História Café Universe (Sehun - EXO) - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol)
Tags Drama, Exo, Romance, Sehun
Visualizações 81
Palavras 1.283
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie^^

Tudo bem meus amores? Eu sumi um pouquinho mas já estou de volta, e com novos capítulos \o/ . Essa história promete muitas surpresas, por isso peço que não desistam dela tá? No futuro vocês irão entender... Vamos conferir o capítulo de hoje? Espero que gostem!

Boa Leitura :)
Bjssss <3 <3

Capítulo 25 - Saudade


Fanfic / Fanfiction Café Universe (Sehun - EXO) - Capítulo 25 - Saudade

 

 

[ S/N ]

 

 

- É o movimento está fraco esses dias também... é em parte culpa daquela “cafeteria moderna”, que abriu a duas quadras daqui...

 

 

Dizia meu chefe enquanto fechava as contas no caixa.

 

 

(S/N) – Tenho certeza que é só uma fase, logo os clientes vão encher este lugar de novo senhor, pode acreditar!

- Você é tão otimista minha filha, espero que esteja mesmo certa. – Fala um tanto desmotivado, olhando pela janela as ruas desertas lá fora. – Queria poder aumentar seu salário, mas infelizmente isso vai demorar um pouco mais.

(S/N) – Tudo bem, não se preocupe com isso agora. Eu vou dar um jeito...

 

 

( . . . )

 

 

----- A noite no Café -----

 

 

 

Como sempre eu fiquei na cafeteria até mais tarde cuidando da limpeza, Sehun chegou alguns poucos minutos depois que o gerente foi embora e me ajudou a organizar o que faltava. Já era costume ele dividir o trabalho comigo nos dias em que eu era a responsável por fechar o café. Enquanto ele limpava o balcão eu arrumava em silêncio as cadeiras nas mesas;

 

 

(Sehun) – Parece preocupada, aconteceu alguma coisa?

(S/N) – Não é só que...
 

 

Desvio involuntariamente o olhar, e esse gesto acaba por confirmar o que eu tentava disfarçar.

 

 

(Sehun) – Me diga o que houve? Não confia em mim?

(S/N) – Eu confio em você mais do que em qualquer outra pessoa Sehun, eu só não quero que se preocupe com os meus problemas...

(Sehun) – Nós somos um casal não somos?

 

 

Perguntou e assenti que sim;

 

 

(Sehun) – Então não são “seus problemas”, são nossos problemas agora ok?

 

 

Mesmo não querendo concordei.

 

 

(Sehun) – Me conte o que está afligindo você?

(S/N) – Bom... eu estou tendo muitas despesas desde que minha colega voltou para o Brasil no começo do ano, e eu precisei assumir sozinha todo o aluguel do apartamento em que moro. O café não vai muito bem ultimamente, e por isso não posso pedir um aumento agora...

(Sehun) – Eu posso pagar o aluguel para você e... – O interrompi antes que terminasse.

(S/N) – Não Sehun! Está vendo? Era exatamente por isso que eu não queria te contar! Não vou aceitar que pague minhas contas, isso é minha responsabilidade.

(Sehun) – Eu sou seu companheiro não vejo problema nenhum em ajudar você.

(S/N) – O problema é que você já tem as suas despesas, não pode assumir as minhas! Assim eu... me sinto uma imprestável...

(Sehun) – S/N. – Me abraça com carinho. – Precisa deixar de ser tão orgulhosa, eu só quero cuidar de você. Eu posso fazer isso, eu quero.

(S/N) – Não é orgulho Sehun, é minha dignidade. Se eu não posso pagar minhas próprias contas, que tipo de pessoa eu sou?

(Sehun) – Tudo bem eu não vou mais discutir isso com você, mas eu tenho outra proposta; e se você se mudasse para o meu apartamento?

(S/N) – Está falando em... eu ir morar com você?

(Sehun) – Isso, vem morar comigo? O apartamento é grande e assim passamos mais tempo juntos. É perfeito! – Diz empolgado.

(S/N) – Ah, eu não sei... eu precisaria contribuir com alguma coisa, se não vou me sentir um estorvo.

(Sehun) – S/N! Não gosto quando fala assim. – Diz repreendendo-me. – Olha você sabe que eu viajo muito e o apartamento passa a maior parte do tempo sozinho. Você irá me ajudar cuidando dele para mim, o que acha?

 

 

Ainda estou indecisa então ele insiste;
 

 

(Sehun) – Aceita por favor? Diz que sim?

 

 

Fala distribuindo beijinhos por todo o meu pescoço e não consigo resistir.
 

 

(S/N) – Está trapaceando, assim não vale.

(Sehun) – Vale se eu ganhar... Diz que sim?

 

 

Como posso dizer não a ele? É impossível! Quando ele me olha assim eu simplesmente esqueço do mundo e faço o que ele me pedir.

 

 

(Sehun) – Aceita?

(S/N) – Tá, eu aceito...

 

 

( . . . )

 

 

Semanas Depois

---- Restaurante ---

 

 

 

(Suho) – Tá, se ninguém vai falar eu vou.

(Chen) – Ah meu deus, de novo.

 

 

Todos reviram os olhos e balançam a cabeça em negação, pois ninguém ali aguenta mais as constantes lamentações do líder.

 

 

(Suho) –  Eu já perdi a conta de quantas vezes o Sehun desmarcou com a gente! Sério que vocês não acham nenhum pouquinho que ele está estranho?

(Baek) – Não Suho, só você acha isso! Se bem que... – Pensa por uns instantes.

(Suho) – Que?

(Baek) – Ele tem estado muito conectado ao celular ultimamente, e olha que o mais viciado aqui é o Kai.

(Kai) – Hey! – Reclama. – Mas é verdade, outro dia o telefone dele estava tocando e eu fui atender, ele surtou e tomou o aparelho da minha mão.

(Chanyeol) – Ele fez a mesma coisa comigo quando peguei o celular dele para enviar uma mensagem, o meu estava descarregado.

(Suho) – É exatamente isso que estou falando! Tem alguma coisa muito estranha acontecendo com o Sehun... Acho que devíamos segui-lo, e talvez assim a gente descubra.

(Do) – Nós viemos a esse restaurante para comer ou para ficar criando “teorias da conspiração”?  Parem de ser tão paranoicos, deixem o Sehun em paz! Não há nada acontecendo. E me passa esse frango...

 

 

Diz, decidindo ele mesmo encerrar aquela conversa.

 

 

( . . . )

 

 

 

---- Apartamento – Sehun ----

 

 

 

[ S/N ]

 

 

 

Estava no quarto lendo um livro quando ouço a porta da sala abrir e logo escuto aquela voz já tão conhecida por mim. Vou depressa até lá e vejo o belo moreno jogando a mochila sobre o sofá, ele dá um lindo sorriso ao me ver parada ali e eu não penso duas vezes em correr em sua direção, pois aquele é sem dúvida o meu Sehun.

 

 

Pulo em seus braços que rapidamente me seguram e entrelaço minhas pernas em volta de sua cintura, em seguida lhe dou incontáveis beijinhos por todo o seu rosto e ele rir do carinho que lhe faço.

 

 

 

(Sehun)  – Acho que vou viajar mais vezes para receber todo esse amor quando voltar.

(S/N) – Não! Nem pense nisso! – Faço bico e ele sorrir.

(Sehun) – Estava com tanta saudade assim?

(S/N) – Estava morrendo de saudades! Você não?

(Sehun) – Demais! Não teve um só minuto, um só segundo que eu não pensasse em você!

(S/N) – Você demorou muito dessa vez...

(Sehun) – Sabe que a última coisa que eu quero é ficar longe de você não é? Mas é o meu trabalho...

(S/N) – Eu sei... é que eu me senti muito só aqui sem você. – Falo entristecida.

 

 

Ele me carrega nos braços de volta ao quarto, e senta na cama comigo ainda em seu colo.

 

 

(S/N) – Depois que Daehan se mudou eu fiquei sem nenhum amigo, se não fosse você eu estaria completamente sozinha nessa enorme cidade... Eu já me sinto naturalmente sozinha por causa do meu problema, e quando não ouço  uma voz familiar por perto eu sinto como se estivesse presa dentro de um quarto escuro onde eu grito e grito o mais alto que posso, mas ninguém consegue me ouvir!

 

 

 

[ SEHUN ]

 

 

Eu a abraço tentando consolá-la.

 

 

(Sehun) – Você não está sozinha! Eu estou aqui, eu sempre estarei aqui para você ok?

(S/N) – Promete?

(Sehun) – Prometo. – Toco sua bochecha.

(S/N) – Sabe, se continuar mudando o cabelo assim vai ficar cada vez mais difícil reconhece-lo. – Diz acariciando meu rosto.

(Sehun) – Ainda que eu mude eu sempre serei o mesmo, o mesmo cara que te ama.

 

 

Ela sorrir quando digo e eu a beijo de maneira apaixonada, e o beijo parece ainda melhor dessa vez pois está repleto de ternura e saudade.


 

 

( . . . )

 

 

Enquanto ela dorme ali do meu lado eu a observo. Não posso deixar de pensar no quanto ela frágil, e em como me sinto horrível por continuar a mentir para ela assim...


 

 

(Sehun) - Me perdoa por não poder te mostrar essa parte de mim? O meu eu de verdade. Eu queria poder tirar essa máscara, mas eu tenho muito medo de te perder...


Notas Finais


Quanto mais você omite a verdade, mas se afunda em mentiras Sehun. Todos já estão desconfiando, até quando conseguirá manter esse segredo?

Não percam os próximos capítulos!
Bjsss <3
Até . . .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...