História Callidore - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alecto Carrow, Alvo Potter, Amycus Carrow, Antonin Dolohov, Augustus Rookwood, Avery (Riddle-era), Draco Malfoy, Evan Rosier, Harry Potter, Hermione Granger, Hugo Weasley, Kingsley Shacklebolt, Lílian L. Potter, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Mulciber, Narcissa Black Malfoy, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Rabastan Lestrange, Regulus Black, Rita Skeeter, Rodolfo Lestrange, Ronald Weasley, Rose Weasley, Rosier, Scorpius Malfoy, Sirius Black, Ted Lupin, Tiago S. Potter, Victoire Weasley, Vincent Crabbe, Walden Macnair, Yaxley
Visualizações 42
Palavras 1.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O capítulo pode parecer confuso, mas qualquer dúvida é só falar!
Abraços e Boa Leitura!

Capítulo 6 - Missão e Explosão


11/07/2041 - Tarde/Noite

A vasta planície se mostrava diante dos três aurores atentos.

 Á vista estava uma construção larga e espalhada, aparentemente inócua. 

Os três se aproximaram lentamente, buscando sinais de ocupação. Jones avançou devagar, sentindo a tensão dos dois.

- Muita calma agora - James sussurrou, olhando o local de aparência abandonada - Isso está fácil demais.

- Ok - Jones respondeu, vendo Lucian concordar com um aceno - Vamos entrar por onde?

- Acho que seria bom dar uma volta antes - Lucian sugeriu, vendo James concordar - Juntos ou separados?

- Juntos - James  falou, sério - Vamos ver o quê encontramos aqui.

O grupo rodeou a estrutura, reparando nos detalhes. Portas e janelas estavam emparedados, os blocos na mesma cor cinzenta do restante. O teto era uma laje, a construção em um formato retangular.

- Não tem por onde entrar - Jones sussurrou, tenso - Vamos arrombar uma parede?

- Em último caso - James cortou, olhando ao redor. Sinalizou para Lucian, que se aproximou um pouco da parede mais próxima. 

Jones apertou os labios em uma linha fina, possesso. Ele ia se destacar, tinha que mostrar a James o quanto era melhor do que...

- Homenum Revellium - Jones lançou, vendo a expressão horrorizada de James. Recebeu de volta oitenta sinais de atividade, engolindo em seco.

-Abortar! - James ordenou, furioso e preocupado - Vamos, vamos agora!

Lucian se virou para correr para eles, afundando no chão como mágica. A terra se abriu e o engoliu, o buraco sumindo em seguida.

- Droga! -James gritou, correndo para onde o albino sumira.  Mal viu a armadilha armando e a seta sair da parede, Jones se jogando na frente e tomando a flechada. Arrancou a flecha e caiu no chão, tremendo e se debatendo, gritando.

James tentou lançar um enervarte, sem resultados. O ar se tornou denso e a escuridão cobriu tudo á vista, e ao ser atingido por vários feitiços combinados, apagou.

                    ************

Lucian estava em sua cela, horrorizado. Via as vestes de Auror que vestia, mas era a em Azkaban. O odor sujo e frio, passos pesados tão conhecidos e odiados, o medo... Se acusou em um canto, a boca seca e o coração acelerado. Ele próprio estava todo sujo, as mãos arranhadas e ele nem sabia porquê....

"Lucy, não é real" - Chris falou, muito calmo - "Nada disso é real, acorde..."

- Não - Lucian gemeu, apavorado - Não pode ser! Socorro!

"Lucian, me ouça!" - Chris insistiu - "Não é real, acorde!" - Um quê de pânico coloria a voz na mente do albino, mesmo que Lucian estivesse apenas encolhido no canto da parede. 

Lucy olhou para as próprias mãos e viu o uniforme de Auror se derreter, deixando as vestes rasgadas e gastas da prisão. Ofegou, tremendo e derramando grossas lágrimas de desespero.

-Olha só quem acordou do sono de beleza? - O carcereiro falou sorrindo, vendo o albino ofegar em pânico - Preparado para o próximo jogo?

Lucian gritou em puro terror, seu corpo desacordado e caído no fundo de uma simples gruta.

                  ***************

Jones estava correndo, no escuro. Tinha se perdido dos pais, a casa da familia estava em chamas.

Parou ao cair de joelhos, o choro explodindo da sua garganta. O quê fizera além de ser um mestiço? O quê era errado, se seu pai bruxo amava a sua mãe trouxa? Porquê aqueles bruxos de preto estavam matando a sua família?

Um grito estridente e cheio de dor o fez se erguer e correr na direção, desesperado. Era a voz do seu irmão menor, de apenas cinco anos...

Havia uma criatura - seu eu de sete anos ainda não conhecia uma Quimera - Uma criatura horrenda sobre o seu irmão. Luke berrava em dor insana ao ter a barriga mastigada sem dó, o monstro sobre ele com um corpo e cabeça de leão, asas de águia e cauda com uma serpente sibilante. Jones agarrou uma pedra e jogou no monstro, acertando em cheio a cabeça da serpente.

Um hurro de dor e a Quimera se virou, olhando-o com claro ódio. A criatura pareceu perceber a preocupação dele com o menino que devorava, então apenas arrancou a cabeça da presa diante do olhar apavorado do menino franzino.

Jones gritou, totalmente desacordado no chão. Gritava e chorava, em pânico completo.

                   ***************

James abriu os olhos devagar, preso em uma parede. Seus bracos e pernas estavam presos por grossas correntes inibidoras de magia, a vista embaçada pelo atordoamento. Viu Lucian aos seus pés, se debatendo e gritando em desespero. Jones estava da mesma forma, mas os dois gritavam sem som nenhum. 

Uma figura de capuz preto se aproximou, silenciosamente. Fez um gesto e os gritos dos dois aurores Júnior encheram o  ambiente, fazendo-o apertar os olhos em fúria. Outro gesto do desconhecido e as vozes de ambos morreu, os olhos amarelados se fixando no Auror chefe.

- Ora, ora... James Potter, que honra.

***********************************

Silver chegou no Coliseu, no fim da tarde. Olhou ao redor e viu várias pessoas se despedindo após entregar os relatórios ao responsável. O Auror Lionel sorriu para Silver, esperando que ele viesse até si.

- Boa noite, meu velho - Lionel falou, brincando - Muito trabalho hoje?

- Quem é velho aqui, Lionel? - Silver riu, divertido -Você não aguenta ficar longe, não é mesmo?

- Ora, e oquê um Auror aposentado e sem família faria da vida? - Lionel gargalhou - Jogar gamão? Xadrez Bruxo? Encher a cara de Hidromel? Não, meu amigo... Eu sei que não posso ajudar mais em campo, só posso dar auditoria e ler esses relatórios aborrecidos, mas é melhor do quê ficar a toa.

-Pior que eu concordo, sabe? - Silver sorriu com carinho para seu antigo treinador - Quando me aposentar, vou fazer igual a você. Vamos comer, eu pago o jantar hoje.

- É uma ótima idéia, mas não posso sair agora - Lionel suspirou, chateado - Tenho que esperar os relatórios do Potter e da equipe dele.

- Eles ainda não chegaram? - Silver franziu a testa, preocupado - Saíram para onde?

- Missão secreta, mas a srta Granger-Weasley pode saber algum detalhe - Lionel falou, ajudando o ex-pupilo por tabela - Até, Silver. Quem ver o trio primeiro manda um patrono, combinado?

- Combinado, muito obrigado - Silver respondeu, saindo da sala quase correndo para o setor de Inomináveis.

**********************************

James viu a pessoa desconhecida se aproximar de si, preocupado. Sua situação estava péssima, seus cadetes em agonia. Tinha que conseguir fazer ele parar com a tortura dos jovens.

- Deixe eles em paz - a voz de James não oscilou - Não vou falar nem fazer nada enquanto eles estiverem sendo torturados.

- Você não está em condição de negociar nada, James - O estranho tinha uma  máscara cobrindo o rosto - Eu posso deixar você igual a eles, mas prefiro tentar a diplomacia primeiro. Se me responder honestamente as perguntas que farei, deixo todos os três irem embora... 

- Se fizer um voto perpétuo, podemos conversar - James falou, olhando fixo nos olhos amarelados - E pare de atormentar os dois, eles vão enlouquecer!

O estranho ergueu a mão para soltar o braço direito de James. Ia fazer o voto, mas a situação mudou mais rápido do que podia imaginar...


Notas Finais


Quem faz apostas sobre o capítulo?
Teorias?
Espero por seus comentários, até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...