História Caminhos para Mystery Spell (Is It Love?) - Capítulo 14


Escrita por:

Visualizações 22
Palavras 3.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


"Inteligência é a capacidade de se adaptar à mudança."

- Stephen Hawking.

Capítulo 14 - Change.


Fanfic / Fanfiction Caminhos para Mystery Spell (Is It Love?) - Capítulo 14 - Change.

 

Mystery Spell

2015

 

07:50

Casa dos Bartholy

Todos os Bartholy se ausentaram naquela manha de domingo, a única pessoa que estava lá era Verônica, que aproveitou antes que todos eles voltassem. Ela foi a três quartos vazios antes de entrar no de Drogo.

Ao entrar no quarto dele, ela levita todos os objetos, livros de comercio exterior (que por sinal era o mesmo curso que o dá Mia), roupas, sapatos, tênis e ao achar um binóculo percebe que eles usavam para observar à vizinha (no caso Taylor).

- Nossa que tarado. – Disse ela para si mesma.

   Ao sair ela entra no quarto de Peter, se sente na grande depressão, logo que Verônica sai pensa “Puta merda! Alguém chame um medico”.

Ela entra no quarto de Lorie, e que era tão fofo quanto aterrorizante, pelúcias creepy, bonecas e bonecos assustadores, sem cabeças ou cabeças substituídas por outras coisas. Andando pelo quarto ela vê a cama cheia de brinquedos e no chão uma casa de bonecas, em sua penteadeira livros infantis e uma boneca voodoo com o nome Verônica.

- Que medo de pestinha!!! – Disse ela ironizando. – Não é assim que se faz voodoo, tonta.

Saindo ela vai ao quarto de Nicolae, era tudo envelhecido como cama, mesa de cabeceira, guarda-roupa e cômoda além de antiga tinha polaroides duas mulheres, possíveis antigos amores que Nicolae viu morrer ao longo de sua vida. 

- Ninguém merece. – Disse ela olhando as polaroides.

O ultimo quarto que ela entrou foi o de Viktor, que estava trancado, não foi problema dela destrancar.

Não tinha nada, somente um mapa aparentemente rasgado no meio e emoldurado.

 

...

11:28

Depois de tanto tempo e os Bartholys não voltaram, então Verônica decide ir ao uma mercearia, compra ingredientes para um bolo e passa em uma loja e comprou coisas de decoração do bolo.

Ao chegar á mansão não tinha ninguém, ela aproveita e faz o bolo de chocolate, pasta americana com corante de morango que ficou rosa. Quando o bolo esfriou, Verônica fez um bolo idêntico a de um casamento cor de rosa, lindo e o coloca na geladeira e com isso um sorriso maléfico se formava em sua boca.

Ela limpa a pia e tudo o que se sujou e vai para sala.

13:03

Verônica fica vendo televisão por horas pega o seu telefone, jogada no sofá.

- Fala aí maninho. – Disse ela pelo telefone.

- Diz aí o que você quer. – Disse Trevor do outro lado da linha.

- O que tu sabe algo sobre mapas e Viktor Bartholy? – Perguntou ela olhando pela janela.

- Viktor Bartholy foi trancado por Allison Osborne e Ben Osborne em um portal em algum lugar. – Ele respondeu.

- E mapas? – Ela perguntou espiando pela janela novamente.

- Sei lá, dizem que mapas pode salvar tipo uma cidade de Atlântida de Mystery Spell e blah blah, o mapa salvara os portais. – Disse Trevor.

- Humm, mas diz aí, Allison e Ben...

- Tiveram uma filha... Preferiram morrer abrindo o portal para trancar um homenzinho cruel no inferno... ao invés de cuidar da filha. – Disse Trevor.

- Sarah Osborne?

- Não Katia Osborne... Claro que é a Sarah.

- Obrigada lendas urbanas... Boa Viagem.

- Tchau Tchau... – Disse Trevor desligando o telefone.

...

Depois de algumas horas os Bartholy chegaram, e a cabecinha maligna de Verônica trabalhava.

- Lorie, venha aqui. – Disse Verônica.

- O que ela quer? – Sussurrou Lorie.

- Vai lá ver o que Verônica quer. – Disse Nicolae entre os dentes.

Lorie entra na cozinha e vê o bolo toda cor de rosa, com aquele cheiro de chocolate exalando.

- A pasta é de morango, mas o recheio é de chocolate. – Explicou Verônica. – Quer um pedaço agora?

- NICOLAE... – Gritou Lorie ao ver o bolo.

 

...

14:17

Casa dos Evans

Nas de caixas de papelão havia os pertences de Violet, Kurt, Taylor e Molly já estavam nos carros.

- Então quem vai com quem? – Pergunta Dimitri.

- Eu vou com vocês. – Disseram Violet e Taylor juntas.

- Ok, então Frank vai com vocês. – Disse Dimitri olhando para Kurt e Molly.

- Tá bom. – Disse Molly. – Sr. Orlov, não temos mais comida em casa.

- Eu mandei uma mensagem Frank, ele trará mantimentos. – Disse Dimitri.

Nas escadas Mary descia com o quadro de cavalos que eles escondiam o mapa.

- Querido, pode me ajudar? – Pergunta Mary descendo com as coisas do porão.

- Garoto vai ajudar sua mãe. – Disse Dimitri para Kurt, que sobe e ajuda Mary com os cavaletes de pintura.

- Sua mulher me odeia. – Sussurrou Molly para Taylor, Violet e Dimitri.

- Claro que não Molly, coisa da sua...

- Odeia sim. – Interromperam Violet e Taylor.

- Olha Kurt foi o primeiro filho que ela segurou e viu. – Disse Dimitri para as garotas. – Então de um tempo para ela.

- Ok. – Respondeu Molly.

- Mentira, isso é uma desculpa do Santo Dimitri, Porque ele não pode contrariar a Sra. Mary. – Disse Violet.

Todos olham para Violet, inconformados do que acabaram de ouvir.

- Obrigada Filha.

- De Nada pai. – Disse ela rindo.

Na parte de cima Mary e Kurt dobravam o cavalete.

- Olha, vai ser temporária a estadia na casa da sua namorada. – Garantiu Mary sorrindo.

 - Não tem problema. – Disse Kurt.

- Não?

- E, tipo... Ela mora aqui, não vejo problemas da gente ficar lá depois dos problemas da Taylor com...

- Eu entendi. – Disse Mary interrompendo-o.

Os dois desceram, apesar de não gostar de Molly, Mary não teria coragem de fazer algo contra a felicidade de seu filho.

Quando Frank chegou com as compras todos foram para os carros, cheios de malas de roupas e coisas que não precisaria de transporte de mudanças.

Frank foi obrigado ao ouvir besteiras de casal nos bancos traseiros do Jeep enquanto Molly dirigia e Kurt mexia no som no banco do passageiro, no outro carro das Violet e Taylor estavam nos bancos traseiros, na frente Dimitri dirigia ao mesmo tempo Mary lia um livro no banco do passageiro. Demorou um pouco para chegar na casa de Molly, pois era na praia.

 

...

- NICOLAE... – Gritou Lorie ao ver o bolo.

Nicolae vai até a cozinha é vê o bolo gigante.

- Algum problema? – Perguntou dissimuladamente Verônica.

- Desculpa... É que Lorie não pode comer esse tipo... De alimento, ela tem uma espécie de deficiência no organismo. – Disse Nicolae colocando as mãos no ombro de Lorie parecendo conte-la.

- Mil perdões Lorie, eu não sabia. – Disse Verônica olhando para a menina.

- Nicolae... Eu quero. – Disse Lorie com os olhos cheios de lagrimas.

- Não pode, você sabe. – Disse Nicolae.

- E culpa sua. – Disse Lorie apontando o dedo para Verônica.

- Como sua deficiência pode ser minha culpa? – Pergunta Verônica.

Com ódio da pergunta Lorie atira o bolo para acertar Verônica, mas ela caba se abaixando e o bolo voa diretamente nas bancadas da cozinha.

 - Eu não vou limpar isso. – Disse Verônica olhando a sujeira de Lorie.

- Claro que não. – Disse Nicolae olhando a bagunça. – Eu limpo, Lorie para o quarto.

Lorie sai resmungando algo incompreensivo.

- Eu vou para o meu quarto. – Disse Verônica de um modo cortês.

No seu quarto Verônica se divertia com o sofrimento da garotinha, ria por conta da cena que a criança fez por conta do bolo. Então ela para ao ouvir o som de sua porta batendo.

- Tá aberta. – Disse ela meio que rindo.

Lorie abre a porta e a fecha.

- Algo que eu possa ajudar docinho? – Perguntou Verônica com os olhos parados e focados na Lorie.

- Eu sei que tem algo errado com você. – Disse Lorie. – Mas eu não sei o que é...

Verônica se levanta da cama e se agacha para ficar na altura de Lorie. E com isso ela pega uma mecha do cabelo da garotinha atrás da orelha e diz em seu ouvido como em uma fofoca.

- Há única coisa de errado comigo e que eu sei o que você fez. – Disse Verônica segurando os ombros de Lorie. – Acordou Lucy, mas ela estava doente, fraca, e mesmo assim você arrastou a sua antiga Au pair pelo corredor para brincar...

As lagrimas de Lorie voltaram ao ouvir o que a Verônica disse.

- Mas ela disse não perto das escadas, e então você a empurrou nas escadas, podre Lucy, rolou todos os degraus e quebrou o pescoço.

- Eu amava a Lucy. – Disse Lorie soluçando.

- Amou tanto que a matou. – Disse Verônica. – Depois do que você fez. Peter, Drogo e Nicolae enterraram a coitada da Lucy na floresta... Eles te convenceram que foi um acidente... Mas você sabe que não foi acidente coisa nenhuma, que você a matou Lorie, Você é uma assassina de quina categoria...

Lorie chora mais e mais, então Verônica aperta seu braço e fala.

- Nunca tivemos essa conversa, vai para seu quarto. – Ordenou Verônica.

Lorie obedece e se esquece das verdades que sua “Au Pair" cuspiu em sua cara.

 

...

15:59

Ao chegar na casa de Molly, as coisa foram voltando ao normal, até que Mary viu a foto de Molly com um homem careca, olhos verdes e apesar de não ter cabelos, tinha suas sobrancelhas eram loiras.

- Quem é esse Molly? – Pergunta Mary.

- O Nick. – Respondeu naturalmente.

- Nick? – Perguntou Kurt.

- E sabe... O lixo do meu pai.

- Ah por que tem uma foto dele? – Pergunta Kurt.

- Porque é ele banca tudo isso. – Disse Molly. – O imbecil não sabia o que me dar de formatura, então ele me deu a casa.

Na parte de fora Taylor se debruçava nas grades da varanda do lado de fora da casa enquanto Dimitri estava sentado no balanço branco que tinha fora da casa.

 - Querida? – Perguntou Dimitri.

- Sim pai.

- Eu sou seu herói?

- Que pergunta é essa?

- É que sua mãe disse que você nunca precisou de um herói.

- Sim é verdade, nunca precisei. – Disse Taylor. – Mas se eu pudesse escolher sem duvidas eu escolheria você.

- E eu sou um bom pai?

- É sim, claro que quando mamãe colocava a gente de castigo você ia lá e tirava e ainda comprava sorvete.

...

Kurt estava com Mary á sós na cozinha.

- Mãe? – Pergunta Kurt.

- Fala filho.

- Você pode, por favor, respeitar a Molly na casa dela.

- Filho, eu á respeito...

- Mãe para, todo mundo percebeu... Que você não a suporta. – Sussurrou Kurt no ouvido de Mary. – Dê uma chance aos meus relacionamentos, e outra já tem uma psicótica aqui... Violet.

- Está bem, Está bem. – Disse Mary. – Vou ver se Taylor que praticar pintura.

...

 

Violet estava terminando de arrumar a suas coisas quando Molly entrou batendo.

- Oi, precisa de ajuda? – Pergunta Molly.

- Não já estou terminando. – Disse Violet. – Me fala uma coisa.

- Falo. – Disse Molly se sentando na cama e olhando para Violet.

- Aqui tem algum pianista não sucedido? – Pergunta Violet.

- Não. – Respondeu Molly rindo.

- Ufa.

- Essa é a única casa perto da praia. – Disse Molly.

- Uau. 

...

 

Depois da conversa com sua filha, Dimitri observa Frank vendo olhando duas fotos.

- O que está fazendo, amigo? – Pergunta Dimitri.

- Vendo as fotos da Heather e da Megan. – Respondeu Frank.

- Esses colares são dá mãe delas? – Pergunta Dimitri.

- São sim.

- E ai? – Perguntou Dimitri.

- Heather está em outro Estado, enquanto Megan esta desaparecida.

- Você já pensou no...

- Não termina essa frase. – Ele o interrompeu. – Porque se ela estiver com aquele maníaco, ele nunca vai solta-la. Você sabe disso.

 - Tem outra explicação dela ter sumido? – Pergunta Dimitri.

- Ele é um sequestrador. – Disse Frank. – Matou toda á família, só deixou a esposa viva.

- E sequestra pessoas para ser a família dele.

- Conheço bem o tipo monstro. – Disse Frank. – E outra, estou voltando com os negócios.

- Certeza?

- Sim.

...

Taylor e Mary estavam no píer que era junto a casa de Molly, pintando um quadro.

- Filha, o que você acha do futuro?

- Não gosto de pensar nisso. – Disse Taylor.

- Por causa daquele garoto? – Pergunta Mary.

- Sim, Não, apenas não gosto de pensar nisso.

- Quando você tiver filhos, você vai entender. – Disse Mary.

- Mamãe, esqueceu uma bala atravessou minhas trompas e destruiu as chances de você ter netos. – Disse Taylor pintando a paisagem da praia. - E outra alguém tem que terminar essa sucessão de...

- Cuidado. – Disse Mary terminando seu quadro.

- Eu ia disser anomalias.

- Taylor.

- O que eu disse?

- Às vezes me pergunto se você tem um cérebro ou um tomate. – Disse Mary olhando para filha.

- Você não pensa assim?

- Não, não penso. – Disse Mary. – Mas admito quando tinha sua idade odiava não ser humana, eu te entendo.

...

 

Quando ficou de noite Taylor colocou seu steampunk goggles, veste uma blusa social branca, por cima um colete de couro, luvas de couro comprida com tachas e que deixava os dedos de fora, um jeans preto colado e sapato preto. No bolso de dentro da jaqueta ela colocava o seu celular e o cartão de debito com um pouco de dinheiro.

 

- Onde você vai assim? – Pergunta Violet em um sussurro no corredor.

- Eu não vou ficar enfurnada aqui com eles. – Respondeu Taylor em outro sussurro.

- Eu vou com você.

Violet sai com um vestido básico vermelho, sapato baixo branco e uma jaqueta de couro preta.

Elas saem e vão para a cidade esquecer os problemas.

Nesse mesmo Dimitri e Mary foram dormir, enquanto Kurt e Violet ficam na praia e Frank volta para seu apartamento.

...

20:17

Casa dos Bartholy

 

Verônica arruma suas coisas e pronta para ir embora, Nicolae a barra na porta principal.

- Por que está indo embora? – Pergunta Nicolae.

- Porque eu quero e to pedindo demissão. – Disse ela tentando abrir a porta.

- Não, não pode ir. – Disse Nicolae.

- E o seguinte Nicolae, eu não sou baba, nunca fui, e eu tenho um trabalho de verdade do outro lado do mundo e eu adiei minha ida para casa.

Por incrível que pareça todos os Bartholy estavam na entrada vendo a conversa deles.

- Eu não entendo. – Disse Nicolae.

- Seguinte, me contataram para dá uma atormentada na vida de vocês, entendeu o quer um desenho?

- Quem foi que fez isso? – Perguntou Nicolae com raiva.

- Não, não ele está muito bravo. – Mentiu ela. – Mas se quiser digo a ele que entre em contato com vocês.

E como um raio Nicolae atravessa á sala como a telecinesia de Verônica que sai da mansão e entra em um carro branco é a pessoa que á esperava era Mia.

Para os irmãos Bartholy não tinha duvida que Viktor estava voltando, descartando Mia Cooper.

 

...

21:02

Gwen pinta seus cabelos de novo de ruivo natural, arruma direito suas coisas e sai do apartamento de Mia pegando um taxi para o aeroporto para encontrar Aaron na Austrália.

...

21:23

 

Taylor e Violet foram ao The Fire, Taylor coloca os steampunk goggles em cima da cabeça ao pisar lá.

O bom de ter saído é que Violet se encontrou com Steve, o ruim é que Taylor ficou sozinha.

Violet esta feliz dançando e bebendo cerveja com Steve.

- Nossa essa cerveja é muito boa. – Disse ele dançando ao lado de Violet.

- Vai ficar falando de cerveja ou vai ficar comigo. – Disse Violet se virando para o palco para ver melhor a banda cover.

Steve a segue, em um abraço e um beijo demorado pareciam que eles eram as únicas pessoas daquele local.

Taylor observava Violet e Steve e por algum motivo sentiu uma pontada de inveja de sua irmã, não pelo fato dela ter um namorado e sim por ter alguém que se importasse além da família.

- Uma garota não deveria estar aqui sozinha. – Disse alguém para Taylor enquanto ela estava de costas.

 - Vai falar isso para todas as garotas aqui. – Respondeu Taylor ainda de costas para essa pessoa.

- Mystery Spell é perigoso. – Respondeu a voz.

- Não mais perigoso que eu. – Disse Taylor se virando para ver quem era.

E era Peter Bartholy em sua frente, ela o olha enquanto ele ria dela.

- Você perigosa, como? – Pergunta ele sarcasticamente.

- Fácil, e só ser filha de um multe milionário. – Respondeu Taylor no ouvido de Peter.

Taylor deixa Peter falando sozinho e vai ao meio da pista e pula com outros universitários ao som de All Small Things do Blink 182, ao ver que aquela pequena roda aberta estava Jason, ela caminha até ele.

- Fala sério. – Disse Taylor o abraçando.

- Fala sério digo eu, tá me seguindo? – Pergunto Jason em um tom de brincadeira e retribuindo o abraço.

- Sim, sou uma psicopata em potencial. – Disse ela rindo.

Os dois riam enquanto pulavam junto com outros alunos, na roda sai Emma que se aproxima de Peter.

- Patético. – Disse Emma para Peter.

- O que você quer? – Perguntou encostado em um canto vendo a felicidade de Taylor e os outros alunos.

- Conversar Little Peter. – Disse Emma.

- Sai daqui. – Disse Peter irritado.

- Para, tá feio você tentando flertar com uma garota. – Disse Emma rindo. – Nós dois sabemos do que você gosta.

Emma tira um pirulito de cereja e pergunta provocando.

- Quer?

Ele olha para Emma e antes de responder ela o interrompe.

- Desculpa, passei dos limites. – Disse ela “arrependida”. – O único pirulito que você gosta é do Aiden Davis.

Emma sai do canto escuro que Peter estava e se joga no meio das pessoas.

Peter sai do The Fire e do lado de fora ele liga para Aiden. Em poucos segundos Aiden atende.

- Posso ficar com você? – Pergunta Peter.

- Claro. – Disse Aiden do outro lado da linha. – Ainda sabe o endereço?

- Como esquecer?

Peter sai com a Ferrari preta, conversando com Aiden dentro do carro pelo telefone.

 

...

 

 Depois de ficar tanto tempo com Steve, Violet encontra Taylor.

- Vou com o Steve. – Disse Violet no ouvido de Taylor.

- Deixo a porta dos fundos aberta. – Respondeu Taylor.

- Valeu pela cobertura. – Disse Violet.

- Valeu nada... Me deve uma. – Disse Taylor voltando pista com Jason.

Naquela noite Taylor conhece Elisabeth a irmã de Jason.

- Sei que você deve estar se perguntando que tipo de irmão deixa... – Começou Jason.

- Reflexa, na idade dela eu ia para lugares piores... – Ela o interrompeu

 

...

 

E como a noite é uma criança, esse domingo parecia que nunca iria acabar. Mas como nenhum deles era mais inocente, o furacão iria bater na porta segunda e alguns Bartholy que se prepare esse furação tem nome, sobrenome e os conhecem muito bem, agora mais do que nunca.

 

Continua...


Notas Finais


"Todo ato de criação é, antes de tudo, um ato de destruição."

- Pablo Picasso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...