1. Spirit Fanfics >
  2. Call me Noona >
  3. I miss you so much Noona

História Call me Noona - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - I miss you so much Noona


Fanfic / Fanfiction Call me Noona - Capítulo 2 - I miss you so much Noona

É complicado ter tempo para namorar ou qualquer outra coisa, a agenda de um idol está sempre cheia e os staffs sempre nos cuidando, para evitar as fofocas. Depois do debut oficial de Noona então, nem na academia eu a vejo direito, são raras as chances que temos de trocar um singelo selar imagina namorar.

Nos bastidores do Seul Music Awards, em meio a correria de uns e loucura de outros, fujo do camarim Bangtan para o camarim XXXX. Três semanas seguidas sem poder ver pessoalmente minha Noona, é preciso aproveitar as oportunidades.

Bato na porta, é possível ouvir as risadas femininas diminuírem e passos se aproximarem.

_Oh! Jungkook-ssi, o que faz aqui?

_Me desculpe incomodar Sehi-ssi, mas posso falar com Mari-ssi?

A líder do novo grupo da BigHit sorri marota pra mim antes de sair da frente, dando espaço para que Noona saia do camarim com as bochechas vermelhas e um sorriso sem graça.

_Noona... Tudo bem?

_Ah sim, nós só estávamos conversando e rindo. Aconteceu alguma coisa?

_Sim, pode me acompanhar?

O pequeno sorriso em seu rosto some e ela me encara preocupada, me seguindo diligente sem falar nada. Caminhamos próximos até um corredor vazio cheio de portas. Assim que adentramos a terceira porta a esquerda fecho e tranco a porta atrás dela, a deixando encostada sob a madeira fria da mesma.

_ Você está bem? O que aconteceu?

_ É que eu estou com muita dor.

_ Onde? – Seus olhos se tornam maiores com a preocupação.

_ No peito, bem aqui. – Coloco sua mão sob meu coração e sorrio. – Está doendo de saudade da minha Noona.

No mesmo instante seus ombros relaxam e ela solta o ar que eu nem sabia que estava prendendo, em seguida me dá um tapa forte no peito, o que só me faz rir.

_ Bobo, não me assuste desse jeito.

_ Desculpa Noona, mas eu realmente podia morrer de tanta saudade se não pudesse te ver logo.

_ Ah! Mas nossos horários não batem e você está sempre com agenda cheia.

– Ela abaixa a cabeça e alisa meu casaco devagar.

_ Devo tirar uns dias de folga?

_ Sim, por favor... Deve ser tão difícil ser Jeon Jungkook, o precioso Maknae de Ouro. - Com a ponta do dedo passa a fazer círculos em meu peito.

_ Difícil é me segurar quando tenho você só pra mim.

Acaricio seu rosto lentamente até chegar a sua nuca, não é preciso que diga algo, ela já sabe que a quero beijar. Nas pontas dos pés ela cola sua boca a minha em um beijo cheio de saudade contida, talvez até com um pouco de desespero.

_ Estava com tanta saudade Kookie.

_ Não está mais? - Digo me aproximando novamente.

Sorrindo ela passa os braços a minha volta retribuindo o contato, mas logo se afasta.

_ Talvez só um pouquinho.

_ Deixe-me te ajudar a acabar com esse pouquinho então.

A puxo contra meu corpo lhe dando outro beijo, mais intenso cheio de desejo e paixão, ela aperta os braços a minha volta tornando o contato ainda mais desesperado e quente, mordendo meu lábio ao fim do contato.

_ Não faça assim.

A empurro contra a mesinha ali ao lado, a fazendo bater o quadril, mas não com força.

_ Senta!

Com um pulinho ela sobe obediente na mesa e se senta me encarando séria, passo as mãos em suas coxas descobertas pela saia curta e abro suas pernas para me colocar entre elas. Com menos esforço volto a beija-la, explorando sua boca como se fosse a primeira vez, aproveitando e saboreando o gosto doce dos seus lábios que a muito tempo não toco.
Minhas mãos já fora de controle tiram do caminho o curto short de proteção que ela usa, deixando entre nós apenas a fina peça de lingerie preta rendada que ela por pouco tempo usará se depender de mim.

_ Kookie, aqui não... Alguém pode aparecer ou nos ouvir.

_ E é isso que torna tudo mais excitante.

Aperto suas coxas grossas e macias enquanto mordo o lóbulo de sua orelha esquerda, ela geme contida, mesmo que seu corpo reaja de forma intensa, sei que também não aguenta mais esperar, está apenas com medo... como da primeira vez.

_ Kookie...

_ Shii...

Deixando beijos e mordidas no decorrer de meu caminho até seu peito, tenho que me controlar para não encher seu corpo de marcas ou arrancar suas roupas de forma bruta, apesar de a vontade ser esmagadora.

_ Deite.

Como uma boa Noona, obediente deita na mesa com os cabelos espalhados para todo o lado...Tão sexy e ao mesmo tempo tão inocente que faz minha sanidade perder o foco por alguns segundos.

_ Como posso me controlar quando você é tão obediente...

Com um sorriso extremamente sem vergonha, ela ergue de leve a barra de seu vestido, me provocando, mesmo que seu rosto core com o ato ousado.

_ Não me provoque...

_ Então... pare de falar.

Acariciando suas pernas me abaixo para beijá-la, algo gostoso que poderia fazer pelo resto da vida que não enjoaria nunca.

Delicadamente passo um dedo pela extensão de toda a sua intimidade, percebendo o quanto ela já está molhada; com movimentos circulares e lentos a provoco nessa região sensível, a fazendo arfar e interromper o beijo com um gemido rouco.

_ Está tão quente aqui...  e tão molhado.

Ela não responde com palavras, sim com gemidos mais altos.

_ Fique quietinha.

_ Hm... - Com um movimento da cabeça assente positivo.

Coloco a mão por dentro de sua calcinha, alisando gentilmente sua entrada, que pulsa pedindo por mais contato, deslizo um dedo para dentro e depois outro, com movimentos de pressão deixando a se contorcer pela mesa.

_ Kookie... Jungkookie..

_ Quer que eu pare? - Sussurro em seu ouvido.

_ Não...

De forma bruta arranco sua calcinha e jogando longe, ergo suas pernas as colocando em meus ombros e me abaixo em deleite até sua intimidade. Dou leves chupões na região, sentindo seu gosto tão doce... a faço delirar cada vez que a chupo ou que minha língua passa por sua entrada... Invisto dois dedos em seu interior, com movimentos de entra e sai devagar, a deixando cada vez mais insana.

_ Mais baixo Noona, não queremos que nos encontrem.

_ Hm... Desculpa...

Levo a mão até seu rosto, deixando os dedos que antes a estocavam adentrarem sua boca. A forma como ela os chupa me desconcentra imaginando aquela boca sugando outra coisa.

_ Aish Noona.

Deixo seus lábios se ocuparem com os meus ao levar os dedos úmidos de volta a seu interior, pressionando até seu orgasmo chegar. Me retiro por um momento, levando as mãos sobre o cinto da calça social.

_ Deixa que eu faço isso.

Ela fala já descendo da mesa e se ajoelhando a minha frente, desafivelando o cinto, desabotoando a calça, me livrando daquelas roupas apertadas e desconfortáveis. A ponta dos dedos deslizando sob a extensão de meu pênis até a cabeça inchada, ainda coberta pela box preta.

_ Ah...

Retirando esse último empecilho sua mão pequena rodea minha ereção, subindo e descendo, indo e vindo com seu toque macio, mandando embora minha sanidade.

_ Seja boazinha comigo Noona.

Paciente põe a língua para fora, lambendo toda a extensão do membro antes de colocá-lo pouco a pouco inteiro na boca, o chupando devagar apenas para me provocar. É a primeira vez que ela é tão ousada e o faz, assim como é a minha primeira vez recebendo tal tratamento... a sua língua é... tão quente... e macia.
O retirando por completo da boca passa a lamber a glande lentamente, dando leves chupões... No instante seguinte a afasto em tempo, deixando aquilo sair sob meus dedos.

_ Foi bom?

_ Foi ótimo.

Com a visão um pouco embasada pelo prazer de a pouco, ainda não me sinto satisfeito, e, sei só de olhar, que Noona também não está, satisfeita.

_ Você realmente acaba com a minha sanidade.

Ela sorri da minha declaração quase inaudível se não estivéssemos tão próximos.

_ Você sabe disso, não é?

_ Sei...

Acaricio suas bochechas antes de ajuda lá a se levantar, logo em seguida a seguro pelas nádegas içando seu corpo, a deixando poucos centímetros de onde realmente a quero. Com as pernas a minha volta deixo que se apoie na mesa antes de me encaixar melhor, deixando o membro alinhado.

_ Você tem que ser uma boa menina e ficar bem quietinha agora.

_ Vou tentar... Se você for devagar.

_ Desculpa Noona, não vai rolar.

Ela faz beicinho ao se calar, tão bonitinho que a beijo, exatamente no mesmo instante que a penetro de uma só vez e com força, a impedindo de soltar qualquer som alto.
Meus movimentos são contínuos e contidos, a mesa embaixo dela dificulta que faça o que realmente quero ao ranger toda vez que uso um pouco mais de força, mas não deixa de ser prazeroso da mesma forma... E não digo isso apenas por mim, mas por que ela está agarrada ao meu corpo e gemendo baixo em meu ouvido.

_ Kookie...

_ Hm?

As mãos em meus ombros com força me empurram até sair de dentro de si, levando me a cambalear para trás até o pequeno sofá, qual nem havia visto. Já ao me sentar ela ajoelha se sob minhas coxas, se posicionando e descendo de uma vez, o movimento súbito traz uma onda de prazer enorme, amolecendo minhas pernas com tamanha sensação. Mas Mari não descansa, movendo o quadril em círculos ao descer e quase saindo completa ao subir, tão rápida e precisa quanto eu gostaria.

_ Noona...

_ O que?

_ Vá devagar.

Digo apertando suas nádegas e cerrando os olhos com força, tentando ao máximo me segurar.

_ Não vou durar muito se continuar assim... Ah...

Ela desacelera ainda rebolando, entrando e saindo de forma lenta, em seu próprio ritmo... me deixando ainda mais louco... a ponto de agarrar com força seu quadril e passar a ditar o ritmo conforme quero, flexionando as coxas para dar impulso. Com tal movimentação consigo ir mais fundo, ao ponto de encontrar seu ponto doce com mais facilidade e acerta-lo seguidamente.

_ Kookie... Hmm...

_ Mais forte?

_ Por... Favor...

Mais forte, mais intenso e mais fundo, os gemidos já não são só dela, uma mistura caótica de sons domina o pequeno camarim, o som dos corpos se chocando suados, o molhado sobe e desce, e os arfares de quem está quase lá.

_ Noona...

Ela esconde o rosto em meu peito conforme aumento a velocidade e força das estocadas, não posso me segurar mais e ela não consegue se conter.

Com a força exercida, torna-se desconfortável a posição, então a derrubo no sofá sem nos desconectar, possibilitando um encerramento ainda mais prazeroso para ambos.

-

Com uma toalha limpa que encontro sob a penteadeira, seco suas pernas e limpo o suor satisfeito, com um pequeno sorriso. Nos vestimos e de frente para o grande espelho tentamos sem muito sucesso nos arrumar da melhor forma possível, ao que nossos Staffs não tenham um ataque.

_ Acho que perdi um brinco... - Noona olha em volta visivelmente preocupada.

A abraçando por trás e beijando seu ombro descoberto com carinho, tento tranquiliza-la.

_ Não se preocupe com isso.

_ E se alguém o achar.

_ Troque de brincos e finja que nunca viu esse.

Ela apenas concorda com um movimento da cabeça, ainda que esteja em dúvida.

_ Sabe Noona... seria muito ruim se revelássemos que estamos namorando?

_ Nós estamos namorando?

Vejo seu reflexo no espelho, mostrando uma expressão confusa e duvidosa.

_ Muito engraçado da sua parte Noona.

Ela sorri de leve e se vira segurando meus ombros, então me beija calmamente, tirando o assunto de tópico por hora.

Com cuidado para que ninguém indesejado nos veja, saímos de fininho do camarim voltando para o corredor de antes, onde o movimento de pessoas é constante e frenético, o que não era a um tempinho atrás.
Mal nos aproximamos do camarim de seu grupo quando Jimin-hyung se interpõe a nossa frente.

_ Onde vocês dois se meteram? Jungkook nós entramos em 5 minutos!

O tempo passa mais rápido quando se está com quem se ama.

_ Nossa, já? Acho que acabamos nos distraindo conversando, não é Noona? - Isso não é uma total mentira.

_ Sim, sim. Estávamos colocando o papo em dia, acabamos perdendo a noção do tempo.

_ Espero que seja só do tempo mesmo. Vocês dois ein, vou te falar...

_ Desculpa Hyung, já me achou, podemos ir.

Ele dá uma olhada em mim e depois em Mari-Noona, inclinando a cabeça para o meu lado.

_ Jungkookie...

_ Nós temos que ir Hyung, o que foi agora?

_ Acho que tem algo preso em seu casaco que não lhe pertence.

Ele se aproxima e tira algo que estava preso entre os detalhes de meu casaco.

_ Oh! - Ela exclama surpresa ao perceber ser o brinco perdido.

_ O que estavam aprontando que o brinco foi parar ali?

Permanecemos em silêncio encarando aquele que havia nos descoberto.

_ Aish, seus irresponsáveis.

Com o brinco ainda nas mãos Jimin-Hyung se dirige a Noona, afastando seu cabelo e a ajudando com o brinco.

_ Vocês precisam tomar mais cuidado... Vai saber quem pode ver vocês. - Sua expressão é séria dessa vez.

_ Claro Hyung.

_ Aqui não é lugar pra vocês ficarem namorando. – Sua voz sai quase um fiapo para que ninguém ouça.

Noona me encara balançando a cabeça em negativa, mas sorrindo.

_ Nós só estávamos conversando. – Sorrio de volta e já vou passando por eles.

_ Onde pensa que vai?

_ Ué, as nossas namoradas estão esperando pra nos ver, não já estamos atrasados Jimin-ssi?

_ É verdade, nossa performance.

Nos despedimos e corremos ao encontro dos outros membros.

_ Bem que desconfiei quando o Tae disse que você estava Noonando a Mari, não é que vocês estão juntos mesmo.

_ Noonando? Eu não faço ideia do que esteja falando Hyung.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...