História Call me Her - Capítulo 180


Escrita por:

Postado
Categorias 10 Coisas Que Eu Odeio Em Você, Bangtan Boys (BTS), Block B, EXO, GD & TOP, G-Dragon, Got7, Huang Zitao "Z.Tao", IKON, IU, K.A.R.D, K.Will, Liam Payne, Monsta X, Pentagon (PTG), Sam Smith, Seventeen, SHINee, Stromae
Personagens B.I, B.M, Baekhyun, B-Bomb, Chanyeol, Chen, D.O, G-Dragon, Huang Zitao "Z.Tao", Jackson, Jaehyo, Jang Doyoon, JB, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jeon Wonwoo, Jin-ho, Jinhwan, Jinki Lee (Onew), Jinyoung, Jiwoo, Jonghyun Kim, Joo Heon, Jung Hoseok (J-Hope), Junghan "Jeonghan", Junhoe, K.Will, Kai, Ki Hyun, KiBum "Key" Kim, Kim Mingyu, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kris Wu, Kyung, Lay, Lee Ji-eun "IU", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Liam Payne, Lu Han, Mark, Min Hyuk, Min Yoongi (Suga), P.O., Park Jimin (Jimin), Sam Smith, Sehun, Shin Dongjin, Shin-won, Show Nu, Somin, Suho, T.O.P, Taeil, Tao, U-Kwon, Won Ho, Woo-seok, Xiumin, Xu Ming Hao "THE8", Yan An, Yao MingMing, Yeo One, Youngjae, Yugyeom, Yunhyeong, Yuto, Zico
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Kai, Kris, Kyungsoo, Menção!chanbaek, Suho, Transgênero, Transsexualidade
Visualizações 94
Palavras 1.211
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Lírica, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 180 - Biscoitos


Jeno se suspendia e depois descia em seu pênis molhado.

-Jeno... Jeno um pouquinho mais pra lá. -Chanyeol dizia, espiando os lances do jogo com a cabeça para o lado enquanto Jeno trabalhava brilhantemente em seu pau.

Jeno envolveu os braços no pescoço de Chanyeol, as unhas um pouco crescidas arranhavam nuca de Chanyeol, que segurava a cintura dele. Mas Chan não tinha tanto trabalho, já que Jeno era muito bom em sentar...

Jeno se inclinou em direção à Chanyeol enquanto ele arregalava os olhos, aplicando força nos dedos, afundando-os na pouca gordura na cintura de Jeno.

Seu pau ficava mais melado e ele sentia que o orgasmo estava vindo. Brady avançava nas 60 jardas. Jeno rebolava em seu pau, pendendo a cabeça para trás, gemendo.

-VAI BRADY! VAI BRADY! -Chanyeol pulou no sofá. Seu pau entrou ainda mais na entrada de Jeno, que se abraçou à Chanyeol com força. - BRADY! GO BRADY! - as mãos de Chanyeol largaram a cintura de Jeno. E ele puxou os próprios cabelos de nervoso. - OHMYGOD.

-Oh... Oh mygod. -Jeno repetiu, com a voz rouca, se segurando no corpo grande de Chanyeol, subindo e descendo com a sua bunda no pau dele. - Ohhh...

-ISSO! ISSO! -Chanyeol gritava. Jeon gemia. Runnin back avançava as jardas necessárias no campo. Jogadores rivais eram derrubados. - ISSSOOOPORRA!

-Isso, awn, isso... -Jeon remexia o quadril para frente e para trás, o pênis Jeon estava pulsante. Nunca tinha se sentido tanto prazer com um homem. Jeno voltou ao ritmo, deixando as mãos nos ombros de Chanyeol. -Você malha, Chanyeol?

-Sim, sim!

30 jardas.

Runnin back avançava pela lateral, mas foi derrubado.

Chanyeol respirou profundamente enquanto os jogadores dos patriots se preparavam para o recomeço da jogada.

-Você é tão gostoso, Chanyeol...

Chan finalmente olhou para a expressão de Jeno. Ele suava. Talvez Chanyeol também, mas... Bom, ele nem ligava. Patriots estavam ganhando e fazendo uma jogada incrível que poderia garantir o lugar nas semi-finais.

Chanyeol o ajudou a gozar. E nem teve que fazer tanto esforço. Envolvendo o pênis de Jeno com a palma, desceu e subiu em um ritmo rápido por quatro vezes.

E o líquido jorrou.

Bem na cara de Chanyeol.

-Ah merda...

Jeno se contorcia enquanto aumentava o ritmo, voltando a abraçar Chanyeol. A cada movimento de descida, Jeno gemia. E aquele gemidos suaves o relembravam de Hyuna.

Chanyeol voltou a se concentrar no jogo.

Mas deu uma ajudinha. Agarrou a bunda redonda de Jeno e impôs um ritmo.

-BRADY AVANÇA! -Chanyeol repetiu o que o narrador dizia, também na mesma intensidade de euforia.

Jeno não entendia nada de inglês, mas sabia que algo de muito importante estava acontecendo no campo e virou o rosto, no mesmo instante que Brady pegou a bola passada pelo seu runnin back e avançou as últimas dez jardas. Tight End bloqueou o cornerback para que o quarterback, Brady continuasse.

E então...

TOUCHDOWN!

Chanyeol gozou enquanto comemorava uma das melhores jogadas do jogo. Ele se levantou, se esquecendo por um momento que Jeno estava em cima dele e o derrubou no chão, enquanto ele vibrava com os braços pra cima.

Jeno começou a rir, dolorido na bunda e agora nas costas.

-YEEEEEEEEESS! -Chanyeol olhou para o chão. - Ah, dude, me desculpa.

-Dude? O que é isso?

-Ah, nada... -Chanyeol o levantou e também ergueu as calças.

Jeno procurou as suas roupas. Mas, enquanto Chanyeol procurava pelo engradado de cervejas, Jeno achou uma garrafa ainda pela metade e despejou tudo nas próprias roupas.

-Ahh, Chanyeol... Eu sujei a roupa.

P.O.V Hyuna

Terraço e pôr do sol eram as combinações mais sensacionais, perdendo apenas para chá de canela com pipoca e novelas indianas numa tarde fria.

O vento estava agradável e eu tinha prendido meus cabelos em um coque, para que os fios não atrapalhassem a minha visão.

A porta se abriu e eu não virei o rosto para ver quem era, já que não poderia perder um segundo daquele pôr do sol alaranjado.

-Eu trouxe biscoitos. -a voz de Won soou atrás e ele se sentou ao meu lado no instante seguinte, cruzando as pernas como eu fiz. - Queria pedir algo para sua última refeição?

Eu sorri, apertando as palmas na minha barriga. Eu não podia acreditar que eu receberia um útero e posteriormente um embrião.

-Será que vai dar certo? -o questionei. Eu não podia parar de pensar em situações hipotéticas. Eram muitas possibilidades. No entanto,sempre focava naquela que, no final, eu segurava um lindo bebezinho gerado por mim. - Eu... Tenho medo que... Bom, você sabe.

Woo encarava o pôr do sol e teve que concordar que aquele era generosamente o mais bonito que já tínhamos visto.

-Tome. É chocolate quente. -ele falou, entregando-se um copo de isopor do Starbucks. - Aqui adoramos Starbucks.

-Eu percebi. Eu... Bom, lá em Washington eu tinha uma cafeteira preferida. -disse enquanto experimentava o chocolate. Mas não era tão bom assim.

-Eu ainda não te perguntei, mas... Você nunca mais voltou para a Coreia, não é?

Eu neguei com a cabeça.

Nunca voltaria pra lá.

-Você... Ainda fala coreano?

-Claro que sim. Também falo tailandês.

-Ah, imaginei.

-Além do inglês.

-Você tinha dificuldade no colégio, não é?

Eu me lembrei daquilo com um sabor amargo, no entanto, eu sabia que tinha me esquecido de tudo aquilo, porque no final, nenhuma dificuldade me parou, nenhuma deficiência nos estudos me impediu de chegar onde cheguei.

-Sim.

-E se tornou uma promotora poliglota. -Woo falou, com um sorrisinho estranho no rosto. - Ah... Quando... Quando estávamos no... No Colegial eu gostava de você. Fiquei triste quando você sumiu de repente.

-Você gostava de mim? -o questionei, virando o rosto para ele, enquanto finalmente o sol dava adeus. O alaranjado ficava escuro aos poucos e as estrelas começavam a aparecer.

-Sim. Gostava.

-Oh, Woo... Éramos amigos.

-Você foi a única amiga que eu tive durante aqueles três anos. Eu... Era estranho, Hyun, vamos combinar. Era um carrasco e sei que era ignorante as vezes, mas...

-Você não era.

-Era sim.

Eu fiquei em silêncio enquanto seu rosto se iluminava com a luz pálida da lua.

-Todos esses anos eu fiquei pensando onde você estava.

-Você não ficou surpreso em descobrir que eu era trans?

-Pelo contrário. Mas, bom, você estava com Chanyeol. E eu fiquei vergonha e com medo de falar com você depois de tudo o que aconteceu... Eu... Eu vi as marcas nas suas costas. Foi daquele tempo, não foi?

Aquele tempo se referia as lâmpadas que foram estouradas nas minhas costas naquele galpão. Eu ainda me recordava daquele dia com uma dor no coração.

-Eu deveria ter... Te defendido.

Eu neguei com a cabeça, alargando o sorriso.

-A culpa não é sua. De ninguém, aliás. As pessoas são assim. Odeiam diferenças. E,vamos falar a verdade, ficaram bem assustados quando descobriram que meu corpo era de menino. Eles nunca tinham visto isso, talvez muitos deles nem sabiam que isso podia existir. Eu não os culpo. Éramos adolescentes.

-Mas, desde adolescentes, nossas personalidades são formadas, Hyuna. É principalmente nessa idade que precisamos firmar o que seremos para o resto de nossas vidas.

-Talvez. Eu não acredito muito nisso. Podemos mudar. Se quisermos.

Woo concordou comigo.

-Você mudou. -Won falou, olhando para mim. Encaramos-nos.

-Sim. Graças ao meu esforço.

-Claro... Eu fico feliz por isso. Fico feliz por você ter se tornado essa mulher tão linda e maravilhosa que é.

-Ah, Woo!

Ele desviou o olhar, envergonhado por ter dito aquilo em voz alta.

-Quer biscoitos? -Woo ofereceu, mas não me encarou.

-Quero, obrigada. E... quero comida indiana e bem apimentada antes de fazermos a cirurgia. 


Notas Finais


Campanha: Mais um chifre para o SatanSoo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...