História Cake - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, Kai, Personagens Originais, Xiumin
Tags Chen, Drama, Exo, Kai, Lgbt, Xiuchen, Xiukai, Xiumin, Yaoi
Visualizações 24
Palavras 4.679
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Entãooooo eu ia deixar assim mesmo, sabe? Mas depois de meses... Eu finalmente consegui desenvolver o capítulo extra. Então espero que gostem! Foi feito com muito amor.

~Boa Leitura~

Capítulo 2 - O que vamos fazer?


POV'MinSeok


Dois meses se passaram depois do acontecido... Ele não atendeu minhas ligações, não respondeu meus emails, não visualizou minhas mensagens. Então muito menos me ligou, mandou mensagem, mandou um email ou foi ao meu trabalho. Em pensar que ele era o meu melhor amigo... Esteve comigo em todas às horas, não íamos à um lugar se o outro não fosse e muito menos passávamos mais de um dia brigados.

Me pergunto pra que merda eu tinha que deixar meus sentimentos por ele fluírem além do normal. Ou melhor... Pra que merda eu tinha que ter ido visitar o Chen? Eu não tinha essa necessidade, se eu já tinha uma decisão tomada... Era somente ligar para ele e dar uma resposta. Mas não! Eu precisava me encontrar com ele, precisava relembrar aqueles momentos e eu precisava destruir o coração do JonGin e jogar tudo para o ar!

Me reviro mais uma vez na cama sem conseguir dormir... Já perdi às contas de quantas noites eu passei em claro. Nunca imaginei na minha vida, que o Kai teria um dia, a coragem de me ignorar durante dois meses. O que me deixa mais aflito... É o fato de eu nem saber como ele está. Se ele tem se cuidado ou se tem dormido direito. Isso me mata! Recentemente eu fui até sua casa, mas seu vizinho disse que ele havia se mudado. E como eu fiquei? Puto da vida, claro! Como ele foi capaz de se mudar e nem me contar nada? Mas infelizmente, quem causou toda essa confusão, fui eu.

Em pensar que tudo isso começou por causa da banana de uma crise no relacionamento...



~Flashback On~



- Yoon, você poderia parar de ser tão lunática assim? Você parece uma louca!

- Ah, agora eu sou a louca e lunática aqui?! Ava, Xiumin, ava! Você acha que eu tenho cara de quê? Eu não nasci ontem não.

- Pelo amor de meu santo Key... Quem está te chamando de idiota, trouxa sei lá o quê. Eu apenas estou pedindo para você parar com esses seus assuntos totalmente sem nexo! -Diminuo a voz ao perceber que falava muito alto.

A garota de cabelos esverdeados olha em volta, procurando uma forma de conter seu nervosismo. Faziam aproximadamente um ano que estávamos juntos, e até hoje eu me pergunto... COMO FOI QUE ISSO DEU CERTO?! Não por ela, já que ela sempre foi uma ótima namorada. Mas por mim... Eu sou tão óbvio algumas vezes e tão teimoso, que chega a ser irritante.

- Xiumin, você é tão idiota e cabeça dura... Que eu não sei como em um ano que passamos juntos, eu não te matei! Eu não sei como o Kai te aguenta. Fala sério! -Resmungou novamente, fomando um doce biquinho em seus lábios rosados.

E mais uma vez sinto como se ela estivesse lendo minha mente... KyungYoon é uma garota muito imprevisível, você nunca vai saber o que ela está pensando ou como ela se sente. Eu me pergunto, por que eu não poderia ficar totalmente apaixonado por ela? Seria bem mais fácil. Mas não, nesse exato momento, estamos no meio de uma DR... E minha própria namorada, dando uma de cupido/conselheira amorosa.

- O que eu quero dizer... É que você deve parar de enganar o Nini, isso sim. Se eu estivesse no lugar dele, eu teria lhe dado um baita de um pé na bunda, e achado um macho super do gostoso para mim. -Disse convicta, enquanto me mirava com seu olhar amendrontador e ao mesmo tempo debochado.

- E lá vem você de novo. Por que você acha que eu faço ele de idiota? E o que te leva a pensar que eu tenho alguma coisa com o Chen? -Pergunto já impaciente! A verdade é que ela não é nada besta, e eu vacilo muito em algumas ocasiões.

- Xiumin, Hello! Eu sou mulher, e já tive crushs. Você quer mesmo que eu coloque na mesa os fatos que me fazem ter certeza de que vocês trepam? Se não trepam, já treparam um dia. E se não treparam... Vão trepar.

Ela disse isso em um som tão audível... Que eu me encolhi no banco, quando os atendentes pararam apenas para olhar pra nossa mesa e até os clientes que estavam ENTRANDO... Pararam na porta para nos olhar. Vocês querem um motivo maior do que esse, para simplesmente não conversar nada pessoal em um local público com a Yoon? Pois é. E ela prosseguiu...

- Eu vou levar isso como um "Sim" então vamos lá! 1° sempre que nos encontramos, ele está usando um perfume super atraente, suave e gostoso... E você faz questão de elogiar ele e enfatizar "Nossa, Nini.. Como eu amo esse seu perfume.". 2° Ele está sempre usando aquele pingente com um urso segurando um floquinho de neve (que por sinal é muito fofo) que se eu não me engano... Você deu para ele quando eram crianças e quando eu peguei, ele quase teve um treco!

- Ah, Yoon! Também, foi presente de aniversário. Claro que até eu agiria dessa forma, óbvio! -Dou de ombros, enquanto pego mais uma batata frita.

- Ah, jura? E enquanto ao perfume, huh?! -Ela lança aquele bendito olhar para cima de mim. E eu posso jurar que me encolhi no banco da lanchonete.

- O perfume? Bem... Ah, eu realmente amo aquele perfume e ele usa ele desde que... -Paro ao me recodar de algo. O Kai costumava usar outro perfume, e quando ele ficou super triste por seu perfume ter terminado e ele fora obrigado á usar o atual... Eu disse que gostava muito mais do cheiro deste, do que do outro.

- Como eu pensava... Agora cala a boca que eu não terminei. Agora vamos para algo bem mais íntimo, o que acha? Quando você chama ele de "Kai" ele simplesmente forma um belo biquinho em seus lábios, e acaba ficando bem emburradinho... Mas óbvio que ninguém, fora eu, percebe. Afinal eu sou detalhista demais! -E novamente ela se engrandece. Aff!- Já quando você o chama de "Nini" mesmo que seja para um esporro... Ele fica todo dengoso e com um sorriso radiante nos lábios.

- Aff, Yoon nada haver isso ai que você falou. Você é uma doida, isso sim! -Enfio toda a batata na boca e olho para a vitrine.

- Xiumin, pelo amor de meu Gdragon! Está tão óbvio. E você não admite que eu estou certa, e você errado. E você me deve um pedido de PERDÃO!  Pelo tanto de galhas que enfiou na minha cabeça. -Ela também se escora no banco e olha para um lugar qualquer da lanchonete.

Um breve silêncio se estende, e ninguém pronuncia uma frase se quer. Ela estava certa, tudo que ela citou, disse, ou pensou... Estava certo. Mas eu não tinha tanta coragem assim para encara-la e dizer quantas vezes eu me deixei levar pelo desejo de ter ele em meus braços, pela sensação de adrenalina que ele me causava, pelo desejo contido que eu todo dia sentia por ele... Até eu me sentia mal por pensar e agir assim, imagina ela! Sinto algo quente escorrer pelo meu rosto, e ao passar o dedo... Percebo que eram gotas solitárias das lágrimas. Que merda!

- Eu estou certa, não estou? Não precisa falar nada... Eu te conheço Xiumin, e você sempre chora quando está com a consciência pesada. -Um sorriso ladino e ao mesmo tempo triste, brincou em seus lábios. Ela levou seu olhar até mim, e me olhou durante um bom tempo.- Não te culpo pelo ocorrido, eu também deixei à desejar nessa relação e sei como é horrível estar com alguém que você só vê como amigo. Mas por outro lado... Acho injusto o que você fez com o Kai e acho mais injusto ainda, o fato de você não falar para ele que você está dividido entre ele e o seu ex namorado.

- Mas Yoon, eu não estou dividido entre eles dois. Eu realmente amo muito o Nini, e fazer isso com ele me machuca todos os dias! Eu não aguento mais tratar ele somente como se fosse a droga de um melhor amigo, que eu necessito ter por perto com medo de ficar sozinho para sempre! Eu quero ele como a pessoa por quem me apaixonei e escolhi para passar o resto dos meus dias junto. Eu quero construir uma família, arrumar nossa casinha, adotar um monte de criancinhas e viajar com ele e nossa família pelo mundo todo e dar o universo para ele, somente para o ver feliz. Eu quero deitar-me com ele e quando abrir os olhos, ter a certeza de que ele vai estar ao meu lado!

Às palavras simplesmente voam da minha boca para os ouvidos dela, era como se um peso estivesse sendo tirado das minhas costas e eu finalmente pudesse respirar aliviado, pois não tinha mais o que esconder. Quando dou por mim, às lágrimas rolavam pelo meu rosto como rios, e ela, sentada à minha frente... Sorria feito uma criança que havia acabado de ganhar um pirulito gigante. A encaro confuso, enquanto seco meus olhos e resmungo baixo, fomando um bico nos lábios.

- Do que está rindo, sua idiota?

- Minnie... Você está amando. Pela primeira vez, você realmente está amando alguém! -Ela fala com um sorriso largo, enquanto leva a mão até a boca e começa a rir.

- Yoon, onde está a graça nisso? Você é louca, sabia?! Sei nem como demos certo. -Bufo e cruzo os braços, voltando a me escorar no banco.

- Desculpa, mas... É que é muito hilário eu estar feliz pelo meu namorado estar apaixonado por uma pessoa que não seja eu... E um homem, por sinal. Mas como eu disse, somos mais amigos do que namorados.

- O que quer dizer com isso?

- Bem... Passamos um ano juntos, ambos nos esforçamos para ao menos gostar um do outro. Você não terminou comigo por pena, e eu também não terminei com você por medo. Mas visto que agora sabemos os reais sentimentos um do outro... Acho que chegou à hora de dar um fim nisso e lutarmos por quem realmente nos faz feliz.

Ela disse isso de uma foma tão natural... Que se eu não a conhecesse, diria que ela está sendo 100% compreensiva e que eu fui um idiota de ter ficado com medo de ferir seus sentimentos. Se eu não conhecesse ela... Mas eu conheço. Eu sei que ela deve ter passado semanas ou até meses, ensaiando para ter essa conversa comigo e para que tais palavras, saíssem de forma natural ao saber que eu amava outro alguém que não fosse ela. Seus olhos levemente vermelhos, seus lábios trêmulos, seus cílios piscando com frequência e seus dedos inquietos brincando com o dedão... Indicam que ela à qualquer momento vai pedir licença para ir ao banheiro. E assim que chegar lá, ela vai repousar suas mãos sobre a pia molhada daquele local e chorar frente ao espelho se perguntando o que ela tem de errado... E quando tiver menção de alguém entrando, ela vai correr para a cabine e terminar de se aliviar ali, contendo seus gritos interiores perante tantas lágrimas derramadas. Depois disso ela vai se recompor, sair da cabine, lavar o rosto e o deixar bem enxuto. Vai voltar para a minha presença e fingir que nada aconteceu, mesmo sendo notório seus olhos e nariz vermelhos, que por sinal ainda funga e soluça. E quando eu perguntar o que houve, vai simplesmente dar uma de desentendida e fazer com que eu pense que estou ficando maluco.

Se eu a conheço muito bem para saber de tudo isso? Não somente por isso... Mas porque eu faria exatamente isso se descobrisse que o namorado à quem dediquei tanto tempo, se encontra apaixonado por uma pessoa que não sou eu, e ainda mais do sexo oposto. Me sentiria horrível se eu tivesse que mentir, dizendo que esse relacionamento para mim também não estava fluindo e que eu também errei. Mesmo sendo eu quem mais me esforcei para fazer isso dar certo e não ver quase retorno nenhum da outra parte. Eu me sentiria terrível por ter que terminar sem vontade, apenas para ver a outra pessoa sendo feliz, enquanto eu sofro por ela e torço para superar. Mas eu também faria isso, por plena consciência de que me sentiria um lixo se o prendesse nesse relacionamento, e me fizesse de cego. Mesmo sendo óbvio o amor dele pelo outro.

Eu sei exatamente como ela se sente... E é por isso que eu não tenho dúvidas, do meu amor pelo Nini. Mas do contrário do que fizeram comigo, eu vou saber reconhecer todo o esforço que ela está fazendo para me ver feliz.

- Yoon... Eu sinto muito por não poder retribuir à todo esforço que fez para que esse relacionamento desse certo... Mas eu prometo, que sempre, sempre que você precisar, você pode contar comigo.

Ela sorri de forma meiga, expondo um olhar tão singelo e acolhedor, que me faz ter certeza da guerreira que ela é. Me levanto do banco e dou a volta, sento-me ao seu lado e a abraço bem forte. Aperto seu corpo contra meus braços. Ela acaba por acolher seu rosto em meu pescoço e consigo ouvir seu choro baixinho e seu peito pulsar vez ou outra por conta dos soluços, porém não a interrompo, e suspiro por estar sendo tão torturante pra mim presenciar aquilo.

Após alguns segundos, ela enxuga o rosto, encosta a cabeça em meu peito e começa a brincar com meus dedos.

- O que pretende fazer para impressionar ele?

- Bem... Sabe que eu ainda não pensei nisso?

- O aniversário dele é daqui à cinco meses, não é? -Assenti positivamente e ela se ajeitou em meus braços- Então, poderia organizar algo bem legal no dia do aniversário dele. Assim seria duas datas para se comemorar... O aniversário dele e o namoro de vocês.

A olho com uma certa empolgação e me ajeito, dando sinal para que ela prossiga com a sua ideia maravilhosa.



~Flashback Off~



E assim eu passei até seis meses, pondo em prática a ideia que ela havia me dado para o pedido, misto com uma festa de aniversário surpresa. Eu já estava convencido de que tudo ia dar certo, que ficaríamos felizes juntos e que eu finalmente poderia dizer para ele o quanto o amava.

Suspiro e desisto de voltar a dormir. Me levanto da cama, caminho até a porta e giro a maçaneta com uma certa sonolência. Caminho pelo corredor, enquanto algumas lembranças invadem meus pensamentos... E alguns deles relembram como havia sido tudo bem planejado e até imaginam como ficaria, se tivesse sido tudo executado da forma certa. Ao chegar na cozinha, caminho até a geladeira e abro-a, retiro de lá minha garrafinha e dou um gole. A água desce rasgando, o nó que estava formado ali durante meses, fazia com que tudo que eu consumisse... Fica-se mais difícil de se digerir.

E nesse momento eu paro para analisar, que não foi meu término com a Yoon que estragou a minha amizade e quase namoro com o Nini... Foi a merda daquela mensagem que o Chen mandou. E eu me pergunto o motivo dele ter feito isso... O que ele iria ganhar com isso? Ele sabia que o Nini poderia pegar meu celular, ele sabia que a qualquer momento, mesmo que não fosse naquele dia... Mas sabia que o Nini iria ver a droga daquela mensagem. Mas eu preferia que ele tivesse me acordado com um tapa na cara e enquanto eu tentava me explicar... Ele me xingasse, me batesse... Sei lá! Mas eu teria a chance de me explicar. Mas não, ele simplesmente formou suas conclusões e me deixou para trás até hoje!

Respiro fundo e deixo a garrafinha sobre o balcão. Puxo um banco que fica frente a cozinha americana, e me sento, apoiando a cabeça na mármore. O relógio marcam 04:50 da manhã... E eu percebo que estou desdas 20:30 revirando na cama sem conseguir dormir. Enquanto meus olhos intercalam entre a pescagem e às lágrimas, uma lembrança invande minha mente. O que me deixa ainda mais com raiva de mim.



~Flashback On~



Encaro mais uma vez o meu reflexo no espelho do elevador. Se eu estou nervoso? Imagina! Eu só vou encontrar pessoalmente o meu ex. A pessoa que se dizia ser meu amigo, a pessoa que me cedeu às primeiras vezes da vida, a pessoa que dizia tanto me amar. Só vou encontrar a pessoa que me deixou plantado em cima de um altar, enquanto eu esperava ansioso e sorria feito um idiota para nossos amigos e conhecidos. Só vou encontrar a pessoa que fugiu sem nem me deixar um bilhete e retornou anos depois, alegando que não estava pronto para o que o futuro planejava para nós e que ainda me amava... Mas não sabia como dizer para mim que não estava pronto para assumir a responsabilidade de ter uma família.

Sinto um nó se formar em minha garganta e pigarreio, ajeitando meu colete. Assim que a porta do elevador se abre, começo a falar para mim mesmo "Você só veio aqui acertar umas contas, vocês dois não tem mais nada. Você ama o Nini e ele te ama, vocês vão namorar, depois noivar e finalmente casar. Você não gosta do Chen e o que sente por ele, é RANÇO!" a palavra "Ranço" vai sendo repetida na minha mente diversas vezes, enquanto eu paro frente ao apartamento de número 347.

Respiro fundo pela quarta vez, e antes que eu bata na porta, vejo a porta sendo aberta. Uma figura alta, com um corpo bem feito, pele mesclada entre o branco e o amarelado, olhos castanhos escuros com um brilho suave, cabelos negros com algumas mechas puxadas para o acastanhado e um rosto angelical... Surge frente a porta e eu sinto meus olhos lacrimejarem e o coração acelerar rapidamente.

Ele me encara com um sorriso ladino brincando em seus lábios finos, enquanto eu pareço um pateta o encarando com uma mistura de medo e pavor. É quando me pronuncio, mas minha voz sai trêmula e mais baixa que o planejado.

- E-eu não quero que me ligue nunca mais! E-eu... Eu não amo você e a gente não tem mais nada. Me... Me esqueça! -Digo enquanto encaro um ponto específico que não seja seus olhos e saio mais rápido que uma flecha.

Mas assim que me encontro perto do elevador, sinto meu braço ser puxado e tenho meu rosto rente ao peito alheio. Enquanto este agarra-me a cintura e me prende ali, bem perto do seu corpo quente. Sua respiração, seu cheiro, a forma gostosa de me apertar... Ah, tudo isso me trás lembranças tão gostosas. Sinto cada músculo meu tencionar ao ter meu queixo erguido em sua direção e seu rosto ficar cada vez mais próximo do meu. Seu cheiro cada vez mais rente ao meu nariz, seus lábios finos tão convidativos, sua língua macia brincando entre meus lábios de forma tão sensual... Eu sou incapaz de lutar contra isso.

Quando menos dou por mim, já estava em seu colo, tendo suas mãos grandes segurando em minha bunda farta para me segurar em seu colo. Sua língua entra e sai da minha boca durante o beijo, me deixando com anseio de ter esta sendo sugada por mim e não demoro de fazer o que tanto desejava. O gemido que este soltou rente aos meus lábios ao ter sua língua sugada, fez meu baixo ventre pulsar e eu perder mais ainda a sanidade. O clima estava gostoso, o beijo estava melhor do que eu me lembrava e eu poderia me entregar para ele ali, naquele momento.

Poderia... Se ele não tivesse aberto a droga da boca e me feito lembrar de exatamente tudo, que aconteceu e o motivo de estar ali. Que não era para trepar com ele, muito pelo contrário! Mas da forma como estávamos, era totalmente o oposto do que eu fora fazer ali.

- Ah, Minnie-Ah... Eu sabia que você iria voltar para mim. Você não consegue ficar sem meus toques e se derrete todinho ao me ver. Admita... Você me ama e veio aqui apenas para dizer que embora eu tenha te deixado plantado no altar ao fugir com outro, você resolveu me perdoar e quer voltar aos velhos tempos.

Nesse exato momento, uma tristeza mista com raiva, toma conta de todo meu corpo. E a língua que outrora estava na minha boca... Agora estava sendo segura por ele, enquanto este apertava os olhos e me fitava com raiva por ter a língua quase arrancada fora da boca com a mordida que dei.

Respiro fundo, ajeito minha roupa e meus cabelos e me recomponho. Olho em volta, vendo se alguém havia presenciado nossa quase "transa" no corredor. Me seguro ao máximo para não desabar ali mesmo, de tanta frustração. Encaro-o com a cara mais cínica do mundo.

- Não, eu vim aqui para lhe dizer que eu finalmente te superei, e que já não passo mais a noite em claro chorando por você. Também vim lhe dizer que eu finalmente, comecei à amar alguém. E que esse alguém, não se chama Kim JongDae.

- Mas como assim? Você vai mesmo mentir para si mesmo com essa historinha de "seguir em frente sem o Chenie"? E o que acabamos de ter aqui? Vai me dizer que não significou nada para você?! -Seu sorriso era de quem procura desesperadamente por uma resposta positiva.

- Claro que significou... Significou para eu lhe mostrar o que você perdeu. Eu fui sim, durante anos, um fantoche na sua mão. Mas de um tempo para cá, você tem sido o meu fantoche. E esse nosso momento de recordação, serviu para você matar saudade e aprender que, apartir de hoje... Não vai ter mais o Seokzinho aqui no seu colo para fazer o que bem quiser!

Vejo pela primeira vez, os olhos do Chen ficarem vermelhos. E consequentemente, sinto meu peito doer por o ver tão vulnerável assim. Mas agora cabia a mim entender... Que cuidar dele não era mais uma tarefa minha. Agora era esperar daqui à uma semana, para levar o Nini no mercado e após isso fazer o grande pedido.

Dentro do elevador, sorrio largo para o espelho, enquanto penso no quanto estava feliz por estar finalmente seguindo minha vida, dando a volta por cima e criando coragem para me declarar.



~Flashback Off~



Sinto minha cabeça doer e minha garganta completamente seca. Tento abrir os olhos, mas até minhas pálpebras doem na tentativa falha de abri-las. Tento mais uma vez abrir os olhos e assim que consigo, olho para os lados sem mover a cabeça, pois esta além de dolorida, se encontrava impossibilitada de ser movida.

Minha visão ainda estava turva, mas franzo o cenho ao identificar o aparelho cardíaco do meu lado direito e ao lado da cama, um suporte com soro. Olho para baixo e vejo meus braços com algumas agulhas que ligam à veia, onde estava sendo depositado o soro. 

Eu estou num hospital, isso é óbvio! Mas o que eu estou fazendo aqui mesmo? Olho para o lado assim que consigo mover a cabeça ao menos um pouco, e congelo.

Sentado na poltrona com a cabeça apoiada sobre a cama ao lado do meu braço e agarrado firmemente a minha mão... Se encontrava um ser de pele bronzeada, cabelos bem lisinhos e de cor mel, um rosto quase que esculpido pelos deuses. Este que estava imerso no que parecia ser um sono um tanto tranquilo... Se não fosse pelos gemidos perante o sono, que parecia transmitir um certo tipo de temor. A testa também franzia vez ou outra e o suor era visível em sua testa. Era notório que este estava tendo um pesadelo, e meu coração doía sempre que o via nesses colapsos.

Levo a mão até seus fios e os afago, ao mesmo tempo que tento me segurar para não deixar que meu choro o acorde. Encosto a cabeça na cama e fecho os olhos, sentindo meu coração acelerar ainda mais e consequentemente o som do aparelho ir se acelerando junto.

- Xiumin...? -Ouço sua voz doce e macia adentrar meus ouvidos como música, consequentemente me fazendo abrir os olhos.

- Estou aqui... Quanto tempo, não é? 

- Xiumin, eu... Eu não sei o que deu em mim, eu deveria ter esperado você.

- Tudo bem, a culpa foi minha. É normal ficar de saco cheio por estar tanto tempo sendo feito de idiota.

- Não! Xiumin... Você não me fez de idiota. A Yoon conversou comigo, mas eu fiquei tão mal pela atitude que tomei... Que eu não tive coragem de lhe procurar.

Vejo às lágrimas em seu rosto também descerem como rio, e não me contenho em vê-lo tão desolado. Retiro aquela coisa do meu pescoço e ignoro toda dor que me consome assim que praticamente me jogo nos braços dele. Escondo meu rosto no cangote alheio e o aperto cada vez mais meus braços em volta do seu pescoço, enquanto ele passa às mãos por minhas costas antes de me agarrar e também apertar seus braços em volta do meu corpo.

- Promete que nunca mais vai embora? -Pergunto ainda choroso, fungando vez ou outra.

- Só se você me prometer que vai fazer a tal surpresa que a Yoon me contou que você ia fazer. -Ele me afasta um pouco e me encara um tanto quanto sério- E quero que me explique direitinho que papo é esse de você ter terminado com ela e não me dito nada.

Sorrio de canto enxugando o rosto e novamente me grudo à ele, eu não queria deixar brecha para que ele sai-se do meu lado de novo. Se isso ocorre-se, eu não sei o que seria de mim. Por falar nisso, me afasto um pouco e olho em volta, podendo ter a certeza de que estava num quarto de hospital. O encaro e me sento na cama, coçando a nuca meio confuso.

- Por falar nisso... O que eu estou fazendo aqui?

- Bem, a Yoon me chamou para uma conversa depois que ela alegou que da última vez que havia ido te visitar, você parecia uma múmia. Eu havia voltado para Paris, estava disposto a construir o ateliê para às crianças do orfanato terem onde expressar sua criatividade. Mas depois do que a Yoon conversou comigo à um mês atrás, sobre vocês já não estarem juntos e etc... Eu voltei disposto a me desculpar pelo modo como fui embora. -Ele dá uma pausa e senta na poltrona- Mas ai assim que cheguei, ela conversou comigo. Disse que você não estava se cuidando direito e que mal se alimentava. Quando foi ontem, eu pedi para que ela fosse comigo para te visitar... Foi ai que tocamos a companhia várias vezes, mas você não atendeu. Ela pensou que você não tivesse em casa, mas a luz da cozinha estava acessa. E se eu conheço esse seu lado medroso... Você acende sempre quando vai dormir. Pra resumir... Eu arrombei a porta, ela disse que isso era contra lei e que ia me denunciar. E no meio da nossa discussão até o quarto, vimos seu corpo jogado no chão da cozinha totalmente apagado.

O encaro por um momento e olho para meu braço um pouco inchado. Então isso explicava o motivo de tanta dor no corpo e o treco que outrora estava enrolado no meu pescoço.

- O médico disse que você havia desmaiado de cansaço, e por falar nisso... Ele disse que a previsão era de você dormindo por uma semana. Mas a Yoon olhou para ele e disse "Dr. Já faz uma semana que ele não come, vai por mim... Ele vai acordar bem antes disso, somente para comer. Depois ele pode até hibernar, mas antes leva a gente a falência."

- Hey! Eu não sou tão comilão assim, sabia?! -O olho incrédulo e pela primeira vez em tanto tempo... Sou capaz de ver aquele sorriso que faz meu coração disparar outra vez. 

Eu não tenho palavras para expressar o quanto Kim JonGin é lindo, perfeito, sensacional, magnífico... Mas além disso, sou incapaz de dizer o quão amor da minha vida ele é. Se uma certeza que eu tenho agora, é que eu o amo e jamais vou fazer algo para lhe magoar outra vez. Caso isso acontecer... Eu jamais me perdoaria, pois agora quero cuidar do coração da pessoa em que deu ele como morada para mim.


Notas Finais


Nhowww!! É isso ai pessoinhas, espero que tenham gostado do capítulo extra. Quem sabe eu não faça um bônus, huh? Mas ai deixo a escolha com você. @Kissus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...