História C l i c h é ! - Capítulo 2


Escrita por: e Kaiiske

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Personagens Originais
Tags Amor Doce, Armin, Castiel, Comedia, Criticas, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais, Romance
Visualizações 40
Palavras 1.267
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Opaa
Aqui está mais um Clich- digo, capítulo!
Boa leitura!

Capítulo 2 - Primeiro dia de aula!


Fanfic / Fanfiction C l i c h é ! - Capítulo 2 - Primeiro dia de aula!

Alisson — Sweet Amoris

Durante todo o trajeto que percorri até a escola, me senti como se eu estivesse sendo seguida ou espionada por outra pessoa. Isso está me dando medo.. Será que todo mundo dessa cidade è assim?. Balbuciei a cabeça, tentando afastar esses pensamentos negativos. Agora, estou em frente do meu armário, pegando e guardando alguns livros didáticos que ganhei da escola. Com certa dificuldade, fechei a porta do móvel de ferro e sai com todos aqueles papéis em mãos, a caminho da minha sala. Permanecia com a cabeça mas nuvens, e quando me dei conta, estava prestes a me esbarrar num garoto. Já era tarde de mais, fechei meus olhos, aguardando o choque de nossos corpos um no outro.

— Opa! Isso aqui não! -Uma voz masculina se pronunciou, e quando abri meus olhos, engasguei, surpresa.

E lá estava Kaike, o mesmo garoto que vi no meu apartamento nesta manhã, parado entre mim e o outro garoto que ameaçava se esbarrar comigo.

— Qual é o seu problema? -O outro menino diz. Ele tinha cabelos castanhos e olhos verdes, vestindo uma roupa do quartel, e seu semblante estava cheio de indignação.- Tire a mão de mim! -O mesmo fala, batendo na mão de Kaike, a qual impedia que o outro caísse em mim.

— Cuidado, Alisson. Essa escola está cheia de Clichés. -Kaike diz, vendo o garoto de cabelos castanhos dar as costas e ir embora, meio constrangido.

— Sem dúvidas. -Do nada, Gabrielle surge ao meu lado, e eu dou um pulo para o canto oposto.- "Primeiro dia de aula, me esbarrei num garoto lindo e ele me ajudou a pegar meus materiais, acho que me apaixonei". Fala sério, essa é completamente óbvia!.

— Mas o que.. O que vocês estão fazendo aqui!? -Pergunto, sem entender mas nada.

— Caramba, eu já expliquei isso duas vezes!. -A menina cruzou os braços, bufando.- Estamos te ajudando a evitar clichés, alooo?!

— A não, essa história outra vez!. -Com a palma da mão livre, bati a mesma em minha cara, impaciente.

— Nós não estávamos brincando quando dissemos aquilo pela manhã. -O menino fala.

— Você está mais uma vez exato, Kaike. Os Caça Clichés não ficam brincando ao trabalho. Levamos tudo a sério!.

— Ah, pelo amor de Deus, vocês nem estudam aqui!. Parem de me perseguir! -Afirmo ainda com a mão sobre a cara.

— Não estudamos mesmo. Hehe. -A menina de óculos fala, rindo.

— Saiam daqui!, se não eu vou chamar a diretora para expulsar vocês daqui! -Grito impaciente, e pude ter certeza que as outras pessoas que estavam em volta, me olharam meio estranho. Droga!, esse é meu primeiro dia de aula, não queria causar uma má impressão logo hoje!.

— Calma, estressadinha. Se você não gosta da nossa companhia, é só ficar longe dos clichés!. -O menino amigo de Gabrielle fala. Seu semblante me causou medo.

— ..Fiquem longe de mim.. -Foi a última coisa que disse antes de sair caminhando rapidamente pelo corredor.

Talvez tenha sido uma péssima idéia ter ido para a escola hoje. Andei um pouco pelos corredores grandes e movimentos da construção, aproveitando da situação para conhecer os arredores e para esfriar a cabeça. Logo um sinal bateu, creio por mim que ele estava indicando o início das aulas e imediatamente, corri para a tal sala que a diretora me indicou mais cedo. Chegando lá, a sala ainda estava um pouco vazia, e com isso, aproveitei para sentar num lugar vago. Aquele lugar foi enchendo, e pouco a pouco, um frio brotou em minha barriga. Agora tenho a impressão de ser observada por todos os alunos, como uma verdadeira extraterrestre. O barulho dos alunos conversando cessou quando um professor entrou na sala.

— Bom dia, Turma. -Ele disse, ajeitando seus papéis sobre a mesa- Hm.. Bem, hoje temos uma aluna nova. Alisson, gostaria de se apresentar a turma?

De repente, todos olharam pra mim e involuntariamente me levantei.

— Hm.. Eu.. -Quando iria iniciar minha apresentação, resolvi olhar pela janela, e na hora levei um mini susto, vendo Gabrielle pendurada no galho de uma árvore, segurando uma placa escrita “NÃO DIGA COISAS CLICHÉS! NINGUÉM QUER SABER QUE VOCÊ É FRIA E TALS. DIGA APENAS O BÁSICO!. FORA CLICHÉ!”. Quando ela percebeu que eu finalmente a encarei, ela acenou feito louca, se desequilibrando e caindo. Eu arregalei os olhos, gaguejando um pouco. Ela é louca!? Por sorte, ela caiu em cima do Kaike, que aparentou gritar um palavrão.

— Meu nome é Alisson, tenho dezessete anos, e me mudei para Paris com minha tia recentemente. Espero que.. Podemos ter um bom ano.. juntos. -Falo, nervosa, e pude escutar alguns cochichos.

— Ótimo. Pode se sentar. Seja bem vinda. -O professor diz e eu concordo, fazendo o que ele me pediu.- Sou Faraize, professor de História. Nossas aulas são nas segundas e terças. Agora, vamos iniciar a aula.

Céus. Eu abri meu caderno. Por algum momento, resolvi olhar para fora. E lá estava a dupla estranha, ambos fazendo um sinal de aprovação com a mão. Mas que?

[. . .]

Era hora do intervalo. A aula de história tinha sido tediante. Resolvi sair da sala no mesmo momento, e fui para o pátio. Sentei em baixo de uma árvore e comecei a observar a movimentação. Ainda cheia de tédio, decidi escutar uma música chamada monster, feita pela Banda Starset que é composta por.. Meu celular vibrou, mostrando que uma mensagem havia chegado, e curiosa, resolvi abriria a notificação.

Ninguém precisa saber da música que você está ouvindo. Não precisa dar detalhes! Só diga que começou ouvir música!. Ficar descrevendo a música que você está ouvindo, é totalmente Cliché!. Foque na sua história! Não em dizer sobre a música!” -Número desconhecido, [15:39].

Ah não. Bati a mão na minha testa. Não pode ser!. Qual é dessa mensagem?, Como a pessoa sabia que eu estava descrevendo uma música?. Só pode ser obra daqueles.. idiotas!. Bufei. Perdi até a vontade de escutar música e guardei os fones junto com o celular. Abracei minhas pernas e continuei a olhar o lugar, me sentindo um pouco solitária.

Um grupo de garotas se destacava, contendo seis meninas que conversavam animadas. Olhei atenta para uma de cabelos brancos, ela parecia ser legal pelo jeito que falava e agia. Gostaria de ser amiga dela ou ao menos dialogar um pouco com ela, quem saiba nos damos bem. O celular que estava em meio de minhas pernas começou a vibrar, anunciando que alguém estava me ligando, e eu, receosa, peguei o aparelho eletrônico, visualizando que era um telefonema da minha tia!. Que ótimo! Pensei que fosse aquele número desconhecido novamente!. Atendi a ligação.

— Alô? -Digo receptiva.

— Sabia que não existe só a Rosalya para ser sua grande amiga nessa escola? -Uma voz que não era da minha tia fala.

— Oi? Quem é? Quem é Rosalya? -Pergunto, falando meio baixo.

— Rosalya é a garota de cabelo branco que você tá encarando. Olha, ela é legal e tudo mais, mas existem outras meninas legais nessa escola!. Tem aquela morena alta ali, o nome dela é Kim, e ela é super gente boa. Também tem a Íris, a ruivinha, ela é meio monga, mas é uma boa amiga!

— Mas…

— Procure outra pessoa para ser sua amiga, porque ser amiga da Rosalya é tão.. Cliché!. -Escutando aquilo, rangi meus dentes. É aquela garota de novo!

— Aaa! Cliché!? Que inferno!. -Gritei, desligando o celular e jogando o mesmo no chão, cheia de raiva.

Cliché!, Cliché!, Cliché!, Chega!. Meu dia mal começou e eu já estou prestes a me descabelar!. Quando eu chegar em casa hoje, vou dizer tudo para a minha tia!. Porque tia Agatha deixou Gabrielle usar o celular dela? Isso só pode ser obra dela!.


Notas Finais


Só verdades oq os caça clichés disseram. Você concorda?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...