História Caçadores por Sangue - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Aventura, Caçadores, Ficção, Mistério, Sobrenatural, Terror, Vampiros
Visualizações 14
Palavras 2.592
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Ficção, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


A personagem abaixo é a Claire.

Capítulo 3 - A Descoberta


Fanfic / Fanfiction Caçadores por Sangue - Capítulo 3 - A Descoberta

Hoje, foi um dos dias que eu acordei mais feliz, por causa da noite de ontem. Também, acordei ansiosa pela noite que me esperava.

Ao me arrumar, desci as escadas, indo logo para o estacionamento, para que eu pudesse chegar logo na escola, para entregar o livro que estava lendo ontem, pois hoje era o último dia de entrega.

Ao chegar à escola, subi os degraus, indo para a biblioteca.

- Cuidado por onde anda. - disse Mary, ao dar um esbarrão nela.

- Desculpa. - depois, continuei a caminhar, sem me importar com sua reação, pois hoje ninguém estragaria meu dia, nem mesmo ela.

Abri a porta da biblioteca, onde estava vazia, com exceção de três alunos que estavam ali lendo, provavelmente, algum livro que pegaram por vontade própria.

- Olá, - disse à bibliotecária, com um sorriso estampado no rosto. - quero devolver esse livro. - coloquei-o em cima do balcão para que pudesse ser recolhido.

- Sempre pontual, Katie. - disse ela, passando a máquina para que pudesse ser validado o recibo. - Vai pegar algum livro, hoje?

- Talvez, obrigada.

Ao falar isso, passei pela catraca e subi as escadarias. Ao chegar, segui para a seção de romance, onde havia vários livros de crepúsculos, entre outros. A leitura da biblioteca se restringia sempre a livros baseados em vampiros, portanto nunca tive contato com outros livros.

- Essa escola tem um mau gosto para livros. - ouvi uma voz familiar, ao meu lado. - Oi. - sorriu, ao ver que eu havia virado o rosto, percebendo que era ele.

- Pode ser que para sua espécie seja, mas para a nossa, são como tesouros. - retruquei o seu sorriso, falando baixo para que ninguém pudesse me ouvir, a não ser ele. - Ah, é, e a propósito, oi. - fiz uma tentativa fracassada de tentar imitá-lo na nossa conversa de ontem. Rimos um da cara do outro.

- E se eu fizer isso, na sua espécie, será que reagimos igual? - disse, arqueando a sobrancelha.

- Para, para! - falei, reagindo e rindo ao mesmo tempo, ao fazer cócegas em mim, porém ele era mais forte que eu. No mesmo tempo, Mary havia subido as escadarias da biblioteca e viu o que estava acontecendo entre a gente, e, de relance, vi-a e senti uma pontinha de inveja. - Tudo bem, agora para. - ao ouvir, ele parou. Escolhi Amanhecer Parte 1, o livro que eu ainda não havia lido e fomos para uma das mesas.

Ao sentarmos, folheei as páginas, vendo o que se tratava. Depois, fui para a primeira para começar a ler. Lendo, percebi que ele olhava para o livro e, ao mesmo tempo, me olhava.

- Que foi? - perguntei, após não conseguir me conter.

- Você não acha esses livros bobos?

- Não, são apenas para diversão.

- Eu sei, mas eles não condizem nada com a realidade, como por exemplo, Bella fica com o Edward e eles se casam, na vida real, nunca que um humano e um vampiro poderiam ficar juntos, é proibido. Gosto dos livros que tratam como se o tema fosse de verdade. - ao ouvir isso, senti raiva e ódio, ao mesmo tempo, não sabendo o porquê, será que eu queria algo a mais com ele do que sermos apenas amigos?

- Eu não sei, eu, han, e-eu… - confusa com meus sentimentos, saí correndo daquele espaço, deixando o livro aberto, pois precisava respirar ar puro e clarear minha mente. Ao correr, vi os olhos confusos de Édson ao ver a minha expressão.

Corri para debaixo das escadas do portão principal, onde apenas eu conhecia aquele lugar. Ao chegar, fiquei andando para lá e pra cá, tentando clarear minha mente e pensando nos meus sentimentos, no porquê de eu ter agido daquele jeito. Ao me virar, Édson apareceu de repente, com  um susto, tropecei, porém ele me pegou para que eu não pudesse cair.

- O que que aconteceu? - perguntou ele, ainda confuso.

- E-eu não sei… - comecei a choramingar, ainda confusa com os meus sentimentos. Ao perceber que eu havia falado a verdade, tentou me consolar, tirando uma lágrima que havia escorrido em meu olho e abraçou-me e eu o retribui. Abaixando-me, colocou-me sentada no chão encostada na parede.

- Quer que eu busque água? - antes que eu pudesse abrir a boca para falar, ele já estava com um um copo de água na mão.

- Obrigada. - agradeci, aceitando o copo que me dera. Ao bebericar a água, fitava os seus lindos olhos amarelos. - Como que… - abaixado, colocou o seu dedo indicador nos meus lábios.

- Perguntas para mais tarde, quando eu for a sua casa. - disse ele, pegando o copo de minha mão, comigo recordando-me da noite que teria. - Vamos? Vai bater o sinal daqui a pouco. - ao dizer, ofereceu sua mão, ajudando-me a levantar.

Caminhamos em silêncio pelo corredor do colégio em direção à arena, com todo mundo nos olhando, para ser mais específica, olhando para ele. Parece que nunca viram algo semelhante. Bem, claro que ele era muito bonito, mas isso estava me deixando envergonhada. Ao perceber, meu rosto estava corado.

- Calma, não precisa ficar assim. - disse ele a mim em um sussurro. Era fácil para ele falar, ele faz parecer tão natural, pensei. Ele revirou os olhos, parecendo ouvir meus pensamentos.

Ao chegarmos, ele abriu a porta para nós dois entrarmos. Ao entrar, o sinal havia tocado no mesmo instante em que íamos para os nossos assentos. Sentei perto da Claire e, apesar de termos uma relação, ele continuou a sentar no mesmo lugar que sentava.

- Não me diga que você e ele… - ela parou para pensar e, parecendo se tocar de uma possível relação, arregalou os olhos. Após eu perceber, só ouvia gritos de alegria, com ela animada, batendo palmas. - Eu sabia que vocês tinham alguma coisa. Estão namorando? - perguntou animada, com esperança de estarmos.

- Quê? Não! - disse, esfregando meu braço em desconforto.

- Ah tá, sei. - olhei para o Edson e ele parecia estar rindo da nossa situação.

- Boa tarde, alunos. - falou a professora, algum tempo após de ter tocado o sinal. - Desculpem o meu atraso, tive alguns assuntos para resolver.

- Boa tarde. - responderam alguns em uníssono.

- Como na aula passada ocorreu um incidente com a Senhorita Katie, o teste de ontem foi cancelado e iremos fazer um novo teste hoje. - ao gritar, quase todos, com exceção de Mary, começaram a me olhar, parecendo gratos por aquilo ter acontecido. - O teste ocorrerá da seguinte forma: no primeiro período, mostrarei, no telão, alguns personagens de livros mais famosos de vampiros e vocês terão que escrever, na folha com o lápis que entregarei para vocês, os seus nomes. No segundo período, entregarei um questionário e na folha, vocês irão responder para cada um no seu respectivo nome. Alguma pergunta? - ninguém havia levantado a mão, então ela começou a distribuir as folhas e os lápis para cada um de nós, e depois, pegou o controle remoto que estava na sua cadeira e apertou o botão que aparece o telão. Depois, ela colocou um Pen Drive que aparece as fotos dos personagens. O primeiro que apareceu já descobri quem era, Edward, de Crepúsculo.

Ao passar todos os slides, consegui escrever o nome de quase todos, exceto de um que eu não conhecia, mas que parecia ser familiar ao meu ver. Depois dos slides, o sinal havia tocado, anunciando o fim do primeiro período, portanto, deixamos nossas coisas em nossos lugares e seguimos para a cantina.

 

- Conseguiu escrever o nome de todos? - perguntei a Claire, enquanto estávamos na fila.

- Não, não consegui escrever três nomes.

- O mesmo de sempre, senhorita? - perguntou a merendeira, com um sorriso amarelo.

- Sim, obrigada. - agradeceu, retribuindo o sorriso.

- E você, Katie?

- Pizza de queijo, também o mesmo de sempre. - também retribui. Depois, fomos para a nossa mesa e nos sentamos.

- Olá, meninas. - disse Édson, ao sentarmos conosco, ao meu lado.

- Oi. - respondemos em uníssono.

- Como foi o teste para vocês?

- Foi fácil. - respondi meio sem jeito, ainda não acostumada com a sua presença.

- Achei regular. - disse Claire, dando de ombros.

Depois, comemos em silêncio, enquanto olhávamos um para o outro, enquanto ele brincava com seu anel despercebido, com a Claire nos olhando.

Após tocar o sinal, levantamos e, de novo, quando íamos deixar as nossas bandejas, a Mary passou, tentando jogar a pizza para cima de mim. Porém, quando ela ia dar um tapa em minha bandeja, foi tão rápido e brusco o movimento, que quando percebi, vi que a mão de Édson estava segurando a da Mary no alto.

- Quem você acha que é? - perguntou, com tom arrogante, tentando enfrentá-lo.

- Eu que te faço a mesma pergunta. - seus olhos amarelos estavam se tornando laranjas para um tom avermelhado. - Nunca mais faça isso, entendeu bem? Nunca mais. - disse com um tom sombrio, que até eu fiquei com medo, seus olhos já vermelhos. Peguei sua mão, ao ele perceber, virou-se para mim, com seus olhos voltando a cor original, parecendo tê-lo acalmado. Mary saiu quase que correndo depois de quase soltar sua mão com força, também assustada com o que havia ocorrido.

- Obrigada. - disse em um tom baixo, que só ele poderia ouvir. Olhei para os seus olhos que pareciam ficar gratos.

Depois, seguimos para a arena onde teríamos que terminar o teste.

 

- Muito bem, alunos. - disse a professora, após todos estarem sentados em seus lugares. - Agora, entregarei uma lista, onde contém três perguntas. Não haverá folhas para todos, portanto, o teste terá que ser feito em dupla. - complementou, passando em todos os assentos para que as folhas pudessem ser entregues.

- Você vai fazer comigo, né, Claire? - virei-me para ela. - Claire?! - ao falar, ela se levantou, indo se sentar com outra pessoa, com intenção de deixar eu e o Edson a sós, comigo tentando puxá-la pelo braço.

- Parece que só sobrou você. - falou Édson ao se sentar, após ter passado por mim.

- Pois é, né? Que irônico! - disse com menor destreza, tirando um fio de cabelo que mal pendia sob minha testa.

- Calma, vai ser divertido. - disse, ao tocarmos as nossas mãos ao tentarmos pegar a folha de papel. Sorri, pois senti aquela mesma conexão que sentia quando olhava, tocava ele. E, por incrível que pareça, ele também sentia.

A folha continha perguntas simples, que mal dava para demorar, mesmo se você fosse lerdo escrevendo.

- Muito bem. - comecei dizendo. - Qual é o primeiro vampiro que apareceu na foto?

- Edward Cullen.

- Nossa, estou impressionada. Como é que você sabia? - falei ironicamente.

- Sorte, talvez. - disse ao entrar na brincadeira. Rimos um da cara do outro.

O teste foi muito fácil para nós, com exceção de mim, na parte em que eu não havia conseguido descobrir o nome.

- E o quarto vampiro? - falou Édson.

- Não consegui descobrir.

- Rei Édson I. Você quer que eu escreva o resto por nós?

- Sim, pode ser. - dei de ombros.

Ao soar o sinal, a professora passou por nossos lugares, recolhendo apenas a folha que continha as respostas. Quase que saí correndo da sala, preparada para chegar em casa e me arrumar pela noite que viria.

 

Cheguei a casa, subindo os degraus da escada, direcionando-me para o banheiro. Tirei a roupa que tinha ido e entrei no box, ligando a torneira para tomar um outro banho, apenas para ensaboar meu corpo. Ao terminar, peguei a toalha e me enrolei.

Fui ao meu quarto, em direção ao guarda-roupa. Abri-o e fiquei pensando em qual roupa que vestiria, pois não tinha muitas opções para esse tipo de ocasião. Escolhi uma blusa vermelha que pendia nos braços, uma calça rasgada preta e decidi ficar com meu chinelo. Para completar, penteei meus cabelos, coloquei meus brincos de morcego e sentei na cama, esperando por sua vinda.

- Katie. - ouvi a mesma voz daquele dia me chamar novamente. Fui até a janela e vi que ele estava mais elegante, com sua jaqueta preta, blusa preta e calça rasgada. Percebi também que ele havia trazido uma cesta.

- Oi. - disse, ao pular a minha janela, após a ter aberto. - Você está bonita.

- Obrigada. Você também está. - sorri. - Bem, o que você tem nessa cesta? - apontei.

- Não irei contar. - tentei pegar e ver por mim mesma e depois de um movimento rápido, só vi ele sentado no chão com a cesta ao seu lado. - Sente-se. - ao falar, me sentei ao seu lado.

Após, ele havia tirado duas tigelas tampadas com rolo filme, sendo uma delas continha morangos e a outra, chocolate derretido.

- Gostei. - disse, com ele destampando.

- Obrigado. - sorriu. - Então, quer ir para as perguntas?

- Ah, sim. Claro. - me endireitei para poder começar. Qual… - parei, depois de ser interrompida pelo seu dedo indicador levantado.

- Lembrando que a pergunta que a pessoa fará, deverá ser respondida por nós dois.

- Tudo bem. Qual o seu nome e qual é a sua idade?

- Meu nome é Édson e tenho 105 anos, porém fui transformado aos 17.

- Meu nome é Katie Westwood e tenho 16 anos.

- Westwood? A família de caçadores mais bem sucedida e famosa?

- Pois é. - disse ao pegar um morango e mergulhá-lo no chocolate.

- Deve ser por isso que a Mary deve ter tanta inveja de você. - falou Édson, ao pegar um copo com tampa.

- Sim, mas ela faz essas coisas, porque ela sabe que eu posso ser expulsa da escola se eu fizer algo contra, já que o diretor é o seu pai. - dei uma mordida.

Ele tomou um gole do seu copo, com seus olhos mudando de cor, novamente.

- Como você consegue conviver conosco sem ser percebido?

- Estou acostumado com o cheiro do sangue humano, a propósito, o que estou bebendo é a coleta de sangue do hospital. E, na questão dos meus olhos, eles só mudam de cor quando meu humor se torna mais agressivo ou quando estou bebendo. - disse, terminando seu copo.

- Quer dizer que você rouba do hospital? - meus olhos assustados.

- É melhor do que sair por aí, mordendo pescoços e expondo quem somos.

- Mas, eles não percebem, não?

- Não, pois sempre repõe o estoque toda a semana.

Após algum tempo, ficamos em silêncio e comi mais um morango com chocolate. Em um momento mais tarde, quando terminei, vi que nossas cabeças iam se aproximando para mais perto, um pouco inclinadas, pelo clima que estava, e quando percebi, nossos lábios se tocaram.

Demos um beijo prolongado, sentindo seus caninos tocarem, cuidadosamente, meus dentes. Depois de um choque de realidade, tentei me afastar dele, olhando diretamente para os seus olhos.

- Eu pensei que você havia dito que vampiros e humanos… - dizia, ao ser interrompida pelo Édson, seu dedo indicador no meu lábio novamente.

- Esqueça o que eu disse. - após, voltamos a nos beijar.

E, então, assim se seguiu a noite, comigo infringindo a primeira e a principal lei do mundo dos caçadores de vampiros, nunca namore ou tenha relação com um vampiro.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...