História Caminhando Pelos Cantos - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha, Shisui Uchiha, Suigetsu Hozuki
Visualizações 71
Palavras 3.256
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIÊ, desculpa a demora, eu meio que esqueço do spirit, socorro sjdfghsdfljhg (é pq o nyah me manda email quando tem comentário e o spirit não, aaaaa, e tbm pq eu acho a interface bagunçada e fico grrr, mas tudo bem, eu prometo que vou marcar no calendário pra parar de esquecer auhauhahua)

Capítulo 5 - Bolo


-Você que vai limpar essa desgraça depois, não quero nem saber. Eu avisei pra tomar cuidado.

O tom de bronca não pareceu fazer muito efeito. Naruto gargalhava apoiado à bancada da cozinha, lágrimas surgiam em seus olhos conforme ele se contorcia cada vez mais e quase enterrava o rosto na farinha esparramada pela superfície. Sasuke rolou os olhos com um som irritado, procurou uma faca na gaveta e um pote com tampa no armário.

-Sai daí - deu um tapinha no braço do loiro para que ele lhe desse espaço - deixa eu resgatar isso antes que você derrube tudo no chão.

Com o lado cego da faca, juntou a farinha e jogou para dentro do recipiente o que deu para salvar. Ainda havia uma visível mancha no balcão e uma boa parte do piso naquele lado da cozinha estava branco, mas a limpeza desse tanto ficava com o responsável pelo desastre.

-Primeira vez que seu padrinho te deixa sozinho no apartamento, ele vai voltar e vai estar tudo coberto de farinha. Para de rir! Meu deus, qual é o seu problema?

-Não sei… - o loiro murmurou quase sem fôlego em meio às risadas, que já estavam silenciosas pela falta de ar.

-Chega, vem me ajudar - sua voz tomou um ar mais carinhoso. Ele puxou Naruto de volta para perto pela mão - Você que inventou com isso de bolo, eu não vou fazer tudo sozinho.

-E se a gente fizer assim… - ele disse abraçando-o por trás e deitando a cabeça em seu ombro enquanto Sasuke voltava a organizar os ingredientes - Eu leio a receita em voz alta e você segue as instruções?

-Você me fez vir até aqui cozinhar pra você, por acaso?

-Se eu for ajudar eu vou acabar estragando tudo!

-Não vai nada, para de drama.

O garoto desgrudou de suas costas e se postou ao seu lado antes de receber um beijo na bochecha e abrir um enorme sorriso. Os dois logo se entretiveram na confecção de um bolo de chocolate, receita da internet. Tudo ocorreu bem e sem mais acidentes até a massa ir para a batedeira, quando Naruto decidiu que não precisavam mais ficar olhando.

-Ela gira sozinha - choramingou puxando Sasuke pelo braço - Qual é o pior que pode acontecer, misturar demais? Não é esse o objetivo?

Havia coisas piores que poderiam acontecer com um eletrodoméstico funcionando sem supervisão do que uma massa de bolo devidamente misturada, mas Sasuke preferia não desperdiçar o momento quando tinha o namorado lhe implorando atenção. Com um sorriso vencido, enlaçou-o pela cintura, colando seus corpos, e capturou seus lábios. Naruto primeiro agarrou-se aos seus braços, mas ele logo sentiu uma das mãos subindo por sua nuca e os dedos enroscando-se em seu cabelo, arrepiando-lhe a pele. Adorava a forma que ele se agarrava em suas madeixas enquanto se beijavam, os pequenos suspiros que ele dava a cada vez que ficava sem fôlego e os longos abraços que depois permaneciam por vezes até o dobro do tempo que tinham dedicado ao beijo. Um mês não era muito tempo, mas sentia que sua vida havia mudado drasticamente naquelas últimas semanas e era difícil não atribuir todo e qualquer detalhe agradável ao recente namoro.

-Nós esquecemos de pré-aquecer o forno - sussurrou Naruto pouco depois de separarem os lábios, ainda colados um ao outro.

-Ah - respondeu erguendo as sobrancelhas com um ar sarcástico - Meio importante isso...

Sasuke se adiantou para o fogão para acendê-lo, o loiro foi checar a batedeira, que logo desligou.

-Eu ainda acho que a gente deveria ter feito mais

-Absurdo, ainda deve crescer bastante no forno - Sasuke mirou de canto o namorado, que torcia o nariz para a quantidade de massa no recipiente - Só tem nós dois pra comer tudo isso e eu nem gosto muito de doce, vai durar dias.

-Mas eu gosto, acabo com isso tudo sozinho rapidinho.

-Não, não acaba, não. Se você comer muito vai acabar com dor de barriga, idiota.

-Mas vai valer a pena.

-Mas vai acabar e depois você vai ficar reclamando que não sobrou.

-Aí você volta aqui e a gente faz mais.

Foi até ele com um meio sorriso e pegou uma forma para assar o doce.

-Não sei se você tá usando o bolo como desculpa pra me ver ou se tá usando a desculpa de me ver pra ganhar bolo - virou a tigela da batedeira sobre a forma, tentando tirar o máximo que podia sem derrubar para fora com a ajuda de uma espátula, mas acabando por sujar os dedos no processo. Naruto deu uma risadinha.

-Até parece que eu preciso de uma desculpa pra te fazer vir até aqui - ele retrucou com pretensão.

Assim que pousou os utensílios de volta no balcão, o loiro levou as duas mãos à sua e a trouxe delicadamente à boca. Sasuke assistiu paralisado - quase sem ar - enquanto ele envolvia devagar um dedo de cada vez. Naruto estava colocando um considerável tanto a mais de ímpeto naquilo do que seria aceitável sem segundas intenções, e mesmo o leve rubor surgindo em suas bochechas denunciava que não havia nenhuma inocência no ato conforme ele sugava, lambia e atrevia-se a soltar gemidos ambíguos de satisfação, absorto em sua travessura. Apenas ao desaparecer com até o último vestígio de chocolate na mão do namorado, ele ergueu os olhos, carregados de um misto de culpa e orgulho, e mordeu o lábio inferior ao encará-lo. Sasuke o observava meio abobalhado, sua imaginação havia levado aquilo um pouco além e seu coração batia um pouco mais rápido do que devia. Não se atreveu a mover sequer os dedos, agora úmidos, antes de inspirar fundo com urgência numa tentativa de se recompor.

-Eu prometi que não vou te pressionar, mas também não precisa me torturar desse jeito, sabe? - murmurou pouco mais alto que um sussurro. Naruto riu, o vermelho intensificando em seu rosto.

-Tortura, é? - ele desviou o olhar para o chão e subiu de novo, ainda o segurando pelo punho e apertando-o contra o peito com ambas as mãos quase sem se dar conta - Você queria que eu chupasse outra coisa?

-Eu não te pedi isso, eu só quis dizer…

-Eu sei que você não pediu, eu tô perguntando se você quer.

Sasuke ergueu as sobrancelhas.

-Você tá me oferecendo um boquete?

Novamente rindo, mais por puro nervosismo que por graça, Naruto apertou um pouco mais a mão do namorado contra o peito e esquivou os olhou. Sasuke podia sentir o coração dele batendo em disparada.

-Vai querer ou não? Aproveita antes que eu mude de ideia.

Sasuke levou a mão livre ao queixo do loiro, levando-o a lhe mirar os olhos quando o encarou fundo com seriedade.

-Tem certeza? Tá tudo bem pra você?

-Tá tudo bem, eu… Eu andei pensando e acho que vai ser mais fácil se eu começar com coisas que eu não precise tirar a roupa pra fazer, aí aos poucos eu vou me sentindo mais confortável pra… Fazer mais.

-Mas você quer? É só isso que importa.

Naruto mordeu a boca de leve e sustentou o olhar com o máximo de segurança que a ansiedade lhe permitia, denunciada pela respiração densa, fez que sim devagar com a cabeça e tomou fôlego com um sorriso escapando por seus lábios.

-Eu quero por a boca em cada centímetro do seu corpo - ele sussurrou.

Sabia que aquilo fora espontâneo e duvidava que Naruto tivesse consciência do quanto fora sensual, mesmo porquê, ele mesmo mal conseguia processar tal informação. Interrompeu a respiração sem se dar conta - ou mais precisamente, o ar desapareceu sem que sequer sentisse falta - ao passo que sentiu um formigamento de calor crescer por seu corpo em um instante. Aproveitou a mão já posicionada sobre o peito do loiro para lhe puxar pela camiseta e roubar-lhe um beijo desesperado encerrado com uma mordida pouco gentil no lábio inferior.

-Se for assim, - disse rouco em sua boca - eu aceito sua oferta com muito prazer.

Naruto sorriu.

-Me guia - ele murmurou baixinho com ares de provocação - Eu nunca fiz isso antes.

Sasuke passou a mão por sua cabeça, enroscando os dedos entre os fios loiros, e lhe lançou um olhar faminto ao segurar com firmeza em sua nuca.

-Primeiro você ajoelha.

Aquilo soou como uma ordem e o semblante em seu rosto deixou claro que não fora por acidente. Naruto parecia estar se divertindo com a situação tanto quanto estava desconcertado, riu-se novamente e desviou os olhos para o chão com a face tingida de vermelho. Usando o corpo do namorado como apoio, ele desceu devagar. Ajoelhou-se no chão e mordeu os lábios timidamente. Ainda com a mão em seu cabelo, Sasuke o fez olhar para cima e tombou a cabeça para lhe dar uma boa olhada, deixando um sorriso sacana surgir.

-Nossa, você fica lindo por esse ângulo.

-Cala a boca - ele murmurou meio risonho levando as mãos trêmulas à sua braguilha e abrindo-a desajeitado e devagar - … o que eu faço?

-Bom, você tira meu pau pra fora, obviamente, eu não vou gozar com você encarando o meu zíper. Nem adianta me olhar feio, já falei que tô adorando você daí de baixo - Sasuke pegou uma das mãos do loiro e levou à sua ereção por cima do tecido, suspirando em silêncio com o toque - Relaxa, não tem um jeito certo ou errado de fazer, você tem um pau, você sabe como funciona o que e onde, de resto é só intuição. Não precisa ter a mínima pressa, o mais importante é você aproveitar o que tá fazendo, e se mudar de ideia, você para. Por enquanto, a única dica que eu vou te dar é muita saliva e nada de dentes.

Naruto respirou fundo e balançou a cabeça afirmativamente, parecia ter tomado um pouco mais de confiança. Massageou o volume ainda por cima da calça por um momento, arrancando de Sasuke um gemido baixo, em seguida ele tirou a peça de seu caminho, expondo a boxer preta que já não tinha nenhum êxito em disfarçar a ereção. Aproximou o rosto devagar e pousou as mãos sobre seu quadril, os dedos ameaçando descer o tecido que cobria seu sexo, mas ainda o fazendo esperar. Sasuke se encostou no balcão às suas costas, antecipando a necessidade por apoio que teria logo mais, e prestou atenção, quase sem fôlego, conforme Naruto fechou os olhos e encostou a boca devagar, distribuindo beijos lentos pelo caminho acima até acabar o tecido e, para o seu imenso alívio, abaixar a boxer. Naruto encarou seu membro por alguns segundos e depois ergueu a cabeça, encarando seu olhos, tinha a face completamente vermelha e os olhos azuis um tanto arregalados, respirava pesadamente pela boca entreaberta com o rosto a meros centímetros do seu pau e, por mais que não estivesse fazendo absolutamente nada naquele mínimo instante, Sasuke gravou a cena fotograficamente em sua mente como num clique de flash com a certeza de que jamais havia visto nada tão excitante antes e, certamente, nunca antes sentira tanto tesão e tanta ânsia por contato com nada nem ninguém.

Naruto mordeu o lábio inferior e envolveu seu pênis com uma das mãos, fazendo um movimento lento de vai e vem. Abaixando os olhos acanhado, ele pôs a língua pra fora e levou-a até a base do pênis, dando uma lambida caprichada até a cabeça, onde terminou botando inteira na boca e sugando. Sasuke apertou as bordas do balcão com força e prendeu o ar, sentindo um arrepio percorrer sua espinha e tensionar sua coluna por inteiro.

-Puta merda, Naruto - suspirou perdendo o ar. O loiro deu uma risadinha baixa.

-Vou entender isso como um elogio.

Era evidente a falta de prática, a forma como ele avançava de pouco em pouco meio sem jeito, sem ritmo, sem certeza. Mesmo assim, era maravilhoso. Não estavam fazendo aquilo por tédio, por desespero, por influência de álcool, por falta de escolha ou obrigação, ambos queriam aquilo. Levou algum tempo mergulhado naquela sensação de êxtase inebriante para Sasuke entender que era exatamente aquela a diferença e o motivo de nunca ter se sentido daquela forma antes: o querer.

Naruto despertava nele uma vontade inédita. Com o tempo havia se acostumado com a ideia de que sexo aliviava algum estresse, ainda que momentaneamente. Era como se colocar sob efeito de algum narcótico, desligar o cérebro por algum tempo, render-se a uma temporária onda de adrenalina e a uma sensação boa em seu corpo. Além, é claro, de ser uma ótima moeda de troca. Ele nunca entendera muito bem, mas as pessoas pareciam dispostas a fazer qualquer coisa pela chance de trocar carícias com alguém atraente e sensual e, ah, se Sasuke sabia seduzir alguém. Mas isso era tudo. Havia, no máximo, forçado a si mesmo diversas vezes pela recompensa da sensação extasiante, mas jamais antes olhado para alguém e sentido vontade. Vontade daquela pele bronzeada, daquela boca vermelha, de sentir o calor daquele corpo tocar o seu. E de fato, aquela diferença era enorme. A temperatura dos seus lábios o envolvendo, o sutil tremer em suas mãos o tocando, a constante troca de olhares, ainda que tentando passar confiança, hesitantes, tudo aquilo somava ao prazer de uma forma extraordinária, e ainda que já houvesse perdido a conta de quantas vezes recebera um boquete, jamais havia experimentado tal sentimento. Costumava levar um interminável esforço da outra parte para chegar lá, mas com Naruto fazendo acabou gozando no que pareceu ser metade do tempo.

Quase se assustou com a rapidez com a qual o loiro se ergueu. Num instante o garoto estava debruçado sobre a pia, tossindo e dando soquinhos no peito com angústia, Sasuke não levou mais que dois segundos para entender a cena e desatar a rir. Naruto jogou uma água no rosto e pigarreou forte.

-Muito sexy - Sasuke arrumou as calças ainda gargalhando - Nada mais excitante depois de um boquete do que vomitar na pia.

-Eu só engaguei! - ele se queixou num meio de bronca pelo deboche, meio de justificativa pela cena, e ergueu o rosto, completamente vermelho, com um olhar melancólico.

-Eu ia avisar, desculpa - puxou o loiro, que encarava o chão injuriado, pela blusa e o enlaçou pela cintura - mas tava tão bom que eu nem lembrei.

-Eu fui uma merda.

-Não, cala a boca. Olha aqui, olha pra mim - Naruto o mirou chateado, sabia que ele imaginava que estava sendo comparado com todas as pessoas de quem já havia recebido um oral e pulando para a conclusão de que, sem um pingo de experiência, tinha certamente sido um dos piores - Foi incrível.

Um tímido sorrisinho de orgulho surgiu iluminando sua face.

-Mesmo?

-Nossa, sim! - abraçou-o bem forte e enterrou o rosto na curva de seu pescoço, cobrindo-o de beijos enquanto murmurava com lascívia contra sua pele - Naruto, você tem autorização pra colocar essa boca aonde você bem quiser do meu corpo. Aliás…

Sasuke pressionou a coxa entre as pernas do outro, fazendo com que ele se agarrasse em seus braços e mordesse os lábios. Ficou contente de constatar que, mesmo depois de toda aquela cena, ainda havia um volume persistente nas calças do loiro que ele conseguia sentir ao se esfregar ali. Parou a boca na parte do pescoço onde mais conseguia arrancar-lhe reflexos e saboreou sua pele, sugando, mordendo e pressionando com língua conforme Naruto, ao mesmo tempo, ia soltando o peso em seus braços e tensionando o corpo todo. Ele friccionou o quadril contra a sua coxa com força e fincou as unhas em seus ombros com um gemido comedido. Sasuke voltou a erguer a cabeça e o encarou com malícia o namorado, vendo um sorriso ofegante surgir em sua face indiscretamente corada.

-... Aliás o quê?

-Eu deveria retribuir, não? Como você acha que eu devo te recompensar pelo trabalho bem feito?

-Ah… Não precisa, oo… - ele indicou desajeitadamente o próprio pescoço - Isso… Já é mais do que ótimo…

-Tem certeza? Eu tava afim de…

Sasuke foi interrompido pelo toque do próprio celular no bolso. Cerrou os olhos com um suspiro frustrado e deu um beijo rápido, porém exageradamente lascivo no namorado, que lhe deu um sorriso complacente enquanto alcançava o telefone.

-Oi, Shisui - atendeu ainda meio risonho com o olhar junto ao namorado - Pode falar.

-Tudo bem? O que vocês tão fazendo aí?

-Quer mesmo saber?

-Ah… Não, na verdade não, obrigado. Olha só, o advogado confirmou, amanhã se tudo der certo, ele vai voltar com a gente pra casa direito depois da audiência. Nós três conversamos hoje e decidimos que, se você quiser ir junto dessa vez, todos estamos de acordo.

Sasuke parou em silêncio com um semblante sério por um momento.

-Você vai?

-Vou.

Ouviu Shisui respirar fundo do outro lado da linha, a tensão era perceptível em sua voz. Apesar de sempre ter sido otimista e bem humorado, o cunhado estava mais taciturno e cansado desde que voltara de férias. Era estranho vê-lo assim, esperava que tudo aquilo terminasse logo e o estresse do processo saísse de suas costas.

-Então tá bom, eu vou combinar com o advogado e deixar tudo pronto pra amanhã, ok? Daqui umas 4 horas eu passo daí pra te buscar.

Sasuke deu um pequeno murmúrio em resposta, mal prestou atenção quando o cunhado se despediu e logo devolveu o celular ao bolso mecanicamente. Uma sensação inquietante surgiu em seu estômago que ele não conseguiu discernir, mas que o manteve absorto até sentir duas mãos quentes envolverem seu rosto.

-Tá tudo bem? - perguntou Naruto preocupado, acariciando sua face com zelo. O olhar atencioso mirando-o a meros centímetros o trouxe de volta para a cena e, por um segundo, o fez se condenar por quase esquecer que ainda tinha o namorado ali em seus braços.

-Tá. Eu vou… Eu vou ver meu irmão amanhã.

-Vocês não se veem há muito tempo?

-Desde que aconteceu tudo.

Naruto fez uma expressão mortificada e se calou em perfeito silêncio. Conhecendo-o bem, devia estar se segurando para não dizer nada que pudesse fazer a situação soar pior do que já era. Se não estivesse tão tenso, teria achado graça.

-Nós nos falamos por telefone, - tentou amenizar a situação - nos aniversários e no natal. Mas é difícil visitar, eu sendo menor de idade e estando a maior parte do ano na escola e tudo mais...

-Mas que bom! - exclamou Naruto animando-se - Vai ser ótimo vocês se verem de novo. Quando ele volta pra casa?

-Provavelmente amanhã.

-Maravilha! Agora vai tudo começar a dar certo, finalmente!

-Mais ou menos, o processo vai ainda levar meses pra terminar e, não importa o quanto a gente se esforce, aquele filho da puta do Danzou nunca vai ser preso - enfurecia-se só de lembrar daquilo, Naruto notou a mudança em sua voz e voltou a lhe fazer carinho, mirando-o com preocupação. Sasuke suspirou - Ele é rico e influente demais pra isso, e ninguém quer se esforçar muito, também, porque todo mundo tem medo dele.

Naruto continuou com seu olhar chateado, procurando em silêncio alguma coisa a dizer ou fazer naquela situação.

-Como eu posso te ajudar a se sentir melhor?

Sasuke rolou os olhos com complacência e deu de ombros.

-Abre o forno - disse soltando o namorado e indo pegar a forma - Vamos botar logo esse bolo pra assar que já deve estar juntando formiga largado aqui.


Notas Finais


YEY, LEMON... sorta...
enfim, as coisas vão começar a ficar cada vez mais pesadas, mas tbm vai haver lemon então olha que topper, tamo chegando nos tchaca-tchaca-na-buchakra
cara, eu adoro escrever essas ceninhas deles experimentando aos poucos a sexualidade e tal sdjghsdfkjg acho muito fofo, me divirto, espero que vocês gostem tbm


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...