1. Spirit Fanfics >
  2. Burning Seduction >
  3. Parte I

História Burning Seduction - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite, meus amores! Enfim, vamos com uns avisos antes de lerem, okay? Ok!

- Essa fic era para sair ontem no meu niver, mas né, eu não consegui terminar, ia ser uma one, mas, puts, deu merda e aqui estou, colocando como era originalmente, uma two.

- Essa fanfic já foi postada em uma outra conta secundária que eu tinha, na época em que eu tinha dado meu sumisso da kyp, tentei voltar com uma conta nova e escrever de novo, como um recomeço; porém, também não consegui e apaguei o perfil semanas depois de postar a fic.

- Ela foi reescrita, mas essa primeira parte é a mesma coisa da antiga, mas como eu sei que vocês são legais, quem já chegou a ler a outra versão, vai ler de novo esse cap, nu vai? *^*

- Graças ao meu amor @Solune essa fic voltou, heim. Ela faltou me matar porque apaguei essa fanfic na época e tava quase todo dia me lembrando dessa fic, então ela foi a minha maior motivação para voltar aqui com ela ksks TE AMO GOSTOSA DA MINHA VIDA 😋✌❤

- ESSA FANFIC FAZ PARTE DE UMA AGORA COLETÂNEA QUE EU TENHO DE FANFICS/ONES SOBRENATURAIS QUE TÊM MUITA SEMELHANÇA ENTRE SI, POR ISSO SE TORNARAM PARTE DE UMA COLETÂNEA AMORES SOBRENATURAIS - PRINCIPALMENTE PARA DISFARÇAR O FATO DE QUE EU, AUTORA KYP, SOU A MINHA PRÓPRIA PLAGIADORA 😔✌

- Sakura tem 20 anos; Sasuke, 233 anos.

- Tem cenas pesadas de sexo; mas aqui não, então fiquem tranquilos. Mas logo aviso que ela é mais pesada sim pro lado sexual, e quem não curte, pare por aqui, por favor. Também se não gosta de fic assim, vai ler minhas outras e ver se curte alguma, pelo menos. Me dá essa forcinha jovem/velho desocupado hehe 😔✌

De mais, digo no próximo capítulo. Desculpem os erros, leiam e dêem amor, por favor. ✌😔❤ Beijus, amo vocês. Perdão pelo vacilo!

CAPA PELA MINHA DEUSA QUE EU AMO TANTO QUE ATÉ NEM AGUENTO @Solune MARAVILHOSA DEMAIS MEU NENÉM ME MATOU ESSE TIRO FOI BRABO AI DEUX OBRIGADA VOCÊ NÃO IMAGINA O QUANTO EU TÔ FELIZ E O QUANTO EU TE AMO MINHA MARAVILHOSA!!! ❤❤❤😭😭😭😭😢😢😢😢😍😍😍

Capítulo 1 - Parte I


Fanfic / Fanfiction Burning Seduction - Capítulo 1 - Parte I

Escrita by Kypsz

Biblioteca ─ Universidade de Konoha, Quarta-feira, 15h48min 

Com os olhos verdes grudados nas páginas do livro que segurava, Sakura Haruno se perdia em mais uma história que achara nas prateleiras da centenária biblioteca da Faculdade, local onde poucas pessoas costumavam ir, e por isso se tornara o seu ambiente favorito desde os anos que cursava ali. Com o silêncio que reinava, facilmente conseguia se concentrar e fazer seus trabalhos, atividades e, claro, ler, uma das coisas que mais amava fazer desde pequena. 

Não era como se ela costumasse sempre se manter presa ali nas suas horas vagas, mas, quando conseguia ter um tempo bom e livre de qualquer outro compromisso, lá estava, tranquila e sem ter ninguém para tirar-lhe a concentração. Ela adorava a paz que ali possuía, mesmo que às vezes, quando se pegava com a mente voltada para a sala praticamente vazia, com somente ela e mais duas presenças no mínimo, senti-se certa solidão tomar-lhe conta do peito. 

Chateada com a lembrança de seu antigo melhor amigo, sorriu triste ao suspirar depois de desprender sua atenção do livro. Naquele dia em especial, era o aniversário dele, e tudo o que fizera foi uma ligação que durara somente dez minutos, com uma conversa breve sobre como estava a vida do Alfa e parabenizando-o pela data especial. 

Ela gostaria de ter ficado mais tempo conversando com ele, porém, com a chegada de mais presenças no ambiente, tiveram que encerrar a ligação para que a comemoração daquele dia tivesse início na casa. Pelo menos tivera a certeza de que ele estava bem, ao menos. 

Naruto Uzumaki, um Alfa que considerava seu melhor amigo e antigo companheiro de cio ─ quando podia ─, no qual também se apaixonou perdidamente sem querer, eles se conheciam desde crianças, a amizade foi sincera, principalmente quando se viram confiando um no outro para algo importante que iniciou-se em suas vidas na adolescência: o período de cio. 

Dias torturosos para alfas e ômegas, mas que os amigos costumavam passar juntos, pois a confiança um no outro deixava-os mais tranquilos sobre aquilo, e era ótimo para ambos que não queriam nada sério na época, como uma marca, pois eram jovens demais ainda. Mas que para Sakura, ao menos, foi o momento também em que se pegou apaixonada pela primeira vez, e por alguém que jamais imaginaria antes de tudo acontecer, e os momentos que tinham juntos eram ainda melhores para si e a paixão que dominava seu peito aos poucos. Com a morte de seus pais, Sakura passou a ter mais ainda o apoio do Uzumaki, o que fortaleceu mais a relação e a dependência dela pelo amigo. 

E foi assim até o momento em que enfim o loiro encontrou a sua prometida, Hinata Hyūga, uma jovem doce e amorosa, que despertou nele um sentimento forte demais, e foi  apenas isso que bastou para as coisas entre os amigos de infância mudarem completamente. 

Naruto, quando começou a se relacionar sério com a morena, imediatamente se viram noivos e, em seguida, casados, não demorando muito para que se mudasse do país e fosse ter a própria família em um lugar distante, enquanto Sakura permaneceu no Japão, em Konoha, morando com a tia ─ a qual já havia falecido ─ na mesma cidade onde nascera e jamais saiu. 

Foi só o que faltou para que cortassem os laços de vez; raros dias em que se falavam, mas ela nunca ousou criticá-lo por esquecê-la e abandoná-la sozinha ali, pois sabia bem que Naruto estava passando por um período feliz e cheio de surpresas, ainda mais com a recente notícia da chegada do terceiro filho do casal. 

Ela adorou saber da novidade, e foi fácil perceber o quão feliz o melhor amigo estava apenas pela ligação, então não tinha como se sentir triste, mesmo que estivesse sentindo sua falta todos os dias ali. E, ainda, na faculdade, ela pouco conversava com os outros colegas, poderia dizer facilmente que era quase invisível, se não fosse pela sua classificação de ômega, e que ainda estava sem companheiro aos 20 anos, o que atiçava os alfas solteiros da universidade. 

Mas claro que Sakura nem ao menos dava-lhes atenção, e mesmo com a difícil tarefa de se manter presa em casa nos seus piores dias, jamais se deixaria ser tomada por algum deles, ainda mais com suas famas que davam nela nada mais do que um sentimento forte de nojo, principalmente os que tentavam obrigá-la a aceitar convites cheios de segundas intenções para festas ou encontros, como costumava acontecer de vez em quando assim que a viam pelos cantos, quieta e concentrada em alguma coisa. 

Se muito fosse contar, apenas uma única pessoa ali considerava um amigo de verdade, e este, mesmo com as diferenças alarmantes que tinham, estava fazendo o possível para ao seu lado permanecer, sem importar-se com a forma como era difamado nos corredores de UK. 

Sakura soltou o ar, deixando seus cotovelos jogados em cima da mesa branca de mármore, erguendo as orbes esmeraldinas quando ouviu-se passos se aproximando e, em seguida, uma figura alta tomar conta de sua visão; com sua pele pálida, cabelos negros como carvão, rosto simétrico e ombros largos, reconheceu de imediato Sasuke Uchiha, o atual maior encrenqueiro que fingia ser bad boy, mas que na verdade, somente fingia mesmo para aumentar a sua fama no campus entre as jovens. 

─ Por que você sempre desaparece? Eu te procurei em vários lugares. ─ começou a lhe perguntar, abrindo um ladino sorriso ao fitá-la minuciosamente. 

Sakura quase revirou os olhos, mas apenas deu de ombros e se voltou a fitar o livro em cima da mesa. 

─ Eu sempre estou aqui, Sasuke. ─ foi direta, demonstrando desinteresse. 

Ela não estava nos melhores dias, de fato. O que aconteceu naquela manhã apenas contribuiu para que seu humor se tornasse ácido ao ponto de querer ignorar a presença dele ali, mesmo que soubesse que de nada adiantaria. 

O moreno, ignorando totalmente a forma de falar dela, se movimentou até estar ao lado da garota, puxando a cadeira e se sentando para estar ainda mais próximo dela. Ouvindo-a suspirar, continuou a falar, sustentando o mesmo sorriso de antes: 

─ É, eu sei. Mas me diga: o que te deixou tão irritada? Algum idiota mexeu com você? ─ de repente, sua expressão mudou para mais séria, esperando uma resposta dela. 

Gostaria muito que não fosse nada, caso contrário, não pouparia força para acabar com quem fosse o responsável por tirar a paz dela e deixá-la de tal maneira. 

Sakura negou apenas, o olhando por alguns instantes. 

─ Ninguém mexeu comigo, seu encrenqueiro. Apenas não estou num bom dia. ─ foi simplista, na realidade, nem mesmo era uma mentira. 

Quando conheceu Sasuke, há quase um ano, acabaram se esbarrando na entrada do prédio de sua primeira aula da tarde, e logo se pegou surpresa com as atitudes cavalheiras do moreno, causando um imediato sentimento de simpatia por ele. 

Mas com o tempo em que iam criando intimidade um com o outro, se tornando amigos e, ainda, começando a terem a liberdade de cometerem certos atos que muitos repudiariam se soubessem, descobriu que ele não era nada do que aparentava ser de início, se mostrando um vampiro pervertido e sem escrúpulos, língua solta e um imã para confusão. Soube também, por ele próprio, que o esbarrão na verdade fora planejado, tudo porque seu cheiro doce o atraiu de longe. 

Acertou-o com um tapa e disse que não queria mais falar com ele, mas, dias em dias sendo perseguida pelo vampiro que insistia em querer ser seu amigo, enfim cedeu outra vez à amizade deles que foi crescendo, porque, claro, também gostava da companhia dele e da maneira como se davam bem ─ mesmo com todas as diferenças e a facilidade de Sasuke tirá-la do sério. 

Conseguinte disso, a relação deles se tornou uma bela amizade, poderia afirmar. Sasuke a compreendia, parecia sempre disposto a ajudá-la no que precisasse. E então, o pior aconteceu: uma atração que não deveria existir, por parte de Sakura, ao menos, nasceu de repente para deixá-la assustada e receosa. Não deveria ter nada daquilo entre eles, principalmente porque ela não queria que a mesma coisa que aconteceu no passado se repetisse e, ainda, bem conhecendo o Uchiha, seria problemático demais ter qualquer tipo de sentimentos por ele além de amizade. 

Mas ela nem mesmo tinha mais como negar para si mesma que estava atraída por ele, o que, definitivamente, era uma droga para si. 

Sasuke, assim que começou a ganhar sua fama de bad boy que se envolvia em brigas e mais brigas sempre com a categoria mais forte de lobos, os Alfas, conquistou seus fãs e seus inimigos, resultando também em vários lobos a fim de terem a sua cabeça numa bandeja. Mas o moreno pouco parecia se importar com aquilo, e quase todos os dias algum outro Alfa corajoso o enfrentava e sempre, sem exceção, era humilhado pelo Uchiha da forma mais ridícula possível. 

Nem mesmo os próprios bruxos da faculdade sabiam explicar a força e poderes sobrenaturais que o moreno adquiriu de sua linhagem poderosa de vampiros, e o que mais causava receio nos seus inimigos, era o que Sasuke nomeava como Sharingan, ou Mangekyou Sharingan, no qual torrava qualquer ser vivo até que restasse somente suas cinzas. E, ainda, para piorar, sua facilidade de se sair de uma briga sem tomar nenhum dano, pelo seu conhecimento avançado em defesa e ataque, consequência de treinos árduos que disse ter sido obrigado a fazer quando ainda era humano e uma criança. 

Sasuke não era somente um simples vampiro, mas sim filho do imortal mais temido e poderoso que já pisara na Terra, tendo correndo em suas veias o sangue do Líder dos Vampiros, Fugaku Uchiha. Mas estranhamente, Sasuke havia saído da própria cidade para viajar pelo mundo após séculos vivendo embaixo das asas da família, e decidiu, mesmo já com seus 233 anos completos, se passar por um mero universitário atrás de diversão justo na pacata cidade de Konoha. 

No fim, agradecia que ele não tinha mais nada o que fazer, senão nem ao menos teriam se encontrado. E bom, Sakura era feliz com ele ao seu lado, mesmo que reprimisse seus reais sentimentos por ele. Não queria se machucar outra vez, essa era a verdade. E muito diferente de Naruto, o moreno era bastante mulherengo, gostava da sua liberdade para ficar com quem quisesse, e com quantas achasse bom. 

Como ela poderia saber disso? Bom, apenas julgando pela quantidade de mulheres que ele ficava por dia, era fácil chegar em tal conclusão. 

Definitivamente, não cederia. 

─ Eu acho que, na verdade, você está é fugindo de mim a semana inteira. ─ sorriu mais, ganhando o olhar dela para si, quase arregalados e tomados de surpresa, que logo viraram confusão. 

─ Por que você acha isso? ─ indagou, incrédula. 

Primeiro: não era exatamente o que estava fazendo. Segundo: talvez, realmente, estivesse um pouco mais afastada do Uchiha, mas não porque queria fugir de sua presença, mas porque precisava disfarçar mais a bagunça que estavam seus sentimentos, e ficar colada nele o tempo todo não ajudaria em absolutamente nada. Surpresa estava que ele havia notado, já que o moreno parecia ter outras coisas em mente nas últimas semanas, estranhamente se encontrava mais perdido em pensamentos do que ela própria, algo raríssimo de acontecer desde que o conhecia. 

─ Você acha que eu não reparei, não é? Está enganada; eu noto tudo, Sakura, inclusive como você está agindo estranho ultimamente. ─ a mão de dedos esguios buscou a dela em cima da mesa, entrelaçando seus dedos casualmente, os fitando. ─ E eu não gosto nada disso, principalmente porque sinto que você só quer manter distância de mim por algum motivo que eu desconheço. 

─ Não tem motivo nenhum. ─ quis conseguir transmitir uma verdade através de suas palavras, mas foi inútil e visivelmente estava mentindo. 

Ele arqueou uma sobrancelha, sustentando uma expressão mais séria. 

─ É melhor quando você não está mentindo. 

Sakura bufou, revirando as orbes verdes e deu de ombros por fim. 

─ Não é você, Sasuke, sou eu. O problema é comigo porque ultimamente estou com problemas e isso resulta no meu mau-humor, e eu não quero explodir com você do nada... ─ contava, se mantendo com os olhos presos em seus dedos entrelaçados, ainda mais porque não queria fitá-lo diretamente nos olhos. 

Fácil era também colocar a culpa em que seu período de cio chegaria na próxima semana, mas não era isso; Sasuke não era idiota, saberia que ela estava mentindo mesmo de longe, algo que qualquer vampiro descobre facilmente é quando alguém está mentindo para ele; mas, milagrosamente, viu pelo canto do olho ele assentir, parecendo concordar com sua desculpa meio verdadeira. 

─ Tudo bem. Só que agora eu não pretendo deixá-la se afastar de novo, Haruno. ─ ouviu a voz rouca no pé de seu ouvido, causando imediatos arrepios por seu corpo já tenso. 

O fitou de esguelha, franzindo a testa. Nem ao menos tinha uma resposta para dar, então ficou quieta, analisando-o até o momento em que o rosto do Uchiha se encaminhou para o seu pescoço, aspirando profundamente o cheiro naturalmente doce de ômega, abrindo um sorriso perverso cheio de satisfação. 

─ Nem imaginas como essa semana longe de você foi difícil, preciosa. Eu tive que alimentar-me de bolsas de sangue, porque você quis me torturar com essa distância. ─ murmurava, rouco e sensual demais para a jovem, mesmo que imaginasse que fosse apenas coisas da sua cabeça. 

Não era, Sasuke de fato estava passando a língua quente descaradamente na pele do seu pescoço agora, aumentando o desconforto no seu ventre, o que não deveria acontecer, ainda mais ali, num local público e com câmeras espalhadas em cantos específicos. 

─ Sasuke… ─ precisava controlá-lo, ainda mais quando se via agitada com as ações nada discretas do moreno. 

─ Eu estou faminto, Sakura. Preciso de você. ─ sentiu-o morder, já com as presas afiadas, o lóbulo de sua orelha, que por pouco não arrancou dela um gemido baixo, este que foi disfarçado por um suspiro trêmulo. 

Céus, ele estava fazendo de propósito para desconcertá-la. Talvez fosse uma pequena vingança por não tê-lo alimentado durante dias?

─ Aqui não. ─ murmurou de volta após um tempo em silêncio, aproveitando-se das sensações prazerosas que a boca dele estava causando em seu corpo. ─ Vem. ─ ciciou, enquanto se moveu para fora da cadeira, levantando com ele junto. 

Olhou ao redor discretamente, vendo mais à frente apenas três pessoas concentradas em suas leituras, tanto que não repararam em nada que acontecera instantes atrás. Elas estavam distantes, e Sakura agradeceu por isso. Afinal, o que fariam ali ninguém poderia ficar sabendo. 

Se direcionou até as prateleiras no fundo, entrando em uma fileira mais afastada ainda daquela região, tendo o Uchiha com o mesmo sorriso perverso a seguindo. Quando se enfiaram entre as últimas prateleiras daquele primeiro andar, logo fora prensada pelo moreno, que acabou com as distâncias de seus corpos em segundos. 

─ Seja rápido, ou podem nos achar. ─ a voz dela estava firme e baixa, porém seu corpo ardia em ansiedade. 

Ela não negava que amava aquilo tanto quanto ele, principalmente pelas sensações que tomavam conta de cada canto de seu corpo ao tê-lo lhe mordendo. Normalmente, qualquer outra ômega mais sensata repudiaria a ideia e se negaria a alimentar um vampiro, mas ela, mesmo que soubesse o quão julgada seria se descobrissem, gostava. Gostava ao ponto de às vezes sonhar com ele mordendo-lhe em lugares mais específicos, pontos que acabariam de vez com a sua sanidade. 

De início era apenas uma maneira de facilitar as coisa para Sasuke e fazê-lo parar de caçar vítimas humanas pela cidade, o que começou a se tornar um problema por conta de seu descontrole com sangue humano, algo que ainda não era habituado por sempre ter sido alimentado por sangue de outras espécies sobrenaturais no seu clã. E então, ela propôs que tomasse o seu sangue, mesmo sabendo que aquilo era errado e corria o risco de estar fortalecendo-o ainda mais para causar problemas com as pessoas, mas arriscou ainda assim, e foi se tornando diário os encontros para que fizessem aquilo. 

Ela não sentia quase nada além de dor no começo, era um incômodo que muito a deixava desconfortável, mas fazia mesmo assim. A única parte que gostava era das carícias que ele fazia em seu corpo no processo de tempo em que se alimentava dela, aquilo sim a satisfazia demais. 

E foi quando começou a vê-lo de outra forma, e então tudo mudou; as sensações que sentia se intensificaram para um tipo de prazer jamais sentido antes, capaz de deixá-la de pernas bambas e o coração acelerado, agitada e, nos casos mais vergonhosos, completamente molhada. 

Não imaginava que um dia chegaria naquele ponto, porém, no momento, apenas queria senti-lo fundo na pele do seu pescoço, sugando o quanto quisesse dela. 

─ Você é tão mentirosa, Sakura. ─ sarcástico, seu sorriso cresceu, deixando à mostra as presas brancas e afiadas. 

Quis retrucar, mas antes disso teve suas mãos presas acima da cabeça por ele, que utilizou apenas de uma mão sua para isso, enquanto a outra, mais afoita, desceu para agarrar a coxa dela, segurando-a com firmeza no ar, tudo para que sentisse-a melhor ainda quando enfiou sua perna direita em meio as dela, tirando da Haruno um gemido sôfrego. 

─ S-sasuke… ─ ia protestar, mas nem mesmo tivera essa chance. 

Ele, sem mais esperar, foi com o rosto na direção do pescoço alvo, e ao ter seu ponto certo à mostra totalmente, afundou as presas ali, deixando-a com a boca aberta, sem que nenhum som escapasse. 

Sasuke grunhiu em satisfação com a boca colada na carne dela, ao mesmo tempo em que o corpo pequeno e formoso da ômega se moveu instintivamente, roçando-se na sua perna para aliviar a intensa onda de prazer que a tomava por completo, indo diretamente para os seus pontos mais sensíveis. 

Assim, quando a Haruno tentou desprender suas mãos, teve como resposta o impulsionar bruto do quadril dele contra si, criando nela um desespero interno para ter mais dos arrepios prazerosos e o choque de seus corpos.

Também queria tocá-lo, era o que mais precisava, porém o Uchiha não queria o mesmo, e ia atiçando e aumentando o tesão dela ao investir-se em movimentar sua perna na região íntima dela, coberta pela calça jeans clara, para a total agonia da rosada, que não viu outra maneira a não ser contribuir com os gestos dele, movendo lentamente o quadril para frente e para trás, pressionando com força os lábios um no outro para evitar que qualquer som escandaloso escapasse e denunciasse o ato obsceno que estavam cometendo naquele lugar público, onde qualquer um poderia vê-los e seriam punidos severamente. 

Sasuke, notando o estado febril e trêmulo do corpo feminino, se distanciou do pescoço dela, vendo quando o líquido vermelho escorreu da marca que suas presas deixaram na carne alva, e logo passou a língua ali, não permitindo que nenhuma gota fosse desperdiçada. 

─ Você é uma delícia, sabia? ─ tão mais rouco do que era normalmente, ressoou para ela, malicioso. 

Haruno, ao ouvi-lo pronunciar aquilo de forma tão descarada e libidinosa, mordeu o lábio, já perdendo as contas de quantas vezes fizera aquilo, odiando o fato de que não podia gemer como gostaria. 

As coisas entre eles nunca haviam tomado aquele rumo antes, as carícias gentis que recebia dele não chegavam perto de se tornarem tão íntimas daquela forma. E mesmo com isso, seu corpo estava implorando por mais, o que a levava a continuar movendo mais vezes, porém de modo lento, sua parte pulsante na coxa dele para aliviar-se ao menos um pouco. 

A mão que erguia a coxa feminina se afundou mais na carne macia dela, inevitavelmente tendo o volume em suas calças aumentando cada vez mais. Estava excitado e completamente sedento por ela, por isso, ao levar seu rosto para estalar beijos provocativos na clavícula alva, subindo lentamente os lábios um pouco sujos de sangue para trilhar um caminho até o queixo dela e, depois, o canto dos lábios entreabertos e maltratados por ela própria, voltou a falar, dessa vez tão mais perigosamente perto de devorar-lhe os lábios tentadores: 

─ Eu quero você inteiramente para mim, Sakura. ─ os olhos verdes se encaminharam para fitar suas ônix, criando uma conexão intensa, capaz de transmitir tudo o que estavam sentindo no momento e, ainda, algo à mais do que o desejo dele de consumir a boca rosada por completa, com seus lábios sujos pelos resquícios quase inexistente do sangue doce que experimentara dela outra vez, após longos dias afastados. ─ Quero que você seja só minha. 

Ela, em choque, arregalou os olhos com aquelas palavras dele, o que causou um falhar de batidas em seu peito que subia e descia com agilidade; não quis parecer uma tola, mas sua face estava parecendo completamente de assustada, e não negava que era exatamente assim que se sentia. 

Céus, ouvi-lo falar de tal maneira, coisas que nunca o ouvira dizer antes, a pegou totalmente de surpresa. Tanto que, ao sentir ele afrouxar mais o aperto em suas mãos presas acima da cabeça, se moveu para tirá-las dali, desviando enfim seu olhar do dele. 

─ Sakura? ─ a chamou, notando como a Haruno esfriou de repente, evitando olhá-lo como antes. ─ O que aconteceu? ─ perguntou, confuso com a mudança evidente em suas feições. 

Ela não parecia mais estar excitada e se divertindo como instantes atrás, então se afastou dela, apenas esperando que obtivesse uma resposta da rosada que, ainda em silêncio, tentou se recompor desajeitadamente. 

─ Eu… ─ começou, porém estava difícil formular o que dizer no momento. Suspirou, enfim voltando-se para ele. ─ Você não pode estar falando sério, não é? ─ quis saber, ainda tímida pelo o que tinha acontecido entre eles. 

Sem dúvidas, ela tinha muito saído do seu controle, se levando à um ponto onde não deveria ir, principalmente porque aquilo era pior ainda para si, que sentia mais do que amizade pelo moreno. Se xingou mentalmente, havia possivelmente estragado tudo, e agora, Sasuke com certeza iria perceber o quanto mexia com ela, mais do que aparentava antes. 

Com tão pouco, se deixou levar completamente, e então se sentiu totalmente tomada pela vergonha e receio do que aconteceria de agora em diante; e, para piorar tudo, na sua cabeça agora rondava as palavras tão cheias de segundas intenções e, obviamente, só isso. 

Não havia mais nada nelas além disso, tinha certeza. Por um momento, pensou que tivesse visto, em seu olhar, resquícios de um sentimento além do que costumava ter dele, mas, agora, parando para pensar melhor em tudo o que fizeram e sentiu, não passava disso: tesão, prazer e… Só. 

Afinal, o que mais ela queria? Talvez estivesse sonhando alto demais. E ainda se tratando de Sasuke, deveria sim matar qualquer vestígio de esperança de dentro de si. Sim, ela deveria fazer isso, ou iria somente se machucar, de novo. 

─ É claro que eu estava falando sério, Sakura. ─ rebateu, mantendo agora uma expressão mais séria. ─ Por que acha que não? 

Ela deu de ombros, se colando mais na prateleira atrás de si, tendo agora entre seus corpos uma pequena distância; ele limpou os lábios ainda sujos, voltando a fitá-la, firme, mas parecendo um pouco confuso também. 

─ Eu não sei, Sasuke. Não sei o que você quer dizer com isso, mas eu… ─ parou, vendo-o arquear uma sobrancelha negra. 

─ O quê? ─ deu um passo à frente, de novo, fixo em seu rosto vermelho. 

A menina, sem nem mesmo coragem de permanecer ali, se distanciou dele, respirando longamente. 

─ Nada. Esquece isso. ─ tratou de esconder seu desapontamento, mais consigo mesma por ser tão covarde e medrosa. ─ Estou indo. ─ falou, com o olhar baixo, passou por ele que quis impedi-la, mas preferiu deixar que a jovem se distanciasse de si. 

─ Sakura, eu… ─ tentou dizer alguma coisa depois, mas ela logo já não estava dando-lhe nenhuma atenção mais. 

Confuso, o moreno perdeu a figura rosada de vista, e então se mexeu apenas para sair do corredor das prateleiras cheias de livros e vê-la caminhar de cabeça baixa e mãos fechadas para fora da biblioteca, nem mesmo olhando para trás. 

Não entendia o que diabos tinha acontecido, nem por que ficara sem palavras na hora, mas sentia que no lugar onde estava seu coração que há muito não batia acelerado de tal forma, reinava agora um desconforto incomum demais para conseguir ignorar.


Notas Finais


Eu sei que não é lá muito chamativa, um tema bem clichê, acontecimentos clichês, personagens clichês, mas espero mesmo que tenham curtido. Quem gostou, poderia me dizer sua opinião? Eu amo muito e me incentiva demais os comentários de vocês 😔❤
No mais, amo-os e nos vemos no próximo e último capítulo - sem data de postagem por enquanto.

❤😔✌ Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...