tinha mais mensagens, e, felizmente, eram do Tae.

[Tete-hyung do meu <33]

Oiieee

Viu o novo herói?

Ouvi dizer que o nome dele é Bunny Bleu

Exatamente o nome que eu te apelidei, acredita?

Não, não vi o herói


Ele se chama Bunny Bleu?


É incrível o quanto o mundo é cheio de coincidências


[Tete-hyung do meu <33]

Sim!

Como você sabe que o nome dele é Bunny Bleu?


E quando foi que você fugiu do meu banheiro?


[Tete-hyung do meu <33]

Fugi do seu banheiro quando ouvi os sons da akumatizada

E fiquei com medo de ter sido encontrado

Daí fui para a minha casa pela porta da frente

Desculpa por não ter dito antes


Não tem problema


Mas ela poderia ter te achado!!!


Tu precisa tomar mais cuidadoo!!!


[Tete-hyung do meu <33]

Sim, senhor!

Bom, preciso ajudar na arrumação da casa!

Mas, se eu pudesse, dormia aí com você

Para te encher de beijinhos

Após ler as suas últimas mensagens, não tive coragem de digitar mais nada em resposta, então apenas me deitei em minha cama, assistindo ao cair da noite.

Abri as minhas cortinas, passando a observar a enorme lua cheia brotar no céu limpo e azul escuro. Eram quase sete horas da noite e eu já estava quase desmaiando de tanto sono. Acho que o que me esgotou foi ter pulado sobre aquelas casas e prédios como se fosse a coisinha mais simples do mundo.

Ainda é difícil de acreditar que eu ganhei um miraculous, mas sei bem que não foi um sonho.

Consigo sentir o cheirinho de V. Ele tem um aroma doce, suave... É impossível não se apaixonar.

Não acredito que lutei ao lado do ser que mais admiro nesse mundo.

Também não creio no quão difícil foi mentir para o Taehyung, no entanto, ficou necessário.

Se V disse que eu preciso guardar segredo, eu preciso guardar segredo. Não importa as circunstâncias.

Mas, pelo visto, nada é impossível quando se trata de Paris, a cidade dos sonhos e do amor.

Eu sempre sonhei em me tornar um herói e lutar ao lado de V.

Agora, sonho em me tornar um herói novamente e ter V como o meu amor. Já cansei de dizer que sou hétero, porra!

Preciso conquistar aquele ser precioso. Mais que tudo.

Posso estar obcecado? Posso, mas foda-se.

Então, unindo as palmas das minhas mãos em frente ao meu queixo, me vi prestes a fazer uma coisa que, por mais infantil que seja, eu acredito que funcione.

— Estrelinha cadente..., eu quero muito ganhar o miraculous do coelho de novo! Quero muito me aproximar de V e conquistar o seu coração, assim como ele conquistou o meu! Obrigado por me ouvir! 


Notas Finais


Até domingo que vem! 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...