História .camisinha neon, tamanho negativo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Bangtan Boys (BTS), Boys Love, Comedia, Gay, Jeon Jungkook, Jungkook, Kim Taehyung, Kookv, Kpop, Lemon, Pwp, Taehyung, Taekook, Vkook, Yaoi
Visualizações 286
Palavras 1.885
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção, Lemon, LGBT, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ola gays
eu já postei fics aqui em outro perfil, mas decidi criar um novo e desativar o antigo, espero que gostem :*

Capítulo 1 - . piroquinha mixuruca


Fanfic / Fanfiction .camisinha neon, tamanho negativo - Capítulo 1 - . piroquinha mixuruca

- Jungkook...

- Hm..

- Aqui não tem camisinha.

Taehyung era incoveniente de vez em quando, mas porra, reclamar de não estarem usando camisinha quando se está com o rabo virado pra lua era o cúmulo do inadmissível. Jungkook revirou os olhos com tanta força que por um segundo achou que eles não fossem mais voltar.

Logo depois olhou da forma mais indignada que conseguiu para o namorado, com direito a mão na cintura e tudo. O primeiro dito estava de quatro sobre o edredom forrado naquele colchão velho, que sempre colocavam na sala para ver filmes com mais conforto, usando apenas um moletom branco no tronco e uns travesseiros abaixo do corpo para dar apoio.

- Taehyung... - resmungou.

- Eu não vou dar pra você sem camisinha. - falou, contrariado, se sentando enquanto massageava o próprio pau.

Jungkook quase perdeu o foco.

Afinal, era difícil manter a concentração e a racionalidade com um pacotão como aquele na sua frente, ainda mais quando ele parecia implorar que sentasse em cima dele até que o galo fizesse cocoricó, ou pelo menos até que os vizinhos reclamassem deles para o porteiro por excesso de barulho, mas Jungkook aguentou firme, afinal naquela noite não era ele que ia morder a fronha.

Claro que isso foi decidido depois de algumas discussões e tapas, mas aquilo eram apenas meros detalhes.

- Mas só tem camisinha no meu quarto!

- Vai buscar antes que eu broxe e desista então. - respondeu, indiferente.

- Mas hyung-

- Mas nada.

Jungkook bufou, com raiva e sem muito raciocínio, afinal, naquele momento o sangue não estava fluindo na cabeça certa. Se levantou com os braços cruzados e um bico enorme nos lábios, parecendo uma criança birrenta como Taehyung gostava de implicar.

E enquanto saia da sala, ainda conseguiu ouvir Taehyung rindo, dizendo que era hilário vê-lo andar pelado pela casa e com o pau duro balançando de um lado para o outro.

Também uma cena e tanto, mas isso ele preferiu omitir apenas para zoar o namorado.


- Jungkook, meu amor, o que é isso? - Taehyung questionou, prendendo o riso.

- Uma camisinha, ué.

O moreno deu de ombros depois de entregar o pacote ao mais velho.

Tinha subido até o segundo andar e procurado o que tanto precisava no seu quarto. Ficou alguns minutos lá, e depois de revirar todo o guarda-roupa e não achar nada, já estava quase desistindo de transar naquele dia quando lembrou que Junghyun, seu irmão mais velho, tinha uma caixa de camisinhas embaixo da cama - que descobriu por acaso quando estava fuçando o quarto dele outro dia - ele provavelmente não daria falta de uma, não é?

Foi decidido até o quarto de frente para o seu pegar a tão desejada camisinha, mas infelizmente a caixa não estava mais no mesmo lugar. Junghyun provavelmente tinha guardado, ou sua mãe tinha achado e jogado no lixo.

Jungkook quase foi embora tentando bolar mentalmente algum plano pra convencer Taehyung de que não precisavam de camisinha, entretanto, antes de sair, viu pelo reflexo do espelho que tinha na porta um pacotinho verde em cima da cômoda ao lado da cama - além da visão que ele julgava ridícula de seu próprio corpo nú com aquela benga dura pendurada.

Quase pulou de alegria, mas preferiu se conter e pegar a maldita antes que fosse Taehyung a desistir.

Desceu as escadas correndo, quase tropeçando nos próprios pés. Entregou a camisinha para Taehyung na maior empolgação, entretanto a cara que ele fez ai encarar o pacotinho não foi nada boa. Ele parecia incrédulo com o que via, enquanto prendia o riso.

- O que foi Tae?

- Isso é uma camisinha neon garoto, eu não sabia que você tinha esses fetiches estranhos. - riu.

Jungkook arregalou os olhos.

- QUÊ?!

- Vai me dizer que comprou sem ver?

- Na verdade eu peguei essa no quarto do Hyun. As minhas acabaram. - coçou a nuca constrangido.

- Eu já sabia que o seu irmão era estranho, mas não nesse nível. - riu de novo.

Jungkook achou seriamente que Taehyung iria levantar e ir embora, ou talvez vestir uma roupa e sentar no sofá para rir da cara de seu irmão mais confortavelmente, mas quando ele tornou a ficar de quatro, se empinando todo e lhe entregando a camisinha, Jungkook quase chorou de emoção.

Abriu o pacotinho e vestiu no látex no próprio pênis. E só pra testar a peculiaridade daquela proteção, o mais novo se levantou e apagou as luzes da sala, dando um pequeno susto em Taehyung, que franziu o cenho.

- Jungkook, o que- parou ao ouvir a risada alta de do menor reverberar pela sala escura.

Quando Taehyung virou o rosto, a cena que encontrou não poderia ser mais bizarra. Bizarra, estranha e engraçada de certa forma.

Jungkook parecia uma criança que havia acabado de ganhar um brinquedo, enquanto encarava o próprio pênis e balançava a pélvis de um jeito estranho, fazendo o pau, que mais parecia uma luminária, balançar todo desengonçado. O Kim riu incrédulo.

- Jungkook?

- Hyung, meu pau tá brilhando. Funciona mesmo, OLHA QUE FODA!

- Tá, mas você só vai ficar aí, balançando até ele ficar mole?

- Desculpa, é só que, isso é muito legal! - riu: - OLHA! - rodou a pélvis, girando o pau como se fosse a hélice de um helicóptero. Taehyung riu alto, negando com a cabeça.

- Vem logo antes que eu desista dessa ideia idiota. - chamou rindo, e deitando de barriga para cima depois de sentir a coluna doer por ter ficado tanto tempo na mesma posição.

Jungkook deu uma última risada, antes de se aproximar, deitando por cima do mais velho e cobrindo o corpo dele com o seu. Os dedos longos percorreram suas costas, e ele suspirou baixinho, beijando Taehyung e sentindo todo aquele tesão voltando com força.

Dedilhou a pele morena com carinho, apertando a cintura do outro com um pouco de hesitação, e logo em seguida, aquela bunda que sempre o deixava louco quando via o namorado com alguma calça social ou de couro, ou até mesmo um jeans um pouco mais apertado.

- Aperta com força. - Taehyung falou risonho. Jungkook obedeceu, voltando a beijá-lo e sentindo-o sorrir em meio a um arfar contra sua boca.

Continuaram naquela pegação toda por alguns minutos. Jungkook também empurrava sua pélvis contra a de Taehyung de vez em quando, quase gozando quando ouvia o namorado gemer seu nome com aquela voz grossa em seu ouvido, manhoso como ele quase nunca era naqueles momentos.

Levantou o tronco depois de algum tempo, sentindo aquela sala quente como o próprio inferno.

- Quer que eu te prepare? - perguntou, colocando as coxas do Kim em cima das suas, aproveitando a oportunidade pra apertar aquela região.

- Não, eu já fiz isso. Só mete logo.

Foi a última coisa que Taehyung disse antes de puxar novamente o Jeon pelos ombros, o beijando. Puxou o cabelo comprido e enroscou os dedos nos fios macios, esperando sentir aquela característica dor em suas partes baixas, entretanto, não sentiu nada.

Absolutamente nada. Apenas Jungkook arfando como um asmático contra seu rosto, sendo que aparentemente nem haviam começado.

- Jungkook, coloca logo... - sussurrou manhoso e impaciente.

- Mas hyung, eu já coloquei. - falou, ofendido.

Taehyung abriu os olhos no mesmo instante, franzindo o cenho em uma careta.

- Ué, eu não senti nada. Não tô sentindo até agora na verdade.




- Meu amor, seu pau é perfeito.

- Não é NÃO! - Jungkook falou choroso, escondendo o rosto com as mãos: - Ele é pequeno! Você mesmo disse naquela hora...

- Eu acho que foi por que eu usei muito lubrificante. - Taehyung prendia o riso enquanto tentava consolar o namorado, dando tapinhas nas costas dele, que estava sentando em posição de índio.

A cena seria menos ridícula se ele não estivesse chorando enquanto encarava o próprio pau, ainda encapado por aquele látex que brilhava por ainda estarem no escuro - não completamente porque a tv estava ligada.

- Não foi não! Olha o tamanho do seu! - apontou se virando e encarando o pênis do outro: - É bem maior do que o meu!

- Eu sou acima da média, é só isso. - falou, com o ego um tanto inflado depois daquela observação.

- Aigoo, por que meu pau é tão pequeno? - questionou novamente, com uma carinha de choro que fez Taehyung cessar o riso.

Ao invés disso, o Kim deu apenas um sorriso pequeno e puxou Jungkook para o seu colo, abraçando a cintura dele e ouvindo os choramingos que ele soltava.

- Amor, não fica assim... você é perfeito, e não importa se o seu o pau é pequeno ou não. Ele também é perfeito igual a você. - falou, carinhoso.

Jungkook riu, secando as lágrimas rasas que haviam caído: - Essa foi a declaração mais... estranha que eu já recebi em dois anos de namoro. - falou risonho.

- Pois é, também foi a coisa mais estranha que eu já falei em vinte e um anos de vida. - riu: - Mas é sério, você é perfeito sem botar sem tirar.

- Você também é perfeito e eu te amo. - falou sorrindo, roubando um selinho do maior: - Eu queria transar, mas agora só quero ficar deixado de conchinha. O que você faz comigo Taehyung? Céus.

- Eu também te amo. - roubou um selinho do mais novo, que riu: - E eu posso resolver isso, se você quiser né... - sorriu, pervertido.

Jungkook sorriu também, beijando o namorado com sede. Sentiu as mãos dele apertando todo seu corpo da forma que gostava, e quando ele abriu sua bunda e encaixou o próprio pau ali, gemeu arrastado sem se conter.

- Hyung~, eu... - segredou: - Eu quero você... - rebolou devagar, ondulando o próprio corpo no de Taehyung, que gemeu baixinho.

- Quer aonde? E quer como? - questionou, apertando as coxas grossas com gosto, só para depois ver as marcas vermelhas na pele leitosa.

Jungkook gemeu baixinho. Rebolou de novo, com mais vigor. Colou sua testa a de Taehyung, sentindo ele acariciar seu cabelo com uma das mãos. O olho nos olhos, mordendo o lábio inferior com força.

- Me fodendo. Me fodendo com força e bem fundo... - sussurrou a última parte bem baixinho.

E quem era Taehyung para negar algo como aquilo? Faria com o maior prazer.

Ou talvez não.

- Jungkook, Tae! Chegamos! - ouviram a voz de Junghyun vinda do hall de entrada da casa, ouvindo também os pais de Jungkook, que discutiam sobre o restaurante que escolheram para ir naquela noite conhecer a namorada de Junghyun ser muito caro.

Se olharam completamente em choque misturado com pânico, mas antes que tivessem qualquer reação, Junghyun apareceu na sala e acendeu as luzes, desmanchando o sorriso no mesmo instante e em seguida arregalando os olhos, seguido da Sra. e do Sr. Jeon, que logo após aparecerem, fizeram o mesmo.

E tudo só piorou quando Jungkook saiu correndo pelado pela sala, puxando Taehyung junto. Se trancaram no quarto ainda assustados e com as pernas trêmulas pela adrenalina, e antes que tivesse outra reação que não fosse rir ou morrer de vergonha, ouviram um grito vindo da sala.

- AH NÃO, MINHA CAMISINHA NEON NÃO! PUTA QUE PARIU JUNGKOOK! 


Notas Finais


coitado do jungkook e da piroquinha dele k

usem camisinha, sigam o exemplo do tae gent ✌️

é isto, tchau gays

(s_purplillusion): https://twitter.com/s_purplillusion?s=09


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...