1. Spirit Fanfics >
  2. By chance >
  3. Capítulo 1

História By chance - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Começando essa história só pra estimular minha imaginação fértil que quando se apaixona por um personagem/ator fica criando histórias impossíveis com ele. Minha leitora interior chora por não achar nenhum enredo bom. <br />Espero que gostem e aproveitem, porque eu vou aproveitar. Beixos

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction By chance - Capítulo 1 - Capítulo 1

Acordo sentindo meu celular vibrar embaixo do travesseiro, coço os olhos e me espreguiço aos poucos não querendo levantar hda cama, New York apresentava a temperatura perfeita pra um dia de sono e minha cama praticamente gritava por mim.

- Alô? - Atendo a chamada sem a mínima vontade.

- Bom dia, Beck, desculpa te acordar a essa hora na sua folga, mas é que eu preciso de um favor seu. - Alec, diretor da Calvin Klein, disse tudo de uma vez.

- Não, tudo bem, pode falar. - me encostei na cabeceira da cama já sabendo que teria que trabalhar no meu único dia de folga da semana.

- Lembra daquele ensaio com o ator de On My Block que a gente discutiu semana passada na reunião?

- Lembro sim, mas não era o Jeff que ia fazer as fotos?

- Era, mas ele não apareceu e nem atende as ligações, o Diego chega aqui em trinta minutos e eu preciso de você aqui pra fazer as fotos. - Seu tom era quase de súplica, sei que depois eu seria bem recompensada por isso.

- Chego ai em 20 minutos. - É a última coisa que eu digo antes de desligar e jogar o celular na cama bagunçada.

Poderia muito bem mandar ele a merda e aproveitar meu dia de folga com mais algumas boas horas de sono, mas já me conformei, trabalhar com a Calvin nunca foi fácil, mas o que eu posso fazer? É meu sonho desde que me formei na faculdade. 

Vou até o banheiro do loft fazendo um coque no cabelo pra não molhar e tomo um banho rápido, escovo meus dentes e passo meus produtos de pele ficando com cheiro de morango. Pego no closet uma calça jogguer bege, um cropped básico preto e calço  um coturno também preto. Cato meu celular na cama e uma bolsa qualquer pra guardar minhas coisas. 

- Eros seu preguiçoso, vou sair, tem ração no seu pote e água no bebedouro, mãe te ama. - Grito pro meu gato sem ter ideia de onde ele se enfiou nesse apartamento tendo como resposta um miado manhoso dele.

Tranco a porta jogando a chave na bolsa em seguida, no aplicativo peço um uber com destino ao prédio sede da Calvin. Chamo o elevador e entro nele enquanto ligo pra minha cafeteria favorita, preciso pelo menos beber um café pra aguentar esse sono.

- Starbucks, bom dia. - A atendente disse simpática ao atender.

- Bom dia, eu quero um Mocha Frappuccino pra sede da Calvin, 39th St, por favor. - Pedi já entrando no uber e acenando com a cabeça para o motorista.

- Máquina de cartão, senhora? 

- Dinheiro. 

- Obrigada pela preferência, um bom dia.

- Eu que agradeço. - Coloco o dinheiro no bolso e encosto minha cabeça no vidro escutando a melodia vindo a rádio, fechei os olhos e quando abri já estamos em frente ao prédio. Pago o senhor do uber e saio da carro batendo a porta de leve. O entregador  já estava prestes a entrar na empresa.

- O café é meu. - Chamei a atenção do rapaz com a minha fala, ele me entregou o meu pedido e foi pago, entrei na empresa distribuindo sorrisos aos atendentes e funcionários de limpeza, peguei o elevador sozinha e apertei o 11, o andar era estupidamente perfeito, todo ele era utilizado para fazer fotos, um sonho para qualquer fotógrafo. 

- Eai, mana, dormiu bem? - Dan veio pro meu alcanço assim que me viu sair do elevador. Dei um abraço nele e senti seus braços fortes me envolverem.

- Quando essa empresa me deixa dormir? - Disse em tom de ironia e ouvi uma gargalhada do mesmo.

- Não reclama, monamour, hoje você vai fotografar um puta gostoso e a Sarah, mas se a gente quiser ver só o lado bom da vida fica só um puta gostoso. - Me seguiu até uma mesa onde eu deixei minha bolsa.

- A Sarah? - Fingi uma cara de sofrida arrancando outra gargalhada dele.

- Eu já disse pro Alec que essa garota é sem sal, mas ele ainda insiste nela, fala sério né. Com um rabão que nem o seu no mundo vai ficar usando essa garota de modelo ainda. - Dei um soco de leve no braço dele negando com a cabeça.

- Com essa frase eu posso dizer que você é o gay mais hétero desse prédio. - Provoquei sabendo que ele odiava ser comparado à qualquer tipo de hétero. 

- Tá maluca, mulher? Olha como cê fala comigo. - Ele afina a voz fazendo cara de ofendido  e eu ri. Nessa hora o Alec chega até nós com dois caras, o mais novo e moreno, Diego Tinoco, estrela de uma série famosa da Netflix, o mais velho era seu empresário, Sr. Godolf. Dan se empinou todo e mostrou um sorriso de orelha a orelha me fazendo segurar o riso.

- Beck, Dan, esses são Diego e Sr. Godolf, hoje nossa sessão é com o Diego para a nossa nova coleção. - Alec disse nos oferecendo um sorriso afetivo.

- Prazer em conhecê-los. - Respondi educada comprimentando eles com um aperto de mão, na hora de apertar a mão do Tinoco ele segurou minha mão e deixou um beijo nela me fazendo dar um sorriso pra ele. Dan fez o mesmo e comprimentou os dois.

- Quando a gente começa? - Perguntou o mais novo, ele tem cara de ter uns 22 anos, 1 ano mais velho que eu.

- Estamos só esperando sua parceira. - Alec disse já olhando no seu relógio impaciente com o atraso da Sarah.

- Entediante... - Dan sussurrou no meu ouvido me fazendo rir.

- Acho melhor você já ir trocando de roupa, seu camarim é ali à direita. - Falei pro Diego para adiantar.

Ele foi e levou junto o mais velho, Alec entrou pra sua sala vermelho de ódio com o telefone no ouvido, provavelmente falando com a Sarah. Dan me cutucou com o cotovelo fazendo uma carinha de safado.

- Que foi? - Perguntei sem entender.

- Ele tava quase te comendo com os olhos. -  Sussurrou rindo e eu abri a boca sem acreditar no que ele tinha dito.

- Para de maluquice, cara. - Ri da sua cara e fui arrumar a câmera, as fotos seriam basicamente do “casal” no chuveiro e dele na cama, algumas na cozinha, mas no geral era um ensaio leve pra mim. Ajustei todo meu equipamento com o chato do Daniel me irritando com suas teorias sobre o desejo do moreno por mim.

Por fim ele apareceu com um roupão e uma carinha de tímido me fazendo rir discretamente, mas ele percebeu e veio pra perto de mim sorrindo.

- To engraçado? - Perguntou em forma de brincadeira.

- Não muito, é que você não tem jeito de tímido. - Respondi ajustando a lente da câmera principal.

- Não? Não costumo ouvir isso. - Falou com um sorriso de canto me arrancando uma risadinha.

- Acabou de ouvir. - Ele não teve a chance de responder porque o Alec chegou com a Sarah já vestida em sua lengerie vermelho sangue.

- Vamos começar isso logo, pessoal, a princesa chegou. - Sarah disse tentando fazer graça e indo pro boxe sem nem comprimentar o seu par que estava do meu lado.

- Bem simpática ela né? - O moreno do meu lado cochichou pra mim me fazendo rir e negar com a cabeça, então ele foi puxado pra seu lugar por alguém da produção. 

Ligaram o chuveiro com a água quente e o vapor subiu, o casal foi molhado e eu comecei a tirar as fotos, vários ângulos, mas alguma coisa estava errada, alguma coisa não estava se encaixando naquela cena, eles tentavam emanar sedução e a única coisa que eu via pela lente eram duas pessoas molhadas, não é isso que a gente quer.

- Podem parar, eu já volto. - Falei para os modelos  e eles franziram o cenho em confusão mas pararam. Me afastei deles com a câmera em mãos e chamei Alec pelo olhar para um canto do estúdio.

- O que que aconteceu? - Perguntou confuso, afinal eu nunca tinha interrompido um ensaio assim.

- Olha essas fotos. - Falei esticando a câmera pra ele.

- Não é possível, não é isso que a gente quer, cadê a paixão nessas fotos? Cadê a luxúria? O calor? - Perguntou indignado.

- Você sabe muito bem da minha capacidade, eu não sou uma iniciante na fotografia, sua resposta do porque essas fotos não tão boas tá na sua cara. - Falei olhando pra Sarah e ele acompanhou meu olhar.

- Eu não sei o que essa menina tem, olha o corpo dela, tem tudo pra ser uma modelo incrível, mas não é. - Ele disse já sabendo o que ia fazer, ele já vinha pensando nisso a tempos, mas esse foi o ápice pra ele.

- Tem gente que não nasce pra isso, Alec, e tá tudo bem, seja delicado com ela, vamos fazer só as fotos dele hoje. - Falei encostando na janela e ele assentiu com a cabeça.

- Vai ser horrível encontrar outra modelo agora tão encima da hora. - Ele puxou o seu cabelo que estava um pouco maior que o normal.

- A gente sempre dá um jeito, maninho. - Falei deixando um beiço na bochecha dele. Fui em direção ao moreno que estava de costas pra mim e toquei seu ombro.

- Oi. - Se virou sorrindo enquanto se secava só de cueca vermelha com a toalha felpuda, talvez o Dam tivesse razão, que homem gostoso da porra. Acordei dos meus pensamentos e ele tava parado me olhando e sorrindo como se soubesse o que eu pensei.

- É... a gente vai fazer suas fotos na cama agora, o Alec tem assuntos a resolver com a Sarah. - Falei ainda meio em transe e ele concordou com a cabeça rindo e indo se trocar no camarim.

Fui até a parte do estúdio que era usada de quarto e alguns ajudantes estavam terminando de arrumar o local, deixei a câmera na cômoda do lado da cama e tirei meu coturno sentando na poltrona confortável que havia ali, peguei meu celular no bolso vendo algumas mensagem da minha mãe e dos meus amigos, responderia depois. Encostei a cabeça no braço da poltrona e relaxei sentindo o sol que entra pela janela batendo no meu rosto, a iluminação desse quarto é ótima por causa dessas janelas, poderia aderir pro loft, apesar de que eu não sei se eu ficaria tão feliz acordando com tanto sol na cara, eu precisaria de cortinas maiores. Fui interrompida dos meus pensamento com o Diego entrando no quarto, dessa vez sem o roupão, só com uma cueca Calvin tradicional branca, minha deusa interior berrou pelo corpo dessse homem, mas eu me controlei, ainda não tô doida.

- Tá preparado? - Perguntei levantando da poltrona e indo pegar minha câmera na cômoda.

- Pra você sempre. - Disse em um tom baixo mas isso não me impediu de ouvir e soltar uma gargalhada.

- Vamos logo com isso, deita aí. - Pedi ainda rindo por saber que ele estava brincando. Subi na cama e fiquei em pé enquanto ele estava deitado, comecei a tirar as fotos e pedir pra ele ficar nas melhores posições e ângulos, aquilo estava ficando incrível modéstia à parte. Me ajoelhei perto dele para fazer um close, seu peitoral musculoso, sua feição angelical, tudo isso em um contraste único.

- Licença. - Pedi ficando quase sentada no colo dele sobre o volume de sua cueca, tudo por uma foto perfeita com o brilho do sol dentro dos olhos dele. Nesse momento ele me encarou, minha visão pela câmera foi tão intensa que minhas pernas bambearam e eu caí deitada sobre ele, a câmera de lado, uma puta troca de olhares, nossas respirações desreguladas batendo uma contra a outra, as mãos dele foram para as minhas coxas na intenção de me ajudar, ou não, quando começaram a faltar  milímetros pra ele aproximar nossos rostos e acontecer o que nunca poderia acontecer em um ambiente de trabalho, fomos interrompidos.

- PUTA QUE PARIU, EU TO MOLHADO POR HÉTEROS? - Dan gritou assim que entrou no estúdio e viu a cena que estava prestes a acontecer.



 








Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...