História Call Out My Name - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Madara Uchiha, Shikamaru Nara, Shisui Uchiha, Temari
Tags Drama, Itachi, Itatema, Naruto, Romance, Shikatema, Temari
Visualizações 112
Palavras 1.844
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo <3 Boa leitura

Capítulo 2 - Here For You


Para comprovar que eu não estava brincando quando disse que minha vida virou de cabeça para baixo, vou contar a vocês o que aconteceu…Bem, na verdade é o que eu me lembro que aconteceu.

Eu acordei no chão frio, mais especificamente no chão da cozinha de uma casa que eu nunca havia colocado os pés.

Levantei rapidamente ficando sentado e só não fiquei em pé de uma vez porque minha cabeça doía como se uma bigorna tivesse caído em cima dela.

— Ai! — coloquei a mão sob minha testa a pressionando com a falha tentativa de que aquilo passaria a dor.

No mesmo momento senti alguém se revirando ao meu lado, e mesmo que o meu corpo me puxasse para baixo, eu pulei ficando em pé e vi uma loira no chão só de calcinha. O cabelo cobria todo o rosto dela e eu não conseguia identificar quem era. E quando olhei para baixo me dei conta que estava só de cueca.

— Ai meu Deus do céu! — olhei para os lados tentando achar o restante das minhas roupas e não achava de jeito nenhum.

Tentei levantar um pouco do cabelo da loira para cima para que eu, pelo menos tentasse, lembrar quem era, mas não deu, eu estava com medo de acordá-la. Mas não vou mentir, eu não parava de agradecer por aqueles peitos estarem a mostra agora para mim.

Resolvi espiar no batente da porta para saber onde ia aquele pequeno corredor e era para uma sala, e como se não fosse surpresa, eu vi Shisui deitado no sofá, esparramado, e quando cheguei mais perto, pude ver que ele tinha uma morena entre seus braços, que dormia em cima de seu peito.

Ri com a cena, os dois também estavam semi nus e a moça estava com o rosto virado para o encosto do sofá, e o cabelo cobria uma parte do rosto.

— Droga! — falei um pouco alto demais, queria tentar lembrar onde estava e o que estava fazendo ali.

— Itachi? — Shisui falou me olhando e com os olhos apertados por conta da claridade que vinha da janela. — Pera, o que...? — aquela mula gritou fazendo com que a menina que estava deitada em cima dele despertasse. — Oi, tudo bem? — ele disse sorrindo para uma mulher descabelada que também parecia não entender o que estava acontecendo.

— Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh! — ela gritou e pulou de cima de Shisui que também começou a gritar, eu preferi simplesmente me virar de costas como se não soubesse de nada do que estava acontecendo. — Pera, quem é esse cara aqui também? Porque tá todo mundo pelado? — perguntou a menina achando uma camiseta no chão e a colocando rapidamente, também estava só de calcinha.

— Oi, tudo bem? Eu sou o Shisui e, pelo visto dormimos juntos essa noite. — Shisui ficou sentado no sofá e estendeu a mão para a menina que sorriu com os cabelos desgrenhados enquanto eu me virava para encará-los.

— Oi, sou a Tenten e esta é a minha casa. — falou arrumando o cabelo em um coque e pegando na mão do meu amigo.

— Ham Ham. — pigarriei. — Eu não quero atrapalhar o casal, mas… — os dois olharam para mim. — Tem uma loira na cozinha e eu não acho as minhas roupas…

— Loira? — Tenten perguntou. — Primeiramente, oi tudo bem? — ela estendeu a mão para mim e eu a apertei. — Tenten e você quem é?

— Itachi. — dei um sorriso e fomos até a cozinha correndo.

Shisui veio logo atrás. Tenten abaixou-se e ficou ao lado da loira e, nessa hora meu coração falhou, finalmente pude ver quem realmente era aquela mulher.

— Temari? Acorda! — Tenten a acordou.

A morena ficou na frente dela e colocou uma camiseta que achou embaixo de onde a loira estava com a cabeça. Camiseta que por acaso era minha.

— O que foi? — ela olhou para Tenten, com a maquiagem toda borrada e depois olhou para mim, arregalando os olhos. — O que esses dois estão fazendo em casa, e… — ela olhou para os lados e percebeu estar na cozinha. — Porque eu to no chão da cozinha, Tenten? — provavelmente, ela sentiu uma fisgada de dor em sua cabeça e levou as mãos até o ninho de fios loiros em sua cabeça. — Ai!

— É, eu também não sei bem. — disse Tenten olhando para mim e para Shisui.

— Me ajuda a levantar, por favor. — Temari pediu a Tenten mas eu me prontifiquei a ajudá-la.

Ela não falou absolutamente nada, mas me olhou como se me perguntasse algo mentalmente e então resolvi falar.

— Sou Itachi e se não me engano, você estava ontem no Akatsuki Bar, não é? — falei olhando para ela e Shisui me corrigiu.

— Estávamos.

— Sim, isso! — falei novamente, Temari respirou fundo, como se quisesse entender de onde estava vindo o cheiro de nicotina e eu já respondi interpretando o nariz amassado dela. — O cheiro de cigarro é porque você está com a minha camiseta.

— Ah! — E ela tirou a camiseta e me deu, sim, ela me deu a camiseta e ficou com os peitos para fora como se fosse a coisa mais simples do mundo. — Eu vou colocar uma roupa limpa.

E saiu da cozinha, como se nada estivesse acontecendo, me deixando com a boca mais aberta ainda, sem entender absolutamente nada e nem o que passava na cabeça daquela mulher.

— Essa é a Temari! — disse Tenten rindo descaradamente da minha cara de tacho. — Então, desculpa, mas eu estou tentando lembrar tudo o que houve, e me lembro de pouca coisa.

— Eu só me recordo quando o show acabou e eu e Itachi ficamos na fila do bar para pegar mais bebida e esbarramos vocês duas, começamos a conversar na fila, o quanto demorado estava para alguém nos atender e lembro que você… — apontou para Shisui. — … disse que daria um jeito.

— E dei um jeito de deixar todo mundo muito louco, pelo visto. — Shisui sorriu e ouvi passos voltando a cozinha.

Temari apareceu com o cabelo preso em dois cachos, um em cada lado da cabeça, uma camiseta curta, um shorts também curto, e havia limpado sua maquiagem borrada.

— Já que estão aqui, vamos tomar café-da-manhã. — falou Temari encostada no batente da cozinha.

Tenten assentiu abrindo a geladeira e pegando algumas coisas e colocando nas mãos de Shisui e outras nas minhas. Temari pegou uma toalha e nos chamou para que fossemos para a sala. Ela cobriu a pequena mesa de madeira com a toalha azul claro e pediu que nós colocássemos as coisas ali e depois sentamos.

Tenten apareceu com copos e pratos e Temari voltou para cozinha para pegar algumas torradas e pães.

— Já deixei a água no fogo para fazer café. — Tenten falou e saiu de perto de nós. — Já volto.  

Temari sentou-se ao meu lado e, eu não queria admitir, mas estava nervoso perto dela, minhas mãos suavam e a minha perna não parava de se mexer. Tenten voltara com roupas limpas também e eu e Shisui ainda estávamos de cueca, mas não ligamos muito para isso, afinal Shisui só usava samba-canção e eu estava de cueca boxer.

Tomamos café-da-manhã e conversamos com as meninas, que eram grandes amigas de infância, assim como Shisui e eu. Elas contaram que começaram a morar juntas para dividir os custos do apartamento. Tenten era professora de Educação Física, já Temari trabalhava com o pai na parte de relações internacionais em uma multinacional que exportava tecidos para o mundo todo.

Conversamos bastante e ajudamos as meninas a tirar as coisas da mesa quando acabamos de comer e Shisui lavou toda a louça. Temari achou minha calça que estava embaixo da pia da cozinha e devolveu minha camiseta fedida de cigarro. Me troquei, Shisui também e Tenten pediu para que ficássemos até o anoitecer.

Não comentamos mais da noite anterior, mas eu queria falar, ao mesmo tempo que não queria estragar aquele clima de confraternização. Então o máximo que consegui foi pegar o número do celular de Temari.

Ficamos na casa das meninas até a noite chegar, compramos pizza e colocamos a saga de Senhor dos Anéis para ver na tv da sala, mas tanto o Shisui como a Tenten dormiram na metade do primeiro filme. Já eu e Temari, nos beijamos e fizemos algumas coisas embaixo das cobertas, afinal, ela já tinha visto esse filme mais de mil vezes, segundo o que ela me disse. E o outro casal estava dormindo agarradinho no outro sofá. Aproveitamos um pouco.

Quando já se passara da meia-noite do domingo, mesmo eu não querendo, chamei Shisui e fomos embora. O carro dele estava incrivelmente bem estacionado em uma vaga minúscula, entre um caminhão e uma kombi. Esse filho da mãe, mesmo bêbado, é o melhor motorista que já vi no mundo.

Mandei uma mensagem para Temari avisando que cheguei e ela só me respondeu com um emoji de beijinho. E sinceramente, eu estava intrigado. Ela parecia estar afim, mas ao mesmo tempo, parecia que tanto faz como tanto fez a gente ter ficado sábado, ter acordado no chão da cozinha dela quase quatro horas da tarde do domingo e ter passado o resto do domingo todo junto. Eu estava suspirando pela mulher linda que eu havia passado o final de semana e ela, simplesmente, parecia estar normal com isso.

Sério, eu não sabia o que pensar, eu mal a conhecia e estava maluco por ela. A adicionei em todas as redes sociais que achei e fiquei babando em uma foto dela em específico, que era ela sorrindo junto com uma mulher, uma senhora de cabelos mais escuros e com algumas poucas rugas, mas lembrava muito Temari. Elas pareciam felizes e radiantes na foto, mas a legenda era um trecho de uma música do Ozzy Osbourne.

“You’re my religion, you’re my reason to live.
You’re the heaven in my hell.
We’ve been together for a long long time.
And I just can’t live without you.
No matter what you do I’m here for you”

A música era triste, e a foto parecia não ser tão recente, o cabelo de Temari estava menor do que agora. Entrei nos comentários e percebi que aquela era uma pessoa que já havia falecido e era muito importante para Temari. Resolvi fuçar mais um pouco pelas redes sociais dela e entendi. Era a mãe dela que havia morrido a pouco mais de um ano e aquela era a foto que elas haviam tirado, no último dia das mães, juntas.

Coloquei aquela música para ouvir e procurei a partitura para tocá-la. Mas quando fui procurar a Ge, CADÊ ELA? Geralda havia sumido e meu coração estava aceleradíssimo. No mesmo momento liguei para o Madara.

— Alô? — Madara atendeu.

— Madara, pelo amor de tudo o que é sagrado nesse mundo, você tá com a minha guitarra? — gritei.

— Olha só, lembrou dela né? — ele falou dando risada do outro lado da linha.

— Tá contigo ou não? — Já peguei uma jaqueta e as chaves do carro.

— Tá sim, passa aqui no bar que ela tá guardada, saiu pendurado na loira e esqueceu a coitada aqui. — ele riu e eu me senti envergonhado. — Foi boa a noite pelo menos?

— Tchau, tô indo ai! — desliguei e sai.

 


Notas Finais


Música do capítulo : Here for You - Ozzy Osbourne : https://www.youtube.com/watch?v=mGKqcW2Oozo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...