História Caminhos Cruzados - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias One Piece
Personagens Bepo, Boa Hancock, Carrot, Donquixote Rosinante (Corazón), Dracule Mihawk, Edward Newgate (Barba Branca), Eustass "Captain" Kid, Franky, Gol D. Roger, Jewelry Bonney, Monkey D. Dragon, Monkey D. Garp, Monkey D. Luffy, Nami, Nefertari Vivi, Nico Robin, Personagens Originais, Portgas D. Ace, Portgas D. Rouge, Rebecca, Rob Lucci, Roronoa Zoro, Sabo, Sanji, Shanks, Smoker, Tony Tony Chopper, Trafalgar D. Water Law, Usopp, Zeff
Tags Lawlu
Visualizações 31
Palavras 2.584
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Uma ótima leitura a todos!

Capítulo 3 - Mugiwara-ya? Trao?


Fanfic / Fanfiction Caminhos Cruzados - Capítulo 3 - Mugiwara-ya? Trao?

Já havia se passado uma semana desde que as aulas na escola Laftel tinham dado início, com tudo, a cada dia que passava Luffy se enturmava cada vez mais com os novos amigos de classe. Ace passou a confiar deixar o menor com os mais novos amigos, mas não deixou de se comprometer a buscar Luffy todos os dias e deixar na porta de casa. Achava que assim era mais seguro para o menor. 

Luffy e Kid criaram um laço de amizade bastante preocupante para os amigos de Luffy, que sempre estavam de olho quando os dois saiam juntos pelos corredores. Law apenas observava o quanto o ruivo era cara de pau, mas não que ele também não fosse. Afinal, fizeram uma aposta para quem pegasse o menor primeiro.

Mas até então, Law não tomou nenhuma iniciativa sobre Luffy. Nem sequer sabia como começar uma amizade discreta com o moreno sem ser fuzilado pelo primo de Luffy. Pensou em deixar as coisas fluírem e encarar cada vez mais o menor, o deixando constrangido com sua investida silenciosa. Mas nada acontecia e seu amigo ruivo ganhava a frente da aposta. 

**

Já era domingo de manhã e Law acabara de acordar por culpa do seu alarme. Esticou a mão até o aparelho, para checar as horas, eram nove e quarenta e cinco da amanhã. Tratou de se levantar, ir até o banheiro, fazer suas higienes, tomar um belo banho de água fria, vestir uma roupa mais folgada e descer para a cozinha.

Ao chegar lá, se deparou com Rosinante tomando o seu café. Ele vestia roupas simples e folgadas, assim como as de Law. Eram ótimas para aquele dia de folga. 

- Bom dia, Cora-san. - Law o cumprimentou, sentando ao seu lado na mesa. 

- Bom dia, Law. - Rosinante sorriu para o moreno, bagunçado seus fios de cabelos. - Hoje eu irei visitar a Baby Five, vem comigo? 

- Ah, eu gostaria de ficar em casa hoje. - Resmungou, tomando uma golada de café. - Fora que tenho que estudar para história. 

- Hoje é domingo, Law. Você tem que aproveitar e sair um pouco de casa. Você tá muito anti-social, estou ficando preocupado. 

- Mas Cora-san, eu vivo saindo com o Kid, isso não é o bastante? 

- Não. Você tem que sair com outras pessoas também, Law. Olha faz um tempo já que saiu só eu e você. 

- Oras, você trabalha muito e eu estudo muito. - Law revirou os olhos. - É normal a gente não se ver muito, não é?

- Vamos Law, eu nem vou demorar lá. - O loiro fez um biquinho. - Vem me fazer companhia..

- Agrhh, Cora-san, como você é chato. - Cruzou os braços. - Sabe que não te nego nada...

- Ótimo, então vamos terminar aqui e vamos logo lá! Depois vamos dar uma voltinha no Shopping e vamos ver um filme.

- Tá vendo? Já tá fazendo outros planos. Você é terrível. 

Rosinante apenas riu de Law, fazendo mil e um planos para aquele domingo junto ao seu filho único. Além de ser sua folga, ele queria passar mais tempo com o moreno, e viu a oportunidade perfeita naquele dia.

                             

                           ¥///////////////¥

Law e Rosinante haviam ido de carro até a casa da mulher, Rosinante tratou de buscar oa remédios que ela havia fabricado - Ilegalmente - para ele. Law optou por ficar esperando do lado de fora, já havia cumprimentado a mulher, então preferiu esperar por fora mesmo. 

Mas já estava tediante esperar e Corazón provavelmente esteja puxando conversa com a mulher, ou até mesmo dando uns pega nela. Suspirou.

- Não ia demorar, não é Cora-san? - Resmungou, cruzando os braços. - Eu sabia que eu devia ter ficado em casa. 

Suspirou pesado mais uma vez, era impossível dizer não a seu pai, mesmo quando ele faz esse tipo. Fechou os olhos, sentindo a brisa gélida bater em sua face e balançar seus fios de cabelos. Até que aquele momento estava em paz. Mas o rapaz foi tirado de seu descanso mental, quando ouviu uma voz um tanto escandalosa e familiar.

Abriu os olhos, virou a cabeça para trás e avistou uma figura pequena, desajeitada, sorridente e brincando com um cachorro bem peludinho. Era Luffy, rolando no chão com o cachorro enquanto a dona apenas ria. Law não se deu conta quando deu uma leve risada ao observavar a cena do garoto e do cachorro. 

- Ai, ai, Chopper! - Resmungou o menor, tentando separar o cachorro de sua bochecha. - Você quer me comer vivo?

- Fufufu, Luffy-san. - A mulher ria. - Ele só esta brincando.

- Eu sei, Makino! Mas olha, a mordida dele tá doendo muito! 

- Ara. - Ela ria, aganhando no chão, esfregando a cabeça do garoto. - Você cresceu bastante, Luffy-san. 

- Claro. Vovó me fez comer ovo cru todo dia, por que eu roubava as carnes da geladeira durante a noite.

Law deixou escapar uma pequena gargalhada baixa, aquele garoto era tão idiota. 

- E por isso tá fortinho, não é? - Makino ria. - Vamos, Chopper. Temos que ir. - Ela chamou o cachorrinho. - Luffy-san, venha jantar conosco hoje. Shanks está louco pra ver você! 

- Só se você fizer aquele carne com molho que eu gosto muito! 

- Será o prato principal. - Ela sorriu. - Te vejo a noite, meu bebê. -  A mulher despejou um beijo na testa do menor.

- Certo! Tchau, Chopper, Makino! - Ele sorria animadamente. A mulher acenou para ele e ele acenou de volta.

Law ficou um tanto intrigado com o beijo que a mulher deu no Luffy. 

- Ela aparenta ser bem mais velha do que ele..- Murmurrou. - Será que ela não tem vergonha?

Law o encarou por algum tempo, até que o viu entrar dentro de uma casa, imaginou que séria ali onde ele morava. O menor correu até o aldo esquerdo do gramado da casa, abrindo a torneira e se molhando todo, reclamando do calor. Law sorriu de canto, estava enfeitiçado pela cena do pequeno brincando com a água, parecia estar se divertindo. 

- Que pirralho idiota. - Continuou a sorrir, apoaindo o braço no carro e o queixo na mão. 

Continuou a observar Luffy se divertindo com a água, até que um homem alto e de terno chegou, entrou dentro da casa, brigou com Luffy, o mandou subir. Mas o pequeno travesso não queria obedecer e por ainda teimar com o homem, jogou água nele. O homem correu atrás de Luffy até que o pegou e o forçou a entrar dentro de casa. Law soltou uma risada durante a cena. 

Law o viu pela janela do quarto no andar de cima, o viu pegar alguma coisa e correr para dentro de outro cômodo. 25 minutos depois o pequeno retornou com uma toalha na cabeça e outra na cintura. Neste instante, Law arregalou os olhos quando viu Luffy arrancar a toalha da cintura, mostrando suas nádegas firmes. 

- Mas o quê...- Law mordeu os lábios, mirando na bunda de Luffy, era bem redondinha e parecia ser bem gostosa de se apertar. Sentiu seu membro pulsar. - Mas que caralhos. 

Law piscou e o pequeno já havia se arrumado. Estreitou os olhos quando o viu colocar um chapéu um tanto interessante na cabeça.

- Chapéu de...palha? - Law pensou, e sorriu. - Que gosto esquisito. 

- Ei, Law. - Rosinante chamou sua atenção, o moreno virou a cabeça pro loiro. - Vamos, já terminei tudo.

- Hupf, depois de meia hora. - Bufou.

- Não exagere, foi apenas 40 minutos. - O loiro riu. - Os vinte minutos você ficou olhando para aquele garoto da janela. Acho bom esconder essa ereção, filho, ele deve ser menor de idade.

- CORA-SAN! - Law corou, arregalando os olhos. Tratou de tapar com o casaco a ereção recém formada. - Tsc, vamos embora. 

- Oras, não quer admirar mais um pouco aquele jovem?

- Não! Vamos, Pai.

Rosinante riu e Law entrou furioso dentro do carro.

**

No dia seguinte, Luffy acordou com os gritos e chutes de Ace, o xingou por nomes indescritíveis e logo se levantou. Foram juntos para a escola, Ace o deixou em sua sala e partiu disparado para a sua.

- Que apressado, até parece que tem algo interessante pra ver. - Luffy murmurrou, logo entrando na sala. 

- Oe, Luffy! Senta aqui. - Usopp lhe chamou.

- OI, Usopp! 

- Bom dia, Marimo, bom dia, Luffy, Usopp.

- Bom dia, Sanji! - Os dois morenos responderam.

- Bom dia, Cook. 

Os quatro se sentaram juntos, no mesmo lugar. Não demorou muito para que o professor Mihawk chegasse junto a Law, que foi para o final da sala.

- Bom dia, turma. - Ele disse. - Vamos fazer um trabalho em dupla, de novo. Mas como sei que vocês são espertinhos, eu vou escolher as duplas.

- Droga! Eu queria ir com o Luffy. - Usopp resmungou. 

- Ah, que pena. Seria tão divertido.

- Bem, vamos começar. Zoro com Sanji. Usopp e Kaya, Kid e Killer, Luffy e Law. - Law arregalou os olhos, mas logo deu um sorriso.

- Ah seu maldito! - Kid sorriu, esfregando os cabelos do amigo. - Mas saiba que não vou perder.

- Vai lá pegar seu ex ficante de novo, vai. - Law sorriu. - Eu vou me resolver com a criatura pequena ali. 

- Desgraçado. - Kid ria, se levantando. 

Law sorriu, olhando para frente e vendo Luffy virar a cabeça em sua direção. Law o chamou com o dedo, apontando para ele se sentar na cadeira ao lado da sua. Luffy pegou suas coisas e se levantou, indo até o moreno. Sentou-se ao lado de Law, com a cabeça baixa, arrumou seus matérias e relaxou na cadeira.

- Bom dia pra você também, Mugiwara-ya. - Law quebrou o silêncio, chamando a atenção de Luffy. 

- Hm? Mugiwara? - O garoto lhe olhou confuso, e Law se aproximou de seu ouvido. 

- Eu vi você usando um chapéu rid..- Suspirou fundo. - Um chapéu de palha.

- Ah! Shsihsishishi, é o meu tesouro. Shanks que me deu. Eu uso ele o tempo todo, menos aqui na escola. - Fez bico. - Eles não deixam.

- Claro, você tem que respeitar as regras. - Law bufou. 

- Ah, mas eu gosto de ficar com o meu chapéu!

- Você tem cinco anos?

- Hm?

- N-Nada. - Virou o rosto. - Foi ironia.

- Ah, então tá bom! Shsishi.

Será que ele não percebe que eu o insultei? - Law pensou, irritado.

- Então, Luffy não é? - Law o chamou novamente, e ele lhe olhou fixamente. - Me chamo...- Ele o estava o olhando fixamente com aqueles olhos negros.. - Tral..- Que olhos, me sinto intimidado..- Ele pensou. 

- Hm? - Luffy continuou lhe encarando inocentemente, esperando que ele falasse. 

- Me..- Que porcaria é essa? Eu tô travando só por que esse pirralho de merda tá me olhando desse jeito? Aquieta coração idiota, não tem motivos pra tá batendo desse jeito desesperado! E você ai em baixo, fica baixo também! - Pensou, olhando para as suas calças. 

- O que você tá dizendo? Não entendi nada. - Luffy bufou, cruzando as mãos atrás da nuca, fechando os olhos. 

- Eu me chamo Law, Trafalgar Law. - O maior terminou a frase, recebendo um olhar discreto do menor.

- Law? Tral Law?

- Trafalgar!

- Tral?

- TRAFALGAR!

- Trao!

- T-R-A-O-F-A-L-G-A-R! - Soletrou, irritado. Mas logo corou, ao perceber que acabou errando o próprio nome. 

- Viu? Até você errou, Trao! 

- Agrhhhh! - Law passou as mãos pelo rosto. - Ok, Ok. Pode me chamar assim, só não me chame assim na frente dos outros. - Que merda eu tô dizendo?! Não vou deixar esse pirralho me apelidar assim! - Pensou. 

- Tá bom! - Ele sorriu, e Law o olhou indignado. Como aquela criatura podia ter um sorriso en..cantador? 

Ambos os dois morenos passaram as duas primeiras aulas conversando asneiras e vez ou outra ganhavam olhares dos amigos. Law havia esquecido a classe social que Luffy pertencia e entrou na conversa de uma forma relaxada, e estava gostando das idiotices do menor. Suas histórias e piadas sem graça eram realmente idiotas. 


- Bem, Mugiwara-ya. - Law sorriu, ganhando a atenção do menor novamente. - A aula já está acabando e nós não fizemos nada além de bater um papo. 

- Sim! Eu nem vi o tempo passar, Shishishishi. 

- Eu também não. - Ele sorriu, se aproximando do menor. - Que tal a gente terminar esse trabalho na minha casa? 

- Na sua casa? 

- É! Vai ser bem melhor, acredite. - Law sorriu de canto.

- Hm, não sei se posso..- Luffy abaixou o olhar. - A-Ace vai brigar comigo e não vai deixar eu ir.

- Ele não precisa saber, Mugiwara-ya. - Law se aproximou, enrolando um fio de cabelo de Luffy na ponta de seus dedos. - E eu prometo que vai ter um bom lanche pra nós dois. 

- Tá bom! - Luffy sorriu.

- Assim do nada? - Law riu. 

- Sim, depois eu explico pro Ace! 

- Ótimo, assim fica bem melhor.

Law e Lufy trocaram olhares e sorrisos.

- Ei, Luffy. A gente vai pro refeitório, você vem? - Zoro chegou junto, chamando sua atenção. Com a face totalmente séria enquanto encarava Law. 

- Vou! - o pequeno se levantou, pulando pela mesa. - Tchau, Torao!

- Mugiwara-ya...- Remsungou, sentindo as bochechas arderem. - Te encontro na saída.

- Tá bom!

Luffy acenou para Law, que devolveu o aceno. Zoro o arrastava rapidamente pelos corredores, altamente sério e irritado.

- Como assim te encontro na saída? - Zoro o fuzilou com os olhos. 

- Ah, vou pra casa do Tor..Law. Terminar o trabalho de história.

- Ace não vai gostar nada disso, Luffy. 

- Não conta pra ele por favor! Lá vai ter comida e vai ser legal.

- Você que vai ser a COMIDA. - O esverdeado gritou, arrancando olhares ao redor de ambos.

- Hm? Como assim? Law é canibal? 

- Não...- Zoro riu, suspirando. - Bem, olha não vou contar nada pro Ace. Mas se o Law tentar qualquer coisa, QUALQUER coisa, me liga, ok? Que vou lá e arrebento a cara dele.

- Não sei por que mas...Tá bom!

- Vem, vamos comer. 

**

- Seu maldito. Eu vi que você tava super de bem com o Luffy. - Kid ria, chegando perto do amigo. - Mas não vou perder.

- Ah, você vai sim. E vai ser hoje.

- Como assim?

- Luffy vem pra minha casa, fazer o trabalho. - Law sorriu malicioso. 

- Seu desgraçado! Como ousa sair na minha frente assim?

- Ora, vamos. Pelo menos você vai ter um prêmio de consolação. O Killer.

- Claro..mas eu ainda quero pegar o Luffy.

- Ah, sinto muito. Vai ficar na vontade, essa pressa é minha agora.

- Pra quem no começo nem tava interessado, você ta bem a vontade com o Luffy.

- Sim mas, é apenas uma diversão. Assim que eu tiver aquela coisa idiota e gostosa na minha cama gemendo meu nome, eu jogo fora.

- Você não vale nada, Law. - Ambos riam juntos, enquanto saiam da sala.

Os dois saíram aos risos e comentários sobre o menor. Quando se afastaram da sala, alguém saia de lá também, com um aparelho em suas mãos, enquanto sorria discretamente.

- Isso vai ser...interessante.








Notas Finais


Boa noite, anjos! Fiquem bem e até a próxima! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...