História Camisa 8 - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Zlatan Ibrahimovic
Personagens Personagens Originais
Tags Romance, Zlatan Ibrahimovic
Visualizações 150
Palavras 3.672
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Esporte, Ficção, Romance e Novela, Saga
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá novamente,ainda nao recebi feedback e espero que nao demore muito,pois estou muito empolgada com a fic... Trouxe o primeiro capitulo e aqui o nosso Deus tem seu primeiro POV. Boa leitura!

Capítulo 2 - Parc des Princes


Fanfic / Fanfiction Camisa 8 - Capítulo 2 - Parc des Princes

04 de Agosto de 2015

7h00 AM

POV Estrela

A musica clássica de Mozart começa a soar do meu celular pelo meu quarto e suspiro aliviada por finalmente ter dado o horário de me levantar, já que não dormi nada. Minha ansiedade misturada com nervosismo me deixou inquieta a noite inteira. Hoje era meu primeiro dia no meu novo clube,onde seria apresentada oficialmente e aquilo já me causava frio na barriga. Pensei por um momento no vexame que foi a minha apresentação no Tottenham, onde caí quando fui subir ao púpito, na frente de milhares de jornalistas do mundo inteiro.

Às vezes me surpreendo em como eu sou desastrada.

Balanço a cabeça tentando evitar esses pensamentos e desligo meu despertador ,levantando logo em seguida e indo até o banheiro. Tomo um banho quente que fez meu corpo relaxar um pouco. Enquanto me enxugava, percebo algumas marcas roxas em minha coxa e rezo mentalmente para que a bermuda do uniforme do PSG consiga esconder. 

-VAMO ACORDAAAR!- levo a mão ao meu peito e seguro a toalha com força,querendo matar a pessoa mais irritante do mundo que tinha entrado em meu quarto daquele jeito.

-Você não cansa de ser feliz, David Luiz?- pergunto quando abro a porta do meu banheiro me deparando com meu melhor amigo cabeludo que havia acabado de colocar uma bandeja de café da manhã em cima da cama.

-E você não cansa de ser emburrada,Vitória Estrela? Hoje é um belo dia em Paris, monamour e um dia especial para ti- fala ele pulando enquanto me abraçava e reviro os olhos.

-Juro que não entendo como consegue ficar feliz de manhã. Eu odeio manhãs- resmungo voltando até o banheiro e dando um pulo de susto ao ver minhas olheiras pelo espelho.

-Você odeia tudo. E para de reclamar porque eu sou um ótimo amigo. Eu te ofereci minha casa para ficar, ofereci café da manhã e ainda acordei mais cedo para arrumar sua mochila- fala “Didi”, como eu o chamava carinhosamente e me viro para o mesmo que estava parado na porta do banheiro e dou um sorriso vendo seu bico falso de chateação. O abraço forte e ele logo retribui, me tirando do chão.

-Você é o melhor e você sabe disso. Obrigada- agradeço e ele bagunça meu cabelo.

-Eu também te amo, Star. Por que é tão difícil para você falar que ama as pessoas?- pergunta ele voltando para o quarto e eu me calo. Pego minha bolsa de maquiagem, que era algo que odiava usar, mas era um dia importante. Escondo minhas olheiras, faço a pele e passo rímel. Clássico mas bonito. Jogar futebol com maquiagem era terrível, mas tinha algumas meninas que eram vaidosas demais que jogavam até de batom. Não julgava, mas eu jamais faria isso. Era por isso que uma das melhores do mundo, Melina Butzke da Alemanha sofreu algumas polêmicas em um época por exagerar na produção. Mas isso depois se tornou a marca dela. Ela era minha principal rival e nunca tive a oportunidade de jogar ou conhecê-la antes.

-Vai demorar aí, estrume?- ouço David gritar do quarto com a voz estranha e termino de guardar minhas coisas e me vestir.

-Espero que não esteja devorando meu café da manhã- falo voltando para o quarto pegando o cabeludo no flagra, com a boca cheia de croissant e quando ele me vê abre um sorriso de culpado.

-Você demorou demais e eu estou faminto- responde ele e me sento na sua frente, pegando meu café. Café e eu temos uma relação muito forte,não sobrevivia sem.

-Hoje você vai ter treino?- pergunto para ele.

-Todos vão. Tem jogo já semana que vem e as férias foram meio prolongadas então estamos atrasados com isso- responde e sinto meu corpo tremer e ele percebe e ri baixo.

-To bem nervosa e eu sei que fiquei repetindo isso ontem o dia inteiro- falo bebendo todo o café, sentindo minha língua arder logo depois.

-Para com isso, maluca. Vai dar tudo certo, você fica nervosa por nada- fala ele me dando um tapa de leve na cabeça.

-E se os caras não gostarem de mim? E se eu cair de novo? E se...- sou interrompida por David que enfia um pedaço de bolo em minha boca.

-Parou hein! Relaxa, é impossível não gostar de você. Para de ficar pensando nisso- fala ele se levantando com a bandeja.

-Você não vai me largar sozinha lá, vai?- pergunto receosa e ele deposita um beijo em minha testa e fecho os olhos sorrindo.

-Ta na hora de crescer, Star! Mas eu vou sempre estar lá por você- responde ele saindo do quarto me deixando com mais medo ainda.

 

Será que vai dar tudo certo hoje?

 

 

 

 

 

 

POV Zlatan

Olho-me mais uma vez no espelho, tentando arrumar alguns fios bagunçados no meu clássico coque e sorrio satisfeito. Saio de meu quarto assobiando uma música da banda Scorpions enquanto batia as mãos no ritmo e entro em minha cozinha, sendo recebido com um caloroso sorriso.

-“God morgon”, filho- cumprimenta em Sueco a Greta, minha empregada que eu considerava uma mãe. Tenho sorte de tê-la em minha vida. Vou em sua direção e a abraço apertado.

-Bonjuor, mãe! Eu conheço esse cheiro de longe. Você fez bolo de damasco?- pergunto animado caminhando até o forno, mas sou logo impedido pela senhora de 60 anos de idade que para em minha frente com seus braços cruzados e seu olhar desconfiado.

-Por que esta de bom humor, Ibrahimovic?- pergunta ela e dou uma gargalhada. Realmente me ver de bom humor era uma raridade, mas hoje era um dia especial.

-Não se preocupe, dona Greta. Estou assim por um motivo ótimo- respondo pegando a bandeja com meu bolo favorito e colocando em cima da mesa.

-E qual seria o motivo?- pergunta ela cortando um pedaço e me entregando.

-Karin. Ela voltou faz alguns dias e vou vê-la, de surpresa- respondo com a boca cheia,recebendo um olhar de reprovação de Greta.

-Ah querido... Sabe o que eu penso dessa mulher- fala ela meio chateada e eu entendo o porquê. Greta nunca gostou de Karin, mas aprendeu a aceitá-la porque eu gostava bastante dela e ela me fazia feliz.

-Eu espero que um dia vocês se dêem bem- respondo tomando um pouco de café.

-E espero que você seja muito feliz, mas sei que ela não é a pessoa certa- fala ela meio pensativa e se virando para lavar a louça. Termino meu café em silêncio pensando em suas palavras. Karin era uma mulher muito gostosa, elegante, bonita.. é, era só isso. Não tinha mais nada que me interessava nela além do sexo. Nunca entendi esse lance de amor, mas acho que é isso, sentir atração por alguém.  Olho em meu relógio e levanto apressado depositando um beijo na bochecha de Greta e corro até a garagem, ligando meu carro  e indo até a casa de Karin, que não ficava muito longe da minha. Eu tinha alguns minutos antes de ir para o treino, mas não to nem aí se eu chegasse atrasado.

 

O treino não começa sem Zlatan!

 

Estaciono meu carro na frente da mansão enorme e desço caminhando em passos largos. Eu estava há dias sem sexo desde que ela viajou para a Islândia, e eu estava com saudades disso. Com certeza o que eu sentia era amor. Abro sua porta e tento escutar algum barulho, sem sucesso. Ela devia estar dormindo então subi as escadas até seu quarto, escutando barulhos de coisas caindo. Abro a porta e observo roupas espalhadas pelo chão e a cama toda bagunçada e sem tempo de pensar, abro a porta do seu banheiro me deparando com uma cena que jamais queria ver.

-Zlatan...o que faz aqui?- pergunta ela, nua, toda suada enquanto tentava se soltar dos braços de um homem qualquer que nem tive o prazer de olhar para a cara dele.

-VADIA! COMO PÔDE FAZER ISSO COMIGO?- foi o que consegui gritar na hora, porque eu estava fervendo de raiva e não conseguia pensar muito bem.

-Querido, calma, isso não é nada. Ele é um amigo...- empurro a para o lado e viro um soco no rosto do sujeito, que cai ao chão gemendo de dor.

-Espero que seja feliz no inferno, vagabunda- falo antes de sair daquele lugar. Eu deveria estar vermelho de tanta raiva que estava sentindo. Eu dava tudo a essa mulher. Dinheiro,roupas,sexo. E ela teve a coragem de trair Zlatan!

-MERDA!- grito socando o volante enquanto dirigia até o clube e proferia alguns palavrões no caminho. Se for isso que o amor dava em troca eu quero que se dane! Não preciso disso então. Estaciono o carro em minha vaga e desço levando minha bolsa ao lado. Vejo algum cara apontando a câmera para mim e apenas pisco para não sair como o babaca de sempre. Atravesso todo aquele lugar rezando para que ninguém viesse falar comigo, e todos ali me conheciam. Quando eu estava de mau humor, o que era sempre, ninguém se aproximava.

-O DEUS CHEGOU!- ouço alguém gritar quando entro em meu vestiário e vejo que a voz era de Lucas Moura e apenas o ignoro, passando reto até meu armário. Todos ali ficam meio quietos, mas logo voltam a conversar baixinho. Tiro minha camiseta para colocar meu uniforme até que sinto uma presença ao meu lado e nem preciso me virar pois já sabia que era.

-Eu to legal, capitão!- falo prontamente para Thiago que mantia seu olhar de pai preocupado enquanto observava minhas reações,que ele bem conhecia.

-Não é o que parece. O que foi dessa vez?- pergunta ele e suspiro fundo. Se fosse outra pessoa me perguntando eu logo responderia com grosseria, mas era Thiago. Ele era meu melhor amigo e me entendia como ninguém, além de Greta.

-Karin me traiu- falo meio baixo e ele não demonstra reação.

-Você ainda tinha duvidas de que isso não aconteceria?- pergunta ele e o olho irritado.

-Está querendo dizer que mereço ser traído?- resmungo e ele sorri de lado.

-Claro que não, Ibra. To falando que Karin não era mulher de um, e todos viam isso, menos você- responde ele tranquilo e relaxo um pouco meu corpo.

-Não dei motivos para ela fazer isso. Eu dava tudo a ela- falo vestindo minha camiseta de treino.

-Mulher não se compra, Zlatan! E quando alguém te ama e você a ama de volta, nada é preciso dar para convencer a pessoa a não te trocar. O amor é necessário- reviro os olhos quando escuto suas palavras e coloco minha bermuda.

-Amor é besteira. Eu não quero mais saber de amor- respondo irritado e sinto algumas olhadas em minha direção.

-Você nunca sentiu amor, Ibra! Sentir atração por sexo não é amor. Você um dia sentirá o amor, e quando sentir,verá como é maravilhoso- Thiago termina dando um abraço desajeitado em mim e caminhando até seu armário e bufo enquanto me sentava para colocar minhas chuteiras.

-Problemas amorosos?- escuto o sotaque do uruguaio que estava me observando há alguns minutos.

-Nada demais, só besteira- respondo rapidamente.

-Eu enfrentei isso com Soledad e...

-Eu não quero saber do seu casamento fracassado ,Edinson- respondo sério e todos se calam, olhando para nós.

-Ok, Ibra!- ele fala voltando a se vestir e logo observo um uniforme pronto ao lado do armário dele.

-Quem é “Estrela”?- pergunto para Lucas que me olha apreensivo.

-Nova jogadora, começa hoje- responde ele e arqueio as sobrancelhas.

-Jogadora? Não vai me dizer que o PSG vai aderir a essa lei ridícula de misturar os gêneros?- pergunto e ele da de ombros.

-A Vi é ótima, vocês vão ver. É amiga nossa- ouço Thiago falar e jogo a blusa no chão.

-Não dura 1 semana- respondo e Silva fecha a cara.

-BONJUOR, MIS COMPAÑEROS!- David Luiz sempre escandaloso entra no vestiário e o clima muda, com todos sorrindo e cumprimentando o mesmo, que ao me ver, parou com os pés juntos e fez uma revêrencia, me fazendo dar um sorriso da idiotice dele.

-Me apresentando ao Comandante Zlatan- ele fala antes de me abraçar e retribuo. David era meio maluco, mas todos gostavam do seu jeito,ele fazia o clima melhorar sempre.

-Cadê ela?- pergunta Lucas e David se abaixa para pegar a camiseta que eu havia deixado no chão,e dobrando novamente colocando no lugar de novo.

-Lá fora no carro, está nervosa. Pediu para chamar o Thiago- responde David revirando os olhos e vejo Thiago sorrir.

-Óbvio que ela ia chamar o Thiago- fala Marquinhos.

-Mas eu sou o melhor amigo dela- retruca David fazendo bico.

-Mas o Thiago é o papai dela. E só ele sabe passar confiança- responde Lucas fazendo o cabeludo revirar os olhos enquanto ia até seu armário.

-Pra que esse nervosismo todo? Ela não ta preparada para um clube como esse, já da pra ver- falo e todos voltam a me olhar.

-Vitória é uma ótima profissional e uma ótima jogadora. Nervosismos todos nós sentimos no dia da apresentação- responde Luiz irritado.

-Eu não fiquei nervoso. Eu sou Zlatan- falo saindo daquele lugar e caminhando pelos corredores.

-Para de descontar nos seus amigos, Zlatan!- ouço Thiago falar antes de passar por mim indo até o lado de fora e dou de ombros, me virando para o banheiro.

 

 

 

 

 

 

 

 

POV Estrela

Raça Negra ecoava pelo carro de David e eu escutava de olhos fechados, respirando fundo tentando controlar meu nervoso. Faltavam 10 minutos para eu me apresentar ao PSG e aquilo fazia o meu café de manhã se revirar em meu estômago. Dou um pulo escutando batidas na janela e quando olho na direção, abro o meu melhor sorriso.

-Eu to me controlando pra não chorar- falo abaixando o vidro e ele sorri largamente.

-Então se controle porque não to afim de cuidar de criança chorona- fala Thiago e respiro fundo tentando controlar minhas lágrimas. Desligo o som e saio do carro de David com minha mochila e me jogo nos braços do capitão. Não o via fazia anos e eu amava aquele abraço.

-Puta merda, como eu senti sua falta- falo trêmula,deixando algumas lágrimas caírem e ele se afasta e as enxuga rapidamente.

-Eu senti mais, pode apostar.  Mas eu tenho certeza que você sente mais falta da Belle- fala ele e começo a rir.

-Ela é minha melhor amiga, mas você é meu papai- falo abraçando ele de novo e ele gargalha.

-Isso não me conforta. E então, ta preparada?- pergunta ele me olhando nos olhos e nego com a cabeça.

-Vai dar algo errado, eu tenho certeza- falo rapidamente.

-Para com esse pessimismo, Vi! Vai dar tudo certo- ele seca algumas lágrimas e com certeza algumas manchas de rímel pelo meu rosto e me dá a mão. Entramos no clube e sinto meu coração bater forte e rápido. Era enorme e muito bonito.

-Como é bom ter pessoas bonitas para se admirar nesse lugar agora- ouço uma voz falar em francês, cujo idioma ainda não aprendi, carregado de um forte sotaque de outro país que não soube identificar  e logo sorrio quando vejo o dono da voz.

-Uma honra conhecê-lo- falo em inglês e ele ri um pouco antes de pegar em minha mão e beija-la.

-A honra é toda minha, Estrela. Estamos muito felizes com sua contratação- responde agora em inglês Nasser, o presidente do PSG.

-Eu que estou feliz, muito obrigada por acreditarem em meu trabalho- falo e observo Thiago que sorria que nem uma criança enquanto me olhava.

-Thiago quer ser apresentado novamente?- pergunta Nasser e o capitão solta minha mão, envergonhado.

-Vim desejar boa sorte, só isso. Te vejo daqui a pouco- fala ele se afastando e me sinto sozinha. Ai cacete, alguém me ajude.

-Então, Estrela.  Seus resultados nos últimos anos são gratificantes. Você joga desde que idade?- pergunta Nasser colocando minha mão envolta de seu braço e me guiando pelo clube.

-Desde meus 8 anos. Mas nunca pensei que iria seguir profissionalmente- respondo e sinto olhadas de algumas pessoas com o uniforme do PSG e sorrio timidamente e eles abrem um sorriso e fico mais tranquila.

-...e depois dessa lei que eu aprovo bastante, nos interessamos e pensamos logo em você. Todos aqui estão muito ansiosos com sua chegada- escutei apenas a metade que Nasser falava porque estava em distraída.

-Eu agradeço, fico muito honrada. É um sonho estar aqui e espero que eu possa cumprir com as expectativas- falo e olho para Nasser que tinha parado no lugar e não prestava atenção em mim. Sigo seu olhar e vejo um homem alto encostado ao lado do bebedouro e só por ver seu coque eu engulo em seco.

-Ibrahimovic!- Nasser entoa e Zlatan olha para trás e dá um sorriso sacana.

-Olá chefe- cumprimenta ele com sua voz grave e carregada no sotaque sueco que fez meu corpo se arrepiar todo.

-Você não deveria estar no treino?- pergunta Nasser tentando parecer bravo, mas eu via que era apenas brincadeira dele.

-O treino não começa sem Zlatan! Estava bebendo água- e pela primeira vez seu olhar se encontra com o meu e eu abaixo a cabeça no impulso.

-Bebendo água mentalmente? Porque você estava só olhando para o bebedouro- fala Nasser e sinto minha mão começar a suar enquanto sentia o olhar de Ibrahimovic queimando em cima de mim.

-Estou indo,chefe. Mas antes poderia me apresentar para a garota- pede ele e sinto uma pontada de raiva ao ouvir ele me chamar de “garota” como se eu fosse um nada. Levanto meu olhar e encaro seus olhos castanhos pela primeira vez e estico minha mão.

-Eu mesma me apresento. Sou Vitória Estrela, nova jogadora do PSG- respondo grosseiramente e ele ergue uma sobrancelha, provavelmente surpreso pela minha atitude. Eu sabia da fama dele, era grosso, arrogante e egocêntrico, e achava que tudo girava ao redor dele.

-Deus, mas para o mais íntimos apenas Zlatan. Ou seja, pode me chamar de Deus- ele aperta minha mão e sorri debochado e eu fecho a cara.

-Bom, vamos logo aos exames que estamos um pouco atrasados. E você, vá para o treino- fala Nasser pegando em minha mão  e me puxando levemente.

-Prazer em conhecê-lo, Zlatan- falo pausadamente e vejo o mesmo fechar a cara furioso e sorrio voltando a olhar para a frente.

-Não ligue para ele. Zlatan de mau humor é um porre- fala Nasser e rio baixo.

-Sem problemas,eu e ele seremos ótimos amigos- falo ironicamente fazendo o presidente rir enquanto me conduzia até as salas de exame. Enquanto eu era examinada sentia meu corpo se arrepiar novamente enquanto relembrava o olhar do senhor Deus me olhando fulminante. Se ele pensa que esse olhar me intimidou esta bem enganado. Fiz todos os procedimentos requisitados sendo observada por Nasser que sorria satisfeito e aquilo me deixava mais tranquila.

-Agora vá para o vestiário e logo depois iremos conhecer seus novos parceiros- fala ele e vou quase correndo até meu uniforme. Era lindo demais e o vesti rapidamente. Amarro meu cabelo, separando duas mechas da minha franja para o lado que era meu clássico penteado e amarro minhas chuteiras.

-Maravilhosa- elogia Nasser pegando em minha mão e sorrio agradecendo. Meu coração se acelera enquanto caminhava e inspiro ar puro quando piso no estádio lindo do Parc dês Princes. Alguma musica eletrônica soava pelo alto falante e eu ouvia gritaria e risadas do outro lado do campo e vejo que eram os jogadores. Coloco a mão no gramado e faço o sinal da cruz antes de caminhar ao lado de Nasser e os jogadores começam a se cutucar e apontar para trás,e logo todos eles me observavam enquanto me aproximava.

-Blanc!- Nasser chama e um homem com cabelos grisalhos se vira e abre um sorriso.

-Que prazer finalmente te conhecer, Estrela- cumprimenta o técnico Laurent Blanc e sorrio apertando sua mão.

-O prazer é meu!- entreolho alguns jogadores que estavam meio sérios e fico meio receosa. Mas logo vejo David que me manda um beijo e sorrio tranquila.

-Meninos,essa é sua nova companheira número 8, Estrela. Espero que a recebam bem e sejam ótimos amigos- Blanc me empurra um pouco para frente e estendo a mão para um jogador, que ignora e me puxa com força para um abraço apertado e retribuo ouvindo risadas.

-Sou o Verratti- fala ele e aceno com a cabeça.

Abraço cada um que sorriam felizes ao me ver e faziam algumas piadinhas dizendo como as brasileiras eram bonitas e não me sinto ofendida com o tom usado e acabo rindo da situação.

-Hola, chica!- cumprimenta o uruguaio com um sorriso largo e o abraço também.

-Muito prazer,Cavani!- falo e ele acena com a cabeça, ainda com seu sorriso.

-Eu sou Deus Zlatan- cumprimenta o arrogante e o olho estranho.

-Já nos conhecemos antes- respondo e todos se entreolham.

-Sério? Não me lembro- fala ele irônico e o fuzilo com o olhar. Até o clima ser quebrado por David que me pega no colo e me beija na bochecha.

-Ela é minha pequena, não se metam com ela- fala ele e todos levantam a mão em rendição me fazendo rir.

-BEM VINDA AO TIME, ESTRELA!- grita Lucas e todos comemoram menos Zlatan, que me olhava com uma cara emburrada.

-Obrigada gente. Que seja uma ótima temporada para a gente e que possamos nos tornar ótimos amigos- falo sincera.

-Quem sabe mais que amigos- Pastore fala dando um sorriso malicioso.

-Deus te ouça- responde Verratti e os dois levam dois tapas de Thiago.

-Mais respeito, seus babacas- fala o capitão e todos riem.

-Bom,temos que voltar ao treino meninos. Mais uma vez foi um prazer conhecê-la, Estrela- Blanc me dá dois beijos na bochecha e se afasta com os meninos. 

-Te amo- fala David antes de se afastar e os meninos sorriam para mim enquanto caminhavam para longe.

-Até que não foi tão ruim- falo para Nasser que gargalha.

-Os meninos são ótimos,você vai ficar bem. Agora vamos para a imprensa,pior parte na minha opinião. Está preparada?- olho para o estádio e vejo os meninos se divertindo e sorrio satisfeita.

-Eu nasci pronta. Vamos lá!


Notas Finais


O que acharam? Peço calma para voces,está apenas começando,sei como é meio chato começo de fics mas prometo que vem muita coisa boa por aí. Espero que tenham gostado,até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...