1. Spirit Fanfics >
  2. By the look >
  3. By the look

História By the look - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


repostando

Capítulo 1 - By the look


- Como alguém pode ser tão gostoso? 

Sif murmurou. Ela tinha o cenho franzido e o lábio curvado em uma indignação legitima. Os olhos castanhos vidrados na visão mais à frente. Estava impressionada como os músculos suados Thor brilhavam mais que próprio sol ao refletir o brilho da estrela em seu corpo divinamente em forma. Todos estavam. 

Era sexta-feira e era verão. O céu azul era limpo como não se via há muito tempo, permitindo apenas o intenso sol da tarde provocar o imenso calor no parque. A brisa quente soprava incansavelmente, crianças corriam para todos os lados, rindo e gritando, espalhando o estranho bom humor do verão. Alguns estudantes do ensino médio também aproveitavam o dia para um piquenique, ou encher a cara no estacionamento do outro lado da rua, dependendo do seu grupo.  

E, também, o time de futebol que treinava no campo ao ar livre nas quartas, sextas e, às vezes, aos domingos. Três vezes na semana em que Frigga tinha que dirigir vinte e cinco minutos para deixar o filho no treino durante o intervalo de almoço. Thor saia do carro com amplo sorriso e trotava até o agrupamento antes do jogo, enquanto Loki colocava o livro debaixo de braço e acrescentava um beijo na bochecha da mãe antes de sair do veículo. E claro que seus passeios ao ar livre eram recomendações da sua mãe, que acreditava ser um jeito saudável de passar o verão para evitar os momentos depressivos em casa.  

O que era detalhe.  

Loki iria de qualquer jeito. Era dia de treino e qualquer oportunidade de ver seu irmão adotivo correndo de um lado para o outro em um dia quente, com o corpo suado até que o uniforme começasse a grudar em seu abdômen, levando-o a tira-lo depois de poucos minutos de partida... era muito bem-vinda. 

- É como um deus esculpido por anjos. Vê como os músculos dele se mexem quando ele faz aquela coisa com o braço? Eu nem sabia que era possível e é lindo. - Esta foi a vez de Jane, quem levou o picolé de fruta à boca para matar a sede. O calor se intensificava, mas não era sobre o clima.  

- É impressão minha os cabelos dele brilham?  

- Tudo nele brilha. - Loki disse com um tom de indiferença, embora estivesse tão fissurado quanto as outras duas garotas ao lado.  

Ele deu uma lambida desnecessariamente lenta em seu sorvete de baunilha, começando pelo filete derretido na parte inferior da casquinha, subindo até o topo. Thor assistiu ao gesto erótico ao olhar de soslaio para seu público, parando em meio ao campo no final do primeiro tempo. Claramente, não eram os únicos na plateia, tendo também alguns amigos de outros jogares e mais alguns admiradores-não-tão-secretos de Thor, que estudavam na mesma escola. Muitos deles não davam a mínima pro futebol.  

Thor acenou para o trio, e Jane correspondeu com um aceno eufórico enquanto Sif pareceu mais natural. Loki apenas fez um gesto com a cabeça, abrindo um pequeno sorriso. Ele ajeitou os óculos escuros que escorregavam devido ao suor, deslizando pelo nariz pálido, que parecia nunca ter tido contato com o sol antes. Os primeiros dias da estação foram cruéis para ele. Thor retornou ao jogo.  

- É como olhar diretamente pro sol... acho que vou chorar. - Sif disse. - O deus dourado.  

O sorvete derretia cada vez mais rápido, descendo para os dedos e sujando as unhas pintadas de preto, mas Loki continuou a consumi-lo sem pressa. Ele franziu o nariz olhando rapidamente para Sif e seus cabelos negros que caiam sobre os ombros. Ela usava roupas curtas e confortáveis, deixando à amostra o fio do biquíni. Ela teve natação durante o dia e Loki deduziu que ela tivesse ido direto para o parque depois da aula. Ele sorriu, soltando um hm de uma risada rápida.  

Ela tinha uma queda por Thor desde o primeiro ano. Admirando a beleza divina das arquibancadas, ou na pedreira quando decidiam tomar um banho arriscado. Nunca disse a Thor, e não precisaria. Tanto ela quanto Thor sabiam que não. No entanto, tinham uma amizade bonita, que talvez valesse bem mais do que qualquer outro tipo de relacionamento. Já Jane era nova no colégio e Thor estava sendo sua primeira queda na cidade nova. Acabou se juntando ao clube nesses encontros de arquibancada.  

Thor comemorou algo que parecia ter sido um gol, ninguém prestava atenção de verdade, só quando o louro comemorou no meio do campo e então seu fã clube acompanhou, com aplausos vindo de Loki e gritos motivacionais de Jane. Ele voltou a correr pelo campo e as três cabeças se moveram simultaneamente para acompanha-lo em um transe esquisito. 

- Eu quero chupar ele. - Loki disse como se comentasse que o dia está quente. E voltou para o sorvete que finalmente parecia acabar. 

- Nojento. Ele é seu irmão. - Sif apontou, embora nada surpresa com o comentário. 

- E eu sou adotado.  

- Ainda irmãos.  

Ela não estava incomodada, na verdade, ou enojada de maneira alguma. Conhecia Loki e Thor desde que eram crianças, mas Loki só foi adotado há poucos anos. Uma história triste sobre uma família disfuncional que Loki preferiria não comentar sobre em um dia qualquer. E a dinâmica entre eles pela parte de Loki sempre foi cheia de segundas intenções. Não havia surpresa alguma.  

- Esqueça a burocracia, Sif. A vida é feita de aventuras perigosas. Somos jovens e eu estou apenas seguindo meu sonho americano. - Ele devorava a casquinha de sorvete, falando com a boca cheia.  

- O pau do seu irmão é seu sonho americano? Você é islandês. - Sif balançou a cabeça.  

- Siga o sonho de ser rico, morar em uma mansão em Los Angeles, ser um famoso renomado ou uma gostosona do século vinte e um de peitões e lábio inchado ou ser um batedor de cheque de homens ricos de meia idade com pelo menos três famílias pelo mundo, Loki. Mas se alguém vai dar pra ele nesse verão vai ser eu. - Jane comentou, e Loki se virou para ela com a sobrancelha erguida, soltando uma risada baixa. Se não usasse os óculos, ela poderia ver o brilho curioso nos olhos verdes.  

- Dois idiotas. O máximo que vocês conseguem ter dele é um abraço amigável ou fraternal. - Sif alternou o olhar entre os dois. - Mas eu ainda consigo ao menos um beijo até o baile de primavera.  

Um hidrante foi arrebentado do outro lado da rua pelos delinquentes bêbados que gritavam em meio a música alta enquanto pulavam em frente ao jato de água. Estavam chapados demais para se importarem. Logo o grupo se juntou em volta do hidrante, festejando como se estivessem em uma resenha esquisita com um enorme potencial para uma orgia. As pessoas voltaram a ignorar, sabendo que logo a polícia chegaria, então Loki limpou as mãos sujas de sorvete e puxou um pirulito do bolso, alheio à confusão distante ao murmurar algo incompreensível.  

Ele tirou a embalagem e levou o doce à boca, dando uma breve chupada antes de dizer: 

- Vamos fazer uma aposta.  

Sif e Jane se voltaram para ele com os olhos curiosos.  

- O primeiro de nós que tiver tido qualquer envolvimento com o nosso deus dourado ali, desde um simples beijo até uma foda no banco traseiro do carro no meio da noite, ganha.  

- E como isso vai funcionar? Temos que tirar fotos ou... fazer na frente de todos...? Falando do beijo, especificamente.  

Loki balançou a cabeça. 

- Ninguém precisa saber além de vocês ou nós mesmos.  

- Então como vamos ter certeza se rolou?  

- Não é tão difícil saber quem tá comendo quem, Jane. É uma questão de observação, veja. Existem três tipos de olhares na linguagem corporal do ser humano jovem, e são: aquele que nós trocamos, eu e você, você e Sif, o olhar entre conhecidos; - ele abaixou os óculos para uma breve demonstração, ajeitando-os de volta em seguida - Aquele que Teddy e Billy trocam, como um casal comum de namorados; - apontou para o casal da sua turma conversava do outro lado do parque. Notaram o olhar de Loki sobre eles e acenaram. - E tem o olhar que o Noh e a Kate trocam, assim como o Steve e o Bucky que diz algo do tipo: não estamos namorando, não estamos em um relacionamento aberto, apenas nos encontramos pra transar toda sexta-feira no auditório depois que a turma de Teatro termina a aula e então saímos pelos fundos com cinco minutos de diferença.  

- Ele tá certo. Você pode ver essas coisas. Foi como eu descobri que o meu pai estava saindo com a minha tia.  

- E acredite, não requer muito esforço. - Loki disse.  

Jane pensou por um momento.  

- Sei não, acho difícil confiar. Mas eu topo.  

Loki bateu as palmas, assentindo e dizendo muito bem, e pesou o olhar sobre Sif, que ainda considerava a proposta. Ela suspirou.  

- O que estamos apostando?  

Loki fixou os olhos em Thor, pensando por um momento, embora já tivesse na ponta da língua.  

- Meus requerimentos são vinte dólares, pra pagar a multa da biblioteca já que eu gastei a minha grana toda em um show que foi uma merda; uma carteira de cigarros e aquela jaqueta em promoção na loja da esquina que Frigga não me deixa comprar porque ela tem absoluta certeza que já viu um viciado no noticiário usar ela. Mas se for presente, ela me deixa ficar porque não é educado rejeitar presentes. - Olhou para longe. - E vocês podem escolher os seus. 

Um maço de cigarros? Sif iria perguntar. Ele fez uma promessa a Frigga, ela não esqueceria. Mas lembrou que Thor disse que ele saia todos os sábados à tarde, e ela sabia para onde ia. Como sabia que os cigarros não eram seus.  

- Que tipo de multa custa vinte dólares? - Ela perguntou em vez disso. Uma curiosidade genuína.  

- Do tipo que envolve muitos... muitos livros.  

Outro gol. Agora do time adversário. Jane vaiou e Sif deu um olhar de eu sinto muito para Thor, que pôs a mão na cintura, tentando recuperar o folego.  

- Se eu o beijar, ou mais, vou querer aquele seu CD autografado do The Sugarcubes e vinte dólares... ah, e uma cola naquele dever de física que ficou pra depois das férias. - Sif disse. Loki assentiu.  

- Jane?  

- Eu quero uma camisa do Thor e que paguem o meu almoço por uma semana.  

- Easy peasy lemon squesy. - Loki murmurou. - Está feito.  

O jogo parecia chegar ao fim, se tornando mais intenso. Thor marchava atrás da bola com a determinação e força de mil homens. Uma rápida olhada para a tela o seu celular revelou ser ainda três e meia da tarde, o que significa que já estava quase na hora de ir. Magnus Chase havia ficado de lado naquela tarde, Loki sequer tocou no livro, distraído demais com a conversa boba. Ele suspirou quando o apito tocou, sinalizando o encerramento do jogo.  

O time de Thor venceu, e a plateia de oito pessoas vibrou em comemoração. A sirene da polícia chegava aos delinquentes e Loki sabia que já era hora ir. Pegou o livro, pôs o pirulito entre os lábios e desceu a arquibancada para encontrar Thor. Sif e Jane o seguiam.  

E lá estava ele, ao vivo e em cores, fedendo a suor de um jeito que deveria ser mais desagradável do que parecia. O cabelo pingava suor.... e escorria pelo corpo bronzeado.... cintilante.... emanando calor. A boca de Loki se encheu de saliva, e ele voltou a lamber o pirulito.  

- Agora, garotas, observem isso. - Loki disse, deixando-as confusas enquanto se aproximavam de Thor, que estava em seu momento de descanso.  

- Achei que os treinos serviam pra melhorar. Você corre como uma lesma. - Ele provocou e Thor puxou uma garrafa de água para beber, usando o que sobrara para jogar no corpo. Puta merda.  

A esse ponto quase toda praça os observava, os olhos vidrados no loiro gostosão.  

- Sempre tão motivador, irmão. - Ele brincou, com um sorriso largo no rosto. - Agradeço sua crítica não-construtiva, mas me parece mais útil sendo ignorada. - Ele piscou e então se virou para as duas que estavam logo atrás. - Sif, Jane... 

Ambas fizeram gestos para cumprimenta-lo de volta. Jane parecia um pouco nervosa. A agitação prosseguia na praça em um belo cenário de verão, mesmo quando caos ocorria em volta, desde crianças puxando seus cabelos na briga de quem usaria o balanço primeiro até aos delinquentes sendo levados pela viatura, acabando com a festa particular. Ah, verão. Todos empolgados para sair de casa e ter um dia relaxante, com a temperatura esquentando suas cabeças, criando bombas ambulantes.  

É engraçado até, Loki pensou.  

- Frigga está vindo. Disse para esperarmos ao lado do playground. - Loki disse. 

- Que bom. ‘Tô morrendo de fome. - Deu um último gole em sua água. Agora já não arfava mais, parecia mais em si. Loki devolveu o pirulito à boca mais uma vez. Thor fixou um olhar chamativo sobre ele.  

Loki lambeu, girou, tirou e pôs de novo.  

O esboço de um sorriso pintou os lábios de Thor, quase imperceptível. Ele levou ao menos quinze segundos para enroscar a tampa da garrafa de água sem prestar atenção no que fazia, completamente alheio à realidade. O azul imerso ao verde, vendo coisas que não estavam lá, recriando cenas, sensações... era quase palpável. Distante no tempo.  

O rosto de Sif se fechou. E lá estava o olhar. Aquele olhar. O mesmo que Kate e Noh-Varr compartilham, ou Steve e Bucky, aquele que dizia algo como: podemos dividir uma casa e o sobrenome, podemos chamar a mesmo mulher de mãe, podemos nos chamar de irmãos pela força do habito e interagir como se fossemos, porque somos... mas dividimos a cama às vezes, dividimos afetos além do fraternal e trocamos beijos quando ninguém está por perto, no meio da noite. Ele chega na terceira base e eu não o paro. Eu o toco e ele não me para. Brincamos com o fogo e escondemos nossos segredos debaixo dos lençóis, entre as quatro paredes. E ninguém sabe.  

Exceto que agora alguém sabe.  

Thor pareceu acordar de um sonho profundo, piscando algumas vezes. Ele suspirou e bateu as palmas, dizendo: 

- Eu estou indo, garotas, até outro dia. - Ele caminhou em direção ao playground. Mas Loki não o seguiu. - Você vem?  

Loki assentiu. Estou indo, foram suas breves palavras. Thor continuou seu caminho até desaparecer em meio ao tumulto. Lentamente, Loki se voltou às duas garotas que aguardavam sua atenção. Sif estava puta, e Jane balançava a cabeça negativamente, não tão frustrada quanto Sif.  

- Puta merda. Vocês tão transando. - Sif soltou. - Caralho, Loki. Eu te odeio.  

- Em outras palavras, meu sonho americano é na verdade chupar ele nesse exato momento. Já que não é exatamente uma missão impossível. - Explicou, ajeitando o livro que escorregava debaixo do braço. Sorria vitorioso.  

- Então a aposta não é válida. 

Loki bufou, revirando os olhos. 

- É claro que é! Em nenhum momento eu disse que seria "a partir de agora", simplesmente o primeiro de nós. O tempo é atemporal porque ele não existe, minha querida.  

- Isso foi trapaça.  

- E você está surpresa? - Loki ergueu a sobrancelha, tirando o óculo para fecha-lo, guardando-o no bolso. - Eu tenho meu mérito e quero o meu pagamento na semana que vem. Tenho que pagar essa multa antes que aumente. - Suspirou. De longe viu Frigga parar ao lado do parque, buzinando para Loki enquanto Thor adentrava no veículo, sinalizando para Loki se apressar. - Então... vejo vocês na sexta?  

Loki abriu um largo sorriso e se afastou sem esperar uma resposta, deixando as duas amigas para trás. Assistindo o carro de Frigga desaparecer no trânsito, Sif riu da própria estupidez.  


Notas Finais


thats it


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...