História Call Out My Name - Sasuhina - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Guren, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Karin, Konan, Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Obito Uchiha (Tobi), Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Yahiko
Tags Gaaino, Kakaten, Naruhina, Narusaku, Obika, Sasuhina, Sasusaku, Yako
Visualizações 103
Palavras 1.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Literatura Feminina, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


• Gente prestem atenção nos detalhes que eu solto nos cap, kkk tem gente confusa, mas eu dou todas as pistas possíveis.

BOA LEITURA, BLUEEBOO.

Capítulo 4 - 4 - Máquina Do Tempo.


Fanfic / Fanfiction Call Out My Name - Sasuhina - Capítulo 4 - 4 - Máquina Do Tempo.


Ainda tento entender porque algumas coisas acontecem comigo, sou uma azarada de carteirinha — confesso rindo. Eu fui diagnosticada com TAS, quando eu era criança, meus pais, eles não ligaram, segundo eles isso era apenas frescura de criança mas não era, porque eu tinha dificuldade de ficar perto das pessoas o medo de não ser boa o bastante me fazia gaguejar, suar e até mesmo desmaiar. Sabe o doutor Iruka diz que eles mesmo não querendo me ajudaram a passar uma etapa difícil da minha vida. Eles me ensinaram que a vida não é feita de porcelana e que por mais linda que ela pareça sempre teremos quedas. Mas é aí que está o problema eu cai, fundo, e não consegui me levantar.

Me ajustei na cadeira, tentando não abrir os olhos porque olhar para o doutor estragaria todo o processo.

— Você caiu e ainda não conseguiu se levantar?

— Isso. — Eu ri. — Todos seguiram em frente, casaram-se constituiram famílias e estão vivendo, e eu doutor fiquei presa no tempo, como uma reprise de seus piores pesadelo e sabe qual é o pior? Ela não para, não para de se repetir e repetir. Eu não consigo me desprender do passado.

— Quer me contar uma de suas memórias?!

— Sim.

[Konoha - memórias de Hyuga Hinata]

Era um dia comum, minha mãe havia comprado um vestido rosa para mim, e eu iria brincar na minha casa de bonecas, na casa da árvore que o arquiteto do meu pai fez. Eu brincaria com a Barbie e o Ken, os faria felizes. Não como as intensas brigas da mamãe, a barbie não teria manchas arroxeadas na pele ou no rosto, nem o papai teria olhos vermelhos estranhos. Eu teria a família perfeita, sem brigas e nem gritaria apenas felicidade.

Foi então que aconteceu, eu ouvi quando os gritos começaram, pedidos de socorro e barulhos ocos.

— Hinata! HINATA!

— Não Hiashe deixe a menina em paz! — Fui até a janela e vi quando papai segurou a mamãe pelos cabelos, ele chocou o punho contra o rosto da mamãe. Então olhou para mim.

— Desça agora sua pirralha.

— Lie! — Eu disse, ele sorriu malvado e então subiu as escadas pequenas e delicadas, até estar perto o suficiente para me alcançar, quando fechei meus olhos esperando as pancadas, ouvi novamente um som oco, papai havia caído e estava dormindo.

Pelo menos ele não me bateria, por minutos eu não consegui me mover, mamãe estava no chão ao lado dele, então eu voltei a brincar:

Venha Ken, vamos tomar um chá.

*****

Ao chegar na escolinha que eu odiava vi a tia Kurenai abraçando as crianças, seu rosto é angelical, ela também apanha do marido? Sera que a tia Kurenai também passa coisas no rosto para esconder sua dor?

Desci do carro e andei até ela, eu não falei nada não queria apanhar, papai não gosta quando eu conto para as pessoas que ele bate na mamãe, papai me bate quando eu faço isso. Passo pela professora sem tocar nela, ela não gosta de mim, porque alguém gostaria? Eu sou estranha.

Sento-me afastada dos demais coleguinhas e ainda sim consigo ouvir seus cochichos:

"Ela e estranha"

"Os olhos delas são brancos"

"Ceguinha"

"Mosca Morta"

Eu não ligo, tenho minhas bonecas para brincar. A professora vai até a frente da sala e começa a explicar a matéria, mas minha mente está em outro lugar, um lugar distante e ensolarado, um lugar onde eu possa enfim descansar.

[Memória de Hinata Hyuga of]

As lágrimas, escorrem pelo meu rosto ao me levantar e abrir os olhos posso ver as safiras me olharem com pena, terapia de hipnose essas eram as piores porque induziam você ao seu mais profundo inferno pessoal.

— Hinata a seção acabou, mas posso te fazer uma última pergunta?

— H-hai — Respondo evitando seu olhar.

— Seu pai, ele alguma vez tocou em você de modo abusivo. — Eu sorri porque não foram uma vez. Foram várias.

— Foi bom falar com você Doutor. Naruto.

— Volte aqui quando sentir, vontade. — Diz sorrindo, um sorriso largo e com um covinhas.

*****

Pumpkin: A vida é feita de momentos, felizes e tristes é sua escolha saber qual desses momentos te descreveram.

Eu já tinha 1.500 seguidores tudo isso com apenas uma foto. Minhas frases era repostadas e comentadas, as minha fotos eram compartilhadas e curtidas. Eu era basicamente alguém famosa no Facebook. Isso não tinha interferido no meu modo de agir até ele me mandar um convite, eu tenho que dizer, não havia reparado nele no consultório, eu chegava tão perturbada que não tinha muito o que reparar. Só que agora, com calma na tranquilidade do meu quarto eu pude analisar seu perfil.

Naruto Uzumaki.
Solteiro - 32 anos.
Formado em psicologia e advocacia.
Olhos intensos, cabelos loiros displicentes, acompanhados de uma barba rala sensual, senti minhas bochechas esquentarem. Ele era intenso demais.

E eu era uma pessoa com problemas demais para pensar nisso, aceitei seu convite e voltei a navegar na rede social até que uma aba se abriu sozinha:

Naruto: Oi?

Droga! Sério isso, eu não posso conversar com meu Terapeuta não é algo aconselhável. Mordi os lábios pensando em fechar a aba, mais novamente a voz do Iruka fez eco em minha mente.

"Socializar não vai te matar"

Roendo as unhas eu voltei a cama, então digitei:

Pumpkin: Olá!

Rapidamente apareceu que ele estava digitando:

Naruto: Gosto das suas frases, você parece ser alguém vivida. Quero dizer inteligente.

Minhas bochechas coraram.

Pumpkin: Experiente, rs... Acho que não, sou alguém que vê o mundo por um olho mágico.

Novamente ele começa a digitar:

Naruto: Bem, então me empresta esse olho mágico, quero saber ser tão filósofo assim.

Pumpkin: Hum, rsrs acho que vou ficar te devendo. Da onde me conhece?

Ele não digitou por dois breves segundos e então, começou. Eu estava temerosa e se ele dissesse que sabia que era eu? Minha unha já não existia e eu estava indo para a outra.

Naruto: Acredite ou não, você é bem famosa tem até um página no Twitter sobre você.....


Notas Finais


Não revisado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...