História Call me Daddy - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Girls' Generation, Jay Park, Super Junior
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Choi Siwon, Jessica, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Kim Heechul, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, V, Yesung, Yuri
Tags Chanbaek, Incesto, Jikook, Jin, Lemon, Namjin, Rapmonster, Vhope, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 2.894
Palavras 6.315
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


SOMOS MAIS DE TRÊS MIL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Capítulo 46 - Muitas fotos, e é você que faz a minha vida ter sentido.


Fanfic / Fanfiction Call me Daddy - Capítulo 46 - Muitas fotos, e é você que faz a minha vida ter sentido.

 

Yoongi estava em seu jatinho jogado na poltrona enquanto ouvia música. Pra variar estava morrendo de sono e com o saco cheio antes mesmo de chegar ao destino. Por ele, estaria em sua casa agarradinho aos dois adolescentes que tanto amava, porém a vida gostava de lhe testar e estava indo naquele momento pra Tailândia pra uns eventos chatos, os quais ele acompanharia Ming Xi pra tirar fotos, sorrir e confirmar que ele era o pai da criança que ela esperava. Estava pensando no que ia dizer pros pais da moça, já que ambos não casariam. Temia que o pai dela o matasse ou oi castrasse.

Pegou o celular pra ver o horário e acabou por ver uma notificação em seu e-mail de umas das milhares revistas que tinha assinatura. Acabou por clicar na primeira notificação que era chinesa. Viu uma foto de Heechul aparecer e sorriu, prestando atenção na matéria que falava o quanto o Kim tinha se esforçado pelo desfile que saiu perfeitamente bem. Foi um sucesso e muito elogiado pelos críticos da moda.

Claro que Yoongi sabia da capacidade do amigo. Ele era o melhor no que fazia. Só que jamais admitiria isso pro Kim, preferia o importuná-lo.

Mas o que lhe chamou a atenção foi a foto de Jimin logo abaixo. O ex-mordomo na passarela com um olhar penetrante e confiante demais para o Park que conhecia. O Min sorriu lembrando do quão bobão ele era antes e do nada ele virou um modelo, e se atentou em ler todos os comentários, tanto dos críticos quando das fãs que ele já havia ganhado.

Rolou a tela mais pra baixo e viu um foto que parecia ter sido tirado por algum paparazzo. Era Jimin com o braço envolvido na cintura de outro rapaz alguns centímetros mais alto que si, e ambos estavam indo em direção à um carro.

 

... Como se não bastasse ter roubado o coração de todos em sua volta no desfile, Park Jimin não satisfeito, fisgou uma pessoa ainda mais importante.

Jimin e Luhan, que recentemente terminou o namoro de anos com o dançarino Oh Sehun, foram vistos saindo juntos de mãos dadas da after party e pelo que informaram ambos saíram no carro do coreano. Pelo jeito o Park não está pra brincadeira! Além de ser um menino doce, gentil e esforçado, segundo os próprios modelos do evento que o elogiaram, o coreano sabe muito bem como fisgar alguém usando seu charme e seu sorriso infantil.

 

 

− Caralho, eu não acredito. − Suga tinha seus olhos o dobro do tamanho. – O Kook vai ter um treco!

 

Continuou olhando abobado pras fotos e lembrou-se do “lance” que teve com Luhan. Claro que não estava chateado ou algo do tipo, até porque agora tinha dois motivos bem mais importantes pra se preocupar, mas claro que assustaria o Park quando se encontrassem.

Voltou a ler a matéria, que tinha várias fotos de modelos se pegando, e algumas situações engraçadas como gente bêbada passando vergonha.

 

Pelo jeito a noite da after party do desfile não foi boa somente para o modelo Park Jimin.

Outra pessoa que se deu muito bem foi Kim JongIn, irmão mais novo de HeeChul. O moreno saiu acompanhado por um jovem loiro em seus braços, no maior clima de romance. O jovem é nada mais nada menos que Kim Taehyung, um dos modelos e estudante de Artes Cênicas, que é gerenciado pelo milionário Min Yoongi.  Os dois Kim saíram abraçados e foram embora no mesmo carro. Logo após Heechul saiu acompanhado do marido e modelo Choi Siwon em outro carro. E se vocês acham que só os dois irmãos se deram bem, vocês estão redondamente enganados!

Kim JongHoon, ou como gosta de ser chamado, Yesung, saiu com outro garoto nos braços. O garoto é Jung Hoseok, outro modelo e estudante de Dança que também é gerenciado por Yoongi. O garoto ruivo estava sorridente e o Kim não estava diferente. Ambos saíram em outro carro juntos.

 

 Suga cerrou os punhos e deslizou a tela pra baixo, vendo as fotos.

A primeira apareceu Kai abraçando Taehyung por trás enquanto aparentemente esperavam o carro onde iriam. Na outra foto os dois estavam de mãos dadas e caminhavam em direção ao automóvel.

Deslizou novamente a tela e viu Hoseok abraçando Yesung, enquanto parecia dizer logo na orelha do Kim, que sorria. A última foto era dos dois abraçados dentro do carro no banco de trás.

O Min jogou o celular no chão com toda sua força e apoiou os braços no joelho. Sabia que não seria uma boa ideia deixar os dois irem pra China, sozinhos.

 

-;-

 

Jimin abriu seus olhos e sentiu a claridade do quarto lhe despertar. Espreguiçou-se e sorriu minimamente ao lembrar que não precisaria ir pra aula hoje, já que a apresentação de Hope e Donghae seria hoje, então a faculdade toda assistiria.

Sentia seu corpo mais descansado, diferente de como chegou de madrugada. Mau tomou um banho e já dormiu.

Pegou o seu celular pra dar uma checada em suas redes sociais. Sabia que teriam vários comentários sobre si, e estava curioso. Temia que as pessoas o criticassem ou que não gostassem do seu primeiro trabalho. Sentiu a necessidade absurda também de conversar com Chanyeol e seus pais, já que tinha avisado sobre o desfile e o horário. A opinião deles era muito importante naquele momento. Clicou co aplicativo de mensagens e viu a uma mensagem de um número desconhecido.

 

Olá Jimin, é o Luhan.

Esse é o meu número. Espero que possamos nos ver novamente. Obrigada por me proporcionar uma noite divertida, eu realmente estava mal, mas agora estou melhor, graça à você. :) Obrigado por me trazer em casa ontem, eu realmente não tinha condições de voltar sozinho.

 

 E realmente não tinha. Jimin abriu um sorriso e gravou o número do chinês.

 

 

FLASHBACK ON

 

Luhan não chorava nem se lamentava mais. Estava sorrindo enquanto conversava com Jimin. O momento bad passou rápido. Claro que conversaram sobre os ex-namorados e o chinês ficou surpreso quando o Park contou que tinha algo com JungKook. A carinha do Jeon o enganou, assim como as outras milhares de pessoas que acreditavam que ele era um anjo.

Já Jimin ficou impressionado quando descobriu que o ex do chinês era um de seus professores. Mas é claro que não contou pro maior.

Continuaram a conversar sobre o desfile e o mais alto começou a contar as suas experiências no início da carreira. Os dois nem viram o tempo passar e Xiao perdeu as contas de quantas taças já tinha tomado, logo viram que a festa estava acabando.

 

− Jimin-hyung!

 

O Park se virou e viu um loiro se aproximar com Kai em seu encalço. Arregalou os olhos na hora ao ver aquele sorriso alegre mais do que o normal no rosto daquele ser.

 

− Taehyung? Você... Tá bem?

− Eu tô ótimo! Você melhorou? Tava tão triste aquele dia que você foi embora... Sabe, um certo herdeiro ficou bem mal. Chorou muito. Tipo... Muito mesmo...

− Tae, bebê. – JongIn puxou o menor e selou seus lábios, fazendo ele se calar. – Acho que você bebeu demais.

− Aish! Eu tô bem e tô muito consciente... Oh meu Deus! – o Kim loiro encarou o chinês que encarava a cena confuso. – Luhan!

− Taehyung!

 

Do nada os dois se abraçaram como se fossem amigos de infância. Foi nessa hora que Jimin notou o quão bêbado o Luhan estava. Riu baixinho e se aproximou de JongIn, que também sorria.

 

− Acho que vamos ter trabalho hoje.

− Tenho certeza disso. – o menor sorriu.

− Nossos carros chegaram! – Yesung se aproximou dos dois segurando a cintura de Hoseok que estava dançando, mesmo que o DJ tivesse desligado a música e arrumava suas coisas pra ir embora.

− Luhan!

 

Taehyung e o chinês se afastaram e encararam o Jung. Não demorou muito e logo Hope estava abraçado com eles.

 

− Yoongi ia adorar ver os três abraçados como se fossem melhores amigos. – Yesung riu, terminando de beber o whisky de seu copo.

− Vocês sabem que estão fodidos quando o hyung descobrir né? – Jimin perguntou num tom brincalhão.

− Sim. Mas eu não me aguentei. Eu não resisti. – Kai suspirou, levando as mãos até o bolso.

− É. E também o Suga devia estar aqui com eles. Deu bobeira. O Hope nem lembra dele, olha ali. Tá tão feliz. – o mais velho riu, seguido dos outros.

− Hey, vamos logo porque os carros já estão ali na frente... – Heechul se aproximou com Siwon e ambos franziram o cenho, vendo os três ainda abraçados. – Mas que porra é essa?

− São amiguinhos agora. Do nada. – Yesung explicou.

− É melhor irmos logo porque o DongHae já conversando com todas as pessoas desconhecidas e num inglês eu ninguém entende. E a Yuri tá quase jogando o sapato de salto no lixo. – o Choi puxou o marido.  

− Vamos meninos.

 

Kai abraçou Taehyung, Yesung abraçou Hoseok e seguiram o cunhado. Jimin ficou encarando o chinês que tinha um biquinho fofo nos lábios, enquanto resmungava coisas em seu idioma. Fez uma nota mental pra que aprendesse mandarim o mais rápido possível.  

 

− O que foi?

− Esqueci que eu não vim de carro. Pode pedir um táxi pra mim?

 

O Park sorriu com a fofura do chinês, que dizia tudo na inocência. Estendeu a mão pra ele, que devolveu um olhar confuso.

 

− Heechul-hyung me deu um carro, então eu posso te levar pra casa.

 

Os olhos do Xiao brilharam e ele assentiu. Pegou a mão do Park e ambos caminharam pra fora do salão, passando pelo saguão de hotel, encontrando outros modelos esperando os managers irem buscá-los.

Se aproximaram da saída e viram que Kai já tinha entrado no segundo carro, já que o professor de dança foi no primeiro com Yuri que estava mais sóbria e seguia o GPS. Jimin sentiu uma mão tocar seu ombro.

 

− Consegue dirigir?

− Consigo sim Siwon-hyung. – sorriu pro mais alto.

− Mesmo?

− Sim. Eu vou levar o Luhan pra casa e já chego em casa.

 

Heechul encarou o chinês e sorriu maliciosamente.

 

− Acho que alguém bebeu demais.

− Não brigue comigo hyung. Eu estou de folga amanhã. – mostrou um biquinho.

− Ok. Leve-o em segurança Jimin e volte em segurança. Vamos amor.

 

Siwon e Heechul saíram e foram para o carro, deixando os dois com Yesung e Hoseok.

 

− Até amanhã pessoal. – o Kim sorriu, acenando pros dois.

− Tchau Luhannie!

− Tchau Hoseokkie!

 

Os dois acenavam e sorriam bobos um pro outro. Jimin viu que a Mercedes E-Class Coupé que Heechul tinha lhe dado de presente se aproximava.

 

− Vamos?

 

O maior assentiu e ambos saíram do hotel de mãos dadas. Viram que tinham vários paparazzi ali, então Luhan apenas abaixou a cabeça, deixando ser guiado pelo Park, que abriu a porta do carro branco pra si. Sentou-se no banco do carona e colocou o cinto de segurança, vendo ele passar na frente do carro pra sentar no banco do motorista.

Não demorou muito e Jimin já tinha arrancado com o carro, tentando não atropelar os fotógrafos. Suspirou aliviando quando não tinha mais nenhum à vista.

 

− Onde você mora?

− É perto daqui.

 

O chinês começou a explicar o caminho e Jimin ia obedecendo, vendo que o loirinho ia bocejando de vez em quando. Entrou numa rua onde havia vários prédios luxuosos e alguns restaurantes que estavam fechados, já que era madrugada.

 

− Ali. Aquele com a fachada azul.

 

O Park assentiu e não demorou pra encostar o carro em frente ao prédio com a fachada azul. As luzes da recepção estavam acesas e um segurança bem alto estava do lado de dentro. Jimin desligou o carro e encarou o chinês que tinha um sorriso tímido.

 

− Eu não sei como te agradecer. – Luhan corou levemente.

− Não precisa me agradecer.

− Q-Quer entrar?

 

Jimin fez um bico e pensou. Queria entrar, mas não queria passar uma má impressão pro outro. Na verdade sabia o que fariam se ele subisse, mas não tinha confiança o suficiente pra fazer aquilo tão precocemente, e o chinês estava bêbado.

 

− Acho melhor eu ir pra casa. Você precisa descansar também.

− É. Realmente você é diferente de todos os outros. – Luhan sorriu. – Obrigado. Nos vemos em breve?

− Nos vemos em breve. – O Park sorriu encantadoramente, fazendo o chinês corar de novo.

− A-Até mais Jimin.  − O chinês ia abrir a porta pra se retirar, porém sentiu a mão do Park lhe puxar.

 

Virou-se e viu que o coreano estava bem próximo de si. Não conseguiu evitar de olhar pros lábios fartos dele, assim como Jimin encarava os lábios fininhos e bem desenhados do Xiao. Sem perder tempo, o Park juntou as duas bocas, lentamente pra não assustá-lo.

O começo era apenas um selar inocente, um provando do outro, sentindo os gostos das bebidas que tinham provado aquele noite, mas logo o moreno movimentou seus lábios, passando a língua sobre a carne vermelhinha do maior, que logo abriu a boca devagar, dando passagem pra que o Park invadisse com sua língua.

Jimin levou suas mãos até o pescoço, segurando-o e beijando, enquanto o chinês segurava seu pulso, numa forma de carinho. O som dos beijos estalados se faziam presentes no carro, das línguas molhadas se tocando. Luhan mordeu o lábio inferior do menor e abriu os olhos, encarando o coreano que também lhe olhava intensamente.

O coreano sorriu de canto, vendo o rosto do mais alto corar levemente.

 

− A-Acho que eu vou ir. T-Tchau.

− Tchau. – o Park roubou um selinho do loirinho e viu ele sorriu pequeno, saindo do carro logo em seguida e caminhando calmamente prédio adentro.

 

FLASHBACK OFF

 

 

Jimin apenas deixou o sorriso grande enfeitar seu rosto. Não podia negar que tinha gostado de ficar com Luhan. Adorou conhecê-lo.

Estava tão acostumado com JungKook que era tão cheio de si, confiante e o chinês era diferente. Era tímido, um tanto recatado, e extremamente fofo. Era adorável. Totalmente oposto do maknae.

Afastou os pensamentos indevidos da mente e pôs-se a levantar pra tomar um banho. Diferente dos outros dias que sempre acordava pra baixo, hoje Park Jimin acordou com um sorriso no rosto.

 

-;-

 

SeokJin estava saindo do banho com todo cuidado do mundo pra não machucar o que já estava machucado. Tentou se secar corretamente e vestiu o que conseguiu, uma camiseta branca e uma boxer da mesma cor. Secou o cabelo e os penteou, deixando que eles terminassem de se secar sozinhos.

Saiu do banheiro e caminhou em direção à sua cama, tomando um susto quando viu NamJoon sentado numa cadeira giratória do outro lado do quarto.

 

− Cacete NamJoon! Que susto. – o herdeiro levou a mão até o peito e suspirou.

− Você realmente não me obedece não é mesmo? Eu disse que te ajudaria a tomar banho. – o loiro indagou calmamente.

− Ah. Eu consegui tranquilamente então não se preocupe. – respondeu, caminhando até a cama. – Chegou rápido.

− Sim. Eu só tinha que assinar uns papeis na empresa.

− Hum. – o mais novo se sentou na cama e cobriu as pernas. – É melhor você ir. Sua namorada deve estar te esperando.

 

O mais velho revirou os olhos e se levantou indo até a cama, sentando ao lado do moreno que se aconchegou em seus braços.

 

− Não começa.

− Eu não tô brigando. Eu tô falando só. Você não passou tempo demais comigo?

− Nunca será o suficiente. Se eu pudesse eu passaria todo o meu tempo com você.

 

O menor corou e abaixou a cabeça sorrindo. Porém, logo levantou o olhar e encarou-o.

 

− Nam. Eu posso te pedir uma coisa?

− Claro. Pode sim.

− Você pode me levar até o apartamento do Hoseok?

− Não. Você vai dormir aqui Jin, já conversamos sobre isso...

− Eu sei, mas é que eu esqueci algo muito importante lá.

− O quê? – o loiro franziu o cenho.

− É uma coisa que eu tenho que pegar. Se você não quiser me levar eu posso ir de táxi e...

− Nem pensar. – suspirou. – Vista um casaco eu vou pegar o carro.

 

-;-

 

 

JungKook saiu do banho secando seu cabelo com a toalha. Queria apenas se jogar na cama e dormir o quanto pudesse, já que o dia seguinte teria uma prova pra recuperar sua nota. Agradeceu aos céus pelo professor ser legal e ter dado essa oportunidade sem comunicar seus pais. Não queria chatear sua mãe que estava grávida.

Jogou a toalha na poltrona e caminhou até a janela, vendo o céu escuro e com algumas estrelinhas. Fechou a cortina e foi até a sua cama, puxando o edredom, não antes de pegar o seu celular e dar uma checada em suas redes sociais.

Foi direto no seu Facebook e começou a rolar a linha do tempo, procurando algo que alguém poderia ter postado, mas só encontrou a foto de HeeChul cercado de modelos. Clicou no link e não demorou pra abrir. Era uma revista americana com informações do desfile do Kim na China. Pulou a matéria inteira e procurou por fotos e não demorou pra achar.

Viu uma foto de JongIn na passarela e começou a passar rapidamente, e na quinta foto achou o que estava procurando. Puxou o zoom e sorriu. A foto era de Jimin na passarela, tão lindo que não se conteve e salvou a foto.

Seu peito apertou, vendo o sorriso nos lábios que tanto amava. Sentia tanta falta do Park, que sentiu os olhos levemente lacrimejados de saudades, de orgulho. Eram tantas emoções que ele não conseguia distinguir.

Passou mais algumas fotos e viu que todos foram pra uma festa depois do evento.

 

− Meu Deus! – arregalou os olhos ao ver uma foto de um paparazzo que incrivelmente, escondido atrás de uma árvore, conseguiu tirar uma foto de Taehyung beijando Kai. A foto não era a das melhores, mas dava pra reconhecer os dois. – Meu Deus! O Yoongi vai cometer uma morte.

 

Continuou vendo as fotos que pareciam ser do mesmo paparazzo, revelando várias modelos agarradas com homens e agarradas entre elas mesmas. Viu muito modelo que achava que era hetero aos beijos com outros homens.

 

− Cacete! – viu uma foto de Hoseok abraçando Yesung, que tinha sua mãe no quadril do mais novo. – Caralho, o Yoongi vai cometer duas mortes! O Jin precisa ver isso! − Levantou correndo e saiu do quarto desesperado batendo na porta do primo. – Hyung! Jin!

 

Não demorou muito e aporta foi aberta por NamJoon.

 

− O que aconteceu Kook? – perguntou preocupado.

− Não aconteceu... Bom, na verdade aconteceu. – o maknae entrou no quarto sendo seguido pelo loiro mais alto. – Cadê o Jin?

− Que foi hein? – o herdeiro mais velho apareceu saindo do closet enquanto colocava um casaco. – Pra que tanto escândalo?

− Você não sabe o que aconteceu. – entregou o celular pro primo que franziu o cenho.

− Isso são fotos?

− Sim. Vai passando!

 

NamJoon se aproximou dos dois, sem entender porra nenhuma do que tava acontecendo. Viu as fotos que o filho passava no celular.

 

− Um monte de gente se pegando?

− Meu Deus! – Jin arregalou os olhos quando viu Hoseok e Yesung. – Que porra é essa?

− Se você acha que acabou, não acabou. Taehyung também curtiu a festa. – o mais novo passou o dedo na tela mostrando outra foto.

 

Os dois Kim arregalaram os olhos.

 

− Caralho. O Yoongi vai morrer quando ver isso. – NamJoon passou a mão no rosto.

− Isso se ele não tiver visto! – SeokJin indagou, passando as fotos. – Cara, eles foram embora nos mesmos carros.

− Só eu acho que é capaz do Suga-hyung viajar até a China? – JungKook riu soprado.

− É mesmo. E vai dar morte. – o patriarca suspirou.

− Acho que não vai ser só o meu padrinho que vai viajar pra China. – Jin mordeu os lábios, temeroso.

 

Encarou o seu pai mostrando a foto e o mesmo arregalou os olhos.

 

− Jesus...

− Quê? Tem algo pior que isso? – o Jeon perguntou.

− Erm... Nada não.

− O que foi tio? − JungKook fechou a expressão, vendo que o tio estava estranho. – Tio NamJoon...

− Kook deixa pra lá. São só fotos e não significam nada.

− Tio!

 

Antes do Kim pensar em bloquear o celular ou sair do site, Jeon tomou o aparelho da mão dele e deu alguns passos pra trás. Viu a foto em que os dois tinham parado e prendeu a respiração involuntariamente.

Era uma foto de Jimin dentro de um carro beijando alguém. Apertou os olhos, pra ver se não estava enxergando coisas, mas não estava. Era real. 

 

− Kook... Se acalma. – o loiro se aproximou, vendo o sobrinho lhe encarar com o maxilar trincado. – Pode não ser ele.

− É sim. Tá escrito ali, Park Jimin. – Jin indagou debochado.

− Jin!

− Que foi? Vai mentir pra ele? O Jungkook não é burro.

− Não piore as coisas. – Namjoon o repreendeu.

 

Jungkook viu a imagem novamente e leu a descrição.

“O modelo Jimin Park e o modelo e ator chinês Luhan trocaram beijos dentro do carro na frente do prédio onde o mais velho reside.”

 

− Eu não acredito que o Jimin beijou o ex-namorado do Yoongi! – JungKook esbravejou.

− Eu só vi o nome do Jimin... Pera aí, é o Luhan? Jesus, o Sehun vai morrer. – Jin arregalou mais os olhos.

− Eita porra. – o mais alto suspirou pesado.

− Eu vou matar aquela bonequinha chinesa! – o maknae bufou e bagunçou os cabelos.

− Olha você não tá muito em posição de matar ninguém. Olha, é óbvio que um dia o Jimin ia desencantar de você. Você foi burro. – SeokJin disse, recebendo um olhar do pai. – Eu tô falando sério. Todo mundo sabe que o Jimin é gostosão. Acha que ele ia voltar pra cá e te perdoar? Você não é o único menino do mundo.

− Cala boca idiota. – JungKook o maknae se retirou do quarto do primo, deixando os dois Kim sozinhos.

− Você é insensível Jin.

− Nammie, até quando vocês iam enganar ele? Mais cedo ou mais tarde a ficha ia cair, ok?

 

O loiro cruzou os braços.

 

− Então quer dizer que o Jimin é um gostosão? − imitou o castanho, que riu logo em seguida.

− A verdade tem que ser dita. Eu não sou cego. Agora vamos pra casa do Hobi.

 

-;-

 

Chanyeol estava deitado na sua cama, concentrado em seu desenho. Estava se empenhando em colocar no papel os verdadeiros traços de Baekhyun deitado na cama. Fechava os olhos e via a imagem daquele pequeno ser com a expressão infantil e inocente, e que de inocente não tinha nada.

Tomou um susto quando a porta do seu quarto foi aberta sem mais nem menos. Viu Jungkook entrar e bater a porta atrás de si.

 

− Mas o que...

− Você viu? Você viu o que o seu primo fez? – o menor perguntou sério, deixando o maior preocupado.

− O que aconteceu?

 

O herdeiro entregou o celular pro Park e cruzou os braços, não disfarçando a sua irritação. Chanyeol arregalou os olhos ao ver a foto de seu primo aos beijos com o rapaz. Encarou o Jeon e depois encarou a foto de novo.

 

− Erm... Quem são eles?

− A minha avó transando com o meu avô, Chanyeol! – bradou.

− Erm... Não parece ser dois velhinhos sabe...

− Cala essa boca que só serve pra chupar o Baekhyun! Seu primo! É a droga do seu primo beijando sabe quem? Sabe quem?

− Erm... Não. – sorriu amarelo.

 − O Luhan! – o herdeiro revirou os olhos ao ver que o mais alto franziu o cenho. – O namorado do ficante do Baek. Oh Sehun. Seu primo idiota está ficando com o ex do Sehun!

 

Chanyeol arregalou os olhos.

 

− Não pode ser...

− Mas é. E eu já vou dizendo que o Sehun é louco pelo Luhan. – Jungkook completou, tomando o celular dele. – Jimin vai ter que encarar os um metro e oitenta e três do Sehun!

− Se aquele babaca fizer alguma coisa com o Jimin eu arrebento ele.  – o maior vociferou. – Eu tenho um e oitenta e cinco.

 

JungKook sorriu debochado.

 

− Ótimo. O negócio é o seguinte, eu tenho prova e depois vou pegar férias e creio que você também. Vamos pra China?

 

-;-

 

Yoongi encarava aquele monte de câmeras apontadas pra si. Olhava pra todas elas com a face sem expressão alguma, por mais que por dentro estava gritando e chutando tudo que via pela frente. Sua mão estava na cintura de Ming Xi que estava alguns centímetros mais alta que ele, devido o salto que usava, e porque ela era uns dois centímetros mais alta mesmo.

 A chinesa estava linda em um vestido preto Calvin Klein com uma fenda que deixava a perna à mostra. Os fotógrafos estavam fervorosos ao verem a pequena saliência na barriga da modelo e já imaginavam vários títulos pras suas matérias.

Suga puxou a mão dela delicadamente e ambos saíram do red carpet. Caminharam até a parte de dentro do evento onde alguns canais estavam entrevistando os famosos.

 

 − Podemos passar reto e entrar logo? – a modelo fez um bico. Yoongi riu soprado e negou.

− Vamos dar uma entrevista e depois entramos, sim?

 

A chinesa apenas assentiu e os dois caminharam com os braços entrelaçados, até que uma das repórteres os chamou. A mulher era baixinha e era ocidental. Estava fazendo cobertura pra algum canal dos Estados Unidos.

 

− Sejam bem vindos ao evento! Vocês estão super elegantes! Ming Xi, você está radiante!

− Obrigada.

− Yoongi, como sempre tão sério. – ela sorriu e o de cabelo preto apenas maneou o lábio pro canto. – Vocês dois ficam tão bem juntos.

− Obrigado. A beleza toda é da Ming. – disse. – Ela é linda por natureza, então isso me ajuda bastante.

 

As duas riram.

 

− Tão cavalheiro! – a repórter sorriu. – Então Ming. Há boatos correndo pela mídia... Sabe, que você estaria grávida.

 

A chinesa corou levemente e abaixou o olhar, não seria fácil, mas sentiu um leve aperto do Min em sua cintura, como se dissesse que estava ali com ela.

 

− Erm... Na verdade eu estou grávida. – indagou calmamente.

− Wow! Isso... Isso é sério? – a repórter arregalou os olhos, olhando pra câmera que focava nos dois. – Sério isso?

− Sim.  – Yoongi disse um pouco polido, pra que a jornalista não ficasse fazendo escândalo. – É verdade Ming está grávida. Nós dois vamos ter um filho.

 

O coreano agradeceu aos céus quando viu um dos staffs surgir atrás de si, chamando-o pra que entrassem.

 

− Com licença, temos que entrar. – os dois se despediram da repórter e seguiram o staff.

 

A modelo respirou fundo. Agora era só esperar o que os tabloides diriam sobre aquilo no dia seguinte. E no dia seguinte, conversariam com os seus pais. Viu que o mais velho estava sendo cuidadoso consigo.

Pensou que ele ia ser mais escroto do que o normal, porém ele estava superando as expectativas.

Os dois entraram na parte de dentro do evento e logo sentaram na poltrona onde tinham seus nomes.

 

− Eu espero que isso acabe logo. – ele indagou.

− Eu também. Eu tô com fome.

− Mas você comeu um monte quando saímos do hotel! – ele franziu o cenho.

− Eu como por dois, esqueceu? – ela revirou os olhos.

− Ai, não.

− Ai, sim.

− Eu realmente quero ir embora.

− Deixou seus dois concubinos sozinhos? – Ming sorriu de canto, enquanto falavam baixo.

− Q-Quê? D-Do quê você tá falando?

 

A chinesa arqueou uma sobrancelha e o encarou.

 

− Não minta pra mim. Aquele dia no escritório. Não precisou de muito pra saber. Vocês homens não sabem disfarçar.

− Q-Quê?

− Eu vi as fotos dos dois com o Yesung e o Kai. Você tá fodido.

− Não é culpa minha. Eu vim por você.

− Ah nossa, que romântico. Quer um beijo? – Xi revirou os olhos. – Não quero ser a empata foda da relação de vocês... Três. Cara, como eles podem ficar com você?

 

O coreano fechou a cara.

 

− Assim você tá me ofendendo.

− Mas é verdade. – respondeu simplista.

− Você fez o mesmo Ming. – ele sorriu de canto.

− Eu estava bêbada. Não sabia o que tava fazendo, agora eu estou sóbria e sei.

− Engraçadinha.

 

-;-

 

 

SeokJin abriu a porta do apartamento e entrou, dando espaço pra que o loiro entrasse. Trancou a porta e jogou a chave na mesinha mais próxima.

 

− Vem comigo. – o menor estendeu a mão e meio desconfiado, Namjoon deixou ser levado.

 

Caminharam se arrastando até o quarto de SeokJin que estava organizado. O Kim mais novo tinha até se esquecido se tinha arrumado a cama.

 

− Quer ajuda com alguma coisa Jinnie? – o loiro perguntou encarando o local, pronto pra pegar algo em cima do guarda roupas.

− Quero ajuda sim Nammie. Quero que ajude a matar o que está me matando.

 

Antes que o mais velho perguntasse algo, sentiu os lábios grossos dele grudados aos seus. Jin abraçou o pescoço do maior, trazendo-o pra perto, mordendo os lábios que tanto adorava. Pediu passagem com a língua e logo foi concedida.

NamJoon levou as mãos até a cintura do moreno. Estava meio atordoado com a ação mais do que repentina do filho. Sentiu ele lhe puxando, então apenas o seguiu. Rapidamente o menor desgrudou os lábios e empurrou o corpo do patriarca na cama. Subiu sobre o corpo do loiro sem se importar com os pontos que estavam em seu machucado.

 

− J-Jin, o que você... – o loiro tentou se conter, mas já estava com as suas mãos grandes apertando as coxas grossas dele.  – Cacete! Não podemos fazer... Ah! Droga!

 

O herdeiro apoiou as mãos ao lado da cabeça do maior e começou a rebolar sobre o membro levemente duro embaixo de si.

 

− Nammie, por favor... Eu quero você, agora! – se aproximou do pescoço e deixou uma mordida ali, vendo-o se arrepiar.

− Eu vou te machucar Jinnie. − suspirou pesado, sentindo os lábios do menor roçarem no lóbulo de sua orelha.

− Mas é exatamente isso que eu quero. – Jin sussurrou maliciosamente. – Quero que me machuque da forma mais prazerosa que só você sabe fazer daddy. Bem forte. Bem fundo daddy.

 

O Kim mais velho se sentou, puxando a cintura dele pra baixo, fazendo com que seu membro roçasse com força em sua ereção. Ambos gemeram e logo já estavam se beijando novamente.

NamJoon começou a tirar a jaqueta do menino e a jogou no chão. SeokJin foi com os seus dedos ansiosos em direção a barra da blusa cinza de moletom que o loiro usava, se afastando por questão de segundos pra tirá-la e jogá-la no chão. Fez questão de passar as unhas curtas do peitoral até o abdômen da pele morena dele.

O mais alto pegou-o no colo e inverteu as posições ficando sobre ele. Começou a se movimentar simulando uma penetração lenta, enquanto ouvia os suspiros de Jin que tinha os olhos fechados, aproveitando aquela sensação deliciosa. Namjoon abaixou-se e foi direto no pescoço alvo e deixou uma trilha de mordidas fracas. Preferiu deixar apenas a camiseta branca no corpo dele, pra de certa forma protegê-lo, jogando o resto das peças no chão.

Namjoon se afastou e se levantou sem desgrudar os olhares intensos que trocavam. Abriu o seu cinto e tirou da calça preta que vestia.

 

− Sabe baby... Nós ainda não tivemos a conversa que íamos ter, sabe?

 

O menor engoliu em seco, ouvindo a voz rouca e intimadora dele.

 

− Q-Que conversa daddy?

− Você sabe do que eu tô falando. Sua escapada com o seu amigo misterioso, que resultou nesse seu machucado. – o loiro se abaixou e levou os dedos até o pênis ereto do menor que arfou com o toque.

− N-Namjoonie...

− Quem é esse amigo?

− É só um amigo da faculdade hyung. AH!

 

O loiro acertou a cinta na coxa do herdeiro.

 

− Um amigo da faculdade? Igual o Harry era?

− N-Não. E-Eu não tô namorando ninguém, daddy. – o menor encarou os olhos negros do maior.

− Mesmo? Por que eu odiaria ter que acabar com a raça de qualquer pessoa que fosse pra afastá-la de você. – o loiro acertou outra cintada, ouvindo um grito do castanho. – Não se esqueça que você é só meu, ok baby?

 

SeokJin balbuciou e assentiu, vendo o loiro se levantar, arrancando a sua própria calça e boxer, jogando no chão. O herdeiro passou a língua pelos lábios ao ver o membro ereto, com a cabeça úmida, coberta pelo pré-gozo dele.

 

− Fica de quatro pro seu daddy, huh? Eu vou ser bonzinho dessa vez e não vou te punir tanto, mas que você fique ciente, que eu não vou ser cuidadoso da próxima vez. – a voz rouca de NamJoon era autoritária e o menor não hesitou em obedecer.

 

Jin olhou pro lado e viu que o mais velho pegava algo em seu criado mudo. Viu um tubo com o gel transparente dentro e mordeu os lábios em expectativa.

O loiro subiu na cama novamente, deixando a cinta de lado, enquanto despejava o lubrificante nos dedos. Soltou uma risada rouca ao ver o mais novo suspirando de ansiedade. SeokJin gemeu alto quando sentiu um dedo lhe preencher. Sentiu um desconforto no começo, mas logo relaxou, aproveitando aquilo.

Levou uma das mãos até o próprio pênis pra tentar se aliviar, porém, sentiu o loiro colocar outro dedo em si inesperadamente e acertar um tapa em sua bunda.

 

− NamJooniie...

− Eu não mandei você de tocar, baby. Não seja desobediente.

 

O menor mordeu os lábios evitando que alguns palavrões saíssem de seus lábios. Apertou os lençóis da cama, sentindo o Kim abrir e fechar os dedos, alargando sua entrada.

 

− V-Vai daddy, por favor. E-Eu quero você. Ah! P-Por favor...

 

NamJoon sorriu e tirou os dedos do interior do herdeiro que resmungou baixinho. Pegou mais um pouco do lubrificante e passou no próprio falo que estava duro e ansioso demais pra invadir o menor.

 

− O que você quer Jinnie? Quer isso? – o loiro pegou o membro e roçou na estrada molhada pelo lubrificante.

− S-Sim Nammie... Por favor!

 

O loiro levou sua mão até a parte da cintura onde não estava machucada e a segurou, invadindo lentamente o interior quente do menor. O herdeiro gemeu alto e não aguentou muito tempo, deixando seu corpo ceder sobre a cama.

O patriarca começou a se movimentar lentamente, saindo e voltando numa calma que não era sua. Não queria machucá-lo, sendo agressivo, por mais que sua sanidade não estivesse lá aquelas coisas.

Jin apertou o travesseiro embaixo de si e levou o quadril pra trás, sentindo a pélvis do outro chocar contra a sua bunda. Fechou os olhos e mordeu os lábios, sentindo aquela invasão deliciosa.

Sentiu os dígitos dele passar por cima de sua camiseta, causando um leve arrepio.

 

− M-Mais rápido Joonie...

 

Ouvindo o pedido, o maior apenas o estocou forte, vendo-o gemer alto, pedindo por mais. Namjoon se retirou devagar e depois voltou com tudo, acertando em cheio o ponto sensível que conhecia muito bem.

Começou a entrar e sair mais rápido. SeokJin nem tentava mais conter os gemidos que saiam dos lábios castigados pelos dentes. Estava quase morrendo com a fricção do colchão e de seu abdômen no seu membro teso. Queria desesperadamente ser tocado. Sentiu o pênis do loiro sair por completo de dentro de si, então resmungou com o vazio.

 

− Vire-se baby, quero terminar de te foder olhando pra você.

 

O herdeiro virou-se e logo sentiu os lábios dele grudados no seu. Levou as mãos até as costas do loiro e passou as unhas curtas. Novamente foi invadido por ele, e ambos gemeram entre os beijos. Uma das mãos do maior foi até o membro teso de Jin, e começou a movimentá-lo.

SeokJin desgrudou os lábios e gemeu alto, sentindo a mão firme do loiro lhe masturbar com a mesma maestria de sempre. Adorava sentir as mãos dele em qualquer parte do seu corpo.

Enganchou as pernas na cintura dele, o aproximando ainda mais de si. Ambos se olharam nos olhos, transmitindo o desejo que sentiam um do outro. Mostrando que era necessário que os dois ficassem juntos, unidos.

Não demorou muito pra que o herdeiro se desfizesse nas mãos do outro Kim, que continuou lhe estocando, na intenção de prolongar o orgasmo. NamJoon chegou ao seu ápice e gemeu o nome daquele que tanto amava.

SeokJin sorriu fraco, ainda entorpecido e levou a mão no rosto do maior, acariciado de leve.

 

− Nammie...

 

O maior saiu do interior dele, e sorriu, selando a testa do seu filho. Viu que ele já começava a sentir os olhos ficarem pesados, com sono. Era a mesma expressão infantil de doze anos atrás.

 

− Te amo bebê. Te amo muito.

− Nammie... – desviou o olhar pro canto do quarto, tentando escolher as palavras pra dizer aquilo que tanto queria dizer.

− Pode falar amor.

− E-Eu sei que vai ser idiota isso que eu vou te dizer... M-Mas...

− Diz anjo, pode dizer. – o tranquilizou.

– V-Você quer seu meu na-namorado?

 

Realmente era algo que não esperava. O patriarca encarou a face levemente corada e tão linda de Jin que não pode deixar de sorrir.

 

− Acho que somos mais que isso né amor.

− N-Não somos. Você... Você tem aquela mulher agora e você vai ter que casar com ela, e-então eu pensei que você e eu poderíamos...

− Ser amantes? – o loiro completou sério, vendo o castanho abaixar o olhar e assentir. – Jinnie... Eu não vou casar com ela. Entenda isso. – segurou o rosto do menor com uma mão. – Eu vou ter um filho, sim... Mas eu não vou casar pra ser infeliz. E a minha felicidade, tá aqui, nas minhas mãos. Porque é você que faz a minha vida ter sentido. 


Notas Finais


COLOCAR O QUE EU TÔ SENTINDO NESSE MOMENTO É IMPOSSÍVEL!
Gente, JAMAIS, pensei que chegaríamos à isso!!!!! MEU DEEEEEEEEEEEEEEEEEEUS!!!!

EU TÔ É MORTA E SEM PALAVRAS!!!

Simplesmente, obrigada. Eu realmente não sei o que digitar..... Tô muito morta gente kkkkkkk Sério, obrigada <33333333

Enfim, eu voltei com Peccátu!!!!!!!!!! Tem KaiSoo que é o casalzinho principal, mas tem ChanBaek e NamJin rs * a louca dos shipps.*

https://spiritfanfics.com/historia/peccatu-7695870


BEIJOS MEUS AMOREEEEEEEEEEEEEEEEEEES


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...