História Caminhos e escolhas - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Kim Jong-dae (Chen), Kim Min-seok (Xiumin)
Tags Chanyeol, Fanfic, Hunhan, Jongdae, Jongin, Junmyeon, Kai, Kaisoo, Krisho, Kriswu, Kyungsoo, Luhan, Minseok, Mpreg, Sehun, Suho, Xiuchen, Yifan
Visualizações 15
Palavras 2.326
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei, mas cheguei. Espero que estejam gostando 💕

Capítulo 10 - Implore


Eu afundei com tudo e sabia que Jongdae também tinha, tentei tirar o palito e sapato para poder nadar melhor. Percebi que eu já estava mais leve para nadar eu voltei para superfície.

- Minseok! -o Jongdae estava gritando loucamente

- Estou aqui -gritei junto

Ele nadou até o meu encontro, ele parecia querer me ajudar.

- Fique tranquilo, eu sei nadar, agora vamos! -digo alarmante

Começamos a nadar, a maré estava ficando mais agitada e isso complicava mais ainda a nadar, pois estávamos sendo engolidos pelas ondas. Quando começamos a pegar o jeito, estávamos quase chegando na praia. Por mais que eu tinha tirado as umas peças da roupa e os sapatos, ficar nadando contra a maré estava me deixando  deixando exausto. Olhei ao redor e percebi que a correnteza estava nos arrastando para as pedras nos deixando alarmados. Começamos nadar ao sentido oposto.

- Segurem isso! -gritou o Baekhyun tacando uma corda junto com alguns lacaios da casa.

Jongdae pegou a corda e me pegou junto e começaram a nos puxar. Chegando na areia, eu fiquei respirando profundamente e tossindo um pouco.

- Deixa que eu o levo. Ele é meu marido -disse Jongdae me pegando no colo e me senti mais confortável ficando grudadinho ao seu corpo.

Ele me colocou no mesmo cavalo que o dele e nos guiou até em casa. Eu estava me sentindo um defunto. Os lacaios me ajudaram a descer, mas Jongdae estava decidido em me carregar, como estava gostando desse mimo, nem protestei. Quando chegamos no quarto, já tinha uma banheira esperando por nós.

- Você quer que eu chame a Sara para você se banhar? -disse ele preocupado

- Eu quero me banhar com você -minha voz estava manhosa

Ele não questionou, ele me ajudou a tirar o restante da roupa. Entrei na banheira assim que eu já estava nu e fiquei agradecido pela temperatura estar agradável, logo em seguida ele tirou as roupas e veio ao meu encontro, eu cedi um lugar para ele. Quando ele se sentou ao meu lado na banheira eu o abracei de lado.

- Eu pensei que ia te perder... -disse ele me abraçando e beijando os meus cabelos

Eu só concordei com a cabeça.

- Você não sabe o quanto fiquei desesperado... -ele me passou o dedo em meu queixo puxando meu rosto para perto do seu e logo me beijou

O beijo estava suave. E eu percebi que mesmo fraco, eu estava me sentindo renovado.

Terminado de nos banhar. O Jongdae começou a me enxugar.

- Por que você está se preocupando tanto comigo? -digo curioso

- Porque... -ele parecia que tinha travado

- Não precisa dizer, obrigado por está se preocupando comigo -digo sorrindo fraco

- Não deixarei que nada aconteça contigo -disse ele dando um sorriso de canto

- Jong... -digo passando a mão em seu peitoral

- Diga... -ele parecia que estava enfeitiçado

Ele paralisou com o meu toque, a ponta dos meus dedos passavam por seu peitoral, como se eu estivesse explorando o corpo alheio. Percebo ele fechar os olhos e seu membro ficar rígido. Nossa, como queria sentir ele dentro de mim. Sem perder tempo, levo minha mão ao seu membro e começo a masturba-lo, volto o meu olhar ao dele percebendo que ele ainda estava com os olhos fechados, entretanto mordendo o canto dos lábios com força abafando o gemido. Ele parecia um homem no limite do desejo. Paro de masturba-lo e coloco minhas duas mãos em seu peitoral e o empurrei até a cama, assim que ele deita na cama, sento em seu colo e o beijei.

Começamos a nos beijar ardentemente, agora são as mãos que percorriam o meu corpo me deixando mais acesso. Ele leva um dedo a minha boca e o chupo com toda vontade, mesmo nunca ter chupado o membro dele, chupei como se estivesse acabando por ronronar.

 - Puta merda...

Escuto sua voz rouca de puro desejo e eu não estava diferente dele. Eu estava me sentindo selvagem e curiosa por esta descobrindo esses prazeres. Logo ele afasta seu dedo e o maior me surpreende quando introduz em minha entrada me fazendo empinar mais o bumbum.

- Ah... Jong...

Chamo o maior de forma manhosa e acabo rebolando em seu dedo como nunca fiz antes. Ele volta a me beijar abafando meu gemido e sinto nossos membros esfregando um no outro me causando outra sensação que estava me deixando louco.

Logo percebo que o maior não se aguenta e me vira na cama tirando o dedo dentro de mim me fazendo gemer mais manhoso, abro minhas pernas para ele e percebo que ele ia introduzir seu membro, mas logo ele para bruscamente, ele estava se controlando.

- Por favor, não se controle... -digo com a voz rouca

Ele me olhou intensamente. Eu percebi que ele estava com um dilema dentro dele, mas percebi também que ele não estava mais querendo segurar. Ele abaixou o tronco e me beijou suavemente e depois beijou meu pescoço e desceu até meu peitoral me deixando mais molinho embaixo dele. Passo a mão em suas costas largas pendendo a cabeça para o lado e eu estava arfando. Até que do nada senti ele começar a introduzir seu membro dentro de mim me causando um incomodo. Ele estava indo bem devagar e me dando vários beijinhos para eu poder relaxar, assim que ele está todo dentro de mim, percebo que ele para ainda fazendo carinho em mim como forma deu me acostumar com o seu membro e quando começo a relaxar, rebolo indicando para ele continuar. Ele começa a se mexer e logo aquele incomodo foi substituída por um grande prazer. Eu não podia explicar aquela sensação, ele se mexia lentamente e pensava que iria a loucura e logo arranho suas costas podendo ouvir seus gemidos que se mesclavam aos meus, e quando menos percebo, ele estava indo mais e mais rápido.

- Jong!! Ahhh!!

Estava sentindo algo vindo e era forte, ele não estava diferente de mim. Logo ele me abraça e rebolo como podia embaixo dele e um fisgada vem embaixo do meu ventre até que explodi soltando um gemido alto tendo uns espasmos no corpo.

- Min... Eu vou...

Logo sinto algo dentro de mim e Jongdae dá uma estocada mais firme me fazendo abraça-lo mais apertado. Chegamos ao nosso clímax junto. Ele coloca a sua testa grudada na minha e minha mão passa em seu rosto e sorrio todo bobo. Eu queria dizer algo a ele, mas não podia, mas já em tê-lo assim, já me deixava feliz. Ele me puxou para ele nos virando na cama e fico por cima dele.

- Foi incrível...

- Estou feliz que gostou...

Jong beija a minha testa e sinto o corpo relaxar, logo fecho os olhos sentindo que o sono já ia me pegar.

Jongdae povo on

Eu fiquei olhando para o Minseok deitado na cama e fiquei tentando saber, porque deixei tanto tempo Laura me tornar um ogro. Quando realmente o amor estava na minha frente, só notei que realmente o amava depois de quase te-lo perdido. A cada dia que passou ao lado do Minseok, descobri o que realmente significa amar. 

Mas eu tinha que tomar alguma atitude, eu tinha que organizar tudo isso. Não podia deixar Minseok envolvido com as tramóias do primo dele. Tenho que descobrir o que estava acontecendo.

Dei um beijo na testa dele e me pus a tomar um banho e trocar de roupa. Pela hora o Lorde Wu pode estar acordado ainda.

Saio do quarto de fininho e comecei a andar pelo corredor. Era quase noite, mas o Lorde não dormia tão cedo. Bati na porta de leve e o criado abriu a porta.

- O que desejas a essa hora? -disse o homem me analisando

- Preciso conversar com Lorde Wu uma coisa muito importante. -digo sério

- Deixe o rapaz entrar, Afonso! -disse YiFan falando alto

- Entre -disse o homem hesitante

Entrando no quarto, percebi que o Lorde estava sentando em frente a janela que estava aberta. Ele pediu para o Afonso nos deixar.

- Estou vendo que você está tendo melhoras -digo animado

- Graças a Deus, não aguento mais esse quarto -disse YiFan nervoso

- Entendo -eu olhei ao redor

- O que você deseja falar comigo? Você disse que era algo muito importante -ele me analisou

- Se me der licença -peguei um banco e sentei perto dele – Eu descobri algumas coisas e terei que te fazer confissões também. -digo sério

- Me diga logo homem -disse ele curioso

- Farei por etapas. 1º agora entendo porque você está tão preocupado. -digo analisando

- Por que então? -disse ele me desafiando

- É por causa de Baekhyun -digo ainda o avaliando

- Acertou. Mas você descobriu algo? -disse ele sério

- Na verdade, ainda nada, mas estou prestes a saber. Baekhyun um dia desses acordou Minseok para conversarem e no dia seguinte eles saíram. Falaram que é por causa de alguém doente, mas eu creio que não seja por causa disso. Acho que ele está o envolvendo em alguma coisa -digo com o coração apertado

- Merda! Esse muleque de novo em tramóias e agora com Minseok. -ele parecia aflito- Os dois sempre fizeram arte, deixavam a governanta louca. Mas se eu descobrir que ele o envolveu em algo perigoso -ele estava quase vermelho

- Calma, eu descobrirei para você. Quando Minseok sair de novo, eu irei atrás dele -disse firme

- E que historia é essa do barco? Que você e Minseok caíram no mar e quase se afogaram. -disse ele sério

- Alguém sabotou o barco. -digo analisando a expressão do homem

- Malditos! Sabia que eles estavam me escondendo alguma coisa! -disse ele exaspero

- Era um buraco nítido e perfeitamente redondo. Acho que botaram mel ou algo do tipo para dissolver na água. No máximo não se importariam em que momento poderíamos nos afogar -digo dando de ombro

- Que estranho... Porque isso? -disse YiFan perdido

- Não sei, mas descobrirei... Sorte que Minseok não reparou -digo com uma expressão um pouco relaxada

- Entendo -parecia que ele estava descrente

- E tem outra coisa -eu estava tentando pensar em algo

- Tem mais? Conte-me.

- Eu não sou o marido de seu filho...

Houve um silêncio denso, o homem parecia sem reação. E eu estava com medo dele ter realmente um infarte.

- Você só pode estar louco, você entrou aqui como marido dele... -ele estava me desafiando

- Pois é. Mas eu não sou o marido dele.

Eu expliquei como encontrei Minseok e o dilema dele. Não tinha contado ainda o porque que tinha aceitado essa charada.

- Bem a cara dele -ele parecia pesaroso – Mas, se você não é o marido dele, se seu sobrenome não é Chul... Quem é você então? E porque aceitou isso? -disse ele com suspeitas.

- Eu sou o Lorde Kim -digo por fim

O homem me olhou e começou a ri.

- Por que esta rindo? -digo nervoso

- Eu conheci o Lorde Kim... -Ele fez uma pausa- Então, a história de seu irmão, que tinha ido na guerra, era verdade! Bem que eu achei estranho quando você disse Chul e o quanto achei você parecido com ele... -ele parecia feliz

- Sim, meu irmão foi para essa guerra. Então minha família não obteve mais notícias dele, pensamos que ele tinha morrido, por isso que me deram o título. Mas depois de alguns alguns tempos meu irmão volto. Porém, ele não durou muito e acabou falecendo. -digo triste

- Ele morreu de quê? -disse o YiFan desapontado

- Ele contraiu alguma doença, não podíamos fazer mais nada por ele.

- Entendo, me lembro que quando ele foi embora, ele não estava recuperado de alguns ferimentos. Ele não queria ajuda de ninguém. - o homem ficou pensativo

- Sim, eu sei. Ele era muito teimoso. -eu dei um sorriso torto

- Eu tentei faze-lo ficar, para se cuidar...

- Foi inevitável, ele queria morrer em casa...

- Mas, você ainda não me disse porque aceitou a charada... -ele estava curioso

- Eu tenho uma agência de espiões, chamada Fênix. A mais ou menos um ano. Chamaram minha agência para resolver um caso aqui na parte rural. Era sobre roubo e acabou que cada agente que mandávamos para cá sumia. Então percebemos que poderia ser um cilada, então mandamos agentes infiltrados no contrabando para saber de alguma coisa. O que sabemos e o mesmo que você me disse. Que poderia ser um nobre.

- Deus meu. Então a situação está realmente crítica. Esse homem deve ser muito perigoso para nem você ter conseguido pegar. -ele ficou pensativo

- Foi assim que achei Minseok. Eu estava vindo para saber o que estava acontecendo. E o resto você já sabe. Eu estava suspeitando daqueles homens e foi um ótima oportunidade de vir para cá. Eu não queria usa-los, mas foi para um mal necessário. -eu estava sem jeito

- Entendo. Mas se é para ajudar a nação. Que fique! -ele sorriu

- Obrigado por ter entendido -eu sorrir

- Só tem uma coisa que está me preocupando -disse ele pensativo

- Diga..

- O que você fará? Todos acham que você é esposo do meu filho! Você desonro-o! -ele parecia aflito

- Eu quero me casar com ele -disse animado

- Ah tá! -ele riu com vigor- Todos acham que você já está casado com ele -ele continuou a ri

- Mas eu tenho um plano! -digo nervoso pela descrença do homem

- Não quero que me conte suas tramóias, já estou velho demais para saber dessas tramóias românticas. -ele deu de ombro- O que você sente por meu filho?

- Eu a amo, por que? -digo perdido

- Nada não -disse o Lorde se encostando mais na cadeira

- Tudo bem... Mas você tem algum conselho para mim? -disse preocupado

- Faça o que fiz com o pai dele -disse ele dando de ombro

- O quê?

- Implore



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...