1. Spirit Fanfics >
  2. By my side >
  3. Capítulo 02

História By my side - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo 02


Fanfic / Fanfiction By my side - Capítulo 2 - Capítulo 02

Ronald Weasley sentia-se anormalmente cansado. Ele e Harry aumentaram as buscar por Hermione no mundo trouxa, já que sua amiga sabia melhor do que ninguém como desaparecer. Era simplesmente enlouquecedor não saber do paradeiro da mulher, mas descobri que sua filha estudava em Hogwarts.

Era como se Hermione permitisse que Ava aparecesse, mas ela simplesmente não tinha contato com o mundo bruxo. Lógico que poderiam aproximar-se da filha da amiga, mas sabiam que não seriam bem vindos.

- Pai.

Ergueu os olhos para sua filha e dos dois a mais Weasley. Katherine era extremamente parecida com ele em aparência e tinha pouco da esposa, mesmo que ninguém negasse que muitas características peculiares da personalidade de Luna habitavam em Kate.

Deixou sua menininha deitar em seu colo como ela sempre fez desde pequena. Kate era carinhosa por natureza e não foi surpresa quando anunciou que tinha entrado na Grifinoria.

- O que aconteceu? – Perguntou acariciando os fios ruivos.

Kate mordeu o lábio inferior parecendo preocupada. – Recorda-se de Ava Granger?

Ronald acenou em confirmação, já conseguindo imaginar as próximas palavras de Katherine. Ela parecia culpada por algo e poderia não ser nada de bom.

- O que você fizeram?

- Eu me sinto culpada por não ter me aproximado dela. – Contou Kate parecendo realmente chateada com as próprias atitudes. – Ava sempre está sozinha e parecer ser alguém realmente legal.

Sorriu para aquelas palavras, era exatamente naquele ponto que encontrava diferenças claras entre Thomas e Kate. Seu filho era um legitimo sonserino em todas as suas atitudes e por vezes observava um pouco da arrogância daquela casa em seu garoto.

Diferente da irmã Thomas não via nada de ruim em pessoas querer ser solitárias e ele nunca se aproximaria de Ava para deixa-la mais a vontade.

- No próximo mês quando retornar se aproxime dela. – Aconselhou entendendo que a filha precisava de compreensão e não de bronca. – Seja amiga dela e peça para Lily fazer o mesmo, ninguém merece a solidão em uma casa tão acolhedora quanto a Grifinoria.

Katherine acenou antes de mais uma vez voltar a morder o lábio, dizendo que tinha mais alguma coisa que a incomodava. – As pessoa dizem coisas ruins sobre ela.

Rony suspirou com aquelas palavras, outro suspiro veio do limiar entre a cozinha e a sala, fazendo Kate levantar-se.

- Que coisas ruins eles dizem sobre aquela doce criança? – Perguntou Luna aproximando-se da filha e do marido.

Kate pareceu hesitar por alguns minutos, mas finalmente contou tudo. – Ava é Malfoy e sua família ajudou aquele que não deve ser nomeado, foi uma das mais ativas na guerra e o pai dela e o avô é ex - comensais.

Luna fechou os olhos com aquelas palavras da filha, sentindo seu coração doer pela doce menina. Não conhecia Ava Granger, mas a observou de longe e enxergou muito da amiga naquela menina.

Deveria doer escutar aquelas palavras, mesmo que fossem verdades, ainda sim era a família de Ava de que falavam.

-Independente do passado da família dela, as pessoas não deveriam julgá-la pelos atos de seus familiares. – Iniciou fixando seus olhos na filha, sabendo que a amável e compreensiva Kate a escutaria com atenção. – Ava nem ao menos era nascida e não devia carregar a pecha de sua família, apenas por conta de preconceito.

Rony concordou com a esposa, mas resolveu pontuar algo importante. – Ainda sim, as pessoas fazem isso, por conta de ressentimentos passados achando mais fácil descontar em pessoas que não tiveram relação com os acontecimentos.

Sentiu os olhos amorosos da esposa sobre si. Eles sabiam que tinha cometido aquele mesmo engano, mesmo que Draco claramente não compactuava dos mesmos ideais de Voldemort e foi ameaçado até o fim da guerra.

- Você pode mudar isso querida. - Luna abriu um sorriso para sua criança. – Acolhe-la e mostrar ao outros que suas atitudes ruins por magoas passadas não os fazem diferentes.

Rony sorriu para sua esposa. Um dia ele tinha pensando em Luna apenas como uma maluca que gostava de coisas estranhas, mas a cada dia que passava ao lado de sua mulher descobria o quão errado estava.

Hoje compreendia o porquê Hermione o tinha desiludido. Nunca seria o par perfeito que um dia ele achou que faziam.

- Por que ninguém me chamou para a reunião familiar?

Todos os três voltaram sua atenção para Thomas. Ele era o completo oposto de Katherine, sendo uma copia carbono de Luna. No entanto, sua personalidade era diferente tendo puxado muito de seus tios Fred e George.

- Estamos conversando e não achei que gostaria de participar. – Luna bateu no sofá ao seu lado, indicando ao filho para se juntar a eles. – Parecia ocupado com seu telefone.

Katherine riu em seu lugar no sofá. – Muito ocupado com a próxima garota que ele irá iludir.

- Muito engraçada. – Thomas bateu na cabeça da irmã, antes de se aconchegar nos braços da mãe.

O assunto rapidamente tomou outro rumo com a chegada de Tom, tornando-se mais leve e divertido.  Katherine parecia animada para seu retorno a Hogwarts e para iniciar uma nova amizade com Ava.

Rony e Luna participavam da conversa, trocando olhares entre si. Aquela conversa com Kate tinha sido esclarecedora para eles e como realmente deveriam encontrar com Hermione e pedir desculpas.

------***----

Sara Weasley observou atentamente enquanto sua avó preparava seu bolo de chocolate favorito. Era incrível, quando seus primos não estavam na Toca, já que teria sua avó apenas para ela.

Poderia parecer egoísta, mas Sara realmente gostava de passar tempo com Molly. Sua mãe também cozinhava e ninguém poderia reclamar da comida de Pansy, mas sua avó tinha algo de especial em suas refeições.

- Está prestando atenção filha? – Perguntou Pansy parada no limiar admirando sua pequena observadora. – Quando chegar a casa terá que reproduzir a receita da vovó.

Molly riu das palavras da nora. – Tenho certeza que nossa sempre inteligente Sara consegue.

Todos se surpreendiam com a perspicácia e inteligência da Parkinson-Weasley, por isso o chapéu fez a escolha mais anormal para uma garotinha que tinha sangue Sonserino e Grifinorio. Sara encontrou-se na Corvinal, trazendo surpresa e orgulho aos seus pais.

Molly Weasley observou mãe e filha conversarem sobre as possibilidades de cobertura para o bolo. Nunca imaginou que Fred casaria e muito menos que seria com Pansy, uma das inimigas mortais do trio de ouro na época de Hogwarts.

Entretanto, um ano mais tarde após o fim da guerra, os dois se encontraram e iniciaram aquele relacionamento que acabou em casamento e uma doce menina. Não que Rony, Harry ou Gina estivessem felizes, mas aprenderam a ver outro lado de Pansy.

A mulher era um doce, assim como mãe e esposa incrível. Pansy demonstrava estar arrependida por suas maneiras quando mais jovem e sempre tratou a todos com muito respeito e ensinou Sara da mesma forma.

- Sabe vovó eu gosto muito de conversar com Ava. – Iniciou Sara, surpreendo a mãe e a avó. – Ela sempre está sozinha, por isso sempre que tenho chance converso com ela.

Pansy e Molly se entreolharam serias. A garota não estava falando de qualquer pessoa, mas sim de Ava Malfoy – não que este fosse seu nome de batismo, já que Draco estava preso ou era o que as noticias diziam e não sabia da filha.

- E o que você conversa com sua amiga Ava? – Perguntou Molly interessada em saber mais sobre a filha de Hermione.

Sara passou um dedo pela cobertura para saborear o adocicado do chocolate. – Trix é muito inteligente e me faz rir.

- Trix fala de sua família? – Pansy bateu na mão da filha que serpenteava novamente em direção à cobertura.

- Às vezes, ela fala da mãe. – Contou de forma desinteressada.

Molly percebeu que a atenção da neta estava toda sobre o bolo de chocolate e os beneficio que o doce traria ao seu paladar. Suspirou, imaginando que Ava não era tão detalhada sobre a própria mãe com os colegas de escola.

- Ela diz que também gosta muito de bolo de chocolate. – Sara finalmente voltou sua atenção à avó e mãe. – Trix contou que sua avó quase sempre faz para ela também.

Pansy desviou os olhos da cobertura que escorria pelo bolo, enquanto colocava para a filha. – Narcisa?

- Não mamãe. – Negou Sara confusa. – Beth, este é o nome da avó de Ava.

Molly acenou para a neta em compreensão, entendendo a confusão de Pansy que não conhecia muito sobre Hermione. Por convivência conhecia os pais da garota e sabia que o nome da mãe era Elizabeth e do pai era John.

- Este é o apelido da mãe de Hermione. – Explicou para sua nora.

Pansy arregalou os olhos ao compreender o que aquilo implicava. Hermione não estava vivendo no mundo bruxo, mas sim na Londres trouxa como uma pessoa comum, por isso que Harry e Rony não a encontravam, já que suas buscas eram apenas no mundo bruxo.

- Hermione sempre fez jus ao apelido de sabidinha. – Brincou Pansy rindo, assim que notou a jogada da colega. – Ninguém nunca nem pensou em tentar encontra-la no mundo trouxa, já que ela fez os pais perderem suas memórias.

Realmente era surpreendente como nenhum deles pensou em procura-la na Londres trouxa, já que todos imaginavam que Hermione ainda não havia encontrado os pais ou conseguido que tivessem suas memórias completas novamente.

E mais uma vez estavam enganados sobre Hermione Granger. Ela sabia que ninguém pensaria em procura-la no mundo trouxa, mesmo que tivesse sangue e com toda certeza fosse o mais óbvio e, por isso que ninguém pensou em fazer buscas lá.

- Entretanto, não vejo motivo para Harry e Rony continuarem suas buscas. – Pansy iniciou com um tom claro de desabafo. – Granger não quer ser encontrada, principalmente após a maneira que foi tratada.

Molly suspirou tendo que concordar com a mulher. – Eles querem fazer uma reconciliação. – Suspirou ainda indignada com a atitude dos filhos e do genro. – Estão arrependidos com seus atos para com Hermione e Ava e, no entanto concordo com suas palavras.

Estava irada com os meninos quando descobriu como tudo se desenrolou após o fim da guerra. Artur também concordou com sua raiva e indignação, mesmo que todos os Weasley não fossem os maiores fãs dos Malfoy.  Ainda sim, o amor não era escolhido e Hermione claramente tinha sentimentos por Draco, independente do passado, assim como Fred tinha por Pansy.

E ainda havia uma criança envolvida, uma doce menina muito parecida em atitudes com Hermione.

- Vamos pedir para que tudo se resolva. – Terminou Molly por fim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...