1. Spirit Fanfics >
  2. Califórnia 93 (BTS) >
  3. "O Plano"

História Califórnia 93 (BTS) - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - "O Plano"


*4° Capítulo.*

<° Agnes Kimberly On>

- Primeiro: Eu não sei dirigir; Segundo: - Espera! Ele está me imitando? Braços cruzados, balançando a cabeça em um ritmo acelerado. - Eu sei em qual restaurante eles estão jantando porque eu sou top; - Parou e respirou fundo de forma exagerada. - E terceiro: Não, não é paranóia!

- Performance horrorosa! - Dou as costas a ele e pego a chave do carro, ele por outro lado ria. - E então, como sabe qual restaurante eles estão, gênio?

- Sou adivinho. - Reviro os olhos, ele é patético, mas eu o amo mesmo dessa forma. - Taaaaa... Eu sei quem é o chefe dela, é o herdeiro ricaço que assumiu os negócios da família. Park Jimin. E nessa sociedade só há um restaurante que ele frequenta, o mais caro de Los Angeles.

- Saint Laurent???? - Ergo uma de minhas sobrancelhas.

- Isso garota! - Ele dá uma piscadela e continua. - Quando cheguei aqui, consegui um cargo lá como garçom, mas fui demitido 3 dias depois por derramar sopa em um cliente. - Ele riu. - Lembro daquele dia como nenhum outro. Enfim, foi o suficiente para lembrar do rosto dele. Sempre bem acompanhado... Toda noite com uma garota diferente, e hoje é a vez de Olívia.

"Poxa, e eu querendo que alguém me levasse lá." - Penso.

- Vamos fazer o seguinte: A gente vai lá, olha e volta! - O emprego de Olívia está em jogo, um escândalo que TaeHyung poderia fazer acabaria causando problemas a ela. Sei que se TaeHyung fosse lá sozinho, poderia dar uma grande merda.

- A senhorita que manda!

[°°°]

Tive que estacionar o carro da Olívia uma quadra antes, se ela avistasse o impala 63, iria desconfiar.

- Ainda não entendi o porquê de termos parado na sua casa antes de vir para cá só pra' pegar essa mochila aí cheia de tralhas e cacarecos!

- TRALHAS!? CACARECOS!?

Vejo Olívia de longe e puxo Taehyung para trás de um vaso de mármore com algumas pedras cravejadas no mesmo. O lugar é simplesmente deslumbrante! A arquitetura é feita de vidraças espelhadas e cheia de porcelana por todos os lados. No teto era possível ver lustres luxuosos e pinturas barrocas.

Meu DEUS! Aquilo na fonte do lado de fora são cisnes!? Meus pensamentos são interrompidos pelos resmungos de Taehyung.

- Ela tá me trocando por isso!? - Fala indignado esticando o pescoço para ver melhor Olívia e o tal de Park Ricaço Jimin. - O que ele tem que eu não tenho?

- Dinheiro. - Rebati, fazendo ele me olhar torto e logo volta a olhar os dois.

- ARGH... QUE DROGA! - Gritou do NADA.

- Cala a boca, vão ouvir a gente! - Sussurro olhando para os lados. Será que alguém ouviu? - Bom, já viu Olívia e o chefe gato dela, né!? Agora temos que ir...

Taehyung balança negativamente a cabeça ainda com os olhos vidrados nos dois.

- Tem que entrar... - Falou baixo. Parece até bolar um plano.

- Tá doido? Se você entrar lá vai estragar tudo!

- Eu não estava falando de mim. - Ele fala sério, volta sua atenção à mim, com um olhar maligno.

- Não, não... Não vou entrar lá nem que me pague!

- Sabe, Agnes... Eu passei todos esses anos procurando a mulher da minha vida... - Que cena ridícula é essa? Isso são lágrimas???? - O meu amor verdadeiro... E estou prestes a perde-la. - Ele dá uma escarrada e limpa o nariz com a costa da mão.

- Aaaah, já chega! Eu vou lá.

Eu já estava prestes a sair mas Taehyung me puxou colocando algo em minha orelha.

- Mais que diabos é isso? O que diabos está fazendo?

- Esse cacareco aqui. - Enfatizou o "cacareco". - É para você me escutar e esse outro cacareco é para que eu possa escutar tudo ao seu redor. - Ele se concentrou em prender o outro cacareco' em minha roupa.

- Você é Louco! E se me pegarem?

- Ah, relaxa, não irão! - Fala confiante. - Já trabalhei aqui, lembra? A segurança daqui é péssima! Porque nunca acontecem situações do tipo na região nobre da cidade, não é mesmo!? - Eu sei lá! Apesar de Olívia e eu sermos de classe alta, não moramos na parte nobre da cidade. - Mas é claro que isso NÃO significa que é pra você ficar desatenta. - Diz ajeitando um outro par do aparelho no seu corpo.

- Wow, isso é minúsculo! - Bato em cima do pontinho preto - auto falante - que estava em minha blusa. Era quase imperceptível.

- Agnes, presta atenção. - Olho para ele tentando me concentrar o máximo possível ao que ele irá dizer. - Bem, como estamos em um dos restaurantes mais nobres da Califórnia. - TaeHyung mexe em seu celular com uma expressão séria. - A segurança por câmeras aqui é complexa, pelo menos a por câmeras é mais complicada, mas eu consegui invadir o sistema e desligar as câmeras próximas a mesa de Park e Olívia. - TaeHyung só poderia ser um hacker. Ele já havia me dito que mexer com tecnologia, produção de games e criação de sistemas operacionais era sua paixão, mas estava em um curso de psicologia para ser o orgulho dos pais. - Preciso que você seja rápida ao fazer Olívia sair de lá, logo irão perceber que tem algo de errado.

- E os seguranças? - Ele arregala os olhos e estala os dedos.

- Quase ia me esquecendo, eles fazem ronda a cada 10 minutos ao redor do restaurante. - Ele faz uma pausa e finalmente larga o aparelho. - A partir do momento que entrar não haverá ninguém que tirará você de lá, eles zelam por uma reputação livre de escândalos. Eles não permitem isso aqui.

- Mas se... - TaeHyung se aproximou quase em um pulo, segura meu rosto e olha fixamente para meus olhos.

- Agnes, nada vai dar errado, eu pensei em cada detalhe! - Eu estou tensa. Estou tendo um taquicardia, como se houvessem administrado adrenalina em minhas veias. - Agora vá! Você só tem 3 minutos até a próxima ronda. - TaeHyung me empurra para fora do esconderijo em direção ao restaurante.

Aquilo tudo parece uma cena de filme, eu estaria rindo e me divertindo horrores se tudo isso não fosse uma pequena vingança de TaeHyung para estragar o encontro ou "jantar de negócios" da Olívia e de Park Gato. O que me intriga é como ele tinha planejado tudo em um pequeno espaço de tempo.

- Que tipo de garoto você é, TaeHyung? Um psicopata? Um sociopata? Ou até como a Olívia diz, um perverso? - Falo sozinha, cochichando, indo em direção a recepção.

- Eu tô' te ouvindo. - Ele ri do outro lado do ponto.

- Ouh ouh, TaeHyung! Olívia já me viu! O que eu devo fazer? - Eu nem sequer havia entrado por completa no estabelecimento mas já conseguia ouvir perfeitamente a voz de Olívia me questionando o "porquê" da minha presença aqui. O olhar dela atravessa as grandes paredes de vidro como uma bala de espingarda.

- Eu não sei... Não havia pensado nisso! Finge um AVC!

- Eu não vou precisar fingir, 'tô quase tendo um! - Ao chegar na frente da entrada uma atendente ou até mesmo a outra recepcionista me barra discretamente. Não nego. 'Tô GELANDO". Mas após inventar uma história RIDÍCULA de que eu preciso descobrir se meu marido me traía e está no restaurante, ela se sensibiliza e deixar eu entrar. Com a condição de me manter calma caso ele realmente esteja aqui.

Estou indo em direção a mesa de Olívia e Park Jimin. Chego a mesa e por fim puxo a cadeira - De forma nada elegante - e me sento na cadeira rente aos dois.

- Isso garota! - TaeHyung diz no ponto.

Não consigo evitar o sorriso bobo, mas ele some logo que eu noto o olhar fulminante de Olívia queimar sobre mim.

- Ah, oi... Boa noite. - Jimin apenas me olha, como se estivesse me analisando.

- O que 'tá fazendo aqui? - Olivia sussurra aborrecida. Engoli em seco. Ela deve estar puta da vida. Nem é pra menos, mas eu não sei mais o que estou fazendo aqui.

- É normal, senhorita Taylor, pessoas necessitadas entrarem em restaurantes como este para pedir um prato de comida ou qualquer outra migalha. - Ele fala ironicamente e com desdenho para mim enquanto corta um, aparentemente, suculento pedaço de Prime Beef.

- Caralho, ele te chamou de mendiga! - Taehyung gargalhava em meu ouvido. Desnecessário! Vai me deixar surda.

Olívia suspira como se não acreditasse que isso realmente está acontecendo. Park acaricia sua mão como se estivesse tentando acalmá-la.

- Bom... Prazer, sou Agnes, Agnes Kimberly. Sou amiga da senhorita aqui, ela já deve ter falado muito de mim. - Falo com minha mão estendida para cumprimentá-lo, e assim deixando meu orgulho de lado.

- Não, ela nunca disse. - Ele diz seco me olhando de esguelha e logo vira sua visão por completa ao prato de comida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...