1. Spirit Fanfics >
  2. Byakugan Princess and Queen Hyuga >
  3. Primeira fase - Sasuke e Naruto

História Byakugan Princess and Queen Hyuga - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Se a Hinata acha, eu concordo
Se a Hinata fala, eu escuto
Se a Hinata erra, eu perdoo
Se a Hinata pensa, eu admiro
Se a Hinata tem 100 fãs, eu sou um deles
Se a Hinata tem 10 fãs, eu sou um deles
Se a Hinata tem um 1 fã, eu sou esse fã
Se a Hinata não tem fãs, eu não existo

É assim que funciona as coisas, meus queridos! (💖). Capítulo muito fofo que será o ponto de partida para o próximo arco, além de muita cena "NaruHina"! Eu prometi desenvolver esse casalzão, não foi? TOME!

Boa leitura! 💕

Capítulo 19 - Primeira fase - Sasuke e Naruto


Fanfic / Fanfiction Byakugan Princess and Queen Hyuga - Capítulo 19 - Primeira fase - Sasuke e Naruto

— Shikamaru...? — a voz perplexa de Hinata soou como um sussurro na enorme sala. A perolada se sentiu um pouco acanhada quando notou os diversos pares de olhos encarando-a, curiosos com a entrada surpresa e inusitada da primogênita de Hiashi que havia sido executada de forma estrondosa. Passando seus olhos pelo ambiente, conseguiu reconhecer diversos rostos conhecidos, como o de Shizune, Ibiki, Shikamaru e Tsunade, fora um homem velho de longos cabelos grisalhos que estava sentado no batente da janela. Se não estava enganada, aquele era o tutor de Naruto que o levou para uma longa viagem de três anos de treinamento fora da vila, Jiraiya.

— Hinata, o que isso quer dizer? — a tonalidade repreendedora da Senju foi o bastante para que os poros da derme da Hyūga se arrepiassem completamente.

A perolada engoliu em seco antes de começar: — Eu tenho notícias! Kabuto me relevou informações importantes sobre Orochimaru!

— Hinata, você poderia ter esperado, não? — a Hokage novamente rosnou, se levantando de sua cadeira enquanto apoiava a outra mão na mesa. — Shikamaru estava me falando dos resultados de uma missão, onde derrotaram dois membros da Akatuski, isso é um assunto de extrema relevância para mim, então espere do lado de fora!

A morena piscou duas vezes, assimilando e conectando algumas informações. A voz de Sakura apareceu em sua cabeça rapidamente, onde dizia sobre o Time Asuma e o Time Kakashi terem saído em uma missão muitíssimo perigosa, onde todos os integrantes estariam enfrentando inimigos de Rank-S considerados imortais. Hinata tinha em mente que derrotar um adversário com tamanho poder seria árduo, então o fato dos dois times terem conseguido tal façanha deveria ser uma conquista alegre, mas por qual motivo o clima da sala estava mórbido e pesado? Por que sentia que Shikamaru, em vez de comemorar com, no mínimo, um sorriso ladino no rosto, parecia entristecido e melancólico?

A Hyūga engoliu em seco, tentando esquecer suas inseguranças e medos, fixando sua atenção no rapaz pertencente ao clã Nara.

— A-alguém se machucou? — mesmo que ela tenha titubeado no começo devido aos pensamentos negativos e temerosos, a perolada conseguiu se pronunciar perfeitamente.

— Bom, talvez Kurenai fosse te dizer mais cedo ou mais tarde, mas é melhor que saiba por mim mesmo. — Shikamaru começou, depositando suas mãos dentro do bolso da calça escura, mantendo seus olhos nublados presos ao rosto apreensivo da primogênita de Hiashi. — Ninguém se machucou gravemente, nada muito mortal, mas Asuma-sensei... Ele está morto...

O ar que havia em seus pulmões foram prendidos de forma inusitada e, posteriormente, seu coração começou a bater de forma descompassada, irregular até. Sua mente apenas vagava no futuro, imaginando a reação destruidora de sua professora quando soubesse que o Sarutobi foi morto em missão, deixando a Yūhi para trás, juntamente da criança que crescia em seu ventre. Hinata não era tão próxima do Joūnin, mas sentia um grande apreço por ele, afinal, Asuma era o companheiro de vida de sua mentora, que sempre descrevia-o com um encanto e um sorriso no rosto, indicativos de que o filho do Terceiro Hokage fazia a Joūnin feliz — e se ele fazia Kurenai ficar assim, Asuma possuía todo o respeito de Hinata.

Mas agora o homem com quem sua sensei se relacionou e o pai da filha dela estava morto.

— Isso... É horrível... — a voz fraca e perplexa da Hyūga foi a única coisa que ela reverberou. — Sinto muito, Shikamaru, ele era importante para você.

O Nara cerrou mais os olhos para a figura da perolada, como se fizesse uma análise mental daquela pequena situação. Não havia dúvidas de que havia tristeza e empatia nas palavras dela, assim como preocupação e medo, mas algo estava mais profundamente escondido. Até onde se lembrava, Hinata sempre foi tímida e respeitosa, não era do feitio dela abrir a porta da sala da Hokage em um rompante, parecendo desesperada e com a respiração desregulada, fora que, além de tudo isso, a Hyūga apareceu falando sobre informações importantes sobre Orochimaru — o que, claramente, despertou sua atenção aguçada. Diante as palavras doces da garota, Shikamaru balançou a cabeça, aceitando e simpatizando com o lamento dela.

— Você parece ter algo importante para falar, então diga. — o homem de cabelo amarrado sentiu a áurea assustadora de Tsunade se acalmando e dissipando lentamente atrás de si, mesmo que a tensão instalada na sala ainda fosse uma característica enfatizada ali.

— Isso! Eu consegui informações com Kabuto que podem ser importantes para você, Tsunade-sama! — Hinata começou, sentindo o olhar fuzilante de Ibiki se instalar sob si de maneira intimidante. — Ele me disse que Orochimaru será morto por Sasuke! Não me falou quando isso irá acontecer exatamente, mas acredito que não passará de hoje.

— Você tem certeza disso, querida? — Shizune foi a primeira a se pronunciar, parecendo perplexa demais para acreditar naquilo de cara. As mãos em cima da sua boca, escondendo o "O" perfeito que ela fazia, apenas sublinhava a situação.

— Tenho, Shizune-san! Tsunade, você sabe que eu não mentiria em uma ocasião como essa! — as pérolas suplicantes da Hyūga tocaram bem no fundo do coração da Senju, fazendo-a se lembrar da conversa que tiveram mais cedo. Hinata estava determinada a conseguir informações com Kabuto, então seria normal que ela insistisse até que o Yakushi abrisse a boca, principalmente quando ela tinha um Taijutsu extremamente letal em suas mãos que poderia ser usado para causar alguns minutos de dor, mas ainda havia a probabilidade do assistente do Sannin Lendário Renegado estar apenas brincando com a cabeça da primogênita de Hiashi, inventando fatos e outras coisas para tontear ela do seu objetivo real.

— Hinata, eu confio em você e no seu potencial, mas estamos falando de um criminoso. O modo como ele pensa é imprevisível, Kabuto poderia estar muito bem mentindo para você. — a Hokage sussurrou, amenizando a maneira como ela olhava para a kunoichi.

— Tsunade, não descarte isso completamente. — a voz séria e íntegra do Sannin Lendário de longos cabelos grisalhos retumbou pela sala, atraindo a atenção de todos que estavam presentes. — Sasuke é capaz de tudo para provar a sua própria força, além de que ele é um rapaz esperto, em algum momento ele perceberia o estado deplorável de Orochimaru e aproveitaria da fraqueza corporal dele para matá-lo. Nosso companheiro de equipe não iria esperar tanto tempo assim para possuir o corpo de Sasuke, Tsunade, ou Orochimaru morria devido a rejeição do seu atual corpo ou era morto pelo Genin desertor. Kabuto pode até estar mentindo, mas temos muitos fatores externos que indicam a verdade nas palavras dessa garota.

Os olhos âmbar da Hokage dançaram pela silhueta robusta do usuário de Sapos, analisando as palavras sábias de Jiraiya. Por mais que tenha assumido o cargo de Kage um tempo depois, a Senju tinha a ficha técnica de Sasuke e alguns detalhes sobre seu passado e ambições — como seu desejo obsessivo de vingança contra o irmão mais velho, Itachi, responsável pelo massacre do clã Uchiha, além de ser considerado um verdadeiro gênio na Academia e com idoneidades impressionantes para um simples Genin. Posteriormente, Sasuke se juntou à Orochimaru em troca de poder para derrotar o irmão, mesmo que isso custasse sua própria vida e o corpo — já que seu antigo companheiro de equipe estava louco atrás dos segredos do Sharingan e da imortalidade.

No fim de sua análise mental, Tsunade suspirou, cruzando ambos os braços abaixo dos seios fartos.

— Se Sasuke realmente conseguir matar Orochimaru, isso irá sugerir um nível de habilidade absurda. — Ibiki se pronunciou, massageando seu queixo vagarosamente. — Se ele está tão louco assim para matar Itachi, então o próximo passo de Sasuke é ir atrás da localização de seu irmão agora que Orochimaru não é mais um risco em potencial para ele.

— Exatamente... — o sussurro de Tsunade saiu bastante baixo e reflexivo, acompanhada do cenho franzido indicando intensos planejamentos. — Hinata, você se importa de fazer um favor para mim?

— Jamais, Tsunade-sama.

— Vou enviar o Time 8 e o Time 7 para uma missão de rastreamento de Itachi e Sasuke. — a voz imponente e forte foi o suficiente para surpreender todos, que olharam arregalados para a Hokage. — O Time Kurenai é o melhor de rastreamento em toda a Konoha, então enviarei Yamato no lugar de sua sensei já que ela está de licença maternidade, enquanto o Time Kakashi está sendo a equipe com um balanço perfeito na formação.

Quando a Hyūga ia indagar sobre o motivo dela ter escolhido tais times, ela compreendeu a explicação. O Time Kurenai possuía Kiba que, ao lado de Akamaru, possuíam um ótimo faro para distinguir diferentes cheiros, juntamente de Shino e seus insetos, além do Byakugan de longo alcance da própria primogênita de Hiashi — o que os tornava o time perfeito para rastreio. Enquanto o Time Kakashi possuía Naruto e o Joūnin habilidoso da família Hatake, com exímias técnicas de batalha, acoplados com a força descomunal e as notáveis habilidades para Ninjutsu Médico de Sakura, tornando-os um time balanceado em poder e suporte. Além do mais, uma missão em que o Uzumaki poderia encontrar o seu companheiro de equipe e fazê-lo mudar de ideia sobre seu caminho vingativo era uma coisa valiosa e indispensável.

— Hinata, vá até a casa dos integrantes do Time Kakashi, juntamente da moradia de Yamato e Sai, além da sua própria equipe, e avise-os que amanhã bem cedo é para todos estarem no portão de Konoha. — a Hokage ordenou, massageando suas têmporas com cuidado, suspirando no intuito de tirar todo aquele ar pesado de seus pulmões. — Isso pode ser classificado como uma missão rank-S, pois estaremos atrás de um membro da Akatsuki e um shinobi renegado, então que todos vão preparados.

— Tudo bem, Hokage! — em um gesto respeitoso e cordial, a Hyūga se abaixou para a figura empoderada de Tsunade e, como um verdadeiro vulto, saiu correndo da sala da Senju em um rompante.

Até o final da tarde, Hinata tinha muito trabalho para fazer.

[...]

Um suspiro foi a reação mais plausível para o espírito cansado da Hyūga. Ela havia passado a tarde inteira andando de casa em casa para avisar seus companheiros de equipe, não sendo muito difícil encontrar a maioria — já que muitos ela já conhecia e, com a ajudinha extra do seu Byakugan, ela conseguia evitar de gastar energia desnecessária fazendo um percurso que talvez viria a ser inútil mais tarde.

A primeira pessoa com quem ela foi falar foi Shino que, por coincidência do destino, estava andando pelas ruas de Konoha com uma sacola enorme cheia de ingredientes e comida. Apesar da inexpressividade do seu companheiro, era notório que ele havia ficado apreensivo com a mais nova missão, mas não escutou recusas ou desânimo por parte do Aburame — tanto é que afirmou que estaria no ponto de encontro dos dois times pontualmente, que só voltaria para casa e iria preparar seu equipamentos e insetos para o trabalho o mais rápido possível.

Em seguida, Hinata foi até a casa de Kiba, encontrando-o dormindo no sofá da sala com Akamaru sob seu peito — a cena seria fofa se não fosse um tanto quanto cômica ao olhar da perolada. Apesar de ter se sentido mal em acordar a dupla e tirá-los do seu momento de descanso, era algo importante e justificável, o qual o Inuzuka precisava saber o quanto antes e pela própria boca da morena. Mesmo que Kiba estivesse ainda sonolento e processasse as informações com mais lentidão, Hinata decidiu dar um voto de confiança e acreditar que o usuário de Ninken havia entendido tudo — mesmo que, por garantia, tenha pedido para a mãe do garoto para acordá-lo na manhã seguinte. As lembranças das palavras usadas na declaração do rapaz ainda retornavam vez ou outra na sua mente, mas assim como havia prometido para Kiba, Hinata agia com o máximo possível de naturalidade, pois ainda eram amigos e companheiros de equipe, acima de tudo.

Em seguida, Hinata visitou Yamato, um Joūnin bastante habilidoso e estranho, diga-se de passagem. Quando o informou sobre a missão, o máximo que o moreno fez foi fazer algumas perguntas em relação a quem iria para concluir essa tarefa, outras informações em relação à Itachi e Sasuke e, posteriormente, agradeceu a gentileza da Hyūga em ter avisá-lo. Ainda perdida e procurando informações, a primogênita de Hiashi demorou até encontrar a casa de Sai, um rapaz extremamente pálido e bastante inexpressivo, que estava com pequenos resquícios de tinta no rosto. Até então, a perolada não conhecia-o, mas o encontro entre os dois não durou muito, pois assim que ela terminou de passar as informações, ele tratou de agradecer Hinata e, em seguida, fechar a porta na cara dela.

Estranho.

E, por último, faltava Kakashi, Sakura e Naruto, mas não foi uma tarefa muito árdua encontrar a Haruno e o Hatake, já que ambos estavam andando juntos na saída do hospital com um semblante sério e preocupado — o que, ligeiramente, despertou a atenção da perolada para os motivos. Quando indagou a dupla de professor e aluna sobre a áurea entristecida que rondava ambos, eles explicaram que o jutsu novo de Naruto, chamado Rasenchuriken, era muito perigoso para o Uzumaki, pois além de criar inúmeras lâminas de vento microscópicas, elas danificavam em um nível celular o corpo do loiro, sendo algo que nem mesmo Tsunade conseguiria reverter, recebendo em seguida o título de Kinjutsu. Mesmo com o grande esforço do Jinchūriki para criar uma técnica poderosa o suficiente, tudo seria jogado para o ar, já que a vida do rapaz de olhos azuis era muito mais importante e, mesmo o Rasenchuriken sendo extremamente poderoso, era uma faca de dois gumes.

Os ombros da princesa do clã Hyūga se abaixaram quando parou para pensar o quão difícil deveria estar sendo para o rapaz do clã Uzumaki, mas assim que a porta da casa de Naruto se abriu, Hinata foi recebida com um grande sorriso amoroso e caloroso, típico do loiro.

— Hinata! Pode entrar aqui dentro, sinta-se a vontade! — a voz animada do rapaz fez um sorriso tímido surgir nos lábios da Hyūga que, mesmo de maneira acanhada, adentrou a casa.

Os olhos de cútis tão claras quanto neve dançaram pelo local, observando a moradia ligeiramente bagunçada e cheia de lixos — grande maioria era caixinhas de lámen instantâneo, todas vazias e com algumas moscas voando ao redor. Apesar da casa ser bastante pequena, não havia muitas mobílias caras ou chiques, era tudo um tanto quanto simplório e barato — não que Hinata se importasse com isso, jamais foi do tipo material, só era uma análise mental sua. Mesmo que a sala tivesse somente um sofá de três lugares e uma televisão pequena, uma cozinha com armários vazios e uma mesa com apenas duas cadeiras, Naruto fazia de tudo para deixar sua atual visitante a vontade e bem, sempre ostentando um belíssimo sorriso no rosto gentil e comentando coisas aleatórias, como: "não ligue para a bagunça" ou "não estou muito arrumado, mas você é bem legal, não é, Hinata? Tenho certeza que não se importa".

Assim que ambos se sentaram no sofá da sala, cada um de um lado diferente, a Hyūga agradeceu a receptividade, tentando manter o clima ameno entre os dois.

— Então, Hinata, alguma novidade? Voltei de missão quase hoje, então não estou por dentro dos acontecimentos. — o Uzumaki comentou, colocando suas duas mãos atrás da nuca em uma posição descontraída, sua assinatura registrada.

— Bom, eu vim aqui para avisar que Tsunade-sama chamou o Time 7 e o 8 para uma missão, então ela quer que nós estejamos amanhã bem cedo nos portões de Konoha. — a Hyūga avisou, agradecendo de maneira carinhosa as balinhas que o loiro ofereceu.

— Missão? Que tipo de missão?

— Uma... Onde há a probabilidade de encontrar Sasuke. — apesar da hesitação presente na voz da perolada, o rapaz conseguiu compreender perfeitamente a situação, chegando até a arregalar suas orbes intensas e azuis. Naruto era corajoso e um louco, estava disposto a libertar seu melhor amigo da escuridão, pois ele também sabia o gosto de se sentir perdido e sozinho, por esse exato motivo que não poderia abandonar o Uchiha.

Incrivelmente, o Jinchūriki sorriu largo, fazendo até mesmo suas bochechas levemente rosadas crescerem.

— Isso é maravilhoso, Hinata!

— P-por que? Não está nervoso com isso? — a perolada começou a indagar, curiosa com aquela reação inusitada e inesperada.

— Por qual motivo eu estaria? Isso significa que estarei de frente com Sasuke novamente e vou poder confrotá-lo, pois estou mais forte do que da última vez que nos encontramos! — o sorriso contagiante de Naruto sempre combinou muito com sua fisionomia brilhante, porém, divergente das outras vezes, Hinata não se sentiu acolhida por aquela áurea calorosa e determinada.

Ela estava preocupada e com medo.

A Hyūga era a pessoa que mais confiava no loiro, jamais deixou de acreditar no rapaz, mas depois de tantas descobertas e pressões da vida ativa de kunoichi que estava levando, a perolada se perguntava se Naruto realmente seria capaz de ir contra Sasuke. O potencial do Uzumaki era exuberante, ele sempre provava estar se superando quando todos acreditavam que ele iria falhar, mas seu antigo companheiro de equipe estava prestes a matar Orochimaru, um Sannin Lendário que nem mesmo Hiruzen, o Terceiro Hokage, conseguiu parar no passado. O Uzumaki poderia até mesmo bater de frente contra o Uchiha renegado, mas isso, com todas as certezas do mundo, iria custar algo para o loiro — talvez até a própria vida, quem sabe? O coração da primogênita de Hiashi se apertava com a simples menção de algo machucando Naruto, torturando-a lentamente enquanto ela se afogava no possível futuro que viria caso continuasse daquela forma.

— Você tem certeza? Digo... não estou subestimando você, Naruto, é a pessoa que mais admiro e que possui uma força inexplicável dentro de si, mas você não pode usar o Rasenchuriken, lembra? — Hinata sussurrou lentamente, virando o corpo para que ficasse de frente com o rapaz de madeixas douradas. A lembrança da conversa que teve com Kakashi e Sakura mais cedo também piorava bastante as coisas, pois o Uzumaki conseguiu derrotar Kakuzu, um membro da Akatsuki, com a ajuda dessa mesma habilidade extremamente letal, mas depois dos exames médicos do hospital de Konoha, estava fora de cogitação usar essa variação do Rasengan.

— O Rasenchuriken? Ah sim, você já sabe também, não é? O fato dele me machucar não irá me impedir! — fechando a mão em punho, enquanto erguia o polegar direito, Naruto bateu essa mesma palma contra o próprio peito, mostrando um sorriso destemido e encorajador. — Eu já enfrentei muitos inimigos e obstáculos, Hinata, esse é apenas mais um que tenho que superar ou contornar! Você confia em mim, não é?

Quando o Uzumaki se aproximou repentinamente da Hyūga, apalpando ambas as palmas da garota, fazendo o coração dela disparar e as bochechas da mulher se tornarem vermelhas feito a maçã mais madura da melhor safra do mundo. O sorriso levemente tímido e carinhoso do rapaz aqueceu a alma turbulenta da perolada, que sorriu minimamente para a pergunta implícita e impregnada nos olhos de tonalidade tão azulada quanto o mais límpido mar.

— Óbvio que eu confio, Naruto. — apesar da insegurança e dos medos ainda dominarem a sua mente, Hinata jamais deixaria de depositar sua fé no loiro. O Jinchūriki era como uma chama incandescente e que, um dia, a Hyūga esperava poder andar ao lado dele por essa jornada extensa, sendo capaz de lutar ao lado do rapaz e protegê-lo, assim como ele veio fazendo consigo indiretamente.

— Perfeito! Isso já me é suficiente, Hinata. — Naruto respondeu, soltando as mãos da perolada em seguida enquanto voltava a se sentar no sofá de maneira confortável para ele. — Bom, me diga, como está as missões? Fiquei sabendo que está se tornando muito poderosa! Acho que Konoha inteira está sabendo disso.

Um sorriso verdadeiramente alegre e ingênuo surgiu nos lábios carnudos de Hinata que, com entusiasmo, começou a narrar todas as suas aventuras ao lado do Time Kurenai quando viajaram para o Monte Shumisen, assim como a intensa batalha que se seguiu contra Ni e a nova Kuchiyose que conseguiu — mesmo que a Hyūga tratasse Isamu como um companheiro, o leão ainda preferia ser chamado de Invocação, apenas para manter as cordialidades. Contou para o rapaz de madeixas loiras sobre as conquistas que conseguiu no meio do seu caminho, como a nova variação do seu Jūho Sōshiken, assim como abrir os Portões Internos e a melhora absurda na sua mira quando usa as agulhas de acunputura. Ela decidiu deixar de fora os detalhes das brigas que aconteceram dentro do clã Hyūga, assim como a derrota de seu pai e o pequeno clima entre a primogênita de Hiashi e o primo, Neji.

Hinata sequer percebeu que, quanto mais falava, mais Naruto interagia consigo, comentando e discutindo sobre pequenos detalhes, além de não poupar elogios para os feitos notáveis da perolada — por incrível que pudesse parecer, a mulher demonstrou um controle melhor sobre seu instinto vergonhoso e tímido, que sempre fazia-a ruborizar e gaguejar, mas agora, no meio das conversas animadas que a Hyūga e o Uzumaki trocavam, ela se sentiu mais confiante em si mesma e mais determinada a manter aquele clima amistoso entre ambos.

Ela só não esperava que o Jinchūriki da Kyūbi quebrasse a distância que havia entre os dois e, vagarosamente, abraçasse a princesa do clã Hyūga inusitadamente, enlaçando a cintura da garota com carinho e afeto, depositando todo o orgulho que o loiro hiperativo sentia da companheira.

— Eu fico muito feliz por você, Hina. — a voz rouca do rapaz soou bastante próxima do seu ouvido, arrepiando a derme sensível dela. O rosto de Naruto estava preso aos cabelos levemente azulados da perolada, que inspirava o aroma saboroso de lírios do campo que ela portava, sentindo-se inebriado pelo cheiro. Inevitavelmente, o integrante do Time 7 se afastou minimamente da silhueta de sua companheira e olhou-a nos olhos, notando a vermelhidão nas maçãs do rosto e o brilho inexplicável do Byakugan fixos nas suas orbes azuladas. — Sempre soube que era talentosa, você só precisava de uma mãozinha para notar isso.

O coração de Hinata surtou extremamente. Ter o Uzumaki ali, tão próximo de si ao ponto de sentir a respiração calma dele colidindo com seu rosto, acoplados com a euforia e a adrenalina percorrendo por todas as suas veias, criando uma situação calorosa entre ambos — toda essa combinação fazia Hinata imaginar que era até mesmo um sonho, mas tal pensamento foi quebrado quando o loiro estranhou a falta de reação da garota e perguntou se ela estava bem, mostrando que estava preocupado.

— Uh? S-sim... Estou sim! — a Hyūga sorriu de forma tímida, recebendo um suspiro aliviado.

— Você deve estar com fome, não é? Quer comer um pouco de lámen instantâneo comigo? É a única comida que tenho aqui agora... — o risinho acanhado e as bochechas rosadas revelavam o constrangimento do Uzumaki diante aquela afirmação. Ele não era acostumado a receber visitas, então ele sempre comprava pequenas caixinhas de macarrão, já que era sua comida favorita e que sempre satisfazia-o, mas ele não sabia se a Hyūga iria gostar.

— Eu adoraria, Naruto! — Hinata respondeu, depositando uma de suas mãos no ombro do rapaz, que sorriu feliz ao ter seu pedido aceito.

— Isso aí, 'ttebayo! — em um grito alto e fortunoso, Naruto pulou do sofá, apalpando a mão da sua acompanhante e puxando-a até a cozinha. — Eu estou acostumado a comer sozinho, mas é sempre bom ter uma companhia!

Soltando pequenas risadas divertidas ao observar o quão desastrado o Jinchūriki era, Hinata parou e refletiu. A maneira como o loiro conseguia distrair e fazê-la esquecer de todas as suas preocupações era algo, no mínimo, mágico e surpreendente, pois a única coisa que a Hyūga conseguia pensar ao lado do loiro era no quão incrível ele era, mesmo com sua personalidade atrapalhada e estabanada, Naruto conseguia preencher todo o ambiente e expulsar qualquer sentimento ou pensamento negativo do lugar — era esse o poder de alguém que viveu por tanto tempo na solidão e aprendeu o valor de uma boa companhia? A primogênita de Hiashi jamais saberia responder, apenas poderia afirmar uma coisa:

Ela amava Naruto desde muito tempo e, mesmo que esse sentimento venha a mudar no futuro, sempre olharia para o loiro com apreço, gratidão e carinho.

No meio de pequenas trocas de assuntos entre Hyūga e Uzumaki, Hinata fez uma decisão bastante perigosa, mas ela estava decidida a cumprir ela:

Iria bater de frente com Sasuke e conseguiria informações sobre Juinjutsu, além de mantê-lo longe de Naruto o quanto fosse preciso, nem que, para isso, ela tivesse que arriscar sua própria vida.


Notas Finais


E então? O que acharam? Gostaram ou odiaram? Me digam aí! 👀💖

Apesar de Jiraiya ter salvado o dia, apoiando as palavras de Hinata quando havia poucas provas físicas da veracidade da fala de Kabuto, eu acho bastante justificável Tsunade ter desconfiado — ela estava em uma situação extremamente complicada, então a nossa Senju não pode se apegar a qualquer coisa apenas por causa do desespero. No fim, nossa Hinatinha ainda assim irá atrás de respostas para suas indagações e dúvidas! 👀💖

E o que acharam das cenas entre o Naruto e a Hinata? Eu prometi que iria desenvolver bastante a relação "NaruHina" — e olha que as cenas que há nesse capítulo são apenas o começo de muitas outras que virão. O nosso querido Uzumaki está se colocando constanteamente em perigo para salvar Sasuke, o nosso renegado goxtoso, e Hinata fica preocupada com isso, e é bastante justificável até, pois o loirinho de olhos azuis é importante para a Hyūga e ela está disposta sempre a arriscar sua vida para proteger o homem que ama — assim como foi no arco de Pain. O que vocês acham que essa decisão irá render? Hinata quer ir contra Sasuke para conseguir informações de Juinjutsu — pois o próprio Uchiha já foi vítima e ainda é desse tipo de jutsu —, juntamente do fato da nossa hime querer proteger o Naruto do moreno, mesmo que isso custe sua vida. Esse pequeno embate irá gerar muitas cenas complicadas e interessantes entre "SasuHina", garanto — como vocês sabem, nada do que eu faço é à toa, HEHEHEHEHE! 👀

Aliás, eu queria pedir desculpas pela demora que está sendo para sair capítulos novos, ainda mais quando a história está cada vez mais entrando no clímax, mas é que havia acontecido certas coisas e eu não estava me sentindo tão bem para escrever, mas sei que vocês vão entender! Vou tentar atualizar o quanto antes possível, estou até tentando criar um cronograma e segui-lo certinho KKKKKK

Spoilers do próximo capítulo: Time Kakashi e Time Kurenai em ação! Em busca de pistas e informações, Hinata, Naruto e Yamato acabam encontrando com Sasuke, que batalha arduamente contra dois membro da Akatsuki, Deidara e Tobi!

Até a próxima, meus beibis! 💕🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...