História Caminhos Cruzados - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias One Piece
Personagens Bepo, Boa Hancock, Carrot, Donquixote Rosinante (Corazón), Dracule Mihawk, Edward Newgate (Barba Branca), Eustass "Captain" Kid, Franky, Gol D. Roger, Jewelry Bonney, Monkey D. Dragon, Monkey D. Garp, Monkey D. Luffy, Nami, Nefertari Vivi, Nico Robin, Personagens Originais, Portgas D. Ace, Portgas D. Rouge, Rebecca, Rob Lucci, Roronoa Zoro, Sabo, Sanji, Shanks, Smoker, Tony Tony Chopper, Trafalgar D. Water Law, Usopp, Zeff
Tags Lawlu
Visualizações 44
Palavras 2.421
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura! ( Sim, eu não tinha uma imagem para definir esse capítulo, então usei essa fofinha do Law! Não quero dar spoilers! Hahahah. )

Capítulo 12 - Complicações


Fanfic / Fanfiction Caminhos Cruzados - Capítulo 12 - Complicações

Ainda naquela noite luminosa e encantadora, Trafalgar Law dirigia o carro com um largo sorriso no rosto, mal podendo conter a própria felicidade e os batimentos acelerados que seu coração tinham. Havia tido uma noite maravilhosa ao lado de Luffy e sentia que nada poderia estragar isso, ainda mais com a bela ideia que teve.

Assim que chegou na mansão, Trafalgar estacionou o carro no jardim e saiu saltitante, dando boa noite aos vigias de sua casa  - Que por sinal, acharam bastante estranho o bom humor do garoto. - Ao entrar em casa, viu seus familiares reunidos na sala, conversando. 

- Boa noite. - Trafalgar sorriu, cumprimentando a todos presentes. - Que a noite de vocês estejam ótimas.

- Ein? Law? É você mesmo? - Um loiro, baixinho de um gosto bastante peculiar, olhou para o maior. - Você desejando boa noite? Com um sorriso? Tu?

- O que tem? Infelizmente vocês são minha família, e não faz mal desejar boa noite, Dellinger. - O moreno deu de ombros.

- Você está muito felizinho, Law. - Um homem alto, de pele bronzeada e um sorriso ousado no rosto se dirigiu a Law. - Qual séria o motivo da sua felicidade?

- Vergo. - Law o olhou, franziu o cenho. - Se minha felicidade tem motivos ou não, você não precisa saber, não agora.

Law já iria se virar para subir as escadas, quando uma voz grossa chamou pelo seu nome.

- Law. 

Law olhou para trás de si, se assustando. 

- Doflamingo. - Sentiu uma gota de suor descer por sua testa.- Eu não sabia que já tinha chegado.

- Cheguei a mais ou menos umas cinco horas atrás, e não tive a boa recepção do meu sobrinho preferido. - O loiro de pele bronzeada sorriu. 

- Desculpe, eu tive compromissos. - Law baixou um pouco o olhar.

- Vejo que continua fazendo tatuagens. - Doflamingo o olhou dos pés a cabeça. - Eu não gosto disso, você tá pior que parede de uma escola infantil de tão rabiscado que está.

- E-Eu...eu gosto delas. - Law desviou o olhar. 

- Impressionante o quanto ele fica mancinho quando o Doffy fala com ele. - Dellinger comentou com um garoto mais alto e cheinho.

- Né? Ele tem medo dele! - O garoto riu junto com o loiro. 

Law os olhou incrédulo.

- Dellinger, Buffalo. - Doflamingo os chamou. - Não entendem que isso se chama respeito? Law é um ótimo garoto.

- Desculpe, Doffy!

Law desviou o olhar, voltando a subir as escadas. 

- Boa noite a...todos. - Foi a última frase que o tatuado disse.

Doflamingo sorriu, voltando a beber o vinho na taça de cristal.


[...]


Já no próprio quarto, Law suspirou pesadamente, havia prendido a respiração enquanto falava com aquele homem. Andou em direção a sua cama, tirando os sapatos, casaco e sua blusa, se jogando no colchão. Olhou para o teto e o rosto do seu amado veio a tona, um sorriso bobo se formou nos lábios inchados de Law.

- Eu não posso acreditar que esse pirralho tá me deixando doente...- Law suspirou. - Doente de amor. 

Permitiu-se sorrir mais uma vez, ao se lembrar dos beijos, abraços, gargalhadas, mãos bobas e o sorriso encantador do seu pequeno. Queria colocar Luffy em um pote, para que ninguém pudesse o tirar de si. Com os pensamentos longes, Law não se tocou quando a porta foi aberta e dela saiu seu pai, Rosinante. Só se tocou que ele estava ali, quando escutou um enorme tombo; Rosinante havia tropeçado. 

- Bate antes de entrar, Cora-san. - Law o olhou, segurando a risada. - Você está bem?

- Estou! Esse tapete maldito, devia tirar ele daqui.

Law apenas riu, balançando a cabeça negativamente.

- Desculpa não ter te avisado sobre a chegada do Doffy, foi inesperado e você não atendia o celular.

- Não tem problema, eu estava ocupado demais para me importar com isso. - Law sorriu.

- Onde esteve? - Rosinante cruzou os braços. - Não estava vadiando por ai não, né?!

- Não! - Law riu. 

- Você tá muito sorridente, isso me dá medo. - Rosinante chegou mais perto, tocando a testa de Law. - Você tá bem mesmo?

- E claro que eu tô, Cora-san! - Law tirou as mãos do loiro de sua face. - Eu estava com alguém.

- Quê? Com quem?! Ah Law, por favor não troca o Luffynho eu gosto tanto dele e quero que ele seja meu genro. 

- Cora-san! - Law riu. - Eu estava justamente com ele.

- Sério?! E já estão namorando?!

- Não, ainda não.

- Ainda...não? AINDA? MEU DEUS! VOCÊ VAI PEDIR ELE EM NAMORO?

- Não grite, Cora-san! - Law o reeprendeu. - Vou...

- Quando?!

- No dia do jantar da nossa família. - Law suspirou. - Por favor, não fale a ninguém, é surpresa. 

- Eu sou um túmulo! 

Law o olhou desconfiado.

- Bem, eu tô preparando uma surpresa para ele.

- Você parece tão feliz, Law...

- Eu me sinto bem ultimamente, e é por causa dele. Eu mal consigo conter essa droga de sorriso no rosto.

- Isso é tão bom, fico feliz com isso.

- Mas eu tenho medo, Cora-san. 

- Medo? Do quê?

- Tem tantas pessoas melhores do que eu atrás dele, querendo ele.. Eu nem sei se eu mereço ele. - Law suspirou. - E nem sei se ele me quer tanto quanto eu quero ele.

- Ah, Law. É claro que ele quer, ele tá sempre com você. É carinhoso e muito fofinho! 

- Ele é assim com todo mundo. Tenho medo de ser apenas mais um. - Law olhou para o teto.- Eu gosto dele, Cora-san. E isso me deixa louco. Ele me deixa louco, em todos os sentidos. 

- Isso se chama paixão! - Corazón sorriu. - Eu realmente estou feliz por você, Law, e sei que, Luffy irá te aceitar!

- Espero que sim, não vou suportar se caso eu levar um fora dele. 

Rosinante sorriu, logo abraçando Law. 

- Você se tornou uma pessoa diferente, com um bom humor e uma alegria contagiosa. Me lembre de agradecer aos céus por isso.

- Agradeça ao Luffy-ya, Cora-san. - Law riu. - Agora deixa eu dormir, amanhã tenho aula e tenho que ver ele.

- Claro, Claro! - Rosinante beijou a testa de Law, logo indo até a porta, a fechando. 

Law suspirou, jogando seu corpo na cama, suspirando pesadamente enquanto sorria, sorria de nervoso e felicidade. 

- Espera! - Corazón abriu a porta de uma vez. - Vocês usaram camisinha, né?

- Quê? - Law arregalou os olhos. - Cora-san, a gente não transou! 

- Ufa, menos mal. Boa noite filho, beijos e bons sonhos. - Rosinante riu, saindo e fechando a porta.

- Bem...ainda não. - Law sorriu safado, lembrando do momento na roda gigante. 

Fechou os olhos, curtindo as lembranças boas com o pequeno, quando sentiu seu celular vibrar. Era uma nova mensagem, e era de Luffy. Rapidamente desbloqueou a tela, clicando na mensagem. Era uma foto, uma foto dele! 

- Tral ficou bonito nessa foto, distraído! 

- Ei, quando tirou isso?! - Law usou um emoji envergonhado e um bravo.

- Na roda gigante! KKKKKK.

- Momentos bons na roda gigante.. 

- Foi tudo culpa sua!

- Minha?! Foi sua! Você que sentou no meu colo, eu não mandei sentar! 

Law começou a rir do emoji tímido que Luffy havia mandado.

- Mas Tral...você não reclamou.

- Eu nunca irei reclamar, se for você a fazer isso.

- Que bom saber!

- Mas não faça isso em público, ou seremos expulsos.

Luffy mandou um emoji em forma de anjinho, o que fez Trafalgar rir alto. Soltou o celular assim que o pequeno ficou  off-line. Sorriu para si mesmo, aquela criatura divina estava mexendo com seus nervos e o seu coração. Tinha certeza que, nessa noite, ele teria sonhos com o Luffy-ya, sejam eles pervertidos ou amorosos, ele sabia que ia sonhar com o sorriso do pequeno.


[...]


Já pela manhã, Luffy chegava na escola acompanhado por Ace e Sabo. Sabo havia ido buscar os dois na casa de Ace, e antes de virem para escola, foram tomar café na cafeteria onde o loiro era dono, para conhecer e aproveitar o melhor da casa. Claro, os dois garotos odiaram, detestavam café e Sabo se sentiu incrédulo. No fim das contas, Sabo ficou com um enorme prejuízo de tanta comida que eles pediram.

- Sério, não sei como você gosta de café. - Ace fez uma careta. - É amargo e nojento!

- É um clássico, você que é frescurento. - Sabo deu de ombros. - Luffy, gostou do achocolatado?

- Gostei! Tava tão bom, repeti muitas vezes!

- Você tomou achocolatado?! Por quê não me ofereceu também?

- Por que eu quis dar só pro Luffy. - Sabo sorriu.

- Isso é injusto!

- Luffy, quando quiser tomar o achocolatado novamente, me chame ok? Faço especialmente pra você, meu xuxu. - Sabo o abraçou, beijando suas bochechas.

- Ei! Eu também quero carinho e achocolatado.

- Ace não seja intrometido!

Ace fez bico, cruzando os braços. Ambos riram da atitude do sardento, o abraçaram fortemente para que não morresse de ciúmes.

- Bom dia, Luffy-ya, Ace-ya, Sabo-ya. - Law apareceu na frente dos três, sorrindo enquanto olhava para Luffy.

- Tral! - O pequeno desgrudou dos braços de Ace, correndo até Law, pulando em seus braços.

Ace arregalou os olhos.

- Fui trocado! Fui trocado duas vezes! - Ace os olhava incrédulo.

- Me sinto trocado também. - Sabo murmurrou. - Meu irmãozinho mimado, devolva ele por favor Trafalgar...

- Você me troca pelo Luffy, Sabo! - Ace o olhou. - Meu deus, que injustiça!

- Shishishishis, eu amo vocês também! - Luffy sorriu para os dois a sua frente, ainda agarrado nos braços de Law.

- Prometo que devolverei ele a vocês no fim do dia, mas voltarei para buscá-lo no começo da noite. - Law sorriu, saindo agarrado com Luffy.

- Ele me roubou o Luffy, literalmente me roubou.

- Me sinto trocado pra caralho. Eu alimentei ele, dei carinho e um mangá novo de Naruto. E ele simplesmente me trocou pelo Trafalgar. - Sabo choramingou.

- Bem feito, você prefere o Luffy do que eu.

- Ace, sem drama! - Sabo sorriu, abraçando o menor. - Vamos pra aula.

Ace foi arrastado por Sabo, totalmente aborrecido por ser a segunda opção de Luffy e do loiro. Durante as aulas, Law ficou totalmente emburrado por não ser o escolhido de Luffy para um trabalho em dupla, ele havia escolhido Usopp, e isso deixou Law irritado, nem mesmo se concentrou no trabalho que fazia junto com Kid. 

No fim das primeiras aulas, todos correram para o refeitório, o que não foi diferente para Luffy, Zoro, Sanji, Usopp. Law ficou ainda mais irado, Luffy o largou novamente naquela sala. A sala já se encontrava vazia e Law ainda estava arrumando suas coisas. - Detestava deixar suas coisas jogadas. - Law percebeu que já não estava mais sozinho dentro da sala.

- Trafalgar Law. - Uma voz feminina o chamou, esta que estava encostada na porta. Sorriu, fechando a porta atrás de si. 

- Posso saber quem é você?

- Eu já imaginava que você não lembraria de mim de primeira. - A mulher caminhava lentamente até Law. - Mas eu vim refrescar sua memória.

Law arqueou uma sobrancelha.

- Meu nome é Bonney, nós estudamos juntos no nono ano, lembra?

- Não.

- Você infernizou minha vida, estragou meu namoro, e acabou com meu status social. Lembra? - A mulher chegava cada vez mais perto.

- Estraguei?

- Sim, estragou. E o pior de todos, foi o meu namoro. Com o Kid, lembra?

- Ah, entendo. - Law riu. - Oras, não me culpe, você mesmo que estragou. Você deu em cima de mim, mesmo sabendo que eu era melhor amigo de Kid.

- Eu queria te testar, e você fez tudo errado, Trafalgar. - A mulher lambeu os lábios. - Você tirou de mim a pessoa que eu amava quando postou aquelas fotos e videos, para todos na escola ver.

- Você bem que mereceu. - Law riu. - Você estava usando meu melhor amigo para chegar até mim.

- No começo foi, mas eu me apaixonei por ele. - Bonney se apoiou na mesa. - E você destruiu isso.

- Como eu disse, você mereceu. - Law arqueou a sobrancelha. - Você estava enganando meu amigo e tinha o traído, óbvio que eu não ia permitir que você saisse ilesa.

- Isso foi um erro. - Bonney sorriu. - Bem, mas não estou aqui para lembrar do passado.

- E o que você quer? 

- Quero dinheiro, Trafalgar.

- Tenho cara de Daddy agora pra sustentar vadia?

- Se você tem ou não, não é problema meu. - Ela sorriu, passeando suas mãos no rosto de Law. - Eu tenho algo que pode destruir sua vida também, literalmente.

- Algo? 

- Sim, algo que vai destruir essa máscara de bom garoto que você finge ter.

- Eu não acredito em você. Essa chantagem não funciona comigo.

- Tem certeza?

- Tenho. Não vou te dar dinheiro, nem sei do que você está falando.

- Eu vou viajar para cuidar de algumas coisas pessoais. - Ela sorriu. - E quando eu voltar, espero ter uma resposta positiva. Ou.

- Ou? - Law arqueou a sobrancelha.

Bonney sorriu, se aproximando da orelha de Trafalgar.

- Ou o seu querido brinquedinho vai saber a verdade sobre quem é Trafalgar Law.

Law a olhou sério, sem entender do que a mulher a sua frente estava falando.

- É um aviso, Tral. - Ela riu. - Eu volto daqui a alguns meses e eu espero ter 8 mil nas minhas mãos.

- Está louca? Nunca que vou te dar essa quantia. Você não tem nada para provar contra mim, Bonney. Não seja patética.

- Bom, você que sabe querido.

- Eu não acredito em alguém sujo como você. 

- Somos da mesma laia. - Ela sorriu, começando a caminhar, indo em direção a porta. - A decisão é sua, meu bem. Cuide-se e pense bem.

- Tsc, patética. 

A mulher sorriu, fechando a porta atrás de si. Law suspirou, não estava entendendo onde aquele ser queria chegar, mas não se sentiu nenhum pouco ameaçado. 

- Tsc, ela não tem o poder de tirar o Luffy de mim. 

Law suspirou, tinha certeza que era um blefe dela, e acreditava seriamente nisso.


- Eu não vou cair nesse seu joguinho ridículo, Bonney.














Notas Finais


Obrigada pelos favoritos e pelos comentários! Agradeço muito! Até a próxima, anjinhos! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...