1. Spirit Fanfics >
  2. But call me an angel - Yeonjun - Txt >
  3. Apagão

História But call me an angel - Yeonjun - Txt - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um cap, IEEE
Esse eu consegui escrever rapidinho
Desculpa qualquer erro

Capítulo 14 - Apagão


S/n - você... Você tá...

Eu tampava minha boca me assustando com o que havia passado na minha cabeça. Ele estava... A parte de baixo dele estava... Você sabe.

Eu me levantava igual o flash daquela cama morrendo de vergonha. Eu me contorcia e fazia sons de nojo enquanto o via tapando o rosto e se encolhendo no chão.

S/n - por que você... Eu tô traumatizada pelo resto da minha vida! Espera, eu já morri. Pelo resto da minha morte! Ah, não! É pra sempre! - eu fingia chorar enquanto Yeonjun continuava encolhido

Yeonjun - eu... Eu...

S/n - não, não. Não fala nada! Shiu! Nada disso aconteceu, tá bom? Eu só vou sair daqui e fingir que isso não aconteceu, ok? - eu me direcionava até a porta morrendo de vergonha - eu vou descer e isso nunca mais vai ser dito, certo? - ele me olhava todo vermelho - Passe bem.

Eu respirava melhor fora daquele quarto sem tirar aquela cena da cabeça

Soobin - tá tudo bem? - eu me assustava o vendo aparecer derrepente

S/n - tá. Por-por que não estaria? - eu fingia estar normal

Soobin - pensei que tinha acontecido alguma coisa, estavam demorando. Deixou seu amiguinho plantado, sabia? - ele dizia brincando, soltando uma risadinha

S/n - nunca mais fale amiguinho na sua vida, tá bom? - eu parecia um pouco brava

Soobin - por que não? - apagava seu sorriso rapidamente

S/n - porq... Não interessa. Eu não gosto dessa... Palavra.

Soobin - então tá. Agora vai me explicar o que aconteceu na sala?

S/n - ah, claro. Vamos descer.


.°.• .°. °.•*.°. * •.QT. •. . °• * .°.• .°. °.•*.°

Já virava noite e Yeonjun finalmente criou coragem de sair do quarto. Ele ainda parecia um pouco incomodado tentando evitar contato visual comigo.

Soobin - o que está acontecendo? - ele percebia o ar tenso e a ação estranha de nós dois

"Nada!"

Nós dizíamos juntos recebendo que estava realmente estranho.

S/n - não é nada

Yeonjun - o que poderia ser?

Soobin - esquece... - ele nos olhava estranhando tudo

Yeonjun - vamos ver as câmeras?

S/n - verdade. Esqueci disso.

Yeonjun pegava seu notebook, conectando as câmeras da casa e eu e Soobin observamos atentos às cenas. Enquanto passavam às cenas, conseguia ver a câmera do quarto bem na hora do "incidente". Eu havia entrado em desespero e a única coisa que veio na minha cabeça foi tirar o notebook de Yeonjun. Ele se assustava logo também vendo a câmera do quarto. Eu tirava rapidamente dela, finalmente achando a câmera do lado de fora do outro dia.

S/n - olha só! Eu achei. - eu olhava para Soobin que me olhava confuso com o que tinha feito

Yeonjun - valeu! - ele pegava de volta calmamente - bom, vamos ver o que temos aqui.

Na câmera podia se ver o movimento normal de Soobin e Yeonjun na casa e a chegada de Lisa. Finalmente aparecia alguém de preto na câmera chegando perto da casa. Logo que íamos conseguir ver seu rosto, a luz da casa inteira cai.

Yeonjun - isso é sério?

S/n - isso é normal?

Soobin - espera - ele ligava a lanterna do celular - meu celular não liga, deve ter acabado a bateria e eu nem vi. Enfim, eu vou ver se foi a caixa de luz. Já volto

Yeonjun - não demora.

S/n - espera, o notebook apagou?

Yeonjun - verdade. Será que quebrou?

S/n - espera, vou ver se foi só aqui que apagou as luzes.

Eu saía da casa indo até a rua escura, vendo de longe toda a cidade apagada.

S/n - Yeonjun!! - eu gritava do lado de fora - a cidade toda tá...

Não conseguia terminar de falar, sendo surpreendida por alguém que segura meu pulso e me tira de lá.

S/n - o que é isso?! - eu olhava para frente, vendo Jinyoung - o quê? Por quê fez isso?

Jiny - que bom que você está bem - ele falava aliviado

S/n - o que está acontecendo? Tem haver com o apagão na cidade toda?

Jiny - então é verdade?

S/n - o quê?

Jiny - eu ouvi que os caçadores conseguiram algum jeito de usar o radar na cidade toda.

S/n - espera. Radar? Na cidade toda? Quem são esses caçadores?

Jiny - não sei. Ninguém sabe. Mas eles escolheram essa noite para acharem as almas guias. Por isso o meu desespero. Mas não sei se todos conseguiram tirar as almas de lá.

S/n - o que acontece se eles pegarem?

Jiny - não sei. Mas sabemos que ela não vai voltar. Há teorias que dizem que eles as usam para esperimentos sobre a vida ou alguma coisa assim. Pode ser apenas uma lenda ou a história é realmente verdade. Mas ninguém sabe.

S/n - como eles conseguem rastrear todas as almas em tão poço tempo e em um lugar enorme assim?

Jiny - também não sei. Mas pelo menos você está bem aqui.

S/n - onde estamos? - eu olhava em volta

Jiny - de volta pro mundo espiritual

S/n - pensei que haviam pessoas andando aqui. Cadê todo mundo?

Jiny - essa é uma parte separada do centro. Podemos dizer quem é a minha parte. Eu posso fazer qualquer coisa aqui.

S/n - qualquer coisa? Como?

Jiny - bom... Eu posso estalar os dedos e... - ele pensava rapidamente - aparecer um sofá - ele faz o dito e aparece um sofá ao meu lado

S/n - uau! - eu me animava com aquilo - você pode fazer aparecer comida?

Jiny - pra que você quer comida se nem sente fome?

S/n - sei lá. Eu só quero. - ele ria de mim estalando os dedos novamente, fazendo aparecer salgadinhos em uma mesinha

Jiny - chega, né?

S/n - não - eu dizia colocando um salgadinho na boca - dá pra ver o pôr do sol?

Jiny - de onde? - falava um pouco cansado disso

S/n - de um campo. Uma casinha simples no campo. Apenas com o som das árvores balançando com o vento e o cheirinho de bolo recém assado.

Jiny - boas lembranças? - ele me olhava com um pequeno sorriso no rosto

S/n - não. São ótimas lembranças.

Jiny - certo. Uma casa no campo saindo! - ele estalava os dedos e eu conseguia sentir toda aquelas emoções que o lugar me fazia sentir.

Eu estava feliz, aconchegada e emocionada lembrando das vezes que ia para a casa da minha vó e esse era exatamente o sentimento de estar lá novamente. O cheirinho de bolo era o melhor de todos. Não sei como, mas o Jinyoung conseguiu fazer tudo exatamente como eu pensava.

Jiny - fique a vontade aqui. Vou ver se todos conseguiram pegar suas almas.

S/n - sem pressa! - eu o via rir e logo sair do local - espera, cadê meu salgadinho?! - eu procurava em volta, não encontrando - Jinyoung! Meu salgadinho! Droga...


.°.• .°. °.•*.°. * •.QT. •. . °• * .°.• .°. °.•*.°

Depois de um tempo explorando o local, Jinyoung voltava, me procurando.

Jiny - s/n!

S/n - tô aqui! - eu o via de longe correndo até mim - e aí? Todos estão bem?

Jiny - a maioria sim. Mas, infelizmente, algumas almas foram pegas - ele mostrava seu rosto triste

S/n - sério? Que horror.

Jiny - pelo menos já fomos avisados que está tudo bem lá.

S/n - que ótimo. Só espero que essas almas estejam bem.

Jiny - enfim. Já pode voltar

S/n - sozinha?

Jiny - não sabe?

S/n - sei sim. Só nunca fiz

Jiny - certo. Então não demora

S/n - Jinyoung! Você não entende sarcasmo? Eu não faço a menor ideia de como fazer isso

Jiny - você aprendeu a aparecer e desaparecer, já até possuiu alguém. Não consegue sair e voltar daqui?

S/n - não, não consigo - eu falava obviamente

Jiny - ah, tá bom. Eu te ensino

S/n - ah não, vai demorar. Me leva logo

Jiny - você só complica as coisas, s/n - eu ria e ele me levava de volta

Aparecia na mesma rua, agora vendo as luzes da cidade acesas e a rua mais clara

S/n - valeu. Acho que já está tudo normal agora.

Jiny - nunca está normal. Mas enfim, eu já vou. Seu cuida e não faça nenhuma besteira, por favor.

S/n - sim senhor. - eu voltava para casa vendo Soobin e Yeonjun conversando na sala.

Yeonjun - onde estava? - se aproximava de mim preocupado

S/n - estava com o Jinyoung

Yeonjun - ele veio te irritar de novo?

S/n - claro que não! Ele só me ajudou

Yeonjun - ajudou com o quê?

S/n - ele me salvou desse apagão

Soobin - você tem medo de escuro?

S/n - não é isso. O Jinyoung me disse que esse apagão era pra rastrear as almas.

Yeonjun - e isso é possível?

S/n - pelo visto sim. Os caçadores conseguiram pegar algumas

Soobin - ainda bem que não te pegaram, s/n.

S/n - Jinyoung apareceu bem na hora. Eu nunca pensaria nisso.

Yeonjun - enfim. Chega de falar do Jinyoung. Perdemos o notebook, mas consegui passar as imagens da câmera para o pendrive.

S/n - você tem outro computador?

Soobin - eu tenho um no meu quarto.

Yeonjun - ótimo! Vamos logo

Nós três subimos para o quarto de Soobin, usando seu computador. Mas, antes mesmo de conseguimos abrir os vídeos, ouvimos a porta ser batida fortemente lá em baixo.

Soobin - alguém iria vir aqui? - nós se entreolhavamos

Yeonjun - não lembro de ter convidado o Hulk pra cá.

Logo depois dele terminar de falar de falar, ouvimos um barulho muito alto, como se tivessem arrombado a porta. O medo batia em nós três logo que ouvimos o som de alguns passos fortes vindo do andar de baixo.

S/n - o que está acontecendo? - eu começava a ficar com medo

Soobin - não faço a menor ideia

Eu logo sentia alguém segurar meu braço

Jack - você tem que sair daqui agora!

S/n - o quê? Eu... Yeonjun! - eu já aparecia em um beco mal iluminado, sem saber quem eram aquelas pessoas

Jack - foi por pouco - ele parecia aliviado

S/n - o que está acontecendo?!

Jack - foi mal, s/n - ele dizia olhando para seus pés

S/n - o que você fez, Jackson? - ficava preocupada e ele me olhava novamente

Jack - estraguei tudo


Notas Finais


Vish kk
oq será q ele fez?
Enfim
Até maiix
Bjs
사랑해


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...