1. Spirit Fanfics >
  2. Camboy >
  3. Prazer Árduo.

História Camboy - Capítulo 1


Escrita por: CYBERH4N

Notas do Autor


CONTÉM: insinuação de sexo, sexo, dupla penetração, linguagem chula e exibicionismo.

se não gosta, não leia, obrigada.

Capítulo 1 - Prazer Árduo.


Fanfic / Fanfiction Camboy - Capítulo 1 - Prazer Árduo.

CAMBOY

Por CYBERH4N


Chanhee adorava o que fazia, naturalmente sempre foi alguém que gostava de ter dinheiro fácil e aquela profissão era ideal para si, pois além de ganancioso, o loirinho também era exibicionista. E ser um camboy era como juntar o útil ao agradável. O único problema era que Chanhee não morava sozinho, ele dividia apartamento com seu melhor amigo e confidente, Kim Younghoon, o cara mais sexy que ele já teve o prazer de conhecer. 

Younghoon era alguém extremamente agradável de se conviver, era engraçado, tranquilo e gostava de sair para se divertir, a experiência de morar juntos caiu como uma fórmula perfeita. As personalidades faziam um bom contraste e isso deixava a convivência de ambos harmoniosa, Chanhee gostava disso.

O mais novo sempre fazia seus shows quando Younghoon estava fora ou de madrugada, aproveitando que ele tinha um sono pesado, e naquela sexta-feira não foi diferente. O Kim estava trabalhando enquanto Chanhee se preparava para trabalhar, o moreno nem sonhava em qual era a forma que o Choi ganhava seu dinheiro, e eram quantias gordas, diga-se de passagem.

Naquela tarde usava uma saia de pregas na coloração preta junto de uma lingerie da mesma cor, deu uma última olhada no espelho antes de ligar a webcam e saciar o árduo desejo de seus seguidores de lhe ver depois de uma longa semana inativo. Assim que a transmissão começou pôde ver o bate-papo se rechear de comentários, sua maioria sendo palavras chulas que Chanhee realmente não fazia questão de ler, mas gostava de saber que era desejado por tantas pessoas.

— "Mostra como está vestido, putinha." – Leu o primeiro comentário que viu, riu malicioso e se levantou da cadeira que estava sentado, fazendo a saia se ajustar perfeitamente no corpo esguio. Deu uma voltinha e empinou sua bunda deixando um pedaço generoso de pele aparecer, mordeu os lábios e desferiu um tapa contra si próprio.

Sentou-se novamente e deixou as pernas apoiadas no braço da cadeira acolchoada, e engatou em uma interação mais chula com seus seguidores. Passava as mãos pelo corpo e fazia pequenas provocações, chupando os dedos de forma explicita ou então revelando mais de sua derme leitosa. Vez ou outra um barulhinho baixo soava durante a transmissão, indicando que alguém havia lhe feito um donate e Chanhee deixava um sorriso travesso brincar em seus lábios avermelhados, agradecendo ao doador.

Seu pequeno membro já se encontrava ereto sob a peça de renda que usava, a região pélvica de Chanhee estava melada pelo líquido seminal que saía da fenda de seu pênis. Não enrolou para que puxasse a saia para cima e começasse a estimular-se por cima da calcinha rendada, fechou os olhos e gemeu com a carícia, vez ou outra descendo a mão para estimular o cuzinho que piscava em excitação. 

Retirou a peça que cobria seu membro e a jogou em algum canto do quarto, as mãos macias tocaram o corpo pulsante e isso foi o suficiente para que Chanhee soltasse um gemido baixo, estimulou a fenda com seus dedos e em seguida os levou para a própria boca, sentindo o seu próprio gosto nos dígitos melados. Voltou sua atenção para o que fazia anteriormente e tomou o membro com sua destra, a movimentando para cima e para baixo lentamente, arfando em resposta. 

Os gemidos baixos preenchiam o quarto, aumentando o tom quando a velocidade da masturbação mudava. A entrada de Chanhee piscava em anseio de ter algo lhe preenchendo, fazendo o homem pegar uma chave e destrancar a segunda gaveta da mesa de trabalho, tirando de lá um plug anal com uma jóia rosa na ponta. Despejou bastante lubrificante no brinquedo e em sua entrada, passando a ponta da base sobre sua entrada, arfando em resposta.  

Então o Choi forçou a base para dentro, gemendo ao sentir o objeto gelado ser introduzido em si, e mexeu na ponta algumas vezes simulando uma penetração, seus poucos pelos se arrepiaram com o estímulo. Masturbou o pênis de forma rápida, parando toda vez que sentia que estava quase lá e consequentemente ficando mais sensível, seu cuzinho se contraía fortemente ao redor do plug querendo algo maior.

Foi então que parou o que estava fazendo para retirar o top rendado que usava junto da saia que sabia que apenas o iria incomodar, revelando seu peitoral branquinho enfeitado com dois botões rosados e o quadril larguinho do Choi, e os deixou em qualquer canto da mesa de trabalho. Novamente simulou uma penetração com o plug e com a mão livre beliscou seu mamilo róseo, tal coisa que lhe fez gemer rouco e arrastado, continuou explorando seu corpo até sentir estar próximo do seu ápice, onde parou e sorriu travesso para a câmera.

Abriu novamente sua gaveta e um dildo fora retirado de lá, se aproximou da webcam e começou a chupar lentamente o objeto de plástico, muitas vezes enfiando a base até o fundo de sua garganta – coisa que lhe fazia engasgar e fazia seus olhos ficarem marejados. Os barulhos de sucção eram presentes, Chanhee gemia sobre o consolo e isso pendurou durante um tempo, até o loirinho retirar o caralho falso da boca – fazendo um excitante barulho assim que saiu. 

Afastou a cadeira da câmera fazendo sua cama ser enquadrada ali, engatinhou até o centro e ficou de quatro, empinando bem para a webcam, que captava cada movimento seu. Retirou o plug anal com pouca dificuldade, gemendo ao se sentir vazio, e esfregou a cabecinha do dildo na sua entrada que piscava em anseio, seus dedos se curvaram e seus olhos se fecharam com força quando o objeto foi sendo introduzindo dentro de si, praguejou mentalmente por não ter lubrificado o consolo antes.

Mordeu o lençol quando começou a movimentar o brinquedo dentro de si, abafando seus gemidos que começavam a aumentar gradativamente, sua mão fazia movimentos rápidos e seu peitoral se esfregava contra a cama, fazendo uma fricção gostosa nos mamilos sensíveis do Choi. 

Foi então que sentou-se na cama, ainda de costas e com o consolo dentro, e ajustou o brinquedo sob si, sentindo este ir ainda mais fundo naquela posição. Desceu e subiu lentamente, suspirando em excitação, e deu um tapa estalado em uma de suas nádegas, vendo esta ficar vermelha em fração de segundos. Levou ambas as mãos para suas nádegas vermelhas e as abriu, afim de dar melhor visão para aqueles que lhe assistiam, e fechou os olhos aproveitando a sensação.

Passava as mãos por seu corpo e sua mente visualizou Younghoon ali, o fodendo como sempre quis que acontecesse. Quicava arduamente sobre o consolo, deixando seus gemidos mais altos saírem de sua boca e suas pernas tremerem em cansaço. Os olhos não conseguiam ficar abertos por tamanho prazer que sentia, ainda mais quando passou a estimular os botões eriçados. Estava tão inerte ao ambiente que sequer percebeu a movimentação diferente na casa.

— Chanhee que barulhos são es… – A voz melodiosa de Younghoon soou de repente e isso assustou o Choi, fazendo-o paralisar no mesmo lugar. — …ses. – Sua frase ficou quase inaudível quando visualizou o mais novo naquele estado, semi-nu e sentando com vontade num dildo qualquer, seu pau pulsou em excitação.

Chanhee voltou ao que estava fazendo sem se importar com os olhares intensos que recebia, aquilo lhe deixava ainda mais excitado, fazendo questão de chamar pelo Kim em cada quicar que dava no consolo. Younghoon ficou sem reação diante tal fato, não sabia se fechava a porta e fingia que nada aconteceu ou se dava ao amigo o que ele tanto parecia querer, ficou estagnado na porta do quarto até decidir seguir a segunda opção.

Se aproximou cauteloso da cama e lentamente se deslocou para perto do mais novo, passando as mãos pela cintura delineada e depositando um selar no ombro nu de Chanhee, ouvindo este suspirar em aprovação. Dedilhou na derme do Choi até chegar nos botões deste, onde estimulou com os dedos ouvindo mais gemidos escaparem pela boca do garoto.

Cansado do brinquedo, Chanhee retirou-o de dentro de si e virou-se para Younghoon, vendo o mais velho com os lábios entreaberto e a respiração pesada, sorriu e tomou os lábios finos para si, arfando quando sentiu este apertar sua cintura com vontade. O moreno desceu sua boca para o pescoço leitoso e limpo do loirinho, marcando com chupões e mordidas.

Chanhee desabotoou a camisa social com pressa e a jogou em qualquer lugar do quarto, passando a mão pelo peitoral desnudo do outro e suspirando pesadamente. Sem tardar, o mais novo empurrou o mais velho para que se sentasse na cama de casal e em seguida se alojou no colo do outro, sentindo o caralho rijo se esfregar contra sua bunda e isso automaticamente lhe fez arfar em anseio.

— Merda, você está tão sexy. – Younghoon murmurou enquanto passeava suas mãos curiosas pelo corpo de Chanhee, apertando em diversos locais e deixando alguns tapas por aqui e acolá. 

— Você gosta?

— Muito.

Os olhares se encontraram e foi como se estivessem hipnotizados, Chanhee acariciou o rosto alheio e o puxou para um beijo cheio de volúpia, gemendo cortado quando Younghoon começou a punhetar seu membro. O mais velho fazia movimentos rápidos e sem intervalos, fazendo Chanhee gemer esganiçado por já estar tão sensível, movimentava o quadril em uma dança sensual e isso só pareceu atiçar ainda mais o moreno.

De repente, seu ventre começou a formigar e a visão ficou embaçada, gemeu fino quando seu orgasmo foi atingido, curvando os dedos e arqueando a coluna em resposta. Melou os abdômen e um pouco da mão grande de Younghoon, sentindo os espasmos e choques elétricos percorrerem por todo seu corpo. A respiração desregulada era uma das únicas coisas que podiam ser ouvidas naquele ambiente, Chanhee se deslocou do colo do mais velhos apenas para retirar as peças que ainda sobravam no corpo dele, tendo ajuda do próprio. 

Levou a destra até o caralho rijo do outro e o segurou pela base, ouvindo um arfar surpreso sair pela boca de Younghoon, sorriu e passou os dedos pela fenda, onde viu que ficou melado de pré-gozo. Não teve outra reação a não ser levar os dedos para a boca, chupando lentamente enquanto mantinha seu olhar fixo ao de Younghoon, que encarava atônito o que ocorria em sua frente. Retirou os dedos da cavidade molhada e viu um filete de saliva conectar ambos, colocou seus dígitos dentro da boca do Kim, gemendo baixinho apenas ao ver iniciar uma sucção lenta nos dedos finos.

Com a outra mão estimulou o membro que pingava em ansiedade, punhetou o cacete de forma lenta e ouviu os gemidos abafados de Younghoon começarem a escapar da garganta do próprio. Espalhava o líquido seminal por todo o comprimento do mais velho, estimulando a fenda e algumas vezes dava atenção para os testículos inchados. Pendurou nisso até empurrar o outro, fazendo-o bater as costas no colchão, e ficar frente a frente com o mastro enrijecido do mais velho, lambendo os lábios em anseio ao ver todo aquele comprimento a sua mercê.

— Hoonie, deixar eu mamar seu pau, sim? – Manhou enquanto esfregava o cacete nas suas bochechas, as deixando meladas de pré-gozo. 

— Claro, bebê, é todo seu.

Não demorou mais, tomou o membro necessitado com os lábios de uma vez, até a glande bater no fundo de sua garganta, e ouviu um gemido de aprovação saindo da boca de Younghoon. Voltou para cima dando atenção para a cabecinha inchada e para as veias dilatadas, em seguida desceu a cabeça novamente iniciando movimentos rápidos e precisos. O Kim estavam com os olhos semi-cerrados e mordia os lábios com força, até levar suas mãos para a cabeça de Chanhee e embolar seus dedos nos fios descoloridos, começando a ditar seu próprio ritmo.

Muitas vezes Chanhee engasgava com os movimentos que Younghoon lhe colocava para seguir, sentia seus olhos ficarem marejados e o nariz arder em resposta, todavia isso lhe deixava com ainda mais vontade de prosseguir. Num ato repentino, Younghoon puxou sua cabeça, obrigando-o a se separar do cacete rijo, e viu um filete de saliva conectar Chanhee ao corpo enrijecido. Suspirou pesado e beijou o loirinho com pressa, sentindo o próprio gosto invadir seu paladar.

Se esticou para pegar o lubrificante na cômoda e em seguida despejou uma boa quantidade do líquido em seus dedos, não demorando para os introduzir dentro da cavidade quente do Choi, escutando os gemidos baixos que ele soltava perto de sua orelha. Fez movimentos lentos dentro dele e viu este rebolar e tentar quicar nos dedos longos e grossos, Younghoon suspirou e continuou a meter os dígitos, alternando entre movimentos rápidos e lentos.

— Chega disso, Hoonie, eu quero seu pau dentro de mim. – Reclamou. — Ou você não aguenta me foder por mais de dois minutos? – Provocou e lançou um olhar desafiador para o mais velho, este que ficou com seu orgulho ferido e retirou com pressa os dedos do interior de Chanhee.

Não pensou duas vezes em introduzir seu pau de uma vez em Chanhee, sentindo as unhas curtas do mais novo apertarem sua carne e ouviu um gemido fino vindo do próprio, sem esperar começou a se movimentar dentro do cuzinho apertado que o loirinho possuía. Gemidos altos preenchiam aquele quarto, o som das peles se chocando e os estalos também eram presentes, assim como a nuvem de luxúria que pairava sobre eles.

A sensação de prazer deixava ambos embriagados, tendo a única ação de continuarem fodendo mais rápido e mais forte a cada muito que se passava, Chanhee mordia o pescoço de Younghoon e arranhava as costas largas que este possuía, gemendo alto com o entra e sai frenético que acontecia ali. Porém, em uma fração de segundos, tudo parou e Chanhee ficou decepcionado.

— Por que parou, hm? 

— Quero tentar uma coisa diferente. – Younghoon disse recebendo um olhar confuso de Chanhee, tateou a cama até achar o que queria e sorriu sacana para o Choi, que continuava sem entender.

— O que?

— Você vai ver.

Disse simples e despejou bastante lubrificante no dildo, aproveitando para lubrificar mais a entrada do outro, que só percebeu as intenções do mais velho quando sentiu um outro corpo ser introduzido em sua entrada já preenchida. Gemeu esganiçado e se contraiu, dificultando o resto do consolo entrar em si, sentindo-se rasgado.

— Younghoon, seu, ah, desgraçado! – Rosnou entre gemidos doloridos, sentindo beijos e chupões sendo depositados por toda sua derme marcada, numa tentativa falha de lhe acalmar.

— Relaxa esse cuzinho pra mim, bebê. – Disse no colo do ouvido de Chanhee, mordendo o lóbulo de sua orelha em seguida. — Garanto que você vai gostar e ainda vai implorar por mais.

Chanhee se arrepiou inteiro com o tom que Younghoon usou na frase, respirou fundo e tentou relaxar o máximo que pôde. Trocou um beijo cheio de saliva com o mais velho e gemeu ao sentir o resto do consolo ser enfiado dentro de si, o moreno deixou o brinquedo imóvel para que o outro se acostumasse com a invasão. Alguns minutos se passaram até Younghoon jogar o quadril para cima, consequentemente movimentando o dildo junto, e isso foi o suficiente para que Chanhee praticamente gritasse em prazer. Deu um sorriso e movimentou ambos os corpos de forma rápida, afim de ouvir mais do gemidos finos e esganiçados que o Choi deixava escapar pela garganta toda vez que acertava sua próstata.

Se sentia nos céus com a sensação nova, seu pontinho era acertado diversas vezes em um curto período de tempo por dois indivíduos, revirava os olhos por baixo das pálpebras e se deixava a mercê de Younghoon. Tapas eram desferidos contra si e isso fazia seu pau pulsar fortemente, a posição se inverteu e agora estava por baixo do Kim, que, diga-se de passagem, era bem mais confortável e favorável para ambos.

Younghoon percorreu a mão pela região pélvica de Chanhee até encontrar o membro duro e necessitado do outro, começou a estimulá-lo na mesma velocidade das investidas e foi o suficiente para que o loirinho gritasse, implorando por mais prazer. O corpo delicado do Choi tremia com tantos estímulos que recebia, sua próstata sendo acertada diversas vezes e o pau sendo estimulado freneticamente lhe faziam ver estrelas por baixo das pálpebras. Younghoon chupou o pescoço leitoso e aumentou ainda mais as estocadas, sendo violento e bruto.

— Younghoonie…! – Chamou pelo mais velho antes de se derramar mais uma vez entre os abdômen, curvando os dedos, arqueando a coluna e contraindo o cuzinho fortemente tentando expulsar os invasores de si. Seus olhos lacrimejaram ao sentir o orgasmo ser prolongado, sofrendo espasmos e tremeliques no caminho, Younghoon continuava a meter sem dó alguma, mexendo o consolo de forma rápida e precisa.

Com mais três estocadas certeiras Younghoon acabou gozando dentro do mais novo, gemendo rouco perto do ouvindo de Chanhee e em seguida retirando o dildo de dentro do menor, assistindo toda sua porra escorrer para o lençol branco. Respirou fundo e se jogou na cama, ouvindo a respiração pesada e desregulada de Chanhee, este que levantou da cama com dificuldade e se aproximou do computador, recebendo um olhar confuso de Younghoon.

— Espero que tenham gostado do showzinho de hoje, vejo vocês semana que vem. – Disse com a voz fraquinha e dando um sorriso para a câmera antes de encerrar a transmissão, não demorou muito para que este voltasse para a cama, sentindo todo seu quadril doer quando deitou. Younghoon acariciou costas nuas do mais novo e depositou um selar carinhoso ali, ouvindo Chanhee suspirar satisfeito.

— Então você é um camboy

— Uhum, gostou de participar da minha transmissão, Bbanghoon? – Brincou se virando para encarar o rosto bonito do Kim, vendo este revirar os olhos e rir baixinho.

— Eu nem sabia que estava sendo assistido, não tenho uma resposta para essa pergunta.

— Então você vai participar da próxima live para ter uma resposta concreta.

— Vou? Quem disse que eu vou participar?

— Eu disse e eu sei que você não vai recusar transar comigo só porque está sendo filmado e, se você quiser, eu dou metade do dinheiro pra você, Hoonie. – Piscou e Younghoon riu concordando com a cabeça, não seria tão ruim assim. Chanhee era gostoso e ser gravado era uma das últimas preocupações do Kim, talvez ele fosse um pouco exibicionista também. 




Notas Finais


eu tô louca, terminando vários projetos que comecei ano passado e postando desenfreado! ambas as capas utilizadas nessa história não são de minha autoria, dou os créditos ao autor e é isso.
espero que tenham gostado dessa oneshot, tentei explorar um tema que eu não tinha muito conhecimento e espero ter acertado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...